Força Expedicionária Brasileira, conhecida pela sigla feb



Baixar 426,48 Kb.
Página1/4
Encontro10.07.2018
Tamanho426,48 Kb.
  1   2   3   4

A Força Expedicionária Brasileira, conhecida pela sigla FEB, foi a força militar brasileira de 25.334 homens que lutou ao lado dos Aliados na Itália, durante a Segunda Guerra Mundial. Constituída inicialmente por uma divisão de infantaria, acabou por abranger todas as forças militares brasileiras que participaram do conflito. Adotou como lema "A cobra está fumando", em alusão ao que se dizia à época que era "mais fácil uma cobra fumar do que o Brasil entrar na guerra".


Republic Thunderbolt P-47 - Senta a Pua O general alemão Otto Fretter-Pico se

entregando a FEB


Navio de guerra da marinha brasileira

enfrentando um submarino alemão

A FEB permaneceu ininterruptamente duzentos e trinta e nove dias em combate. Como exemplo de comparação, das quarenta e quatro divisões americanas que combateram no norte da África e Europa entre novembro de 1942 e maio de 1945, apenas doze estiveram ininterruptamente mais dias em combate que a divisão brasileira.[20]

Apesar do latente racismo de parte do alto oficialato da FEB[3][10] e da própria doutrina de então do exército brasileiro referente à formação de oficiais[21], a mesma era ao final de 1944 a única força miscigenada não oficialmente segregacionista entre as tropas aliadas combatentes na Europa.

A FEB lutou contra nove divisões alemãs e três italianas, sofrendo quatrocentos e cinquenta e sete mortes, dois mil e sessenta e quatro feridos, e teve trinta e cinco homens aprisionados.

As principais vitórias da FEB tiveram lugar em Massarosa, Camaiore, Monte Prano, Monte Acuto, San Quirico d'Orcia, Gallicano, Barga, Monte Castello, La Serra, Castelnuovo, Soprassasso, Montese, Paravento, Zocca, Marano sul Panaro, Collecchio e Fornovo di Taro. Ao longo de toda sua campanha aprisionou 2 generais, 493 oficiais e 19.679 soldados inimigos, tendo sido a maior parte dos prisioneiros ( 14.779 ) capturada em Fornovo.



Ao final da campanha, a FEB havia aprisionado mais de vinte mil soldados inimigos, quatorze mil, setecentos e setenta e nove só em Fornovo di Taro, oitenta canhões, mil e quinhentas viaturas e quatro mil cavalos. Segundo o historiador norte-americano Frank McCann, o Brasil foi convidado a integrar a força de ocupação da Áustria.

Força Expedicionária Brasileira

Unidades

1ª Divisão de Infantaria ExpedicionáriaRegimento de Infantaria6° Regimento de Infantaria11° Regimento de InfantariaEsquadrão de Reconhecimento9º Batalhão de Engenharia de CombateArtilharia Divisionária Expedicionária







Febianos

Constantino MarochiAdamastor Baptista PereiraAlberto Martins TorresAlbuquerque LimaÁlvaro Alves dos SantosÂngelo Apolônio (Poli)Araken de OliveiraCarlos de Meira MattosCelso FurtadoClarice LispectorCordeiro de FariasDiomar MenesesDivaldo MedradoElza Cansanção MedeirosFortunato Câmara de OliveiraFrancisco de Paula CidadeGastão Jacinto GomesGeraldo Sant'AnaGolbery do Couto e SilvaHélio Langsch KellerHugo de AbreuHumberto de Alencar Castelo BrancoJacob GorenderJosé PerácioMário TravassosMascarenhas de MoraisMax Wolff FilhoMurilo PaivaNero MouraPedro de Lima MendesPlínio PitalugaRaul GracianiRoberto Pessoa RamosRui Moreira LimaSalomão MalinaWaldemar Levy CardosoZenóbio da Costa

Batalhas

Batalha de CastelnuovoBatalha de CollecchioBatalha de Fornovo di TaroBatalha de Monte CastelloBatalha de MonteseBatalha do Atlântico

Condecorações

Cruz de AviaçãoCruz de BravuraCruz de CombateCruz NavalCruz de SangueMedalha de CampanhaMedalha da Campanha do Atlântico SulMedalha da Campanha da ItáliaMedalha de GuerraMedalha Sangue do BrasilMedalha de Serviços de GuerraMedalha de Serviços Relevantes

Museus

Forte de CopacabanaMuseu da FEB (Campo Grande MS)Museu da FEB (Curitiba PR)Museu da FEB (Petrópolis RJ)

Correlatos

Associação Nacional dos Veteranos da FEBRampa (Natal)Senta a Pua! (documentário)Serviço Especial de Mobilização de Trabalhadores para a AmazôniaSoldados da Borracha


  1   2   3   4


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal