IndicaçÃo nº 2404, de 2008 indico



Baixar 20,04 Kb.
Encontro18.08.2017
Tamanho20,04 Kb.



INDICAÇÃO Nº 2404 , DE 2008



INDICO, nos termos do artigo 159 da XIII Consolidação do Regimento Interno, ao Excelentíssimo Senhor Governador do Estado, seja determinada aos órgãos competentes a realização de estudos e a adoção de outras providências voltadas à inserção de 2 (duas) horas de estágio por mês, a serem cumpridas em asilos de cada município, em horário diverso do período de aula, de modo que seja “adotado” um idoso por aluno da rede escolar, para que o jovem tenha a oportunidade de aprender com a experiência do ancião adotado e apresente um trabalho escolar a respeito dessa convivência. Esta indicação acolhe a iniciativa do jovem Lucas Gabriel Gonçalves de Oliveira, da Escola Estadual Profª. Maria Galante Nora, de São José do Rio Preto, participante do Parlamento Jovem de 2008.



JUSTIFICATIVA


Temos a honra de apresentar esta indicação, acolhendo a iniciativa do jovem Lucas Gabriel Gonçalves de Oliveira, da Escola Estadual Profª. Maria Galante Nora, de São José do Rio Preto, participante do Parlamento Jovem de 2008, que expôs o mesmo tema no transcorrer das atividades dessa grandiosa jornada cívica e educativa desempenhada, anualmente, pela Assembléia Legislativa.

A presente proposição tem por escopo indicar ao Senhor Chefe do Poder Executivo que determine aos órgãos competentes a realização de estudos e adoção de outras providências voltadas à inserção de 2 (duas) horas de estágio por mês, a serem cumpridas em asilos de cada município, em horário diverso do período de aula, de modo que seja “adotado” um idoso por aluno da rede escolar, para que o jovem tenha a oportunidade de aprender com a experiência do ancião adotado e apresente um trabalho escolar a respeito dessa convivência.

Com efeito, assim expôs o “jovem parlamentar” em seu projeto, no âmbito do Parlamento Jovem, que tomamos a liberdade de transcrever:


“Artigo 1º - Esta lei institui a inserção de 2 (duas) horas/aula, por mês, de estágio, a serem cumpridas em asilos de cada município.

Parágrafo único - O estágio será cumprido em horários diversos do período de aulas.


Artigo 2º - Esta lei prevê a adoção de um idoso, por aluno, em cada ano letivo.

§1º - Em caso de falecimento do idoso, outro será adotado;

§2º - Cada idoso poderá contar com mais de um estagiário.
Artigo 3º - O jovem terá oportunidade de aprender com a experiência de vida do idoso.
Artigo 4º - Os alunos participantes do estágio deverão, ao fim de cada ano letivo, apresentar um projeto de conclusão na disciplina de língua portuguesa.

Parágrafo único - O projeto final poderá ser apresentado pelos alunos estagiários, através de teatro, narrando a vida do idoso; de um conto; de uma música ou de qualquer forma de arte.


Artigo 5º - As despesas decorrentes da execução desta lei correrão à conta das dotações orçamentárias de cada município.

Parágrafo único - Cada município deverá arcar com os passes de ônibus necessários ao cumprimento desta lei.


Artigo 6º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.
Alega o entusiástico participante do Parlamento Jovem, ainda, à guisa de justificativa, que:
“O Projeto de lei, ora apresentado, tem por objetivo a inserção do jovem no mundo dos idosos. Privilegia a troca de experiências de vida e de conhecimentos através de estágios que serão aproveitados na disciplina de língua portuguesa.
Sabemos que, nos dias atuais, é muito difícil encontrar um jovem que traga a solidariedade em sua educação familiar ou mesmo escolar.
A família, por sua vez, não tem tempo para dedicar-se à educação integral de seus filhos, em virtude de problemas financeiros e mesmo de desintegração familiar.
A escola, por seu turno, preocupa-se com conteúdos e projetos envolvendo conhecimentos de cada área específica e deixa que a solidariedade e o amor ao próximo, especialmente ao idoso, desabrochem por acaso.
Sabemos, ainda, que o amor aqui empregado trata-se de amor ao próximo e à humanidade, prioritariamente, ao idoso.
Sendo a família a “celula mater” da sociedade e, vivendo em um mundo de tanta violência e desamor, não consegue ter tempo e disposição para ensinar tais valores aos filhos.
Cabe, portanto, à escola, local de desenvolvimento global da criança e do adolescente, desenvolver projetos que ensinem o contato com o outro, de forma amistosa, solidária, principalmente junto àqueles que envelheceram e já não podem mais contar com seus próprios familiares. Estamos falando dos idosos que vivem em asilos.
Durante o estágio no asilo, cada jovem adotará um idoso. Nos momentos de proximidade os alunos ouvirão as histórias de cada “adotado” e farão suas anotações. Este momento será de aprendizagem através de histórias narradas e de doação àquele idoso em especial, em todas as suas necessidades.
Estas anotações das histórias de cada idoso serão utilizadas para o projeto de conclusão do estágio, ensinando cada aluno-estagiário a expressar-se em qualquer tipo de arte, seja teatro, contos, música, pintura em tela, etc.
Ao final de cada ano letivo, serão realizadas apresentações dos trabalhos selecionados por uma comissão da escola, com a presença dos idosos para que reconheçam na arte, a sua própria vida.
Se todos são iguais perante a lei, nós, do Parlamento Jovem, não poderemos deixar passar ao largo as previsões do Estatuto dos Idosos, os seus direitos de contato com o mundo externo. Não podemos deixar de entender, ainda, que sempre é tempo de aprender que a vida é um palco, no qual atuamos desde o nosso nascimento até o último suspiro.
Amarás a teu próximo como a ti mesmo. (Mateus 22:39)”

Nesta conformidade, pode afirmar-se que a indicação é perfeitamente viável e conveniente, podendo trazer resultados altamente positivos à sociedade e, por seu caráter administrativo, apresentamos esta indicação como propositura de relevante interesse público.





Sala das Sessões, em
Deputada Maria Lúcia Prandi - PT


SPL - Código de Originalidade: 844262 171208 1811




©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal