História 9º ano – Ficha Formativa 2



Baixar 93,6 Kb.
Encontro11.09.2017
Tamanho93,6 Kb.

História 9º ano – Ficha Formativa 2

2011






A PRIMEIRA GRANDE GUERRA MUNDIAL

  • RIVALIDADE ENTRE ESTADOS EUROPEUS:



  • Inglaterra e Alemanha – industria inglesa sofria concorrência dos produtos alemães nos mercados internacionais; a Alemanha precisava de colónias para obter matérias-primas e escoar os seus produtos.



  • França e Alemanha – França desejava recuperar os territórios da Alsácia e da Lorena, perdidos em 1871 a favor da Alemanha.



  • Rússia e Império Austro-Húngaro – ambos os estados procuravam impor a respetiva influência política na região dos Balcãs. Os nacionalistas eslavos (croatas, eslovenos) desejavam libertar-se do Império Austro-Húngaro, a Rússia – protetora dos eslavos – pretendia dominar os estreitos do Mar Negro; Por sua vez, a Sérvia – estado balcânico independente – pretendia formar um estado alargado com os seus vizinhos.



  • FORMAÇÃO DE ALIANÇAS E O DEFLAGRAR DA GUERRA:

As rivalidades económicas e politicas entre os vários estados europeus provocaram uma corrida aos armamentos, era a chamada paz armada. Para assegurar proteção foram seguidas politicas de alianças.

  • Tríplice Aliança (1879, 1882) – Alemanha, Império Austro-Húngaro e Itália.



  • Tríplice Entente (1892-1893, 1907) – França, Rússia e Reino Unido.



  • PERIGO DO SISTEMA DE ALIANÇAS:



  • O sistema de alianças era perigoso para garantir a segurança da Europa, pois em caso de conflito entre dois países de uma dada aliança, os restantes membros da mesma tinham de prestar apoio militar ao respetivo aliado, o que trazia o perigo de alargamento de um conflito regional a toda a Europa, e isto veio a acontecer nos Balcãs no verão de 1914…



  • Desencadear da 1ª Guerra – qual o acontecimento que levou ao inicio da 1ª Guerra Mundial? – No dia 28 de junho de 1914, em Sarajevo (na Bósnia) o arquiduque Francisco Fernando, príncipe herdeiro da coroa da Austria-Hungria, foi assassinado por um estudante nacionalista da Sérvia. Um mês depois, não satisfeita com a resposta ao ultimato entretanto enviado, a Áustria declarava Guerra à Sérvia, assim começava a primeira Guerra Mundial.



  • A declaração de Guerra da Áustria à Sérvia acionou, de imediato, o sistema de alianças entre países, assim, sucederam-se as declarações de Guerra:



  • 28 de julho – Áustria à Sérvia



  • 1 de agosto – Alemanha à Rússia



  • 3 de agosto – Alemanha à França



  • 4 de agosto – Bélgica e Inglaterra à Alemanha



  • 5 de agosto – Áustria à Rússia



  • 11 de agosto – França e Inglaterra à Áustria.



  • AS FASES DA 1ª GRANDE GUERRA:



  • GUERRA DE MOVIMENTOS (1914) – cumprindo o Plano Schelieffen os Alemães procuraram derrotar rapidamente a França, que se considerava a mais forte dos seus inimigos. Para isso, invadiu a Bélgica (que até então permanecera neutra), num movimento rápido e imprevisto.

  • Inicialmente, o plano alemão foi bem sucedido, tendo os seus exércitos me pouco tempo chegado às proximidades de Paris, mas em setembro de 1914, os exércitos franceses comandados por Joffre enfrentaram as tropas alemãs na Batalha do Marne e conseguiram suster(travar) o avanço alemão.

  • Entretanto, no leste da Europa, as tropas alemãs e austro-hungaras derrotaram o exército russo na batalha de Tannenberg, obrigando-o a recuar para leste.

  • Esta fase da 1ª grande guerra tem o nome de Guerra de Movimentos, devido à posição assumida pelos exércitos em confronto, mas iria dar lugar á “guerra de posições” ou “guerra das trincheiras”.



  • GUERRA DAS TRINCHEIRAS (1914-1917):



  • Os novos engenhos bélicos, especialmente a artilharia pesada, a metralhadora e a aviação tornaram ineficaz a guerra de movimento. As posições estabilizaram-se e na frente ocidental, as trincheiras caracterizam a 2ª fase da Guerra.

  • Nas trincheiras (linhas de valas e abrigos, cavados em terra e protegidos por arame farpado, separadas de um a dois kilometros), os soldados suportavam o frio e a chuva, os ratos e os parasitas, o poder do fogo do inimigo (morteiros, granadas, lança-chamas). Conviviam com mortos e feridos. Em resultado da ação da artilharia, o terreno tornou-se irregular, cheio de crateras cobertas de pó ou lama. A partir de 1915 o gás asfixiante provocou inúmeras vítimas em ambos os lados.

  • 1916-1917 – as forças em presença procuraram – através de fortes investidas, romper as linhas da frente. Entre outras, merecem destaque:

  • Batalhas de Verdun (ofensiva alemã em 1916)

  • Batalhas do Somme (1916) – desencadeadas pelas tropas francesas

  • Batalhas do Chemin des Dames (1917) – desencadeadas pelas tropas francesas

  • Estas tentativas para desalojar o inimigo foram mal sucedidas e daqui resultou elevado numero de vitimas, em especial na Batalha de Verdun

  • Neste período de tempo – novembro de 1914 a março de 1918 – a guerra decorreu na Europa Ocidental, numa área situada entre a Bélgica e o Nordeste de França, a Suíça e o Nordeste de Itália , e na Europa do Leste num vasto território que ia dos Balcãs aos Estados Bálticos.



  • ALTERAÇÃO DAS FORÇAS EM CONFRONTO:



  • 6 de abril de 1917 – Os Estados Unidos declararam Guerra à Alemanha, pois esta atacava os navios americanos que circulavam no Atlântico prestando apoio à Inglaterra e à França, e apresentou uma proposta favorável às pretensões do México em recuperar territórios na posse dos Estados Unidos, o que chocou a opinião pública americana, levando o Presidente Wilson a declarar guerra à Alemanha.

  • Março de 1918 – Tratado de Brest-Litovsk – a Rússia assinou a paz separada, devido à revolução Russa ocorrida em outubro de 1917, o que levou a que este pais saísse mais cedo da Guerra assinando a Paz com os Alemães.

  • 1918 – regresso da Guerra dos Movimentos – os Alemães lançam uma desesperada ofensiva pelo Nordeste da França para atingir Paris antes da chegada dos americanos. Paris chega a ser bombardeada pela aviação e pelos canhões de Grande alcance. Mas a contraofensiva do General Foch obrigou o inimigo à retirada.

  • Entre julho e outubro de 1918 – contra ataques dos aliados em várias frentes – França (derrota dos alemães na segunda Batalha do Marne), nos Balcãs (onde a Bulgária e a Turquia foram obrigadas a pedir a paz) e na Itália (onde se deu a rendição dos Austro-Húngaros).

  • A Alemanha fica só na contenda, soldados e marinheiros amotinam-se (revoltam-se) e recusam-se a combater. Nas cidades e vilas estalam revoltas populares contra a guerra. Os generais, face à situação, obrigam o Kaiser Guilherme II a abdicar e proclamam a República

  • 11 de novembro de 1918 – o novo governo Alemão assina (em Rethondes, França) o armistício: Termina assim a 1ª Grande Guerra Mundial.



  • TRATADO DE VERSALHES (junho de 1919):



  • Uma conferência de Paz realizada em Paris preparou acordos de paz com os países derrotados. A Alemanha, em junho de 1919, assinou o tratado de Versalhes, através do qual foi abrigada a:

  • Restituir a Alsácia e a Lorena à França e entregar territórios à Polónia;

  • Reduzir forças militares a cem mil homens, sem artilharia pesada, carros de combate, submarinos e aviões

  • Pagar pesadas indemnizações aos aliados.

  • Alterações no mapa politico da Europa – os impérios foram desmembrados dando origem a novos países, outros países viram as respetivas fronteiras serem alteradas

  • 1919 – Criação da Sociedade das Nações (SDN) por proposta do Presidente Americano Wilson – esta organização tinha por missão assegurar a paz no mundo, e nela deveriam ter assento todas as nações.



  • UMA EUROPA DESTROÇADA – FIM DA SUPREMACIA EUROPEIA:



  • Este conflito trouxe diversas consequências, para além das graves perdas humanas, do declínio da natalidade e do envelhecimento da população, surgiram alterações sociais como mutilados, viúvas, órfãos, desemprego, população feminina em excesso, miséria, empobrecimento da classe média, emigração e grande descontentamento social.

  • Ao nível sócio-financeiro – destruição dos campos, vias de comunicação, fábricas etc.; decréscimo da produção agrícola e industrial; falta de produtos, subida de preços, desvalorização da moeda, inflação; perda de mercados internacionais, desorganização dos transportes, endividamento da Europa (recorre a empréstimos junto dos EUA).

  • Fim da supremacia Europeia – todos estes fatores levaram ao fim da supremacia europeia, a Europa passou de credora a devedora, o que tornou possível a ascensão dos EUA no campo politico e económico mundial.



  • A AFIRMAÇÃO DOS EUA. O MODELO AMERICANO:



  • Entre 1922 e 1929 - supremacia americana acentuou-se, sendo uma época de progresso e bem-estar.

  • Crescimento da produção industrial em cerca de 50%

  • Tonelagem da marinha mercante passou de 5 milhões de toneladas em 1913 para 13 milhões em 1929.

  • Vários fatores contribuíram para o desenvolvimento da economia americana:

  • Riqueza do país – abundância de recursos naturais (carvão, petróleo, minérios) e de capitais (resultantes das exportações e do reembolso do dinheiro emprestado à Europa).

  • Adoção de novos métodos de produção e organização do trabalho – grandes empresas começaram a usar novos modos de produção como a divisão do trabalho (Taylorismo) o trabalho em cadeia (Fordismo) e o pagamento de salários de acordo com a produção.

  • Constituição de gigantescas sociedades e empresas (de produção e distribuição) que dominavam os mercados mundiais.

  • Conclusão: Devido a todos estes fatores, a produção americana duplicou entre 1921 e 1929. Este crescimento económico, tal como o de todos os países capitalistas, fez surgir uma sociedade de consumo e bem-estar.



- resumo elaborado por Isabel Alexandra Almeida – Ponte para o Saber – Centro de Estudos





©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal