História geral – setor: 1622 questões para o extensivo diurno – flapi 2013



Baixar 402,89 Kb.
Página1/2
Encontro21.07.2017
Tamanho402,89 Kb.
  1   2

HISTÓRIA GERAL – SETOR: 1622
QUESTÕES PARA O EXTENSIVO DIURNO – FLAPI 2013
APOSTILA 1

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


AULAS 1, 2 e 3
1. Aristóteles propunha dois critérios para diferenciar senhores e escravos:
O primeiro critério é de ordem política: o homem é, por natureza, um animal político, um ser cívico; por conseguinte, só o homem livre é totalmente homem porque só ele está apto para a vida política. O senhor coincide com o cidadão. Pelo contrário, o escravo é, por natureza, incapaz de deliberar, participa da razão sem a possuir.
O segundo critério articula-se com o primeiro. Certos trabalhos que implicam apenas o uso da força são, por essência, servis e são esses os que se adéquam aos indivíduos que foram definidos como escravos pela sua incapacidade de raciocinar.
(Aristóteles, Política).
Baseado nos critérios de Aristóteles é correto afirmar:

a) Na Grécia Antiga, a escravidão e a política estavam vinculadas contraditoriamente, pois a existência de uma justificava a outra, ou seja, para que os homens livres pudessem se dedicar exclusivamente à política, o trabalho, que garantia sua subsistência, deveria ser feito pelos escravos.

b) A condição de escravo, em qualquer época, implica o reconhecimento, pelo indivíduo escravizado, da perda de sua condição humana e de sua inferioridade em relação ao senhor, o que o leva a aceitar mais facilmente tal situação, que passa a ser vista como inevitável.

c) A escravidão no mundo antigo greco-romano recaia sobre os povos de tradição guerreira, que, por serem portadores de grande força física e de culturas primitivas, eram considerados mais capazes de realizar trabalhos que exigiam apenas o uso da força.

d) A escravidão na Antiguidade Clássica adotava critérios étnicos e culturais, o que fazia com que somente povos considerados bárbaros, incultos, incapazes de usar a razão fossem escravizados nas guerras. Portanto, os povos vistos como civilizados ficavam isentos de tal condição.

e) Os escravos antigos assemelhavam-se aos modernos, principalmente no que dizia respeito à destinação dos produtos de seu trabalho, já que, em ambas as situações, o trabalho escravo vinculava-se à produção de alimentos que garantiam a subsistência dos homens livres.

2. A democracia continua criando polêmicas e atraindo mudanças políticas. Na época de Clístenes, na Grécia Antiga, a democracia conseguiu espaços de poder importantes. Nos tempos de Clístenes, a democracia:

a) firmou-se com propostas descentralizadoras, ampliando a cidadania e evitando a existência do trabalho escravo, defendido pelo filósofo Aristóteles.

b) facilitou a participação no governo dos cidadãos mais pobres, chegando a remunerar os cargos políticos e reorganizando a administração da cidade de Atenas.

c) anulou a lei que defendia o exílio político, por ser opressiva e privilegiar a nobreza dona das grandes propriedades rurais.

d) considerou as mulheres como participantes da cidadania, renovando as tradições e combatendo a corrupção muito comum na época da tirania.

e) defendeu a aplicação das teorias políticas de Platão, organizando uma República onde prevalecia o poder das Assembleias Populares.

3. Construir uma relação solidária entre as pessoas faz parte do fazer político humano. As experiências feitas são múltiplas.

Na Grécia, nos tempos da democracia,

a) houve êxito na quebra das hierarquias e na vitória de princípios de igualdade social para crescimento econômico.

b) extinguiu-se a escravidão e criaram-se alternativas de trabalho para todos, seguindo os ensinamentos de Platão Aristóteles.

c) buscou-se diminuir as diferenças entre as pessoas, mas não se acabaram as hierarquias sociais nem as desigualdades econômicas.

d) efetivou-se a aristocracia no poder, apesar da grande astúcia política dos monarcas e das assembleias populares.

e) havia grandes semelhanças com a democracia contemporânea, afirmando valores universais e definindo direitos sociais.

4. "Vivemos sob uma forma de governo que não se baseia nas instituições de nossos vizinhos; ao contrário, servimos de modelo a alguns ao invés de imitar outros. Seu nome é democracia, pois a administração serve aos interesses da maioria e não de uma minoria."

(Tucídides, "História da Guerra do Peloponeso". Texto adaptado.)

O trecho acima faz parte do discurso feito por Péricles em homenagem aos atenienses mortos na guerra do Peloponeso. Por esse discurso é correto afirmar que

a) a guerra do Peloponeso foi injusta e trouxe muitas mortes tanto para os atenienses como para os espartanos, que lutavam em lados opostos pela hegemonia da Grécia.

b) Péricles se orgulhava da cidade de Atenas por ser ela uma cidade democrática, que não imitava o sistema político de outras cidades-Estado, mas era imitada por elas.

c) Atenas e Esparta possuíam o mesmo sistema político descrito por Péricles, a democracia, mas divergiam sobre como implantá-lo nas demais cidades- Estado gregas.

d) Atenas, por não partilhar do sistema político democrático de Esparta, criou a Liga de Delos e declarou Guerra à Liga do Peloponeso.

e) Esparta era a única cidade-Estado democrática em toda a Grécia antiga e desejava implantar esse sistema nas cidades-Estado gregas.

5. A característica mais notável da Grécia antiga, a razão profunda de todas as suas grandezas e de todas as suas fraquezas, é ter sido repartida numa infinidade de cidades que formavam um número correspondente de Estados. As condições geográficas da Grécia contribuíram fortemente para dar-lhe sua feição histórica. Recortada pelo embate entre a montanha e o mar, há uma fragmentação física e política das diferentes sociedades.

(Adaptado de Gustave Glotz, "A cidade grega". São Paulo: Difel, 1980, p. 1.)

a) Segundo o texto, qual a organização política mais relevante da Grécia antiga? Indique suas principais características.

b) Relacione a economia da Grécia antiga com as condições geográficas indicadas no texto.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Gabarito:
Resposta da questão 1:
[A]
O discurso de Aristóteles procura uma base racional para justificar a escravidão e a apresenta como a antítese do “ser cidadão”. Na época, a cidadania estava estendida ao homem pobre, desde que nascido na cidade, portanto iguala estrangeiro ao “não cidadão”, que pode ser escravizado. A maioria dos escravos na Grécia era comprada em mercados exteriores e não eram prisioneiros de guerras que os gregos moveram e foram utilizados em trabalhos diversos. Em nenhum momento da História os escravos aceitaram passivamente tal condição.
Resposta da questão 2:
[B]
A exaltada democracia ateniense representou, na época, uma grande transformação, superando o poder dos tiranos e reduzindo drasticamente os privilégios da elite “de nascimento”, os eupátridas. Clístenes implementou um modelo político que deixou de exigir renda para que o indivíduo fosse considerado cidadão; porém ainda existiam limites à participação, direito concedido apenas aos homens livres – foi preservada a escravidão e excluídas as mulheres – maiores de idade, atenienses, cujo pai também fosse ateniense.
Resposta da questão 3:
[C]
A democracia grega ampliou direitos, mas preservou as diferenças sociais, incluindo a escravidão. A aristocracia perdeu o monopólio do poder e foi forçada a aceitar a participação de camadas plebeias, principalmente de mercadores enriquecidos, apesar de a riqueza não ser critério para a participação. A cidadania foi definida pela minoria, formada por homens, livres, nascidos em Atenas e filho de pai ateniense.
Resposta da questão 4:
[B]
Resposta da questão 5:
a) A pólis ou cidade-Estado, cujas principais características eram a soberania, a autonomia e participação direta dos cidadãos nas questões políticas.

b) O relevo montanhoso e o clima árido no continente inibiu a prática da agricultura, restrita aos poucos vales férteis. Porém, nas áreas litorâneas, a facilidade de comunicação com as inúmeras ilhas e com outras regiões do Mediterrâneo, favoreceu o comércio marítimo.


==========================================================================================================================================================
AULA 4
1.

Frank Miller inspirou-se na verdadeira Batalha de Termópilas, ocorrida em 438 a.C, na Grécia, para escrever “Os 300 de Esparta”. A adaptação da história em quadrinhos de Miller foi levada ao cinema, em 2006, pelo diretor Zack Sn der, com o título “300”. A respeito do contexto das Guerras Médicas (500-479 a.C), tema abordado no filme, assinale a alternativa correta.

a) O domínio e a expansão naval fenícia ameaçavam a hegemonia da Grécia sobre o mar Egeu, o que ocasionou a formação de uma aliança defensiva grega.

b) Desenvolvendo uma política imperialista, Atenas entrou em conflito com Esparta que, agrária e oligárquica, permaneceu fechada à expansão territorial.

c) O expansionismo persa, que já havia dominado cidades gregas da Ásia Menor e estabelecido o controle persa sobre rotas comerciais do Oriente, ameaçava a soberania da Grécia, tornando inevitável o conflito grego-pérsico.

d) Esparta, por priorizar a formação física e militar, cultivando no indivíduo o patriotismo incondicional ao Estado, liderou a ofensiva grega contra os assírios, que ameaçavam as instituições democráticas gregas.

e) O forte espírito militarista presente na cultura helenística e difundido em todas as pólis gregas permitiu que, no conflito contra os medos, a Grécia obtivesse a supremacia militar e se sagrasse vencedora.

2. "Quando diminuiu a ameaça persa, o ódio ao imperialismo ateniense cresceu particularmente entre os espartanos e seus aliados, que criaram (...) uma força militar terrestre, e se decidiram pela guerra por sentirem sua independência ameaçada pelo imperialismo de Atenas. A guerra representou o suicídio da Grécia das pólis independentes".

(Flavio de Campos e Renan Garcia Miranda, "Oficina de História - história integrada")

O texto apresenta:

a) as Guerras Médicas.

b) a Guerra de Tróia.

c) a Guerra do Peloponeso.

d) a Primeira Guerra Púnica.

e) a Segunda Diáspora Grega.

3. "Alexandre desembarca lá onde foi fundada a atual cidade de Alexandria. Pareceu-lhe que o lugar era muito bonito para fundar uma cidade e que ela iria prosperar. A vontade de colocar mãos à obra fez com que ele próprio traçasse o plano da cidade, o local da Ágora, dos santuários da deusa egípcia Ísis, dos deuses gregos e do muro externo."

Flávio Arriano. "Anabasis Alexandri" (séc. I d.C.).

Desse trecho de Arriano, sobre a fundação de Alexandria, é possível depreender:

a) o significado do helenismo, caracterizado pela fusão da cultura grega com a egípcia e as do Oriente Médio.

b) a incorporação do processo de urbanização egípcio, para efetivar o domínio de Alexandre na região.

c) a implantação dos princípios fundamentais da democracia ateniense e do helenismo no Egito.

d) a permanência da racionalidade urbana egípcia na organização de cidades no Império helênico.

e) o impacto da arquitetura e da religião dos egípcios, na Grécia, após as conquistas de Alexandre.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Gabarito:
Resposta da questão 1:
[C]

Na Batalha de Termópilas, travada no contexto da II Guerra Médica em 480 a.C., de acordo com o historiador grego Heródoto, notabilizou-se a atuação de 300 soldados espartanos, liderados pelo rei Leônidas, na luta contra o numeroso exército persa, liderado pelo rei Xerxes. Apesar da derrota espartana, os danos causados ao exército persa, retardaram consideravelmente o avanço dos persas sobre a Grécia.


Resposta da questão 2:
[C]
Resposta da questão 3:
[A]
==========================================================================================================================================================
AULA 5 e 6
1. (...) não era a falta de mecanização [na Grécia e em Roma] que tornava indispensável o recurso à escravidão; ocorrera exatamente o contrário: a presença maciça da escravidão determinou a "estagnação tecnológica" greco-romana.

(Aldo Schiavone. "Uma história rompida: Roma antiga e ocidente moderno". São Paulo: Edusp, 2005.)

A escravidão na Grécia e na Roma antigas:

a) Baseava-se em características raciais dos trabalhadores.

b) Expandia-se nos períodos de conquistas e domínio de outros povos.

c) Dependia da tolerância e da passividade dos escravos.

d) Foi abolida nas cidades democráticas.

e) Restringia-se às atividades domésticas e urbanas.



2.


A figura apresentada é de um mosaico, produzido por volta do ano 300 d.C., encontrado na cidade de Lod, atual Estado de Israel. Nela, encontram-se elementos que representam uma característica política dos romanos no período, indicada em:

a) Cruzadismo — conquista da terra santa.

b) Patriotismo — exaltação da cultura local.

c) Helenismo — apropriação da estética grega.

d) Imperialismo — selvageria dos povos dominados.

e) Expansionismo — diversidade dos territórios conquistados.

3. As Guerras Púnicas, entre romanos e cartagineses, duraram de 264 a 146 a.C. Entre seus resultados finais, podemos considerar que elas

a) contiveram a expansão romana em direção ao mar Mediterrâneo, pois as ilhas ao sul da península itálica passaram ao controle cartaginês.

b) fortaleceram a presença romana na região do mar Mediterrâneo, com o estabelecimento de províncias nas terras conquistadas.

c) eliminaram os gastos militares do Império Romano, pois impediram o surgimento de revoltas e tensões sociais.

d) permitiram a expansão comercial de Roma por toda a península itálica e em direção ao ocidente, com a decorrente conquista da Gália.

e) reduziram consideravelmente o número de escravos no Império Romano, pois a maioria deles foi alistada nas tropas e morreu em combate.


4. Entre os anos 509 e 31 a.C. se situa a segunda fase da história política de Roma, a República, sobre a qual podemos afirmar, corretamente, EXCETO:

a) possui um caráter essencialmente aristocrático

b) o poder executivo, que antes pertencia ao Rei, passa a ser exercido por dois Cônsules

c) o Senado se torna o principal órgão da República, e os membros dele vitalícios

d) os patrícios, desde muito cedo, lutaram pela igualdade de direitos com os plebeus


-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

  1   2


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal