Ii –– LÍÍngua portuguessa e liiteratura brassiileiira para responder às questões de 1 a 6



Baixar 266,74 Kb.
Encontro03.07.2018
Tamanho266,74 Kb.

1

II – LÍÍNGUA PORTUGUESSA E LIITERATURA BRASSIILEIIRA

P
ara responder às questões de 1 a 6, leia, atentamente, o texto abaixo.

2

1. No texto “Amor”, extraído do romance O



Guarani, o narrador, ao descrever o personagem

Loredano, chama a atenção para a necessidade de

um “acontecimento extraordinário” que pudesse

alterar as “leis da sociedade” e permitir ao colono

transpor determinadas barreiras sociais e morais.

A partir da leitura integral desse romance, é

correto afirmar que esse acontecimento

extraordinário se relaciona à (ao)



a) morte de Álvaro, único que obedecia ao

código de honra imposto por D. Antônio de

Mariz.

b) cerco dos Aimorés à casa de D. Antônio de

Mariz e à revolta dos colonos.



c) revelação sobre o passado religioso de

Loredano.



d) enriquecimento de Loredano que poderia

passar da condição de pobre colono à de

proprietário de terras.

e) volta de Peri para a sua tribo, deixando

desprotegida a família de D. Antônio de

Mariz.

2. Em relação à caracterização de Álvaro, o

narrador


a) limita-se aos aspectos físicos, descrevendo-o

como um nobre.



b) realça traços patológicos e instintivos

próprios do homem daquela época.



c) traça um perfil do personagem evidenciando,

de forma idealizada, seus sentimentos e

atitudes.

d) evidencia determinadas atitudes do personagem,

associando-as a condicionamentos

biológicos.

e) penetra no inconsciente do personagem,

revelando o caráter ambíguo de sua

personalidade.

3. Considere o fragmento:

Ao contrário dos outros ele não estava ali, nem por um



ciúme inquieto, nem por uma esperança risonha;” (linha

29).


As expressões ciúme inquieto e esperança

risonha referem-se, respectivamente, a

I. Álvaro e Loredano, que, mesmo

enciumados, devotavam seu amor a Cecília.

II. Loredano e Peri, que temiam o assédio de

Álvaro, mas confiavam no sucesso de seus

planos.


III. Loredano e Álvaro, que revelam

sentimentos distintos em relação a Cecília.

Está(ão) correta(s) apenas:

a) I c) III e) I e III

b) II d) I e II

4. Leia o fragmento:

... a história desse afeto inocente, que se entregava



descuidosamente ao futuro,...” (linhas 19-20)

A expressão “ao futuro” apresenta o mesmo

comportamento sintático da expressão

destacada em:



a) “...Álvaro ia dar um passo que (...) ele comparava

quase com um pedido formal de

casamento;”



b) “...adormecida na isenção de sua alma pura e

virgem,



c) “...o seu espírito italiano já tivesse sondado o alcance

dessa idéia.”



d) “... coisa que ele adivinharia no seu rost o, e iria

buscar nessa mesma noite,

e) “... se não desejava alguma coisa que ele adivinharia

no seu rosto,”



5. Leia o fragmento:

... amava Cecília não para sentir um prazer ou ter



uma satisfação, mas para dedicar-se inteiramente a ela,

para cumprir o menor dos seus desejos, para evitar que



a moça tivesse um pensamento que não fosse

imediatamente uma realidade.” (linhas 26-28)

Considerando as orações introduzidas pela

preposição para, pode-se afirmar que essas

orações


I. são todas reduzidas de infinitivo.

II. expressam idéia de finalidade.

III. estão interligadas por meio de um processo

de coordenação.

Está(ão) correta(s):

a) apenas I d) apenas I e III

b) apenas I e II e) I, II e III

c) apenas II e III

6. Quanto à pontuação, observa-se desvio da

norma culta em:

a) Álvaro, embora fosse tímido, ia dar um passo,

nessa noite, comparado a um pedido formal

de casamento.

b) Nessa noite, Álvaro ia dar um passo

comparado a um pedido formal de

casamento, embora fosse tímido.

c) Álvaro, nessa noite, embora fosse tímido, ia

dar um passo comparado a um pedido formal

de casamento.

d) Embora fosse tímido Álvaro nessa noite, ia

dar um passo comparado, a um pedido

formal de casamento.

e) Nessa noite, um passo comparado a um

pedido formal de casamento, Álvaro ia dar,

embora fosse tímido.

Para responder às questões de 7 a 10, leia,

atentamente, o poema abaixo.

TEXTO II

O “Adeus” de Teresa

1 A vez primeira que eu fitei Teresa,

Como as plantas que arrasta a correnteza,

A valsa nos levou nos giros seus...

E amamos juntos... E depois na sala

“Adeus” eu disse-lhe a tremer co’a fala...

6 E ela, corando, murmurou-me: “adeus”.

Uma noite... entreabriu-se um reposteiro...

E da alcova saía um cavaleiro

Inda beijando uma mulher sem véus...

Era eu... Era a pálida Teresa!

“Adeus” lhe disse conservando-a presa...

12 E ela entre beijos murmurou-me: “adeus!”

Passaram tempos... séc’los de delírio

Prazeres divinais... gozos do Empíreo...

... Mas um dia volvi aos lares meus.

Partindo eu disse — “Voltarei!... descansa!...”

Ela, chorando mais que uma criança,

18 Ela em soluços murmurou-me: “adeus!”

Quando voltei... era o palácio em festa!...

E a voz d’Ela e de um homem lá na orquestra

Preenchiam de amor o azul dos céus.

Entrei!... Ela me olhou branca... surpresa!

Foi a última vez que eu vi Teresa!...

24 E ela arquejando murmurou-me: “adeus!”

São Paulo, 28 de agosto de 1868.

(ALVES, Castro. Espumas Flutuantes. São Paulo: FTD,

1987, p. 53).

GLOSSÁRIO

reposteiro: cortina.

alcova: quarto de dormir.

Empíreo: morada dos deuses (mitologia).

volver: voltar.

arquejar: respirar com dificuldade, ofegar.



7. Em O “Adeus” de Teresa, os versos 6, 12, 18 e 24

a) isolam a palavra “adeus”, modificando a

seqüência lógica do poema.



b) assinalam a seqüência de atitudes de Teresa,

no poema, indo da descoberta do amor à

traição.

c) indicam que os sentimentos de Teresa não

sofreram qualquer mudança do primeiro ao

último encontro.

d) evidenciam uma mudança nos sentimentos de

Teresa que, ao final, descobre o amor

verdadeiro.

e) ressaltam o verdadeiro amor de Teresa, que

se intensifica a cada encontro.



8. Leia o verso:

E ela arquejando murmurou-me: ‘adeus’!” (verso24)

A circunstância expressa pelo termo destacado

ocorre também no verso:



a) “‘Adeus’ eu disse-lhe a tremer co’a fala...” (verso 5)

b) “Uma noite...entreabriu-se um reposteiro...” (verso 7)

c) “E da alcova saía um cavaleiro” (verso 8)

d) “Era eu... Era a pálida Teresa!” (verso 10)

e) “Passaram tempos... séc’los de delírio” (verso 13)

9. Leia os seguintes fragmentos poéticos:

I Mulher do meu amor! Quando aos meus beijos

Treme tua alma, como a lira ao vento,

Das teclas de teu seio que harmonias,

Que escalas de suspiros, bebo atento!

(Castro Alves)

II Eu vi-a e minha alma antes de vê-la

Sonhara-a linda como agora vi;

Nos puros olhos e na face bela,

Dos meus sonhos a virgem conheci.

(Casimiro de Abreu)

III Eras a estrela transformada em virgem!

Eras um anjo, que se fez menina!

Tinhas das aves a celeste origem.

Tinhas da lua a palidez divina,

Eras a estrela transformada em virgem!

(Castro Alves)

A imagem da mulher presente no poema O

Adeus” de Teresa diferencia-se da imagem

expressa apenas no(s) fragmento(s)



a) I c) III e) II e III

b) II d) I e II

10. Considere os versos:

Como as plantas que arrasta a correnteza, (verso 2)



A valsa nos levou nos giros seus...” (verso 3)

Quanto a sua organização sintático-semântica, é

correto afirmar:

a) O conectivo “que” recupera o termo “plantas”,

funcionando como sujeito do verbo arrastar.



b) O termo “nos giros seus” modifica o sentido do

verbo levar, expressando uma idéia de

comparação.

c) O termo “a correnteza” funciona como

complemento do verbo arrastar.



d) O conectivo “que” introduz uma estrutura

oracional de valor restritivo.



e) O conectivo “como” estabelece uma idéia de

causa em relação ao verso “A valsa nos levou



nos giros seus...”.
Gabarito

01 02 03 04 05 06 07 08 09 10

B C C A E D B A E D






©livred.info 2019
enviar mensagem

    Página principal