Faculdade de motricidade humana



Baixar 98,53 Kb.
Encontro27.10.2017
Tamanho98,53 Kb.

Programa da disciplina de Pedagogia do Desporto (opção)
Unidade Cientifico - Pedagógica de Ciências do Desporto

4º Ano da licenciatura em Gestão do Desporto, 2º semestre.

Regente: Professor Doutor António Rosado


introdução

O Desporto é, na sua essência, um projecto pedagógico, educativo, orientado para o Homem e para a sua plena realização. Os diversos agentes desportivos devem comungar dessa visão de projecto humano, devem fundar as suas práticas concretas numa filosofia de serviço ao Homem e de responsabilidade ética, devem poder reflectir sobre o desporto no plano de princípios e valores, construindo práticas profissionais que efectivamente estejam ao serviço do desenvolvimento humano.

A Pedagogia do Desporto tem por objecto a Educação Desportiva e esta não é algo que diga respeito somente às crianças e aos jovens, ou aos treinadores e atletas, envolvendo adultos e pessoas idosas, em variadas situações, envolvendo pessoas doentes e pessoas deficientes, as pessoas que fazem desporto e as que o deviam fazer.

Na nossa concepção, a educação desportiva, também não pode mais ser vista apenas como um conjunto de acções intencionais e planificadas, devendo estender-se, como se faz modernamente, o conceito de educação aos processos educativos informais e aos efeitos não-planeados e não intencionais, fruto da socialização e das circunstâncias, ocorrendo, portanto, também, nas práticas físico-desportivas mais informais.

O gestor desportivo é um elemento imprescindível no processo de desenvolvimento humano e social que o Desporto representa. Nesse sentido a sua formação pedagógica é inevitável.

Por outro lado, num perfil de formação do gestor do desporto que acentua o conhecimento aprofundado e as vivências específicas do mundo do desporto, as questões essenciais da gestão da formação, da formação de agentes desportivos e da didáctica dos desportos parece-nos fundamental. A formação pedagógica facilitará a organização da formação e a própria implementação de projectos de animação desportiva em que os licenciados potencialmente se envolverão.



Objectivos





  • Descrever e explicar os principais conceitos e preocupações de reflexão e investigação em Pedagogia do Desporto.




  • Dominar competências de concepção e planificação da formação que permitam conceber, implementar e avaliar projectos pedagógicos, determinar metas e objectivos formativos, estratégias e técnicas de planificação e programação de forma adequada.




  • Dominar competências de decisão e intervenção pedagógica, permitindo a implementação e a avaliação dos processos formativos sob sua responsabilidade de acordo com critérios que optimizem o desempenho das principais funções profissionais.




  • Dominar competências de avaliação da formação centradas sobre a totalidade do processo de intervenção profissional, em particular, do processo de ensino-aprendizagem que permita a sua adequação constante.




  • Integrar os diferentes saberes numa perspectiva interdisciplinar, perspectivando o sistema desportivo e a sua actividade profissional como espaço de intervenção ética e cívica.




  • Desenvolver competências na área da formação pessoal e social que suportem a integração e o desenvolvimento profissional pleno, nos aspectos de realização pessoal e na concretização de funções profissionais e sociais que decorrem do exercício profissional, nos seus diversos planos, assumindo atitudes críticas relativamente ao sistema desportivo e ao meio.




  • Desenvolver competências de investigação e auto-formação, a apetência para a formação permanente e para a inovação pedagógica.



Conteúdos Programáticos


I Tema – Pedagogia do Desporto e Gestão do Desporto
Elucida-se, neste tema introdutório, os contributos da formação pedagógica para a formação e a intervenção profissional do gestor desportivo, esclarecendo os contributos da pedagogia para a concretização do perfil profissional do licenciado em gestão do desporto, nomeadamente, no que se refere à sua contribuição no plano da gestão da formação, nas suas diversas dimensões, no plano do desenvolvimento do desporto e no respeito por princípios éticos e deontológicos da profissão. A formação é caracterizada como uma ferramenta de gestão integrada no plano estratégico de uma organização, determinada por um orçamento e integrada no plano de Recursos Humanos.

II Tema - Enquadramento histórico e conceptual

Estuda-se, neste tema, e no essencial, o enquadramento histórico e conceptual da Pedagogia do Desporto e o objecto da Pedagogia do Desporto. A Pedagogia do Desporto no seio das Ciências do Desporto e na relação com as outras ciências (da educação e da motricidade) é, também abordada. Os diversos paradigmas e modelos de estudo e investigação em Pedagogia do Desporto são destacados, referindo-se os diversos paradigmas de investigação e produção de conhecimentos (nomeadamente, o empírico-analítico, o modelo processo-produto, o paradigma dos processos mediadores e ecológico), caracterizando-os nos seus aspectos essenciais.

III Tema – Planificação da Formação

Numa perspectiva pedagógica abordam-se as principais preocupações ou princípios que devem presidir à organização da formação, esclarecendo conceitos associados aos planos de formação, suas características, à avaliação diagnóstica, à definição de objectivos (objectivos de instrução, comportamentais e sua operacionalização) às taxonomias de objectivos, à programação e organização da formação. Aborda-se a questão da escolha dos conteúdos de formação (estruturas de conhecimento, matrizes de comportamento-conteúdo), a escolha da estrutura das actividades. Aborda-se os métodos de identificação de competências com base na análise de tarefas profissionais e de descrição de funções e as metodologias centradas nas necessidades de competências de uma organização e na expressão de expectativas. Identifica-se as competências a desenvolver num formador com base num perfil funcional de competências profissionais. Abordam-se as fases da planificação, os níveis de planificação, os ciclos de planificação

IV Tema - Intervenção Pedagógica

Aborda-se a questão da intervenção pedagógica procedendo-se a uma referência histórica introdutória, referenciando, de seguida, conceitos como modelos, estratégias, métodos e técnicas de ensino.

Os principais métodos de ensino são caracterizados por referência à sistematização de Arends, R. (1995). Descreve-se o método da exposição, o ensino de conceitos, a instrução directa, a aprendizagem cooperativa, o ensino crítico, o método da discussão.

Referem-se, ainda, as condições que permitem criar ambientes de aprendizagem e motivação, caracterizando os contextos de formação nas suas características de multidimensionalidade, simultaneidade, contiguidade, imprevisibilidade, notoriedade e historicidade.

No que se refere às técnicas de ensino faz-se referência à sistematização de Siedentop (1983) e procede-se à apresentação das principais técnicas de intervenção pedagógica e aos estudos que se debruçaram sobre elas:

a) de gestão do tempo e dos recursos espaciais, materiais e humanos.

b) de instrução.

c) de clima e disciplina.

d) gestão da segurança.

V Tema - Técnicas de intervenção no âmbito da gestão do tempo e da administração da sessão

Este sub-tema envolve-se com as questões da planificação e organização da formação, analisando a sua estrutura e destacando o conjunto das decisões a tomar e os procedimentos concretos de intervenção. Aborda-se a estrutura das sessões de formação e, de seguida, os principais conceitos associados à gestão do tempo (efeito de afunilamento do tempo, tempo horário, útil, tempo disponível para a prática, tempo de empenhamento, tempo potencial de aprendizagem; tempo necessário, de prática, espera e transição) e as principais técnicas de gestão dos episódios (duração e frequência) no sentido de desenvolver estruturas e rotinas eficientes de gestão do tempo. Segue-se, nesta matéria, no essencial, a sistematização das técnicas de gestão segundo Siedentop (1983).

VI Tema - Desenvolvimento das técnicas de instrução

Estuda-se, neste tema, as técnicas de optimização da transmissão de informação, de gestão da informação instrucional. As estratégias, métodos e técnicas de apresentação da sessão, de apresentação de exercícios e tarefas motoras, de encerramento da sessão, de realização de prelecções e outras comunicações são abordadas. O Questionamento, a Utilização dos Praticantes como Auxiliares, Critérios e Ajudas de Instrução e Recursos Audio-Visuais e a Demonstração (a análise do processo de observação no âmbito da demonstração, sublinhando as relações entre a observação e a auto-observação e a demonstração enquanto apresentação de tarefas e enquanto FB pedagógico) são, também, abordados.

VII Tema - O Feed-back Pedagógico

Estuda-se, neste tema, o feedback pedagógico, iniciando-se o seu estudo pela relação entre o “feedback cinestésico” e o “feedback pedagógico”, integrando os contributos da aprendizagem motora e da análise de ensino em Desporto. Procede-se, de seguida, à análise dos principais estudos e das metodologias de investigação sobre o feed-back pedagógico e, num outro momento, esclarecem-se os critérios de optimização da intervenção de “feed-back” de acordo com os conhecimentos actuais.

VIII Tema – O Clima e a Optimização das Relações Interpessoais

Este tema debruça-se sobre a optimização dos ambientes de aprendizagem e sobre a motivação, referenciando a dimensão pessoal e social do clima e procurando a optimização das relações interpessoais. Aborda conceitos fundamentais sobre o clima como expectativas, liderança, atracção, normas, comunicação e coesão e apresenta os principais estudos e metodologias de estudo desta temática em Desporto. Foca, em especial, a temática da relação e procura estabelecer as relações com outras dimensões de análise, designadamente, as técnicas de gestão, instrução e de controlo disciplinar. Abordam-se, de seguida, o conjunto das técnicas de ensino que permitem gerir o clima na formação.

IX Tema – Controlo disciplinar

Abordam-se os conceitos básicos da temática da indisciplina, esclarecendo-se os factores determinantes da indisciplina, procedendo-se à análise dos principais estudos sobre estas matérias. Caracterizam-se os problemas de comportamento em sala de aula (e/ou ginásio) e as estratégias de resolução de problemas de indisciplina, quer num plano preventivo quer remediativo. Um grande ênfase é colocado, também, nas metodologias de estudo adoptadas.

X Tema - Formação Pessoal e Social em Educação Física e Desporto

Este tema integra preocupações formativas no plano da Formação Pessoal e Social, esclarecendo os seus grandes objectivos, os seus conteúdos e estratégias formativas. Destaca-se a análise de questões associadas ao Desenvolvimento Moral e ao Desenvolvimento de Competências de Vida, a Promoção da Auto-Estima, de Sentimentos Positivos face ao Desporto e a facilitação do desenvolvimento das relações interpessoais. Faz-se uma breve abordagem aos diversos objectos e estratégias da FPS, quer no domínio da Planificação e Avaliação quer dos Conteúdos desta área. A análise estende-se, ainda, às questões do Desenvolvimento Pessoal e Profissional. As referências de investigação nesta área são, também, abordadas.

XI Tema - A Educação para a Segurança

Abordam-se questões essenciais da Educação para a Segurança, destacando conceitos básicos e estratégias didácticas de optimização activa da segurança. Destaca-se a reflexão sobre as questões da auto-apreciação de capacidades e o desenvolvimento de atitudes pessoais de domínio/controlo de condições de segurança. Aborda-se, ainda, a noção de Educação Física “utilitária” referenciando o seu aspecto utilitário na vivência do quotidiano e das situações de emergência e a segurança activa que implica a aprendizagem de técnicas e de movimentos básicos, o reforço de automatismos correctos, a formação e a educação de valores orientados para a sua segurança e a dos outros. Abordam-se, também, as questões de planeamento da segurança destacando regras e condicionantes de segurança (o espaço, aspectos psicológicos, níveis de dificuldade, comportamentos de insegurança/risco, excitação).

XII Tema – Valores e Ética em Desporto

Este tema preocupa-se com a abordagem da problemática do desenvolvimento moral, da ética e, em particular, com a ética no desporto, e em gestão do desporto, esclarecendo questões associadas a este tipo de valores, revendo-os no plano da participação nas actividades físicas e desportivas, abordando os conflitos éticos que o desporto encerra num plano de pensamento e acção moral dos diversos intervenientes, familiarizando, ainda, o estudante com noções básicas de desportivismo e fair-play, com os valores básicos do olimpismo, considerando, também, questões deontológicas no exercício da profissão de professor, treinador, dirigente e, naturalmente, gestor do desporto.


organização da cadeira


A disciplina exige a realização de 2 ECTS, repartidos por aulas teóricas (15 horas) e teórico-práticas (23 horas), no que se refere ao regime presencial.

Modelo de funcionamento

As actividades dos estudantes envolvem a presença nas sessões teóricas e a participação activa nas sessões teórico-práticas, envolvendo, neste caso, o envolvimento em dois grupos de actividades:


1. Pesquisa, apresentação e discussão de temas de comportamento organizacional, a partir de trabalho em grupo.
2. Exercícios de análise, reflexão e desenvolvimento de competências com base em exercícios teórico-práticos.

Modelo de Avaliação


A aprovação na disciplina resulta de uma classificação global positiva superior a 10 valores. A aprovação na disciplina pode ser conseguida por dois processos: em regime de avaliação “contínua” ou em exame final.

O estudante que obtenha classificação igual ou superior a 10 valores na avaliação contínua fica aprovado. Um estudante com classificação entre 7,5 e 9,4 fica dispensado de prova escrita no exame final mas tem de submeter-se a prova oral; abaixo destes valores ficam sujeitos a prova escrita e oral.

A avaliação contínua concretiza-se através de uma frequência escrita e a apresentação de um trabalho de síntese de um tema a indicar.

A avaliação contínua resulta, ainda, da presença às aulas (obrigatório na relação de 2/3 do total de aulas leccionadas).



Bibliografia


I e II Tema – Pedagogia e Gestão do Desporto e Enquadramento histórico e conceptual
Bento, J., Garcia, R., Graça, A . (1999). Contextos da Pedagogia do Desporto. Livros Horizonte.

Bento, J. (1996). Pedagogia do Desporto. Contexto e Perspectivas. I Simposium de Desporto. I.P.V-E.S.E.

Bento, J. (1995). O Outro Lado do Desporto, Vivências e Reflexões Pedagógicas, Campo das Letras Ed., Porto.

Bento, J. (1993). Profissionalidade Pedagógica e Formação de Professores, IV Encontro sobre Formação Educacional, Faculdade de Letras, Universidade de Coimbra, 6-7 de Janeiro, Conferência Inaugural.

Naul, R. (1999). Sport Pedagogy. International Journal of Physical Education. Volume XXXVI, Issue 4, 4º Quarter.

Patrício, M. (1994). A Formação de Educadores e professores dos Ensinos Básico e Secundário, numa perspectiva estratégica para o próximo decénio: algumas questões e algumas teses, Encontro sobre Formação de Educadores e Professores, Departamento do Ensino Superior, Seminário de Caparide.

Perrenoud, P. (1993). Práticas Pedagógicas, Profissão Docente e Formação. Perspectivas Sociológicas. Publicações D.Quixote/ I.I.E.

Patrício, M. (1986). Anotações Didácticas sobre a Educação Nova. Publicações Universidade de Évora, nº 1. Évora.

Pieron, M.; Cheffers,J.; Barrete,G. (1980). Introduction to the Terminology of Sport Pedagogy, ICSSPE.

Ribeiro, A . (1997). Formar Professores. Elementos para uma teoria e prática da formação. Texto Editora.

Sarmento, P. (1997). A Pedagogia e o Desporto, in Actas do Simpósio "O jovem e a prática desportiva", Instituto Superior de Viseu, E.S.E. de Lamego.

Sarmento, P. (1991). Reflexões sobre a Pedagogia do Desporto. Horizonte, vol.VIII, nº45, Out.Nov.

Rodrigues, J., Sarmento, P., Rosado, A ., Leça-Veiga, A ., Ferreira, V. Moreira, L. (1998). Quadro Conceptual da Investigação Pedagógica em Desporto. Estudos de Pedagogia do Desporto. Nº 6.

Rodrigues, J., Sarmento, P., Rosado, A., Leça-Veiga, A., Ferreira, V. & Moreira, L., (1999). A investigação em Pedagogia do Desporto, In, Actas das Jornadas: A Investigação no Ensino Superior Politécnico”. CCISP – Instituto Politécnico de Santarém. Santarém. 19 e 20 de Maio.

Rosado, A. (1995). Breve reflexão sobre a Pedagogia do Desporto. Cadernos de Pedagogia do Desporto. nº3, FMH, pp.45-47.

Sarmento, P., Leça-Veiga, A ., Rosado, A ., Rodrigues, J., Ferreira, V. (1995). Pedagogia do Desporto: A supervisão Pedagógica na formação inicial. Ludens, vol.14, nº 4. pp.5-10.

Sarmento, P., Leça-Veiga, A ., Rosado, A ., Rodrigues, J., Ferreira, V. (1991). O modelo de formação em Pedagogia do Desporto. In, Actas do II Simpósio de Pedagogia na Universidade. Ensino e Investigação. UTL. 11-13 de Dezembro. Pp.7-17.

III Tema – Planificação da Formação


Arend, R. (1995). Aprender a Ensinar. McGraw-Hill.

Bento, J. (1998). Planeamento e Avaliação em Educação Física. Livros Horizonte.

Christina, R; Corcos, D. (1988). Coaches Guide to Teaching Sports Skills. Human Kinetics. Champaign.

Piéron, M.(1986). Enseignement des activités physiques et sportives - observations et recherches, Université de Liége.

Siedentop, D. (1983). Developing Teaching Skills in Physical Education. Palo Alto. Mayfield Pub. Comp.

Siedentop, D.(1994). Sport Education: Quality PE through positive sport experiences, Human Kinetics, Champaign.

Rosado, A., Rodrigues, J. (2001). Formação Desportiva. Técnicas de Intervenção Pedagógica. Livro submetido para publicação pela ESDRM.

Rosado, A. , Tavares, F. (2001). Introdução às Ciências do Comportamento. Livro submetido para publicação, actualmente sob a forma de notas para os alunos.

Sarmento, P., Rosado, A. , Rodrigues, J., Ferreira, V., Leça, A. (1998). Pedagogia do Desporto II. Instrumentos de Observação Sistemática da Educação Física e Desporto. 3ª Edição.
IV - Intervenção Pedagógica na Formação
Piéron, M.(1986). Enseignement des activités physiques et sportives - observations et recherches, Université de Liége.

Siedentop, D. (1983). Developing Teaching Skills in Physical Education. Palo Alto. Mayfield Pub. Comp.

Siedentop, D.(1994). Sport Education: Quality PE through positive sport experiences, Human Kinetics, Champaign.

Rosado, A., Rodrigues, J. (2001). Formação Desportiva. Técnicas de Intervenção Pedagógica. Livro submetido para publicação pela ESDRM.

Rosado, A. , Tavares, F. (2001). Introdução às Ciências do Comportamento. Livro submetido para publicação, actualmente sob a forma de notas para os alunos.
V Tema - Desenvolvimento das técnicas de intervenção no âmbito da gestão do tempo e da administração da formação
Piéron, M.(1986). Enseignement des activités physiques et sportives - observations et recherches, Université de Liége.

Piéron, M. (1976). Didactique et Méthodologie des Activités Physiques: notes de cours. Université de Liége.

Siedentop, D. (1983). Developing Teaching Skills in Physical Education. Palo Alto. Mayfield Pub. Comp.

Singer, R.; Walter, D.(1980). Teaching Physical Education. A system approach, Mayfield Co. ed, Boston.

Rosado, A., Rodrigues, J. (2001). Formação Desportiva. Técnicas de Intervenção Pedagógica. Livro submetido para publicação pela ESDRM.

Rosado, A. , Tavares, F. (2001). Introdução às Ciências do Comportamento. Livro submetido para publicação, actualmente sob a forma de notas para os alunos.

Sarmento, P., Rosado, A. , Rodrigues, J., Ferreira, V., Leça, A. (1998). Pedagogia do Desporto II. Instrumentos de Observação Sistemática da Educação Física e Desporto. 3ª Edição.

Rosado, A. (2001). Conceitos Básicos de Planificação Didáctica. Estudos de Pedagogia do Desporto, nº 7. Edições FMH. Em via de publicação, actualmente sob a forma de notas para os alunos.


VI Tema - Desenvolvimento das técnicas de instrução
Piéron, M. (1996). Formação de Professores, Aquisição de Técnicas de Ensino e Supervisão Pedagógica, C.D.1.- F.M.H.

Piéron, M.(1986). Enseignement des activités physiques et sportives - observations et recherches, Université de Liége.

Siedentop, D. (1983). Developing Teaching Skills in Physical Education. Palo Alto. Mayfield Pub. Comp.

Rosado, A., Rodrigues, J. (2001). Formação Desportiva. Técnicas de Intervenção Pedagógica. Livro submetido para publicação pela ESDRM.

Rosado, A. , Tavares, F. (2001). Introdução às Ciências do Comportamento. Livro submetido para publicação, actualmente sob a forma de notas para os alunos.

Rosado, A. (1997). O Questionamento Oral: Objectivos, Condições de Aplicação e Critérios de Utilização em Contextos Educativos. Revista Estudos de Pedagogia do Desporto, nº 5. Edições FMH, pp. 37-50.

Rosado, A. (1992). Observação do Comportamento do Professor. Comparação de dois grupos de professores com especializações profissionais diferenciadas. Estudos de Pedagogia do Desporto. Nº 1, U.T.L-F.M.H, pp.36-48.

Sarmento, P., Rosado, A. , Rodrigues, J., Ferreira, V., Leça, A. (1998). Pedagogia do Desporto II. Instrumentos de Observação Sistemática da Educação Física e Desporto. 3ª Edição.

VII Tema - O Feed-back Pedagógico
Piéron, M. (1996). Formação de Professores, Aquisição de Técnicas de Ensino e Supervisão Pedagógica, C.D.1.- F.M.H.

Piéron, M.; Delmelle, R. (1983). Le retour d'information dans l'enseignement des activités physiques. Motricité Humaine, nº1, ENSEPS, Paris.

Piéron, M.(1986). Enseignement des activités physiques et sportives - observations et recherches, Université de Liége.

Rosado, A. (1995). Observação e Reacção à Prestação Motora. Análise da Capacidade de Diagnóstico e Prescrição Pedagógica em Tarefas Desportivas Características do Atletismo, Tese de Doutoramento não-publicada. UTL-FMH. Lisboa.

Siedentop, D. (1983). Developing Teaching Skills in Physical Education. Palo Alto. Mayfield Pub. Comp.

Rosado, A. (2000). Estudo da Competência de Diagnóstico e Prescrição Pedagógica em Tarefas Desportivas. U.T.L. Faculdade de Motricidade Humana. Ciências do Desporto. Edições FMH.

Rosado, A. (1997). Observação e Reacção à Prestação Motora. U.T.L. Faculdade de Motricidade Humana. Ciências do Desporto. Edições FMH.

Rosado, A . (1999). Observação e Reacção à Prestação Motora como Competência Pedagógica. Educação Física: Contexto e Inovação. Marques, A ., Prista, A ., Júnior, A ., (Eds). Actas do V Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos países de Língua Oficial Portuguesa. F.C.D.E.F. da Universidade do Porto.

Rosado, A. (1989). Análise da estrutura de organização da retroacção pedagógica (FB-tipo) em professores especialistas e não-especialistas em Atletismo. Motricidade Humana, vol.5,n.1, Jan/Jun, pp.53-69.

Rosado, A. (1988). Análise Multidimensional do Feed-back Pedagógico. Comparação de dois grupos de professores com especializações profissionais diferenciadas no ensino dos Saltos em Atletismo. Motricidade Humana, vol. 4, nº 2, Julho/Dezembro, pp.43-66.

Rosado, A. (S/data). Aumentar e diversificar o feed-back positivo. In, Didáctica II. Elementos de Apoio. U.T.L. ISEF.
VIII Tema – O Clima e a Optimização das Relações Interpessoais
Piéron, M.(1986). Enseignement des activités physiques et sportives - observations et recherches, Université de Liége.

Rosado, A.; Campos, J.; Aparício, J. (1996). Comportamentos Entusiastas em Desporto. Perfis Comportamentais de Treinadores em Diferentes Desportos: um estudo exploratório. Pedagogia do Desporto. Estudos 4. CDI, FMH.

Siedentop, D. (1983). Developing Teaching Skills in Physical Education. Palo Alto. Mayfield Pub. Comp.

Rosado, A. (1999). Desenvolvimento Sócio-Afectivo em Educação Física: O pensamento dos Orientadores de Estágio. Ludens. Vol.16, nº 1, Jan. –Mar, pp.9.

Rosado, A. (1998). Desenvolvimento Sócio-Afectivo em Educação Física. Millenium, 3, 10, pp.173-183.

Rosado, A. (1998). Nas Margens da Educação Física e do Desporto. U.T.L. Faculdade de Motricidade Humana. Ciências do Desporto. Edições FMH.

Rosado, A ., Campos, J., Aparício, J. (1996). Comportamentos Entusiastas em Desporto. Perfis Comportamentais de Treinadores em Diferentes Desportos: um estudo exploratório. Estudos de Pedagogia do Desporto. Nº 4, U.T.L.-F.M.H, pp.31-56.

Sarmento, P., Rosado, A. , Rodrigues, J., Ferreira, V., Leça, A. (1998). Pedagogia do Desporto II. Instrumentos de Observação Sistemática da Educação Física e Desporto. 3ª Edição, revista e actualizada. FMH-CDI. Indexado no Best Europe Database, nº 518223.

Rosado, A. (1995). O Entusiasmo em Educação Física e Desporto. Ludens. vol.14, nº4, Out-Dez, pp. 23-30.
IX Tema – Controlo disciplinar
Brito, M.(1986). Identificação de episódios de indisciplina em aulas de educação física no Ensino Preparatório. Análise do comportamento de professores e alunos. Dissertação de Mestrado, FMH.

Piéron, M.(1986). Enseignement des activités physiques et sportives - observations et recherches, Université de Liége.

Pieron e Emonts, (1988). Analyse des problèmes de discipline dans des classes d'éducation physique, Revue de I'Éducation Physique, 23,2,p.9-16.

Siedentop, D. (1983). Developing Teaching Skills in Physical Education. Palo Alto. Mayfield Pub. Comp.

Rosado, A ., Januário, N. (2000). Percepção de Incidentes Disciplinares – Estudo da variabilidade da percepção de incidentes disciplinares entre grupos de alunos diferenciados pelo género, idade, cultura juvenil de pertença, categoria sócio-profissional dos pais, nível de sucesso escolar e grupo étnico. Ludens, vol.16, nº 3, Jul-Set.

Rosado, A ., Marques, R. (1999). Indisciplina em Educação Física. Estudo da variabilidade de comportamentos perturbadores em função do ano de escolaridade e do nível dos alunos em Educação Física. Ludens. Vol. 16, nº2, Abr.-Jun.

Rosado, A ., Januário, N. (1999). Perception des Incidents Disciplinaires. Etude de la variabilité de la perception d´incidents disciplinaires chez des élèves différenciés selon le sexe, l´âge, le groupe juvénile, la condition socioprofessionnelle des parents, les résultes scolaires et le groupe ethnique. Actas do Congresso da AIESEP, (Edição em CD-Rom). Besançon, França.

Rosado, A. (1998). Nas Margens da Educação Física e do Desporto. U.T.L. Faculdade de Motricidade Humana. Ciências do Desporto. Edições FMH.

Rosado, A ., Januário, N. (1997). Percepção de Incidentes Disciplinares. Estudo da variabilidade inter-individual entre professores e alunos. Relatório de investigação entregue ao I.I.E.

Rosado, A., Costa, A., Almeida, R., Moreira, F. (1993). Perfis Comportamentais e Padrões Relacionais entre Treinador e Atleta em Situações de Comportamento Inapropriado. Estudos de Pedagogia do Desporto. Nº 2, U.T.L.-F.M.H, pp.33-49.

Rosado, A. (1990). A indisciplina nas classes de Educação Física. Horizonte. Vol.VII, nº 38, Julho-Agosto, pp. 47-55.
X Tema - Formação Pessoal e Social em Educação Física e Desporto
Bento, J. (1997). Poderá o desporto na escola prevenir a violência?, in Actas do Simpósio "O jovem e a prática desportiva"; Instituto Superior de Viseu, E.S.E. de Lamego.

Bressen, E.; Weiss, M. (1982). A theory of Instruction for Developing Competence, Self-Confidence and Persistence in Physical Education, Journal of Teaching Physical Education, vol.2,n.1.

Rosado, A. (1998). Nas Margens da Educação Física e do Desporto. U.T.L. Faculdade de Motricidade Humana. Ciências do Desporto. Edições FMH.
XI Tema - A Educação para a Segurança
Devlon, A. (1999). Risque et Securité. Approche pédagogique de la securité en EPS. Dossiers Eps. Nº 46.

Education Physique - Education à la Sécurité. Fédération Nationale de L' Enseignement Secondaire Catholique, Bruxelles.

Siedentop, D. (1983). Developing Teaching Skills in Physical Education. Palo Alto. Mayfield Pub. Comp.

Rosado, A. (1998). A Educação para a Segurança, in Nas Margens da Educação Física e do Desporto. U.T.L. Faculdade de Motricidade Humana. Ciências do Desporto. Edições FMH.

Rosado, A. (1989). O Ensino do Atletismo na Escola e no Clube. ISEF-CDI.


XII Tema - A Competência de Observação em Desporto: a competência de avaliação subjectiva de movimentos desportivos.
Brunelle, J., Talbot, J., Achard, B., Tousignant, M., Bérubé, G. (1975). "L' Observation Structurée de L' Enseignement de L'éducation Physique", Movement, Vol. 10, nº4.

Pawels, J.M. (1979). Observation - an important part of didactic proficiency, Proceedings of the XXII ICHPER World Congress.

Piéron, M.(1986). Enseignement des activités physiques et sportives - observations et recherches, Université de Liége.

Postic,M., Ketele,J-M. (1988). Observer les situations éducatives. PUF, Paris.

Rosado, A. (1997). Observação e Reacção à Prestação Motora. U.T.L. Faculdade de Motricidade Humana. Ciências do Desporto. Edições FMH.

Rosenshine, B., Furts, N. (1973). The use of direct observation to study teaching. In R. Travers (Ed.), Second Handbook of Research on Teaching, Chicago, Rand Mc Nally, 122-183.

Sarmento, P.(1988). A observação como tarefa de ensino, Horizonte, nº25.

Sarmento, P. (1987). Observação de Movimentos Desportivos - Influência da formação e da experiência na identificação de erros técnicos em natação, Dissertação de Doutoramento, doc. n/ publicado. Lisboa: UTL/FMH.

Rosado, A. Colaço, C., Romero, F. (2001). Critérios Gerais de Concepção de Sistemas e Instrumentos de Avaliação: Aplicação à Educação Física e às Ciências do Desporto. In Rosado, A ., Colaço, Dias, L. C., Catarina, S. Avaliação das Aprendizagens: Fundamentos e Aplicações no Domínio das Actividades Físicas.

Rosado, A . (1999). Observação e Reacção à Prestação Motora como Competência Pedagógica. Educação Física: Contexto e Inovação. Marques, A ., Prista, A ., Júnior, A ., (Eds). Actas do V Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos países de Língua Oficial Portuguesa. F.C.D.E.F. da Universidade do Porto.

Rosado, A., Sarmento, P., Piéron, M. (1998). Compétences de diagnostic et de prescription chez des enseignants de divers degrés d´expertise. In, C. Amade-Escot J.P. Barrué, J.C.Bos, F.Dufor, M. Dugrand & A. Terrisse (Eds). Recherches en EPS: Bilan et Perspectives. Paris: Ed. EP.S, pp. 215-224. 1º autor.

Rosado, A. (2000). Estudo da Competência de Diagnóstico e Prescrição Pedagógica em Tarefas Desportivas. U.T.L. Faculdade de Motricidade Humana. Ciências do Desporto. Edições FMH.



Rosado, A. (1997). Observação e Reacção à Prestação Motora. U.T.L. Faculdade de Motricidade Humana. Ciências do Desporto. Edições FMH.
XIII Tema – Ética em Desporto
Cunha, P. (1995). Para uma Deontologia da Profissão Docente, Brotéria,140,p.39-53.

Espírito Desportivo: Recomendações Internacionais. Cadernos do Espírito Desportivo. C.M.O.

Códigos de Ética e de Conduta nas Práticas Desportivas. Cadernos do Espírito Desportivo. C.M.O.

Espírito Desportivo é Importante. Cadernos do Espírito Desportivo. C.M.O.

Sanmartin, M. (1995). Valores Sociales y Deporte. La actividad Física y el Deporte como transmisores de valores sociales y personales. Gymnos Editorial.



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal