Fim de festa roteiro para longa-metragem de



Baixar 467,41 Kb.
Página1/3
Encontro25.08.2018
Tamanho467,41 Kb.
  1   2   3

FIM DE FESTA

Roteiro para longa-metragem

de

Tiago Monteiro

Copyright © 2004 por Tiago José Lemos Monteiro (julho/2004).

Todos os direitos reservados.

Rua Luís Portugal, 157 – Parque Anchieta
Telefone: 3339-2249 / 9648-2502
E-mail: tjlmonteiro@yahoo.com.br

SEQ. 1


INT. APARTAMENTO DE MAURO E LAURA/SALA – NOITE
Passos são ouvidos no corredor do prédio. Barulho de chave na fechadura. Ouve-se um “Shhhh!” e em seguida uma risada de mulher. A porta do apartamento abre. MAURO tateia no escuro à procura do interruptor e a luz se acende. LAURA entra e tranca a porta.

LAURA


Eu não ia agüentar ficar mais dez minutos naquele cinema.
MAURO coloca as chaves em cima da mesa e liga a TV.
MAURO

Não exagera. O filme não era tão ruim assim.


LAURA tira os sapatos. MAURO se joga no sofá, zapeando com o controle remoto. Atrás do sofá, vários pôsters de filmes dos anos 80, comédias de John Hughes e “Caçadores da arca perdida”.
LAURA

Ruim? Era insuportável.


MAURO

Tá, era um pouco lento.


LAURA

Lento? Eu tô me sentindo como se a gente tivesse ficado pelo menos umas seis horas naquele cinema.


MAURO

Que que você queria? (debochado)Efeitos especiais alucinantes? Cenas de ação de tirar o fôlego?


LAURA

Eu só queria que acontecesse alguma coisa no filme que me fizesse ficar acordada, só isso. (pausa) Me ajuda com esse colar?


MAURO se levanta e ajuda LAURA a tirar o colar. MAURO beija o pescoço de LAURA e volta para a frente da TV.
LAURA (cont.)

Você viu que abuso daquele casal sentado na nossa frente?


MAURO

Que que você queria que eles fizessem? Você passou boa parte do filme dando com os joelhos nas costas da mulher.


LAURA

Não foi de propósito, eu tava com as pernas dormentes e precisava me espreguiçar.


MAURO

Eu não tiro a razão da mulher quando ela se virou e reclamou com você.


LAURA

Como assim?


MAURO

Não é porque você tá odiando o filme que os outros têm que ser obrigados a compartilhar da sua opinião.


LAURA

Não tinha nada a ver com o filme. Minhas pernas tavam doendo, isso nunca te aconteceu, não?


MAURO

Não.
LAURA

Ótimo. E assim a gente encerra a conversa.
MAURO

Mais o que é que você quer que eu diga? Eu não tenho culpa se os filmes que antigamente você curtia agora te deixam com sono.


LAURA

E eu me torno “menor” por causa disso?


MAURO

Tá bom, Laura.


LAURA

Eu passo o dia inteiro naquela merda de centro cultural, organizando visitas com o pessoal do pré-escolar, entrando em contato com seres da pior espécie, agendando shows, e ouvindo um “Não” atrás do outro. Quando eu chego em casa de noite, a coisa que eu menos quero é passar três horas num cinema vendo um filme que tem dois diálogos a cada meia hora.


MAURO

A gente não precisa sair mais então. É só ligar a TV e a gente encontra o tipo de filme que você quer ver. (MAURO prossegue zapeando) Pronto, ó. Tem um filme do Chuck Norris no canal 4. Quer que eu ponha pra gravar?


LAURA

Às vezes você me irrita, sabia?


MAURO

Que bom que é só às vezes. A minha mãe costumava dizer que eu era um ser irritante full time.


LAURA

Eu vou tomar um banho e me deitar. (pausa) Você vem?


MAURO

Daqui a pouco. Quero ver se tem alguma coisa legal na TV.


LAURA

Tá, então.


LAURA sai da sala. MAURO tira os sapatos e coloca os pés em cima da mesa de centro.
SEQ. 2

INT. APARTAMENTO DE MAURO E LAURA/QUARTO – NOITE


Diante do computador, MAURO escreve enquanto LAURA o observa da cama. A única luz no ambiente provém da tela do computador.

LAURA


Esqueci de te dizer que o Daniel telefonou enquanto você tinha ido no mercado.
MAURO

Pra confirmar o lance de sábado?


LAURA

Sete da noite na Escola Nacional de Música.


MAURO

Ok.
LAURA

Não tava muito a fim de ir não.
MAURO

Nem pense nisso. Eu não posso deixar de ir.


LAURA

O fato de eu não querer ir não te impede de ir sozinho.


MAURO

O Daniel vai pensar que você tem algum problema com ele. Você nunca sai com a gente.


LAURA

É porque eu acho que não tem nada a ver, os seus amigos e os meus amigos.


MAURO

Quando você sai à noite com os seus amigos eu quase sempre vou junto. Até quando vocês cismam de ir pra alguma boate eu vou também, e você sabe o quanto eu odeio boate.


LAURA

Ninguém te obriga, Mauro. Você vai porque você quer.


MAURO

Não custa nada ir no recital da namorada do Daniel, Laura. Vai terminar cedo, a gente vem logo pra casa.


LAURA

Duvido. Porque aí vai ser a hora do pessoal comemorar, aí vocês vão pra algum bar ali nos arredores da Lapa, até de madrugada...


MAURO

Se você quiser pode ir embora nessa hora.


LAURA

Pra depois eu ter que aturar você dizendo que eu não fiquei, e que o Daniel disse que eu sou arredia, e que todos eles me acham insuportável...


MAURO

Laura, faz como você quiser. Só queria que você fosse no recital, só isso.


LAURA

Eu odeio esses concertos. Me dão sono.


MAURO

Tudo te dá sono ultimamente. Não sei como você ainda tá acordada.


LAURA

Tava esperando você vir deitar.


MAURO

Ainda vou demorar um pouco.


LAURA

Quando é que você vai terminar esse roteiro?


MAURO

Não sei.
LAURA

Você tá trabalhando nele desde que a gente se conheceu.
MAURO

Essas coisas demoram mesmo. Tem gente que fica seis, sete anos trabalhando um texto.


LAURA

Mais um ano e você bate o recorde.


MAURO

(bocejando) Verdade.


LAURA

Vou dormir, então.


MAURO

Tá.
LAURA se vira e puxa o lençol.


MAURO (cont.)

Laura.
LAURA

Hmmmm?
MAURO

Vira pra cá. Eu quero te olhar enquanto escrevo.


LAURA

Faz alguma diferença, isso?


MAURO

Se não fizesse eu já tinha colocado o computador perto da janela.


LAURA

Pensei que com o tempo minhas faculdades de musa fossem perdendo o efeito.


MAURO

Engano seu.


LAURA

Mauro... (pausa) Me dá um beijo.


MAURO se levanta da cadeira e caminha até a cama. De joelhos, deita-se ao lado de LAURA e a beija. LAURA abraça MAURO.

O quarto fica totalmente às escuras.


LAURA (cont.)

Faltou luz? Você salvou teu texto?


MAURO

Não. Deixa pra lá.


Os dois continuam se beijando.

FADE OUT


SEQ. 3

EXT. PORTARIA DA EMISSORA DE TV – DIA


Um carro velho estaciona na entrada da emissora de TV onde CLARICE, a amiga de MAURO e DANIEL, trabalha como assistente de direção. DANIEL, no volante, se atrapalha com a alavanca de marchas.



  1   2   3


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal