Gastronomia



Baixar 53,61 Kb.
Encontro10.07.2018
Tamanho53,61 Kb.

Gastronomia

Bibliografia

ACKERMAN, D. Uma história natural dos sentidos. Tradução de Ana Zelma Campos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1992. 366p.; p. 161-212.

ALGRANTI, M. Pequeno dicionário da gula. Rio de Janeiro: Record, 2000.

ALLENDE, I. Afrodite: contos, receitas e outros afrodisíacos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1998.

ALVES FILHO, I. & GIOVANNI, R. di. Cozinha brasileira com recheio de história. Rio de janeiro: REVAN, 2000.

ARIÈS, P. Les fils de McDo: La McDonalisation du Monde. Paris: L’Harmattan, 1997.

ARMESTO, F. F. Comida: uma História. Rio de Janeiro: Record, 2004.

ARON, J. P. A cozinha: um cardápio do séc. XIX. In: LE GOFF, J. & NORA, P. (Ed.s) História: novos objetos. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1974.

AZAMBUJA, L. B. Forno e fogão: como no tempo de nossos avós. Edição bilíngüe. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 1999. 139 p.

BOURDAIN, A. Cozinha confidencial: uma aventura nas entranhas da culinária. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

BRAGA, P. D. Leite: biografia de um gênero alimentar. Sintra: Editora Colares, Portugal, 2003.

BRAUDEL, F. Civilização material, economia e capitalismo: séculos XV-XVIII. Tradução de Telma Costa. São Paulo: Martins Fontes, 1995. p. 89-236.

BRILLAT-SAVARIN. A fisiologia do gosto. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

CARNEIRO, H. Comida e sociedade: uma História da Alimentação. Rio de Janeiro: Campus, 2003.

_______. Enciclopédia da história das drogas e bebidas. São Paulo: Editorial Campus, 2005.

CASCUDO, L. da C. (Org.). Antologia da alimentação no Brasil. Rio de Janeiro: Livros Técnicos e Científicos, 1977. 254 p. (Raízes do Brasil).

CASCUDO, L. da C. História da alimentação no Brasil. Belo Horizonte: Itatiaia, 1983.

CASCUDO, L. da C. Prelúdio da cachaça. [S.l.]: Global, 2006.

CERTEAU, M. de (et alli.). A invenção do cotidiano: 2. morar, cozinhar. Tradução de Ephraim F. Alves e Lúcia Endlich Orth. Petrópolis, RJ: Vozes, 1996. 372 p.

CHAUI, L. & CHAUI, M. S. Professoras na Cozinha. São Paulo: Editora SENAC, 2001.

CIPOLLA, J. A cozinha da máfia. São Paulo: Ática, 1996.

COLLET, E. Chocolat: de la Boisson Elitaire au Baton Populaire (XVIème-XXème siecle). Bruxelas: CGER, 1996.

CORREIA, M. G. O fandango que acompanha o barreado. Paraná: Máxi Gráfica, 2002. 60 p.; p. 12-17.

DEAECTO, M. M. Comércio e vida urbana na cidade de São Paulo: 1889-1930. São Paulo: SENAC, 2002. 235 p.

DIAS LOPES, J. A. A canja do Imperador. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2004.

DUCROT, V. E. Los sabores de la patria. Buenos Aires: Editorial Norma, 1998.

DRUMOND BRAGA, I. M. R Arte nova e curiosa para conserveiros, confeiteiros e copeiros: e mais pessoas que se ocupam em fazer doces e conservas com frutas de várias qualidades e outras muitas receitas particulares que pertencem à mesma arte. Sintra: Colares Editora, [S. d.]. 108 p.

DRUMOND BRAGA, I. M. R. Do primeiro almoço à ceia: estudos de História da Alimentação. Sintra: Colares Editora, 2003.

DRUMOND BRAGA, I. M. R. Gelados: história de uma doce e fresca tentação. Lisboa: Colares Editora, [S. d.].

EDIÇÃO histórica 50 anos Brahma: filial Curitiba. Fundação Cultural de Curitiba, 1992. 60 p.

FERNÁNDEZ-ARMESTO, F. Comida: uma história. Rio de Janeiro: Record, 2004.

FISCHLER, C. L’homnivore. Paris: Éditions Odile Jacob, 1990.

FLANDRIN, J.-L. A distinção pelo gosto. In: História da vida privada: da Renascença ao Século das Luzes. São Paulo: Companhia das Letras, 1991.

FLANDRIN, J. L & MONTANARI, M. História da Alimentação. São Paulo: Estação Liberdade, 1998.

FRANCATELLI, C. E. Um simples livro de culinária para as classes trabalhadoras. Tradução de Renata Lúcia Bottini. São Paulo: Angra, 2001. 128 p.

FRANCO, A. De caçador a gourmet: uma história da gastronomia. São Paulo: Editora SENAC, 2001.

FRAZÃO, M. A cozinha da bruxa. 9ª Edição. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1996. 159 p.

FRAZÃO, M. A panela de Afrodite. Rio de janeiro: Bertrand Brasil, 2000.

FREI BETTO. Comer como um Frade: divinas receitas para quem sabe por que tem um céu na boca. Rio de Janeiro: José Olympio, 2003.

FREYRE, G. Açúcar. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

GIMENES, M. H. S. G. ; ROLIM, M. C. M. B. Turismo, ócio y sociabilidad: bares, restaurantes y casas noturnas en Curitiba, Brasil. In: GÂNDARA, J. M. G. &

HORTA, L. (Org.). O melhor da gastronomia e do bem viver. São Paulo: DBA Artes Gráficas, 2004.

HOERNER J. V. O Folclórico Palácio. Curitiba: Gráfica Vicentina, 1984.

HORTA, N. Não é sopa: crônicas e receitas de comida. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

JACOB, H. E. Seis mil anos de pão: a civilização humana através de seu principal alimento. São Paulo: Editora Nova Alexandria, 2003.

JOHNSON, H. A história do vinho. São Paulo: Companhia das Letras, 1999.

KELLY, I. Carême: cozinheiro dos reis. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2005.

KURLANSKY, M. Bacalhau: a história do peixe que mudou o mundo. São Paulo: Nova Fronteira, 2004. 256 p.

_____. Sal: uma história do mundo. São Paulo: Editora SENAC, 2004.

LACERDA, M. T. B. Café com mistura. Rio de Janeiro: CODECRI, 1984.

_____. Café com mistura seguido de cartas da minha cozinha. Curitiba: Imprensa Oficial, 2002. 208 p.

_____. Cartas da minha cozinha. Curitiba: Gráfica Editora Lítero-técnica, 1990. 98 p.



_____. L’Atlas Mondial du Vin. Paris: Editions Robert Laffont, 1985.

LE GOFF, J. & NORA, P. História, novos objetos. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1974.

LEONARDO DA VINCI. Os Cadernos de Cozinha de Leonardo da Vinci. Rio de Janeiro: Record, 2002.

LOBATO, M. Idéias de Jeca Tatu. São Paulo: Brasiliense, 1957. p. 129-135.

MAGALHÃES, S. M. de A mesa de Mariana: produção e consumo de alimentos em Minas Gerais (1750-1859). São Paulo: AnnaBlume / FAPESP, 2004. 160 p.

GOMENSORO, Patrícia. A ‘percepção esclarecida’ dos degustadores: o consumo de vinho entre apreciadores na cidade de Porto Alegre. In: Krischke Leitão, Débora; Lima, Diana; Pinheiro Machado, Rosana. (Org.). Antropologia e Consumo. 1 ed. Porto Alegre: AGE, 2006, v. 1, p. 158-167.

ONFRAY, M. A razão gulosa: filosofia do gosto. Tradução de Ana Maria Scherer. Rio de Janeiro: Rocco, 1999. 202 p.

ORNELLAS, L. H. A alimentação através dos tempos. 2. ed. Florianópolis: Ed. da UFSC, 2000. 307 p.

PITTE, J. R. A gastronomia francesa: história e geografia de uma paixão. Porto Alegre: L & P M, 1993. 176 p.

PITTE, J.-R. Gastronomie française: histoire et geographie d’une passion. Paris: Fayard, 2001.

QUEIROZ, R. de. O Não Me Deixes: suas histórias e sua cozinha. São Paulo: Siciliano, 2000. 174 p.

R.C.M. O cozinheiro Imperial. São Paulo: BestSeller, 1996.

REVEL, J.-F. Um banquete de palavras: uma história da sensibilidade gastronômica. Tradução de Paulo Neves. São Paulo: Companhia das Letras, 1996. 334 p.

ROSS, C. B. Eu sou o chef. Niterói, Rio de Janeiro: Casa Jorge Editorial, 1996.


p. 29-40.

SANTOS, C. R. A dos. Vida material e econômica. Curitiba: SEED, 2001. 96 p. (Coleção história do Paraná; textos introdutórios).

SANTOS, L. S. A. Culinária através dos tempos. O Cruzeiro, nº 65, p. 55-61, 23 dez. 1967.

SANTOS, S. de P. Vinho e história. São Paulo: DBA, 1998.

SILVA, P. P. Farinha, feijão e carne-seca: um tripé culinário no Brasil colonial. São Paulo: Editora SENAC, 2005.

SOLE, O. del. Nunca treze à mesa. São Paulo: Companhia das Letras, 1997.

SPANG, R. L. A invenção do restaurante. Tradução de Cynthia Cortes e Paulo Soares. Rio de Janeiro: Record, 2003. 392 p.

STEINGARTEN, J. O homem que comeu de tudo. São Paulo. Companhia das Letras, 2000.

STRONG, R. C. Banquete: uma história ilustrada da culinária, dos costumes e da fartura à mesa. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2004.

URBAN, R. G. Curitiba, lares e bares: viagens pelas histórias e estórias nos dias e noites dos bares e afins de Curitiba. Curitiba, Univer Cidade, 2002.

VERÍSSIMO, L. F. O clube dos anjos: gula. Rio de Janeiro: Objetiva, 1998. 130 p.

VISSER, M. O ritual do jantar: as origens, a evolução, excentricida-des e significado das boas maneiras à mesa. Tradução de Sônia Coutinho. Rio de Janeiro: Campus, 1998. 430 p.



WOLKE, R. L. O que Einstein disse ao seu cozinheiro. Rio de Janeiro: Zahar Ed., 2003.
Filmografia
ALIMENTO DA ALMA
O jantar de domingo na casa de Mother Joe (Irma P. Hall) é de dar água na boca. Uma tradição que já dura 40 anos. Aos olhos de seu neto Ahmad (Brandon Hammond), amor e sorrisos sempre fazem parte do cardápio, apesar da costumeira rivalidade entre sua mãe Maxine e as irmãs dela, Teri e Bird. Mas quando brigas mais sérias começam a desagregar a família, os bons tempos repentinamente ficam esquecidos. Agora é a vez de Ahmad reunir a todos e ensinar-lhes o verdadeiro significado de alimento da alma.
O AMOR ESTÁ NA MESA
Jovem cozinheiro (Jason Lee) serve os mais requintados pratos na Marinha americana. Após discutir com um dos oficiais, ele termina por ser expulso da corporação e consegue uma vaga num dos mais badalados restaurantes da França, comandado por conhecido chef Louis Boyer (Eddy Mitchell) e sua filha Gabrielle (Irène Jacob).


BAGDÁ CAFÉ
Em viagem aos Estados Unidos, uma turista alemã discute com o marido e decide abandoná-lo em pleno deserto de Nevada. Apenas com sua bagagem, ela chega a um decadente bar na estrada administrado por uma negra, que a acolhe sem imaginar as mudanças que ela provocará no lugar. Foi indicado ao Oscar de Melhor Música, em 1989.


O CHEIRO DE PAPAIA VERDE
O filme do diretor vietnamita Tran Ahn Hung concorreu ao Oscar de filme estrangeiro. A protagonista é Mui, uma garota que trabalha em casa de gente rica. Tudo é visto do ponto de vista dela. A história é contada em dois tempos e Mui, já mulher, casa com um pianista e recorda o passado. E o que a faz voltar aos velhos tempos é o cheiro de papaia verde.


CHOCOLATE
Em 1959, Vianne (Juliette Binoche) se muda com a filha para uma pequena cidade francesa e abre uma loja de bombons e chocolates com guloseimas de dar água na boca. Mas ela enfrenta oposição: é mãe solteira, trabalha aos domingos e prepara doces que fazem qualquer um ceder à tentação da gula. Alguns moradores planejam expulsar Vianne da cidade, temendo que ela perturbe a moral do lugar. Tem início um confronto entre os conservadores e os que desejam o sabor recém-descoberto.


COMER, BEBER, VIVER
O Sr. Chu, o maior cozinheiro de Taipé, anda com sérios problemas. Há alguns anos, com a morte da esposa, ele ficou responsável por suas três filhas rebeldes: Jia-Jen, uma professora totalmente devotada a ele; Jia-Khien, uma executiva ambiciosa que não suporta a presença do pai, e Jia-Ning, a mais jovem e mais romântica das três. Até que surge a Sra. Liang, uma importuna viúva que se muda para a casa ao lado, criando uma expectativa no clã. Será que o Sr. Chu vai passar a cozinhar para mais alguém?


A COMILANÇA
Um grupo de amigos entediados resolve cometer suicídio em grupo, numa reunião com muita comida e mulheres, onde a idéia é comer até morrer. O longa-metragem do diretor Marco Ferreri faz ode ao grotesco e à escatologia.


COMO ÁGUA PARA CHOCOLATE
Baseado no livro de Laura Esquivel. A cozinha tem papel importante na trama que se passa numa fazenda mexicana, na fronteira com o Texas no início do século 20. No centro de tudo a sofredora Tita de La Gaza (Lumi Cavazos), obrigada pela mãe a renunciar ao amor de Pedro Múzquiz (Marco Leonardi), pois como filha mais nova deve permanecer solteira para cuidar da mãe na velhice. Para permanecer perto dela, Pedro aceita se casar com a irmã mais velha da casa. Exímia na cozinha, Tita vai operando seus milagres e esquecendo os dissabores com receitas e segredos que aprendeu com a velha cozinheira. Por exemplo, bastam lágrimas derramadas na massa do bolo para provocar enjôo em todos os convidados do casamento da irmã. Por meio da comida e do prazer em manipular os ingredientes, ela vai modificando as situações e extasiando os espectadores.


O COZINHEIRO, O LADRÃO, SUA MULHER E O AMANTE
O gângster Albert Spica (Michael Gambon) janta todas as noites no restaurante Le Hollandais em companhia de seus capangas e de Georgina (Helen Mirren), sua esposa. Cansada dos modos violentos e grosseiros do marido, ela flerta com o bibliotecário Michael (Alan Howard), um solitário freqüentador do restaurante. Enquanto Albert devora prato após prato em sua mesa, os dois amantes fazem sexo às escondidas no banheiro e na dispensa do restaurante, com a cumplicidade do chefe de cozinha francês, Richard (Richard Bohringer). Quando Albert descobre a traição da esposa, desfecha uma cruel vingança contra Michael, que por sua vez será vingado por Georgina.


DELICATESSEN
Comédia futurista na qual uma sociedade transformou os alimentos em moeda corrente, uma vez que se tornaram escassos. Nesta sociedade, os moradores de um apartamento em cima de um açougue recebem ocasionalmente suprimentos de carne. Um jovem, novo na cidade, apaixona-se pela filha do açougueiro, causando conflitos na família da moça, não imaginando que seus integrantes têm outros planos para ele.

ESTÔMAGO
Raimundo Nonato (João Miguel) acaba de chegar a São Paulo vindo do Nordeste. Ele não tem dinheiro algum, muito menos lugar para ficar. Quando consegue um trabalho informal num boteco, começa a mostrar sua verdadeira aptidão: a culinária. Sua coxinha logo faz sucesso e sua reputação faz com que consiga um trabalho num restaurante italiano. Ele se apaixona por Iria (Fabiula Nascimento), uma prostituta que adora comer. Paralelamente, também acompanhamos seu dia-a-dia na prisão, onde Nonato é preso por um crime não-explicado – pelo menos em grande parte do filme. Lá, seus dotes culinários fazem com que seu espaço cresça cada vez mais.

A FANTÁSTICA FÁBRICA DE CHOCOLATE
Willy Wonka (Johnny Depp) é dono da maior fábrica de doces do mundo. Ele faz um concurso mundial para que cinco crianças visitem sua fábrica e descubram as magias que suas portas escondem. Mal sabem elas que essa aventura avaliará também seu caráter.


AS FÉRIAS DA MINHA VIDA
A arte culinária não é novidade para as câmeras do diretor Wayne Wang, que gosta de abordar o tema. Neste filme, conta a história de Georgea Byrd (Queen Latifah) uma atendente do setor de cozinha de uma grande loja de departamentos e que em casa procura aprimorar seus dotes culinários assistindo a aulas pela televisão. Porém, a vida guarda algumas reviravoltas que, apesar de terríveis, podem trazer algo de bom. É o que acontece quando ela descobre uma grave doença, que lhe dá poucas semanas de vida. Assim, se manda para um luxuoso hotel nos Alpes suíços disposta a passar seus últimos momentos aproveitando o máximo possível. Lá, faz amizade com o chef do restaurante do hotel (Gerard Depardieu) e descobre, em meio a ótimas tiradas cômicas, que a vida pode ser mágica, mesmo que seja breve.

A FESTA DE BABETTE
Dois adolescentes vivem com o pai, um rigoroso pastor luterano, em um pequeno vilarejo da costa dinamarquesa. Em uma noite de 1871, bate à sua porta uma parisiense pedindo refúgio: Babette (Stéphane Audran) foge da repressão à Comuna de Paris e se oferece para ser a cozinheira e faxineira da família. Muitos anos depois, ainda trabalhando na casa, ela recebe a notícia de que ganhara uma fortuna numa loteria em Paris. Em vez de voltar à terra natal, resolve ficar e gastar o dinheiro em um autêntico jantar francês que oferece à comunidade, aproveitando para comemorar o centésimo aniversário do pastor. Seu banquete impressiona os convidados. Babette havia sido chef de cozinha e trabalhado no chique Café Anglais (que existiu de verdade). O diretor trata a comida como "forma de elevação espiritual". Baseado na história de Isak Dinesen. Vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1988.

GARÇONETE
Garçonete é a história de uma mulher presa a uma vida da qual sonha escapar. O desejo secreto de Jenna (Keri Russell) é juntar dinheiro suficiente com o trabalho de garçonete para deixar o marido prepotente e controlador (Jeremy Sisto). Jenna é uma mulher esperta e cheia de vida, com o dom de fazer tortas diferentes cujas receitas são inspiradas pelos problemas e circunstâncias de sua vida. Uma gravidez indesejada muda o curso dos acontecimentos, dando a ela uma confiança inesperada por meio das cartas que escreve para o bebê que espera.

A GRANDE NOITE
Dois irmãos, Primo (Tony Shalhoub) e Secondo (Stanley Tucci), emigram da Itália para os Estados Unidos. Eles pretendem abrir um restaurante italiano, chamado The Paradise. O mais velho, Primo, é um grande chef, um gênio na culinária, mas bastante temperamental, se recusando a fazer pratos convencionais e rotineiros. Secondo, o mais novo, tem uma mentalidade mais capitalista e tenta superar a grave crise financeira que estão passando. O proprietário de um restaurante de sucesso, Pascal (Ian Holm), propõe chamar um amigo dele, que é um grande músico de jazz, para ajudar a promover o restaurante. Assim os dois irmãos apostam todas as fichas em um cardápio fora de série, que será servido aos convidados desta grande noite.

AS HORAS
O filme de Stephen Daldry conta três histórias sobre três mulheres em tempos diferentes. A primeira história é sobre a própria Virginia Woolf (Nicole Kidman) que, em 1923, escrevia Mrs. Dalloway e lutava contra uma crise de depressão e idéias de suicídio. Na segunda história, Laura Brown (Julianne Moore) é uma dona de casa grávida na Los Angeles de 1949. Ela planeja uma festa de aniversário para seu marido, mas começa a ler Mrs. Dalloway e não consegue mais parar. Na terceira, Clarissa Vaughn (Maryl Streep) é uma mulher na Nova York moderna que dá uma festa para o escritor Richard (Ed Harris), um amigo e ex-amante que tem Aids e está morrendo.


O JANTAR
Numa casa de massas, fregueses expressam seus vícios e virtudes, preocupações, frustrações e desejos. Num momento relaxante, transparecem como realmente são. O diretor usa o restaurante como cenário para apresentar uma nova visão de seu país, um pouco de histórias individuais e não-oficiais, pessoas preocupadas com suas vidas pessoais e não com política ou sociedade.

JANTAR COM AMIGOS
Além de estarem casados, Gabe (Dennis Quaid) e Karen (Andie McDowell) escrevem sobre gastronomia. Eles estão esperando para jantar Tom (Greg Kinnear) e Beth (Toni Collette), seus amigos mais íntimos e que se conheceram por intermédio deles. Beth chega dizendo que Tom está viajando, mas se comporta de forma estranha. Ao ter uma crise de choro ela conta que Tom a abandonou, após 12 anos de casamento e dois filhos. Gabe e Karen sentem logo que estão sendo forçados a tomar partido na briga entre Tom e Beth. Enquanto isto acontece se vêem analisando o próprio matrimônio e se são realmente felizes.

JULIE & JULIA
O filme se baseia na história real de Julie Powell (Amy Adams) que, ao perder o emprego de secretária, decide cozinhar, em um ano, as 524 receitas da renomada cozinheira Julia Child (Meryl Streep), do livro Mastering the Art of French Cooking (1961), e narrar suas experiências em um blog.

LEMON TREE
Salma, uma viúva palestina, vê sua plantação de limões ameaçada quando seu novo vizinho, o Ministro de Defesa de Israel, se muda para a casa ao lado. A Força de Segurança Israelense logo declara que os limoeiros de Salma colocam em risco a segurança do Ministro, e, por isso, precisam ser derrubados. Junto com o jovem advogado Ziad Daud, Salma resolve levar o caso à Suprema Corte de Israel e tentar salvar sua plantação. Sua determinação faz brotar o interesse de sua vizinha Mira Navon, esposa do Ministro, que é mantida isolada em sua nova casa e em sua vida infeliz. Apesar de suas diferenças, as duas desenvolvem um forte laço. Essa viagem pessoal de Salma a conduz por uma profunda, complexa, caótica e, por vezes, engraçada batalha, onde todos os envolvidos se encontram solitários em suas lutas pessoais pela sobrevivência. O filme foi premiado como Melhor Filme pelo júri popular no Festival de Berlin 2008.  

A MARVADA CARNE


Nhô Quim (Adilson Barros) perambula com seu cachorro pelo interior paulista, sonhando com duas coisas: encontrar uma noiva e comer carne de vaca. Ele conhece a jovem Carula (Fernanda Torres) numa aldeia onde reza todos os dias à Santo Antônio, pedindo que lhe arranje um marido. Para fisgar Nhô Quim, Carula diz que seu pai, Nhô Totó (Dionísio Azevedo), possui um boi que será carneado no dia do casamento. Entretanto, antes de casar, Quim deve cumprir uma série de provas.

MAUS HÁBITOS
O filme conta a história de uma família unida por uma variedade de distúrbios alimentares. Sua fé, seu amor, sua vaidade são todas postas à prova na mesa do jantar. Matilde é uma jovem freira convencida de que a fé move montanhas. Ela secretamente inicia um jejum místico para impedir uma inundação que ela acredita estar por vir. Elena é uma mulher linda e magra que tem vergonha do peso da filha, Linda, e pretende fazer de tudo para que ela emagreça até o dia da sua Primeira Comunhão. Enquanto isso, Linda está disposta a se defender para escapar do orgulho da mãe. Ao mesmo tempo, Gustavo, o pai de Linda, redescobre o amor nos braços de uma estudante cujo apelido é Gordinha e que está igualmente apaixonada por comida. Maus Hábitos é a história de mulheres cujos hábitos alimentares determinam e dominam suas vidas de formas muito extremas.

MONDOVINO

Por três continentes, Mondovino investiga as atuais relações dos produtores de vinho americanos em contraponto com as tradicionais famílias produtoras européias. Discorrendo sobre a produção mundial de vinho, o documentário remete o espectador à questão da globalização cultural.

A MULHER DO PADEIRO
Em uma pequena cidade, um padeiro é abandonado pela esposa, que foge com um pastor, no dia em que faz seu primeiro pão. A vizinhança, que antes zombava do padeiro, decide encontrar a esposa fujona já que o padeiro não consegue mais trabalhar sem ela.
NAÇÃO FAST FOOD
Adaptação do livro homônimo de Eric Schlosser, o filme fala sobre os riscos à saúde da população e ao meio ambiente que a indústria do fast-food provoca. Após descobrir que a carne usada para fazer o hambúrguer, servido em seu estabelecimento, está contaminada, Don Henderson (Greg Kinnear), executivo da maior rede de fast-foods dos EUA, faz uma jornada à origem dos alimentos servidos em restaurantes como o dele e descobre fatos nada agradáveis.

ONDE TUDO ACONTECE
Os personagens desta comédia transitam no café londrino Black Cat Cafe. Lá, tanto o quadro de funcionários quanto os clientes interagem o dia todo, sempre conversando sobre, principalmente, relacionamentos e a forma como homens e mulheres teimam em não se entender.


RATATOUILLE

Neste desenho animado da Pixar, um rato chamado Remy sonha em se tornar um grande chef francês, mesmo contra os desejos de sua família e do óbvio problema de ser um rato em uma profissão totalmente inapropriada para roedores. Quando o destino o leva aos esgotos de Paris, Remy se vê na situação ideal, bem embaixo do famoso restaurante de seu herói culinário, Auguste Gusteau. Apesar dos aparentes perigos de ser um inadequado – e certamente indesejado – visitante na cozinha de um fino restaurante francês, a paixão de Remy pela arte culinária não demora a colocar em marcha acelerada uma engraçadíssima e eletrizante corrida de ratos que invade o mundo da culinária parisiense. Remy então se sente dividido entre sua vocação e a obrigação de voltar para sempre à sua prévia existência de rato. Ele aprende a verdade sobre amizade, família e entende que sua única opção é aceitar quem ele é realmente: um rato que deseja ser chef de cozinha.

O SABOR DA MAGIA
O Sabor da Magia é uma história sensual temperada com uma pitada de romance e a descoberta do amor. Tilo, uma mulher misteriosa e cheia de segredos, é dona de uma loja de especiarias e possui um dom mágico de transformar especiarias em poções para curar as pessoas. Mas ela nunca poderá provar sua própria receita e nem mesmo se apaixonar. Se Tilo quebrar essas regras e abrir a porta para o amor, tudo se perderá para sempre.


SABOR DA PAIXÃO
Isabella (Penelope Cruz), uma jovem encantadora nascida com o dom especial de mexer com os paladares e corações dos homens de todos os lugares, decide se livrar do casamento sólido e da cozinha sufocante do restaurante do seu marido (Murilo Benicio) no Brasil. Parte então para São Francisco para realizar seu sonho de uma verdadeira carreira culinária. Depois de dar início a uma nova vida em uma nova cidade, Isabella junta-se à sua amiga de infância, Monica (Harold Perrineau Jr), que participa da jornada da chef para descobrir não apenas a sua paixão e potencial, mas a receita perfeita para levá-la ao topo.

O SEGREDO DO GRÃO
Slimane Beiji (Habib Boufares) é um emigrante do norte da África, na casa dos sessenta anos, recém despedido do estaleiro onde trabalhou durante 35 anos na cidade pesqueira de Sete, no sul de França. Separado da mulher Souad (Bouraouia Marzouk), Slimane partilha a vida com Lilia (Leila D’Issernio), dona de um pequeno hotel, e a sua filha Rym (Hafsia Herzi). Todos os domingos, a numerosa família de Souad se reúne para comer o seu delicioso “couscous” de peixe (daí o título original do filme: o grão e a tainha). Diante do desânimo, por sentir-se incapaz de prover as necessidades dos seus familiares, Slimane decide refazer a sua vida transformando um velho barco num restaurante que servirá o “couscous” de peixe como especialidade. O filme ganhou em 2008 quatro prêmios (melhor filme, melhor diretor, melhor roteirista e melhor revelação feminina) do 33º César, o Oscar do cinema francês.


SEM RESERVAS
Kate (Catherine Zeta-Jones) é uma respeitável chef conhecida pelos seus pratos maravilhosos e por sua falta de autocontrole. Em meio a um inferno astral, ela se vê obrigada a cuidar de si mesma e da pequena sobrinha Zoe (Abigail Breslin), que fica aos seus cuidados após a morte da mãe. Manter a calma não será fácil, ainda mais depois da chegada do sub-chef Nick Palmer (Aaron Eckhart), que rouba seu lugar na cozinha. "Sem Reservas" é uma refilmagem de "Simplesmente Martha", produção alemã de 2001.

SERVINDO A MÁFIA


Você estaria disposto a fazer qualquer coisa para salvar o ganha-pão da sua família? Pois a cantora mexicana Thalia está! Nesta comédia em que divide a cena com Danny Aiello, ela é Nydia, uma garota perspicaz que aproveitando as férias da faculdade, se junta ao irmão para articular um grandioso esquema para salvar o restaurante do pai, à beira da falência. Para dar um upgrade no negócio, eles imaginam ter encontrado a solução: atrair como cliente Fat Tony(Robert Costanzo), o "cabeça" da máfia local, sujeito tão temível quanto o próprio Don Corleone! O resultado é uma insana comédia de erros!

SIDEWAYS – ENTRE UMAS E OUTRAS
Miles Faymond (Paul Giamatti), um escritor derrotado que dá aulas em uma escola, resolve ir com seu melhor amigo (Thomas Haden Church), que costumava ser galã de novelas, para uma viagem em direção a uma região da Califórnia, conhecida como a "cidade do vinho". Lá, eles exploram a natureza de seus fracassos e questionam seus relacionamentos. Jack, prestes a se casar, tem um caso extraconjugal e se questiona se deve terminar com essa aventura. Miles, recentemente divorciado, se pergunta se tomou a melhor decisão acabando com seu casamento.


SIMPLESMENTE IRRESISTÍVEL
Sarah Michelle Gellar é Amanda Shelton que herda o restaurante da mãe, famosa por seus dotes culinários. No entanto, a genética não contribuiu neste terreno e Amanda sente dificuldades na área da cozinha ao tocar o restaurante. Com isso, o Southern Cross corre o risco de falir, mas um anjo da guarda lhe dá um caranguejo mágico e faz com que ela conheça Tom Bartlett (Sean Patrick Flanery), que está inaugurando um restaurante para Jonathan Bendel (Dylan Baker). Bendel quer assegurar o sucesso de seu empreendimento e, para isso, contrata um famoso chef francês. Extremamente temperamental, ele faz Tom e Lois McNally (Patricia Clarkson), sua secretária, passarem maus bocados. Paralelamente, Amanda começa a fazer pratos cada vez melhores e ela não tem a menor idéia do que está acontecendo. Com isso, seu restaurante fica mais famoso e ela começa a se envolver com Tom, que teme que esteja se apaixonando por uma bruxa.

SIMPLESMENTE MARTHA

A diretora alemã Sandra Nettelbeck retoma a temática "amor e comida" em Simplesmente Martha, uma tragicomédia sobre Martha (Martina Gedeck), uma chefe de cozinha perfeccionista que tem sua vida subitamente mudada quando se torna a tutora da jovem sobrinha Lina (Maxime Foerste). O problema é que ela vive tão ensimesmada em sua carreira que abrir um pequeno espaço para a menina parece-lhe um grande sacrifício. Sua obsessão pelo trabalho é tanta que Martha chega a discutir receitas com o terapeuta (August Zirner) e reage usando todo seu vocabulário contra quem ousar devolver sua comida no restaurante onde trabalha. Para complicar ainda mais sua vida, o estabelecimento resolve contratar um chefe italiano (Sergio Castellitto) sem o seu consentimento. Sem saída, Martha passa a conviver forçadamente com pessoas com personalidades completamente deferentes da sua, as quais acabarão fazendo com que sentimentos há muito esquecidos ou sufocados voltem à tona.

SUPER SIZE ME – A DIETA DO PALHAÇO
Neste documentário, o cineasta Morgan Spurlock resolveu ser a cobaia para o tema de sua produção, sobre a indústria da comida fast food nos EUA. Comendo, rigorosamente, somente alimentos de uma lanchonete fast food famosa no mundo inteiro - três vezes ao dia durante todos os dias do mês -, Spurlock prova os efeitos mentais e físicos de se comer somente alimentos vendidos nesse tipo de lanchonete. Enquanto faz essa experiência, Spurlock mostra a cultura do fast food nos EUA.

SURPRESAS DO CORAÇÃO
Comédia romântica apoiada no charme da dupla Meg Ryan e Kevin Kline. Meg faz a personagem romântica e apaixonada que vai a Paris atrás do noivo que a deixou por outra. Durante a viagem acaba se envolvendo com um contrabandista francês (Kevin Kline) que percebe a oportunidade de usá-la. A polícia está atrás do larápio pelo roubo de uma jóia. O filme tem cenas bem divertidas, quase todas com Meg Ryan, como um ataque de histeria na recepção do hotel e momentos de puro pastelão no restaurante do hotel, onde o ex-noivo está jantando com outra.

TÁ CHOVENDO HAMBÚRGUER
Ao tentar acabar com a fome no mundo, cientista cria um problema de proporções globais quando a comida começa a cair do céu. Inspirado no livro infantil escrito por Judi Barrett e ilustrado por Ron Barrett, o filme conta a história de Flint Lockwood, um jovem que sonha se tornar um grande inventor. Suas criações são um tanto diferentes e malucas e, por isso, ele vive se metendo em encrencas. Tudo muda quando ele cria uma máquina que transforma água em comida. O invento provoca, então, chuva de sopa, neve de purê de batatas e até mesmo tempestades de hambúrgueres, panquecas e macarronada. O filme de animação 3D, da Columbia Pictures e Sony Pictures Animation, segue na trilha de outros desenhos animados de sucesso como, Shrek e Ratatouille.


TAPAS
Cinco histórias interligadas em um bairro de Barcelona. São cinco mundos diferentes ligados pela rotina diária, com o bar, as lojas e o mercado, onde está a chave de tudo. Essas pessoas nos mostram suas preocupações, medos, esperanças e sonhos. Mariano (Alberto de Mendoza) e Conchi (Maria Galiana) são dois aposentados que temem a solidão e as enfermidades. Raquel (Elvira Mínguez), uma mulher de meia-idade, vive um caso de amor pela internet. César (Rubén Ochandiano) e Opo (Darío Paso) são dois jovens de futuro incerto, que trabalham no supermercado e planejam juntos suas férias. Lolo (Ángel de Andrés López) é dono de um bar e tem sua vida mudada a partir de sua relação com Mao (Alberto Jo Lee), o novo cozinheiro que inspira-se na culinária de Ferran Adriá. Em cada uma dessas histórias há segredos e responsabilidades a assumir.

O TEMPERO DA VIDA
Fanis Iakovidis (Georges Corraface) é um professor de astrofísica. Ele tem 40 anos e chegou a um momento decisivo de sua vida. Vassilis (Tassos Bandis), seu avô e mentor, vive em Atenas e desenvolveu sua própria filosofia culinária. Fanis não o vê desde que tinha sete anos e, por isso, quando Vassilis decide ir à Grécia depois de tantos anos, a visita acende a vida de Fani como um acontecimento histórico.

TAMPOPO – OS BRUTOS TAMBÉM COMEM SPAGHETTI


Comédia japonesa na qual a comida tem papel de destaque. O filme mostra a busca da perfeita receita da sopa de macarrão, cartão de visitas do restaurante de Tampopo (Nobuko Miyamoto). Junto com seu entregador de leite Goro (Tsutomu Yamazaki), Tampopo se lança na busca da receita e passam em restaurantes, pesquisando, investigando e descobrindo segredos. Enquanto isso, o filme desenvolve uma série de outras pequenas narrativas paralelas que mostram a importância da comida na cultura e sociedade japonesas.

TOMATES VERDES FRITOS


Baseado no livro de Fannie Flag. O título estranho vem de uma receita que duas personagens trocam entre si no decorrer da trama. São praticamente duas versões de uma mesma história, uma no presente e outra no passado, protagonizadas por mulheres que desafiam o poder masculino. Nos dias atuais, a gorda e infeliz esposa (Kathy Bates) de um homem bruto visita um hospital e se encanta com uma velhinha simpática e solitária (Jessica Tandy). É esta senhora quem vai lhe contar uma antiga história, a da forte amizade entre duas mulheres que administram um café à beira da estrada e enfrentam os preconceitos do local.

O ÚLTIMO JANTAR

Uma comédia pra lá de macabra. No centro da história, um grupo de amigos promovendo jantares para a fina flor da direita americana. Mas o que os convidados não sabem é que serão eliminados na própria sala de jantar.

UMA RECEITA PARA A MÁFIA
Elogiado por todos que o viram, Uma Receita para a Máfia é um filme saboroso e com final surpreendente. Ambientado num dos restaurantes da moda de Nova York, mostra como é a noite de colunáveis e gente bonita, louca para saborear mais um prato preparado pelo chef Udo. Enquanto ele e sua brigada de cozinheiros se desdobram para vencer os pedidos, o segundo mestre cuca da casa, Duncan, faz mais uma aposta milionária com bookmakers sonhando em ganhar uma grana para pagar suas dívidas. Mas os credores têm pressa e esperam o resultado do jogo no restaurante para cobrar mais um empréstimo de Duncan. A dupla de carcamanos não brinca em serviço colocando Louis, o dono do lugar contra a parede. Eles querem ser sócios da Gigino Trattoria. Custe o que custar!


UM BEIJO ROUBADO

Jeremy, personagem do ator Jude Law, é dono de um café em Nova York. Ele consegue lembrar-se dos clientes não por seus nomes, mas pelos pratos que consomem regularmente. Além disso, coleciona chaves deixadas ali em razão de relacionamentos rompidos e que esperam um resgate que nunca acontece. Numa noite, Elizabeth - interpretada pela cantora estreante nas telas Norah Jones – chega à procura de uma delas, deixada no local pelo seu namorado depois de trocá-la por outra mulher.

A partir daí, Elizabeth vai ao café de Jeremy durante algumas noites e, enquanto consome muitos pedaços de torta de mirtilo (blueberry) - pequeno fruto azul, usado em geléias -, conversa com ele por toda a madrugada.

Em determinado momento, sem dizer adeus, a jovem parte para uma viagem pelo país para tentar curar o coração partido. Durante o tempo que passa viajando, sustenta-se trabalhando em bares e casas noturnas e escreve regularmente para Jeremy, que, apaixonado, tenta localizá-la desesperadamente. Nestes lugares, encontra pessoas com histórias muito diferentes, entre elas um policial (David Strathairn) apaixonado pela ex-mulher (Rachel Weisz) e uma jovem (Natalie Portman) jogadora de pôquer.

O filme, que abriu em 2007 o 60º Festival de Cannes, traz a marca do diretor chinês Wong Kar-Wai, no uso da luz, nas cores, nas transparências provocadas pelos objetos desfocados em primeiro plano, na narrativa gráfica e na preferência pelos close-ups. Um banquete para os olhos. Destaque também para a trilha sonora, que traz nomes como Ry Cooder, Cat Power (também no elenco) e Cassandra Wilson, além da própria Norah Jones.



UM BOM ANO
Aos 11 anos, Max Skinner (Freddie Highmore) é cuidadosamente educado na arte de saborear vinhos por seu tio Henry (Albert Finney), dono de um vinhedo na França. Adulto, Max (agora interpretado por Russell Crowe) torna-se um bem-sucedido homem de negócios em Londres, sem qualquer tempo para degustações mais duradouras. Certo dia, Max recebe a notícia da morte de seu tio e fica sabendo que é seu único herdeiro. Prevendo bons negócios, resolve fazer uma rápida viagem para visitar a propriedade. Mas, chegando lá, percebe que não será tão fácil vender o lugar que lhe traz tantas lembranças da infância.



VATEL

Em 1671, o príncipe de Condé (Julian Glover) tem uma idéia para evitar um desastre financeiro na sua província, no norte da França: convidará o rei Luis XIV (Julian Sands) para passar um fim de semana em seu castelo e, se conseguir agradá-lo, pode pagar as dívidas da região. Cabe a Vatel (Gerard Depardieu), empregado do príncipe, garantir que a comida e a diversão formem um verdadeiro espetáculo. Mas, em meio aos preparativos, Vadel conhece a bela Anne de Montausier (Uma Thurman), passando a disputar com Luis XIV o amor da mesma mulher. Vatel celebra as coisas boas da vida, com destaque para as excentricidades culinárias. Apesar de falada em inglês, trata-se de uma superprodução francesa.

A VIDA SECRETA DAS PALAVRAS
O filme conta a história de Hanna (Sarah Polley), funcionária de uma indústria, que não falta ao trabalho, não se relaciona com os colegas, usa um aparelho de surdez (que ela desliga quando deseja ficar só) e come todos os dias arroz, frango e maçãs (não por acaso, a culinária vai se revelar uma grande metáfora ao longo do filme). Ela se oferece, durante suas férias, para cuidar, como enfermeira, de um homem que sofreu um acidente em uma plataforma de petróleo, no meio do oceano. Ali, Hanna, uma pessoa solitária e de restritas palavras, passa a conviver com os poucos ocupantes da plataforma, entre eles, um cozinheiro espanhol (Javier Câmara), um ganso e, principalmente, com o eloqüente Josef (Tim Robbins), temporariamente cego e com queimaduras pelo corpo. Uma estranha intimidade acontecerá entre eles, uma ligação cheia de segredos, verdades, mentiras, condescendência e dor, da qual, não sairão ilesos e que mudará a vida de ambos para sempre. O filme ganhou diversos prêmios, entre os quais o Goya (o Oscar espanhol) de melhor filme, diretor, roteiro e direção de produção, em 2006.

VOLVER
Por Marcela Besson
http://vejasaopaulo.abril.com.br/red/volver/index.shtml; Acessado em 14/10/2009

Tempero de mãe não tem igual. Esse é um dos gostinhos que ficam na boca depois de assistir a Volver(2006), de Pedro Almodóvar. O drama do diretor espanhol é uma de suas obras mais pessoais, na qual ele volta às origens ao ambientar a trama em La Mancha, interior da Espanha – mesmo lugar onde nasceu, em 1949. Em meio à poeira e aos ventos quentes típicos da região, uma enxurrada de segredos de família promete mexer com os espíritos de seus personagens, quase todos femininos. A comida, sempre farta e suculenta, aparece entremeada aos conflitos, ora como metáfora para a solução deles, ora como conforto quando parece impossível resolvê-los. Difícil resistir aos encantos de Raimunda, papel de Penélope Cruz. Com a maestria de uma mãe, ela se divide entre os afazeres de casa e a preparação de jantares em um restaurante improvisado. Sob encomenda, alimenta trinta pessoas de uma equipe de cinema que está de passagem pela cidade. Mas a sensação é de que sempre cabe mais um. É pelas mãos de Raimunda que a maioria dos pratos do filme chega à mesa. Há tortillas, carne de porco, pudim de leite, amanteigados... Todos, claro, impregnados da cultura espanhola. Mesmo com uma destreza invejável no manejo das facas de cozinha, ela não tem, nem de longe, o perfil de uma chef. É, acima de tudo, maternal. Por isso, a culinária popular, de ingredientes simples e corriqueiros, ganha ares de banquete. Coisa de mãe. No set de filmagem, Almodóvar contou com a ajuda de suas irmãs Maria Jesus e Antonia para elaborar as comidas que entrariam em cena.



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal