Intelectuais e politíca : Revisitando o período Vargas



Baixar 125,55 Kb.
Página4/4
Encontro11.09.2017
Tamanho125,55 Kb.
1   2   3   4
3 Mota, Carlos Guilerme. Ideologia da cultura brasileira.São Paulo, l977,p.55.

.


4 Gramsci, Antonio. Maquiavel , a política e o Estado moderno, l984, p.91.

5 Ferreira, Jorge Luiz. A cultura política dos trabalhadores no primeiro governo Vargas,p. l81.

6 Habermas,Jurgen.,Mudança estrutural na esfera pública., 1984,p.174.

7 Sant’Anna, Afonso Romano de. Música popular e moderna poesia brasileira ,1978,p.18

8 Oliven, Ruben, A relação Estado e Cultura: cortes ou continuidade?, l984,p.47.

9 Chauí, Marilena.Conformismo e resistência, l986, p. 96.

10 Oliven, Ruben.A democracia e a questão das diferenças culturais,1985,p.167.

11 Wisnik, Jose Miguel.Algumas questões de música e política no Brasil, l992,p.120.

12 Miceli, Sérgio. O processo de construção institucional na área cultural federal (anos 70), 1984 a,p.56.

13 Chauí, Marilena.Conformismo e resistência, l986, p. 54.

14 Pécaut, Daniel. Os intelectuais e a política no Brasil, 1990, p.42.

15 Miceli,Sérgio. Intelectuais e classe dirigente no Brasil (l920-l945),l979,p.133.

16 Lamounier,Bolívar.Ideology and authoritarian regimes , l974.

17 STEPAN, ª The state and society. Peru in comparative perspective. Princeton University, l978.

18 BOURDIEU, Pierre. As regras da arte, l996 a, p. 253.

19 Candido, Antonio. Prefácio.In:Miceli, Sérgio. Intelectuais e classe dirigente no Brasil (l920-1945),1979,XII.

20 Gramsci, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura, l985,p. 152-153.

21 Fonseca, Maria Cecília Londres. O patrimônio em processo, 2005, p. 82.

22 Fonseca, Maria Cecília Londres , Ibidem, p. 98.

23 Falcão , Joaquim Arruda. Política cultural e democracia: a preservação do patrimônio histórico e artístico nacional, 1984, p. 29.

24 Fonseca, Maria Cecília Londres, Ibidem, p. ll0.

25 Bazin, Germain. História da história da arte,1989,p.380.

26 Durand, José Carlos.Arte, privilégio e distinção : artes plásticas, arquitetura e classe dirigente no Brasil, l855/1985, l989,p. 152.

27 Fenelon,Déa Ribeiro. Políticas culturais e patrimônio Histórico.,l992, p. 29

28 Bazin, Germain.Ibidem, Idem,p. 380..

29 Faria, Luís de Castro. Nacionalismo, nacionalismos-dualidade e polifonia, l995,p.29

30 Faria, Luis de Castro. Idem, Ibidem, p. 32.

31 Morin, Edgar.Cultura de massas no século XX. 1981,p.15.

32 Velloso, Mônica. Os intelectuais e a política do Estado Novo. l987,p.14.

33 Prado, Antonio Arnoni. 1922:Itinerários de uma falsa vanguarda., l983,p.99.

34 Mannheim,Karl. Ideologia e utopia., l986, p.179.

35 Mota, Carlos Guilherme. Cultura e política no Estado Novo (l937-1945),1979,p.87.

36 Bordieu,Pierre. As regras da arte, 1996 a, p. 67.

37 Miceli, Sérgio.Imagens negociadas. Retratos da elite brasileira, 1996, p.18.

38 Candido, Antonio. Prefácio. In:Miceli, Sérgio.Intelectuais e classe dirigente no Brasil (1920-1945),1979,p.xii.

39 Miceli, Sergio. Intelectuais e classe dirigente no Brasil (1920-1945),1979,210p.

40 Miceli, Sérgio. Idem, Ibidem, p. xxi.

41 Boudieu,Pierre. As regras da arte, 1996a, 431 p.

42 Candido, Antonio. Prefácio. In : Miceli, Sergio. Intelectuais e classe dirigente no Brasil (1920-1945),1979,p.x.


43Lacerda, Aline Lopes de. A “obra getuliana”ou como as imagens comemoram o regime. Revista Estudos Históricos, v. 7, n. 14, p.246.

44 Pécaut, Daniel. Idem , Ibidem, p. 72.

45 Certeau, Michael de. A cultura no plural, 1995, p.168 -169.

46 Miceli, Sergio. Intelectuais e classe dirigente no Brasil (1920-1945),1979,p.159.

47 Bordieu, Pierre. As regras da arte, l996a, p.312.



48 Lacerda, Aline Lopes de. A obra getuliana ou como as imagens comemoram o regime. Revista de Estudos Históricos,v.7, n.14, l994, p.245.

49 É interessante, nesse sentido, a colocação de Bourdieu: “Ao impor e inculcar universalmente(...) uma cultura dominante assim constituída em cultura nacional legítima, o sistema escolar, particularmente através do ensino da história(...) inculca os fundamentos de uma verdadeira “religião cívica”e, mais precisamente, os pressupostos fundamentais da imagem (nacional) de si”(BOUDIEU,l996b:106). Trocando o “sistema escolar” por “meios de comunicação” e eis a política estadonovista!

50 Gomes, Ângela de Castro. História e historiadores. A política cultural do Estado Novo, l996,p.12.

51 Simis, Anita. Estado e cinema no Brasil,1996.



52 Velloso, Mônica. Os intelectuais e a política do Estado Novo, l987,p.24.


1   2   3   4


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal