Faculdades ideau análise de endoparasitos em bovinos



Baixar 1,11 Mb.
Página1/2
Encontro10.10.2018
Tamanho1,11 Mb.
  1   2


INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL DO ALTO URUGUAI

FACULDADES IDEAU







ANÁLISE DE ENDOPARASITOS EM BOVINOS


BERTOGLIO, Eloise¹

eloise_bertoglio@hotmail.com

MARTINELLI, Patrícia¹

patriciamartinelli97@gmail.com

PAVLAK, Alessandra Marques¹

alepavlak@hotmail.com

FERRONATO, Ana Raquel Marsiglio¹

anamarsiglio@hotmail.com

SECCO, Taina¹

taina.secco@hotmail.com

MAHL, Deise Luiza²

deisemahl@ideau.com.br

PIEROZAN, Morgana Karin²

morganapierozan@ideau.com.br

RANGHETTI, Alvaro Luis²

alvaroranghetti@ideau.com.br

ROCHA, Anilza Andréia da²

anilzarocha@ideau.com.br

ROSÉS, Thiago de Souza²

roses@ideau.com.br

URIO, Elisandra Andreia²

elisandra-urio@ideau.com.br

RIITER, Felipe

veterinaria@ideau.com.br

¹ Discentes do Curso Medicina Veterinaria, Nível 4 2016/1- Faculdade IDEAU – Getúlio Vargas/RS.

² Docentes do Curso Medicina Veterinaria, Nível 4 2016/1 - Faculdade IDEAU – Getúlio Vargas/RS.




RESUMO: Este artigo trata de parasitologia que tem uma grande importância pois estuda a morfologia, a biologia, o ciclo evolutivo, o mecanismo de agressão do parasito e a forma como o hospedeiro reage. O endoparasita é aquele que precisa viver no interior do corpo de seu hospedeiro para conseguir o necessário para sobreviver. Então a pesquisa foi realizada em três propriedades rurais de diferente cidades, sendo analisada ao todo trinta amostras fecais, sendo que os parasitas que foram encontrados pertencem a família Trichostrongyloidea, causador de doenças gastrointestinais através da técnica de Willis Mollay. E também podemos observar que em propriedades com manejo, higiene e uma boa alimentação foi encontrado algum endoparasita. O trabalho teve como objetivo a identificação de endoparasita em bovinos de leite, abrangendo o conhecimento de parasitologia.
Palavras-chave: Parasitologia, Endoparasitas e Bovinos leiteiros
ABSTRACT: This article deals with parasitology which has a great importance for studying the morphology, biology, life cycle, the parasite aggression mechanism and how the host reacts. The endoparasites is one that must live inside the body of its host to get the necessary to survive. So the research was conducted in three farms in different cities, being analyzed in all thirty fecal samples, and the parasites that were found belong to Trichostrongyloidea, causing gastrointestinal diseases by Willis Mollay technique. And we can also note that in management with properties, hygiene and good nutrition found some endoparasites. The study aimed to endoparasites identification in dairy cattle, including knowledge of parasitology.
Keywords: Parasitology, Endoparasite and Dairy Cattle
1 INTRODUÇÃO

O continente americano é resposável por cerca de 36% do rebanho bovino produzido no mundo. Entre os países, Brasil e Índia possuem os maiores rebanhos, sendo que o Brasil encontra-se em primeiro lugar a uma média de 209.215.666 cabeças, já Estados Unidos e China ocupam o terceiro e quarto lugar, de acordo com a Food End Agriculture Organization – FAO. De acordo com a Pesquisa Agrícola Municipal do IBGE, o Rio Grande do Sul registrou em 2011 a produção de 14.478.312 cabeças, sendo que ele é o sexto maior produtor de gado bovino do Brasil, superado pelos estados do Mato Grosso, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás e Pará (IBGE, 2011).

A parasitologia é dividida em ectoparasitas e endoparasitas, estudam-se parasitos, sendo que os ectoparasitas são aqueles que têm contato com a pele dos hospedeiros e que vivem na superfície ou em cavidades dos mesmos, os artrópodes (ácaros e insetos) como bernes, carrpatos e pulgas são exemplos de ectoparasitas. Já os endoparasitas, são aqueles que estão em contato profundo com órgãos e tecidos do hospedeiro, vivem dentro do hospedeiro, exemplos de endoparasitas, helmintos e protozoários (MONTEIRO, 2010).

Os endoparasitas são aqueles que se alimentam das vitaminas, proteínas, açúcares e sais minerais, ingeridas pelos animais chamados, também, de hospedeiros. Os vermes concorrem com o hospedeiro, que dependendo da quantidade e da falta de controle, podem retardar muito o crescimento e o desenvolvimento do animal. Alguns vermes são sugadores tiram o sangue do hospedeiro para se alimentarem, fazendo com que principalmente os animais mais jovens, sem resistência como os bezerros, apresentem uma forte anemia (EMBRAPA, 2006).

A contaminação do animal com helmintoses gastrointestinais são causadas por nematoides hematófagos essa contaminação se dá através da ingestão da larva juntamente com a pastagem, se alojam no sistema digestivo do bovino, fixando-se no abomaso, intestino delgado e intestino grosso, tornando-se adulto dentro do corpo do animal. Causam danos por ação espoliativa (absorção de nutrientes e sangue do animal), tóxica, irritante e obstrutiva. A doença desencadeia anemia, perda de peso intensa e hipoproteinemia, com fezes pastosas e diarreia. Normalmente quando o rebanho é ainda jovem, entre a desmama e os dois anos de idade, ocorrem os maiores surtos desses parasitas (EMBRAPA, 2006).

Os prejuízos causados pelas verminoses são muito maiores quando o produtor não percebe as infecções por vermes, pois os animais passam vários meses perdendo peso e atrasando muito o seu desenvolvimento tendo uma branda queda de 20% a 30% na produção de leite e carne, sendo que há gastos desnecessários com vermífugos pela aplicação em épocas inadequadas e a necessidade de aplicação de outros medicamentos para recuperar o animal, tendo assim gastos maiores com mão-de-obra (EMBRAPA, 2006).

Os helmintos fazem com que os animais tornam-se tristes e abatidos, seus pelos tornam-se secos e eriçados, o abdômen aumentado, alimentam-se muito pouco, tendo emagrecimento progressivo durante muito tempo, seu desenvolvimento retardado, comem objetos como terra, madeira. Podem apresentar diarreia, fezes escuras e às vezes com sangue e anemia acentuada, desidratação chegando até ocorrer morte (EMBRAPA, 2006).

Os endoparasitas de bovinos são encontrados em vários locais do corpo do animal, no ceco e colon encontramos Trichuris e Oesophagostomum; no fígado Fasciola hepática; na musculatura, Taenia saginata e Sarcocystis; no olho, Thelazia; no tecido conjuntivo, Onchocerca e Hypoderma; nos pulmões, Dictycaulus viviparus; no abomaso, Haemonochus, Ostertagia e Trichostrongylus; no rúmen, Paramphistomum; e no intestino delgado, Trichostrongylus, Cooperia, Nematodirus, Bunostomum, Strongyloides, Moniezia, Eimeria spp. e Cryptosporidium (FOREYT, 2005).

O objetivo deste trabalho foi realizar a coleta e identificação de endoparasitas de bovinos de leite, através da técnica de Willis Mollay (1921) em propriedades do norte do Rio Grande do Sul, sendo uma delas com controle rigoroso e as demais não.
2 MATERIAL E MÉTODOS

Para a realização do trabalho, coletaram-se amostras fecais de 30 vacas leiteiras, dez em cada propriedade, duas delas mantinham controle rigoroso, fazendo o uso de anti-helminticos a cada seis meses, e a outra não, as mesmas situam-se no norte do Rio Grande do Sul, no interior das cidades de: Erechim, São Valentim e Tapejara, conforme tebela 1. Após as fezes serem coletadas, foram resfriadas e levadas ao Laboratório da Faculdade IDEAU em Getúlio Vargas, para serem avaliadas ao microscópio.


Tabela 1: Cidades de coleta de endoparasitas de bovinos.

CIDADES DE COLETA

QUANTIDADES DE AMOSTRAS

CONTROLE PARASITÁRIO

QUANTIDADE DE VACAS COM ENDOPARASITAS

Erechim

Propriedade 1



10

SIM

1

São Valentim

Propriedade 2



10

SIM

1

Tapejara

Propriedade 3



10

NÃO

4

Os materiais utilizados foram luvas descartáveis, jaleco, frascos para a coleta, bastão de vidro, pipeta, béquer, lâmina, lamínula, frasco de borrel, gases, solução saturada de cloreto de sódio (NaCl) e lugol. Coletaram-se as fezes da ampola retal dos animais, com auxilio de pote para coleta de fezes (Figura 1). Foi utilizada técnica de Willis Mollay (1921) que é utilizada na pesquisa de ovos de helmintos. No laboratório foram separadas e pesadas apenas cinco gramas de fezes de cada animal em um bequer, e após acrescentou-se 10 ml de NaCl, utilizando o bastão de vidro para a mistura dos produtos. Após a mistura, usou-se o frasco de borrel com duas gases abertas para filtrar a mistura, completando o mesmo com solução de NaCl até a borda, a lâmina foi sobreposta no frasco para ficar em contato com o líquido misturado, durante 5 minutos, para que os ovos ou oocistos, flutuassem até a lâmina e se fixassem nela. Após os cinco minutos, retirou-se a lâmina do frasco, pingou-se uma gota de lugol e colocou-se a lamínula, examinou-se com o auxilio do microscópio eletrônico, fazendo varredura de toda a lâmina.



Figura 1: Coleta de amostras fecais da ampola retal. Fonte: Martinelli, 2016.




  1   2


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal