Estudo nº: 01. A escritura sagrada I



Baixar 233,95 Kb.
Encontro13.07.2018
Tamanho233,95 Kb.


S érie: EQUIPANDO OS SANTOS

Estudos de Maturidade Cristã, para edificação e reavivamento da Igreja.

Pastor: Máximo Laudelino da Silva Filho

A ARMADURA DE DEUS Efésios 6.10-18



OS TRÊS INIMIGOS DO SER HUMANO Ef 6.10-13
Por que precisamos nos revestir da armadura? O Apóstolo Paulo nos responde: Ef. 6:11, 13b; “Para ficarmos firmes contra as ciladas do diabo ( I Pe. 5:8) e para que possamos resistir no dia mau e, depois de termos vencido tudo, permanecermos inabaláveis”. Ou seja, vamos passar por momentos difíceis, por momentos de tribulação, lutas e batalhas. Entretanto, se estivermos revestidos da armadura de Deus, seremos mais do que vencedores; por isso é que Paulo escreve aos Romanos cap. 8:35...

O Sl 34.19 diz...; Jo 16.33 Jesus fala que...; Por isso precisamos da armadura de Deus para nos proteger de pelo menos três dos mais terríveis inimigos nossos, que são:




  1. PRIMEIRO INIMIGO: O MUNDO

Refiro-me ao sistema ao nosso redor que se opõe a Deus e satisfaz a concupiscência da carne, dos olhos e a soberba da vida. Uma definição simples do mundo é “uma sociedade sem Deus, portanto, FALIDA” IJo 2.15-17...

Uma sociedade falida sim, pois tem os seus ensinamentos na contra mão da verdade daquele que nos chamou da escuridão e do lamaçal do pecado para sua maravilhosa luz.



POIS COMO É A SOCIEDADE EM QUE VIVEMOS?

É uma geração perversa: o que podemos ver é uma geração inteira sendo destruída pela perversidade, e acima de tudo tentando nos influenciar (At. 2.40). Essa geração é o que chamamos de “mundo” (IJo 2.15), que jamais deve ser amado pelo cristão. É uma geração corrompida (Gn 6.12), incrédula e perversa (Mt. 17.17), e está no maligno (IJo 5.19).

O QUE PENSA E COMO AGE A SOCIEDADE.

1) Você tem que “ter”: Casa, carro, bom emprego, conta bancária recheada, etc. Na verdade nada disso é pecado ou proibido, porém, cuidado para não fazer nada fora do tempo de Deus. Ec 3.1-8 diz: “tem tempo para tudo” e ITm 6.10 “Por que o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores”.

2) Você tem que “ser”: Ser famoso, reconhecido por essa sociedade, ser o chefe na empresa em que você trabalha, ainda que tenha que passar por cima de alguém.

3) Você tem que “fazer”: Fazer o que der na cabeça sem dar satisfação pra ninguém, pois, você é dono do seu nariz. Jesus diz em Marcos 8.36 “Que aproveita o homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma?

4) Você tem que ser “feliz”: e é verdade, porém, não com o mesmo conceito que a sociedade tem de felicidade, qual seja, curtir a vida, beber, usar drogas, sexo fora do casamento, etc. Vejamos o Salmo 128.1 “Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos!”. Em todo contexto bíblico, o conceito de felicidade não é outro, senão, ser fiel ao Senhor, temê-lo e andar nos seus caminhos.

Resumindo: Mc 13.13; Jo 17.14


  1. SEGUNDO INIMIGO: A CARNE

Quando Paulo fala que nossa luta não é contra o sangue e a carne, ele quer dizer: a nossa luta não é contra o nosso irmão, contra o nosso semelhante, contra o ser humano, ou seja, a nossa luta é espiritual. Portanto, quando cito a carne como nosso inimigo trago a tona “a velha natureza” que herdamos de Adão, a natureza terrena conforme Cl 3.5-10...

Essa “velha natureza” se opõe a Deus e não faz nada espiritual para agrada-lo, pelo contrário, desobedece e afronta a Deus querendo fazer apenas o que lhe satisfaz, gerando assim as obras da carne; Gl 5.16-21...



Resumindo: Mc 14.38


  1. TERCEIRO INIMIGO: O DIABO

Esse é o inimigo mais desleal em minha opinião. Pois é completamente nas regiões celestiais, ou seja, no âmbito espiritual. E por o diabo ser o pai da mentira (Jo 8.44), devemos pedir ao Senhor, entre outros, o dom de discernimento de espíritos (ICo 12.10)... Lembremo-nos do que aconteceu com Daniel (Dn 10.12-13)... Por isso, é necessário tomarmos muito cuidado, temos que ficar atentos! Sabe por quê? (Ef 1.3)...

A unidade de inteligência militar é indispensável e de suma importância numa guerra... Temos que conhecer e compreender o nosso inimigo, por isso, devemos estuda-lo; “Lc 14.31 Qual o é rei que, indo combater outro rei, não se assenta primeiro para calcular se com dez mil homens poderá enfrentar o que vem contra ele com vinte mil?”.

Mas, em todas essas coisas nós somos mais do que vencedores, ALELUIA!! Pois, por meio da sua morte e ressurreição, CRISTO venceu o mundo – a carne – e o diabo. E, tudo que Jesus conquistou na cruz é direito nosso é nossa herança...

Não estamos lutando para conquistar a vitória, mais, sim, lutando em vitória; ICo 15.57...

*Não somos pecadores lutando para ser salvo, somos salvos lutando contra o pecado. Salvo=Livre da morte, liberto, remido.

Resumindo: Tg. 4:7 “Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.”

Campanha de Oração: Revestidos da Armadura de Deus Para Guerrear

Ministrado pelo Pr. Claudomiro Pimentel, 29/04/2014
O CINTO DA VERDADE - Ef. 6:14  

Estai, pois, firmes, cingindo-vos com a verdade...”
O texto em questão diz: cingindo-vos com a verdade que tem dentre outros, o seguinte significado: rodear, ornar em roda, por a cinta, unir, apertar.

O cinto da armadura do soldado tinha entre 15 e 20 centímetros de largura; além de proteger o seu baixo abdômen, dava sustentação à armadura e ainda segurava a espada. Por isso, devemos entender que a espada “do Espírito” (a Palavra de Deus-v.17) quando manejada por nós (através das nossas atitudes...) deve ser a aplicação prática da Palavra de Deus que é a VERDADE, Jo.17:17 “Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade.”


Acontece que não poucas pessoas têm mentido e acreditado em mentiras por várias razões:
1ª Razão: Algumas por medo. Olha a história do ganso...

Jo. 8:34 “...O que comete pecado é escravo do pecado”

2 Pe. 2:19 “...Aquele que é vencido fica escravo do vencedor”
2ª Razão: Por tal mentira ser repetida por muitas pessoas.
3ª Razão: Por pensarem que tal mentira ajudará outras pessoas.
4ª Razão: Por acreditarem que a mentira ajudará a si próprio. Atos 5 – Ananias e Safira.
As pessoas que mentem provavelmente são envolvidas por dois motivos: o primeiro; não conhecem a verdade (o que é pouco provável) – o segundo: não terem compromisso com a verdade, neste contexto está a grande maioria; e, como tem gente que gosta de mentir!
Existe até o dia da “mentira”. O interessante é que enquanto surge alguém e inventa um dia comemorativo da mentira, a Bíblia nos orienta através do Apóstolo Paulo que devemos abandoná-la; Ef. 4:25 “Por isso, deixando a mentira, fale cada um à verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros”.
E Jesus vai mais além, diz em Jo.8:44 “Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhes os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira”.

“...aos mentirosos, a parte que lhes cabe é no lago de fogo e enxofre.” Ap. 21:8


Por isso Jesus diz: “conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará,” Jo. 8:32; e mais, “se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres,” Jo. 8:36.
E, é enfático em Jo. 14:6 quando diz: “EU SOU ... A VERDADE...” (os pilares da verdade...)

Campanha de Oração: Revestidos da Armadura de Deus Para Guerrear

Ministrado pelo Pr. Claudomiro Pimentel

Sobradinho/DF – 06 de maio de 2014


A COURAÇA DA JUSTIÇA Ef 6.14

COURAÇA: Armadura defensiva para as costas e o peito; proteção; defesa.

Alguém fez uma comparação muito lógica entre a couraça e à carapaça da tartaruga, pois esta quando se vê em perigo, recolhe tanto a cabeça como as pernas para dentro de sua “couraça” ficando assim em segurança. Carro blindado...

JUSTIÇA: A virtude de dar a cada um aquilo que é seu por direito; a faculdade de julgar segundo o direito e melhor consciência. É agir dentro da legalidade e de conformidade com a lei.

Portanto, se justiça é tudo o que é correto, devemos vestir a couraça da justiça para nos proteger, bem como, para sermos corretos e justos com o nosso semelhante sem acepção de pessoas, respeitando o direito de cada um.

A couraça, em sua maioria, era feita com duas placas de metal e forrada com resistentes tiras de couro. Sua serventia era proteger a parte posterior (o peito) e a parte anterior (as costas) do corpo do soldado desde o pescoço até a cintura. Protegendo assim um dos órgãos fundamental do corpo humano o “coração”.

O coração bombeia em aproximadamente 45 segundos (ida e volta), levando oxigênio e nutrientes para todas as células dos órgãos ativos. E bate cerca de 109.440 a 110.880 vezes por dia bombeando aproximadamente 5L de sangue. A couraça tem por finalidade, dentre tantas, a de proteger esse órgão tão importante do ser humano.

Quando o Apóstolo Paulo diz, revesti-vos da couraça da justiça, ele diz, se vista da justiça de Deus, para sermos protegidos do nosso inimigo. “Rm 8.33 Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica

Entendo que é de grande relevância e suma importância à necessidade de nos revestirmos da couraça da justiça por pelo menos dois motivos:



PRIMEIRO MOTIVO: GUARDAR O NOSSO CORAÇÃO...

Devemos sim, guardar o nosso coração conservando-o puro, não deixando que seja contaminado por nenhuma seta do inimigo ou desejo maligno...

Vejamos o que diz Jesus em Mt 15. 18-19 “Mas o que sai da boca, vem do coração, e é isso que contamina o homem. Porque do coração procedem maus desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias. São estas coisas que contaminam o homem...

Não podemos em hipótese alguma deixar sermos traídos pelo coração... Jr 17.9-10 “Enganoso é o coração, mais do que todas as cousas, e desesperadamente corrupto, quem o conhecerá? Eu, o Senhor, esquadrinho o coração, eu provo os pensamentos; e isto para dar a cada um segundo o seu proceder, segundo o fruto das suas ações

Sl 66.18-19 “Se eu no coração contemplara a vaidade, o Senhor não me teria ouvido. Entretanto Deus me tem ouvido, e me tem atendido a voz da oração

Temos que guardar o nosso coração, para que não venhamos falar o que não devemos falar, pois, prestaremos conta de todas as nossas palavras. Mt 12.34-37



SEGUNDO MOTIVO: DEIXAR HABITAR EM NOSSO CORAÇÃO A JUSTIÇA DE DEUS E NÃO O PECADO NEM A DUREZA DE CORAÇÃO...

Segundo a lei da física, dois corpos não ocupam o mesmo espaço ao mesmo tempo. Ora, sendo assim, não podemos deixar que o pecado ocupe nosso coração, nem tão pouco permitir que o nosso coração seja duro – rancoroso – amargurado – apertado etc; devemos sim, deixar que a justiça de Deus encha nosso coração de forma maravilhosa.

Tem pessoas que pecam e acho que está tudo normal. Isto é chamado de “iniquidade”. São pessoas perversas e que estão longe de Deus e necessitam de arrepender-se e pedir perdão, IJo 1.9. Outras sofrem por estarem com o coração duro (por vários motivos), e na verdade precisam liberar perdão.

*Não são poucas as vezes que quando ministramos libertação observamos a necessidade de tais pessoas liberarem perdão. Citar exemplos...

Por isso o salmista diz: “Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti, Sl 119.11

Queridos, temos que proteger nosso coração de todo mal, de toda investida do inimigo. E como fazer isto? VESTINDO A COURAÇA DA JUSTIÇA.

Vestir a couraça da justiça significa ter a certeza que em Cristo estamos livres de toda condenação.

Rm 8.1 “Agora, pois, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus

Rm 8.33 “... É Deus quem nos justifica”. ALELUIA!!!

A nossa justificação é, mérito exclusivo de Cristo – Obra inteiramente pela Graça, e que se recebe unicamente pela fé.

Igreja Nações Unidas, 11 de outubro de 2012

Pr. Claudomiro

.

CALÇAI OS PÉS COM A PREPARAÇÃO DO EVANGELHO DA PAZ



(SANDÁLIAS) Ef 6.15

Devemos observar bem as palavras do Apóstolo Paulo quando ele se refere à armadura de Deus. Pois, como soldados que somos, cada peça é de extrema importância para nosso dia a dia. Começando com o cinto da verdade e em seguida a couraça da justiça. E quando Paulo fala em calçar os pés com a preparação do evangelho da paz; ele está se referindo a “pregação do evangelho”. Porém, tal tarefa, jamais poderia ser realizada se não estivermos cingidos com a verdade e vestidos com a couraça da justiça.

Os soldados nos dias atuais e com o avanço da tecnologia, penso eu, que usam botas especiais para cada tipo de terreno onde irá acontecer a batalha. Entretanto, os soldados romanos daquela época usavam sandálias de couro, com solado grosso cravado com pregos para dar apoio e sustentação, num terreno irregular e cheio de pedras, a fim de resistir e permanecer inabaláveis.

Mas nós, se nossa batalha é no mundo espiritual, qual a matéria-prima que usaremos para fazer calçados para nossos pés? O Evangelho da Paz. O que é isso? São os ensinamentos de Jesus tais como: Amor e obediência a Deus, amor ao próximo, perdão, verdade, honestidade, respeito às autoridades, paz com todos etc. E para fechar esse tema com chave de ouro, devemos acatar a ordenança do Senhor Jesus de PREGAR O EVENGELHO. (Is 61.1-3; Lc 4.18-21)

Mc 16.15-16 “E disse-lhes Jesus: Ide por todo mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado”. Ou seja, temos o dever de pregar o evangelho, porém, convencer o mundo (homem) do pecado, da justiça e do juízo é tarefa do Espírito Santo, Jo 16.8. Interessante é que na junção desses dois textos Jesus diz; vão e pregue o evangelho deixe o resto com o Espírito Santo, e, em outro texto em consonância com esse, ele diz; vão e faça discípulos, pois, estarei com vocês todos os dias, Mt 28.18-20. (Alguém diz: não sei pregar – dê seu testemunho de salvação – faça como a samaritana...)

Em Lc 9.1, Jesus convoca os doze discípulos, e deu-lhes poder para curar enfermos, sobre todos os demônios e para pregar o evangelho e no vs.6 resumem-se quais eram as suas atividades “Então, saindo, percorriam todas as aldeias, anunciando o evangelho e efetuando curas por toda parte” O resultado foi tão bom que Jesus agora recruta 70 homens (Lc cap. 10) e os enviou para mesma tarefa e eles voltaram possuídos de alegria e Jesus lhes disse; a alegria verdadeira deve ser por que seus nomes estão escritos nos céus... (festa no céu – não acontece quando há cura, libertação, e sim, quando há salvação “Lc 15.7 Digo-vos que, assim, haverá maior júbilo no céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não necessita de arrependimento”)

Por isso, não devemos retroceder, não devemos voltar atrás, ficaremos firmes em Hb 10.39 “Nós, porém, não somos dos que retrocedem para a perdição; somos, entretanto, da fé, para a conservação da alma”. Não vamos copiar as atitudes daquele jovem que teve um diálogo com Jesus (Mt 19. 16-22) porém, não quis obedece-lo.

Vamos, sim, agir como Paulo “Não me envergonho do evangelho, por que é o poder de Deus para a salvação de todo que crê, primeiro do judeu e também do grego, Rm 1.16”.

Infelizmente, existem pessoas, que trabalham há tanto tempo em uma empresa ou em qualquer outro lugar, outras que estudam e estão a ponto de concluir seu curso ou até já concluíram, e ainda outras pessoas, que tem grande número de amigos na sociedade, mas, infelizmente, ninguém sabe que ela é cristã – talvez nem seja mesmo. (E para demostrarmos que somos cristãos, não precisamos ser “inconveniente” nem “santarrão”, porém, devemos ser sábios e temperados...)

Por isso, não devemos NUNCA nos envergonhar de pregar o evangelho. Lembra-se da passagem Bíblica que narra à história do rico e Lázaro (Lc 16.19-31)...

Você e eu somos profetas de Deus. E todo profeta tem o conhecimento de que “A fé vem pela pregação, e a pregação, pela palavra de Cristo, Rm 10.17”.

PRESTE ATENÇÃO! O Apóstolo Pedro na sua primeira carta no capítulo 2, versículos 9 e 10 ele diz: “Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para sua maravilhosa luz. Vós, sim, que antes não éreis povo, mas agora sois povo de Deus, que não tínheis alcançado misericórdia, mas agora alcançastes misericórdia”. Não acredito que Deus fez tudo isso por nós, para ficarmos inerte a pregação do evangelho. E se muitas vezes tivermos que pregar o evangelho em meio a tribulações e turbulências, não devemos desistir jamais, pois: “Os que com lágrimas semeiam, com júbilo ceifarão. Quem sai andando e chorando enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes, Sl 126.5-6”. ALELUIA!!!

Is 52.7 “Que formosos são sobre os montes os pés do que anuncia as boas novas, que faz ouvir a paz, que anuncia cousas boas, que faz ouvir a salvação, que diz a Sião: O teu Deus reina!”. (Rm 10.13-15 --- distribuição de N.T. quando Gideão...)

Não se pode calçar essas sandálias de qualquer maneira. É necessário viver uma vida verdadeira usando o “cinto da verdade”, e ter um coração protegido e cheio da justiça de Deus usando a “couraça da justiça”. E principalmente, é preciso disposição para ler a Palavra, estudá-la e vivê-la.


Igreja Presbiteriana Ebenézer, 20 de maio de 2014

Ministrado pelo, Pr. Claudomiro Pimentel


O ESCUDO DA FÉ Ef 6.16

O Apóstolo Paulo fala a respeito da armadura com muita propriedade e tinha conhecimento de causa, pois, ele foi um soldado. E como soldado, devia ter o conhecimento de que todo bom comandante tem por obrigação de se preocupar com o: ATAQUE – DEFESA – SUPRIMENTO. Quando ele fala da necessidade de usar o escudo, ele está falando de proteção e sem dúvida nenhuma se trata de uma arma de defesa, pois, o soldado o segurava diante de si para se proteger de lanças e flechas.



Como era o feito o escudo? Com duas placas de madeira sobrepostas, alguns oval, mas na sua maioria retangulares. O escudo tinha normalmente 60 centímetros de largura por 1,20 de altura. Tinha ainda seu revestimento de couro resistente com pano de linho, tendo em suas beiradas um formato que permitia encaixar um no outro formando assim um paredão, que os protegia de seus inimigos e dos seus dardos atirados pelos flecheiros.

O que é dardo? Arma feita com vara curta, colocado uma ponta de ferro e lançada com uma das mãos (lança); flecha (lança pequena) que é atirada por um arco. Dardo inflamado; flecha com sua ponta mergulhada em uma substância inflamável, provavelmente betume (piche).

O Apóstolo nos orienta que na batalha espiritual devemos usar o escudo da fé. O escudo não pode ser de madeira, de metal, ou de qualquer outro material que não seja FÉ. Pois só com a fé poderemos apagar os “dardos inflamados” de satanás. E por que satanás lançaria dardos inflamados sobre nós? Por pelo menos dois motivos:



PRIMEIRO MOTIVO: JESUS ESTÁ AO NOSSO REDOR.

Sl 34.7 “O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra



SEGUNDO MOTIVO: ELE NÃO PODE NOS TOCAR.

IJo 5.18 “Sabemos que todo que é nascido de Deus não vive em pecado; antes, Aquele que nasceu de Deus o guarda, e o maligno não lhe toca”.

Por esses motivos é que ele lança seus dardos de longe. E o pior é que inflama seus dardos, sabe por quê? O FOGO DESTRÓI. E ele veio para destruir; sonhos, projetos, famílias, o amor, a compreensão, a harmonia, a saúde etc... Por isso, a matéria-prima do nosso escudo tem que ser a FÉ. Mas, o que é fé?

Hb 11.1 “Ora, a fé é a certeza de cousas que se esperam, a convicção de fatos que se não veem”. Ou seja, fé é você crer no que não ver, porém, isso, produz um resultado; é você ver o que creu. Não é fácil lutar com algo que não podemos ver ou tocar, mas esse é o grande desafio; crer mesmo sem ver. Crer em Jesus, na sua Palavra, no seu amor, na sua misericórdia, no seu cuidado etc. Por isso, é que devemos embraçar sempre o escudo da fé, para apagar todos os dardos do inimigo. E, que dardos seriam esses? São vários.

O dardo da vaidade, insubmissão, infidelidade, orgulho, rebeldia, mentira, contenda, divisão, frieza espiritual, opressão, depressão etc... Porém, eu quero destacar quatro:

PRIMEIRO DARDO – O DA INCREDULIDADE: IICo 4.4 “Nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus”. O diabo lança o dardo da incredulidade, e, depois, ainda cega o ser humano para que não venha ver o resplendor da fé na Palavra de Deus. E, infelizmente, aonde impera a incredulidade acontecem poucos milagres. “Não pôde fazer ali nenhum milagre, senão curar uns poucos enfermos, impondo-lhes as mãos. Admirou-se da incredulidade deles. Contudo, percorria as aldeias circunvizinhas, a ensinar, Mc 6.5-6”.

A incredulidade não nos deixa desfrutar das bênçãos de Deus. Porque nos é furtado à fé através da cegueira. Hb 11.6 “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus...”



SEGUNDO DARDO – O DA DÚVIDA: O diabo faz de tudo para colocar dúvida em nossa vida. Dúvida de uma cura, da libertação (nossa e de outras pessoas), do amor de Deus, da nossa experiência com Deus (exemp. Quando fui batizado...).

Deus que nos livre da dúvida, como? Ler Tg 1.6-8. (Ânimo-caráter/dobre-fingido)

Mc 11.22-23 “Ao que Jesus lhe disse: tende fé em Deus; porque em verdade vos afirmo que, se alguém disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar no seu coração, mas crer que se fará o que diz, assim será com ele

Mc 9.23 “...Tudo é possível ao que crê



TERCEIRO DARDO – O DO MEDO: Quando vivenciamos uma situação que não podemos controlar, sentimos medo. Em alguns casos o medo é de certa forma compreendido, porém, na sua maioria é dardo do inimigo. Exemplos: A Mulher que tinha medo de tudo; pessoas que tem medo de viajar de avião etc... Então o que fazer? Vários personagens bíblicos também tiveram medo e o que fizeram?

Pedro: teve medo e gritou Mt 14.30; Jesus estendeu-lhe a mão 31.

Josafá: teve medo, orou e jejuou IICr 20.3; e Deus lhe deu a vitória (sem lutar) 22-25. Josafá não tinha dúvida do que diz a Palavra de Deus: 23.4; 27.3; 91.7, Dt 28.7; IJo 4.18

QUARTO DARDO – O DA CULPA: Esse é um dos preferidos do inimigo, pois quer nos deixar presos no passado e consequentemente nos separar de Deus... Jo 8.32; Quando conhecemos a verdade pedimos perdão e Ele nos perdoa IJo 1.9 – Quando ele nos perdoa, apaga nossos pecados Is 43.25 – Quando ele apaga nossos pecados, somos nova criatura IICo 5.17 – Quando nova criatura, estamos em Cristo e não há condenação Rm 8.1 – Se não há condenação, ninguém poderá nos separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus Rm 8.33-39. ALELUIA!! O que devo fazer? “Lm 3.21 Quero trazer a memória o que me pode dar esperança”. (cinto-couraça-sandálias-escudo) Is 54.17.

Igreja Nações Unidas, 18 de outubro de 2012 Pr. Claudomiro

O CAPACETE DA SALVAÇÃO Ef 6.17

Vamos estudar uma peça da armadura não menos importante que as outras. E para tanto, devemos entender como era o capacete usado pelos soldados. Bem, era muito simples. O capacete era feito de metal, em sua maioria de bronze, com formato que encaixava na cabeça, e ainda, tiras de couro para mantê-lo firme na cabeça.

Nos dias atuais o capacete é também usado por automobilistas, motoqueiros, ciclistas, skatistas etc. Podemos também perceber o capacete sendo usado de forma obrigatória nas obras de construção civil. E para que serve o capacete? É óbvio que é para proteger a cabeça. Pois, sem dúvida alguma, a cabeça é uma parte vital do corpo humano e sem o capacete ela fica totalmente exposta e vulnerável. Exp. Meu amigo em minha cidade...

Qual a utilidade do “capacete da salvação” na nossa vida quando travarmos a batalha espiritual que nos adverte o Apóstolo Paulo? Ora, na nossa cabeça se encontra a sede da nossa mente, e da nossa mente fluem:



1º MEMÓRIA – É um dispositivo que registra e conserva informações e que posteriormente podem ser recuperadas.

É de onde surgem lembranças do passado e do presente. Portanto, tome muito CUIDADO! Se você errou (pecou) peça perdão a Deus. Pediu perdão a Deus, ele vai te perdoar. Quando ele perdoa, ele esquece (Is 43.25), e se ele que é Deus não quer se lembrar do seu pecado, por que você vai querer? Só “o diabo” tem interesse nos erros do passado do ser humano, e nós vimos isso quando estudamos sobre o DARDO DA CULPA. Quero trazer à memória aquilo que nos traz esperança Lm 3.21.



2º IMAGINAÇÕES – É a faculdade que tem espírito de imaginar; de onde surge: fantasia, criação, invenção, ideia.

Por isso devemos vigiar intensamente nossas imaginações. O problema é que tem pessoas que fantasia demais. E as suas fantasias já estão quase que virando alucinações, chegam a parecer que são esquizofrênicos. É marido que “fantasia” deixar sua esposa e vice-versa, e ainda acham que tal fantasia é normal. É moça que se entrega ao namorado “imaginando” ser ele o seu príncipe encantado, até perceber que ele não passa de um sapo. É rapaz que “fica” com a namorada e outras moças também e pensa que está abafando, coitado, não sabe ele que as suas fantasias vão levá-lo para o inferno.



3º PENSAMENTOS – Ato ou efeito de pensar. Faculdade de pensar logicamente. Poder de formular conceitos, opinião.

Quando programamos uma viagem, construir uma casa ou comprar um objeto, nós pesamos. Até aqui, tudo bem. O complicado é se formos atacados por um daqueles dardos do diabo ou fantasiarmos algo que nos leva para longe de Deus, e mesmo assim, dermos ênfase e alimentarmos esses pensamentos, sabendo que tais pensamentos nos levará a destruição total. Por isso, o Apóstolo Paulo nos orienta em Fp 4.8-9 no que pensar:

Finalmente, irmãos, tudo que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento. O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso praticai; e o Deus da paz será convosco

Agora começamos a entender como é importante usarmos o capacete da salvação. Vejamos ainda, que fato interessante. Dos cinco sentidos ou capacidades do corpo humano, quatro deles estão na cabeça. São eles: visão-audição-paladar-olfato. E será uma porta aberta para o inimigo dominar a mente, caso a cabeça não esteja protegida pelo capacete da salvação. Veremos agora uma rápida explanação desses quatro sentidos ou capacidades do corpo humano:



Visão: É a capacidade de visualizar objetos e pessoas. O olho capta a imagem e envia para o cérebro, para que este faça o reconhecimento e interpretação. Para onde estamos olhando? O que estamos vendo?

Audição: É a capacidade de ouvir os sons (vozes, ruídos, barulhos, músicas) provenientes do mundo exterior. O ouvido capta as ondas sonoras e as envia para que o cérebro faça a interpretação daquele som. O que estamos ouvindo? A quem estamos dando ouvidos, ou seja, a quem estamos obedecendo?

Paladar: Este sentido (capacidade) permite ao ser humano sentir o gosto (sabor) dos alimentos e bebidas. Na superfície de nossas línguas existem milhares de papilas gustativas. São elas que captam o sabor dos alimentos e enviam as informações ao cérebro, através de milhões de neurônios. O que estamos colocando boca adentro?

Olfato: Sentido relacionado à capacidade de sentir o cheiro das coisas. O nariz humano possui a capacidade de captar os odores do meio externo. Estes cheiros são enviados ao cérebro que efetua a interpretação. O que o nosso nariz está cheirando?

Mas, afinal, o que representa ou o que é o capacete da salvação para nós? Ora, se estivermos com a nossa cabeça totalmente protegida por esse capacete espiritual, sem dúvida nenhuma ele representa a convicção da nossa salvação, e a certeza absoluta que fomos salvos pela Graça do Nosso Senhor Jesus Cristo. Ef 2.8-9; Jo 1.12; Jo 5.24.

E mais, Paulo escreve aos tessalonicenses 1ª, 5.8 “Nós, porém, que somos do dia, sejamos sóbrios, revestindo-nos da couraça da fé e amor, e tomando como capacete, a esperança da salvação”. Que seja este capacete a esperança da nossa salvação e aniquila toda dúvida em qualquer área, instância ou esfera da nossa vida; e que venha fluir da nossa MENTE agora protegida por este capacete, apenas, pensamentos positivos, de vitória e edificação, Fp 4.8. E sabe por quê? Nossa mente tem poder.

Rm 12.2 “E não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus”. Você sabia que a sua mente tem poder para transformar esta geração? E se transformarmos este século (esta geração) vai ser bom para as pessoas e para nós, porque vamos experimentar; a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Mas, isso só pode acontecer se estivermos usando o capacete da salvação para proteger nossa cabeça e nossa mente.

Agora, quando isto acontecer, vai se cumprir conosco o que diz Paulo em ICo 2.16 “...Nós, porém, temos a mente de Cristo”. Ter a mente de Cristo significa conhecer a sua vontade, seu plano e propósito redentor. Significa amar como ele nos ama.

Igreja nações Unidas, 21 de outubro de 2012

Pr. Claudomiro

A ESPADA DO ESPÍRITO Ef 6.17

O que é uma espada? Uma arma branca de lâmina comprida e pontiaguda, com um ou dois gumes. E para que serve? Para atacar. O soldado romano usava uma espada embainhada em seu cinto que quando necessário a manejava nos combates corpo a corpo. Porém, se a nossa batalha é espiritual devemos usar a espada do Espírito que é a Palavra de Deus.

Existem na Bíblia várias citações simbólicas referentes à Palavra de Deus, tais como:



Lâmpada e Luz – Sl 119.105. Pois, nos dar esclarecimento espiritual.

Espelho – Tg 1.23. Porque ela nos revela se somos espiritual ou natural.

Água – Jo 15.3; Ef 5.26. Fala do poder da Palavra para nos limpar e santificar – Jo 4.14 fala da água que sacia a sede espiritual – Jo 5.4 da água que cura as enfermidades.

Alimento – Jr 15.16. A Palavra de Deus nutre o nosso espírito e alegra o nosso coração – IPe 2.2 é o leite que devemos desejar como recém-nascidos para nosso crescimento e salvação – Sl 19.10 é mais doce do que o mel – Jo 6.32-35 o verbo é o pão vivo que desceu do céu e sacia a fome espiritual.

Fogo e Martelo – Jr 23.29. Pois, destrói o pecado e quebra corações duros.

Tesouro – Sl 119.72. Porque a palavra de Deus tem mais valor do que ouro e prata.

Espada – Ef 6.17. Mas, não é uma espada qualquer; é a espada do Espírito. E sabe por que a palavra de Deus é a espada do Espírito? A resposta está em Hb 4.12 que diz: “Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até o ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração”.

Vamos ver a diferença entre a espada e a palavra:

ESPADA – Traspassa o corpo / PALAVRA – Traspassa o coração.

ESPADA – Tem que ser empunhado por um soldado / PALAVRA – Tem seu próprio poder, é viva e eficaz.

ESPADA – Fere e mata / PALAVRA – Cura e dar vida.

ESPADA – Quando muito usada perde o corte / PALAVRA – quanto mais usada, mais afiada fica.

Agora uma coisa é certa. Como um bom soldado que maneja com precisão a sua espada num campo de batalha, assim, também, devemos manejar bem a palavra de Deus. E Paulo orienta a Timóteo a agir dessa forma, IITm 2.15 “Procura apresentar-te a Deus, aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade”.

Manejar bem a palavra de Deus é ter conhecimento e intimidade, é deixar com que ela domine todas as esferas da nossa vida. É termos nossa vida pautada e fundamentada por esta palavra. É tomar posição, e deixar-se ser confrontado pela palavra, pois, ela revela quem somos, o que temos, onde estamos e para onde vamos. E qual a necessidade de termos esse envolvimento com a palavra? Para não sermos levados por qualquer vento de doutrina.

Ef 4.14 “Para que não mais sejamos como meninos, agitados de um lado para outro, e levados ao redor por todo vento de doutrina, pela artimanha dos homens, pela astúcia com que induzem ao erro

A Bíblia nos orienta diversas vezes, para tomarmos cuidado com os falsos mestres e com as falsas doutrinas. Falsos ensinamentos, fundados apenas em proveito próprio. Teologia disso, teologia daquilo, e muitas vezes deixa de lado a essência da palavra de Deus; o amor pelas almas...

O Apóstolo Paulo é enfático ao dizer; tudo vai passar e ser aniquilado, porém, o amor permanecerá eternamente, ICo 13.8-13. Jesus vai mais profundo e cristalino e diz: “Passará o céu e a terra, porém as minhas palavras não passarão, Mt 24.35”. Aleluia!! São essas palavras que nos levarão para uma dimensão espiritual tremenda, como está escrito em ICo 2.9 “Nem olhos viram, nem ouvidos ouviram, nem jamais penetrou em coração humano o que Deus tem preparado para aqueles que o amam”.

A palavra de Deus é maravilhosa, pois revela conhecimento e poder. “Errais, não conhecendo as escrituras nem o poder de Deus” disse Jesus (Mt 22.29). E o conhecimento é tão importante, que Deus fala através do profeta Oséias contra os sacerdotes (pastores e líderes), que não estavam dando a mínima para o conhecimento nem tão pouco para o ensino da palavra de Deus. “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento. Porque tu, sacerdote, rejeitaste o conhecimento, também eu, te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos, Os 4.6”.

A honra dos que ensinam vem junto com grande responsabilidade, pois, estão ensinando a palavra de Deus. Entretanto, esta responsabilidade tem um sabor especial como disse Jeremias: “Achadas as tuas palavras, logo as comi e elas foram gozo e alegria para o meu coração... Jr 15.16”. Declara, ainda, o salmista: “Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti” (Sl 119.11). E, diz mais, no salmo 1º.1-3.

Na verdade “a espada normal” é uma arma de ataque. Mas, só ela, “a espada do espírito”, ou seja, a palavra de Deus tem tríplice utilidade; ATAQUE, DEFESA e SUPRIMENTO, comprovado sem dúvida nenhuma em Mt 4.1-11.

PARA CONCLUIR: Devemos observar o envolvimento de Jesus e a sua aprovação as escrituras (a palavra de Deus) através de seu relacionamento com ela e atitudes concretas de que as escrituras (Bíblia) é a espada do Espírito. E que ela é de suma importância para santificação e salvação dos que creem. Algumas atitudes do Mestre:

Primeira atitude – Ele leu as escrituras Lc 4.16-20

Segunda atitude – Ele ensinou a seu respeito nas escrituras Lc 24.27

Terceira atitude – Ele manda examinar as escrituras, pois elas têm vida eterna Jo 5.39

Quarta atitude – Ele cumpriu as escrituras (a lei) Mt 5.17; Mc 15.27-28

Quinta atitude – Ele é as escrituras, Ele é a palavra (o verbo) Jo 1.1

Igreja Nações Unidas, 25 de outubro de 2012

Pr. Claudomiro

ORAÇÃO SUPLICANTE Ef 6.18

Estamos chegando ao final da série de estudos sob o tema: a armadura de Deus. E neste item, Paulo fala acerca da ORAÇÃO E SÚPLICA, ou seja, da oração insistente, da oração constante. Pois, o significado de súplica não é outro, senão; Pedir com humildade, porém com insistência, no sentido de urgência de resposta inadiável, imediata. Enquanto que oração é: Uma aproximação do ser humano a Deus, através de uma interação por palavras ou pensamentos, em particular ou público. Não existe lugar específico ou posição específica para orar. Entretanto, muitas vezes, temos que usar a lógica. Há momentos de orar em pé ou de joelhos, com olhos abertos ou fechados etc...

Portanto, devemos observar as orientações Bíblicas. Jesus nos ensina a não orar como hipócritas em Mt 6.5-8; Em Lc 18.13-14, Ele diz que Deus ouviu a oração do publicano; E Paulo confirma que a oração deve ser tanto aqui como ali em ITm 2.8. Já em Jo 4.19-24, no diálogo com a samaritana Jesus resumi muito bem dizendo, que temos que ser verdadeiros adoradores e adorar ao Pai em espírito e em verdade. O que interessa a Deus é um coração contrito e um espírito quebrantado (Sl 51.17).

INGREDIENTES QUE NÃO PODEM FALTAR NA ORAÇÃO:

ADORAÇÃO; GRATIDÃO; CONFISSÃO; COMUNHÃO; PETIÇÃO PESSOAL; INTERCEÇÃO EM FAVOR DE OUTRAS PESSOAS.

Porém, ter atendida a oração, requer alguns critérios:

PURIFICAÇÃO: Sl 66.18 “Se eu no coração contemplara a vaidade, o Senhor não me teria ouvido

: Hb 11.6 “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus...”

VIDA EM UNIÃO E COMUNHÃO COM CRISTO: Jo 15.7 “Se permanecerdes em mim e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito

SUBMISSÃO A VONTADE DE DEUS: IJo 5.14-15 “E esta é a confiança que temos para com ele, que, se pedirmos alguma cousa segundo a sua vontade, ele nos ouve. E, se sabemos que ele nos ouve quanto a que lhe pedimos, estamos certos de que obtemos os pedidos que lhe temos feito”. Pois, até Jesus se submeteu a vontade de Deus: Mc 14.32-36 “...E dizia, Aba, Pai, tudo é possível; passa de mim este cálice; contudo não seja o que eu quero, e, sim, o que tu queres

DIREÇÃO DO ESPÍRITO SANTO: Jd .20 “Vós, porém, amados, edificando-vos na vossa fé santíssima, orando no Espírito Santo”. Rm 8.26 “Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobre maneira com gemidos inexprimíveis”

TER ESPÍRITO DE PERDÃO: Mt 6.12 “ E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores

MANTER A PAZ COM O PRÓXIMO: Rm 12.18 “Se possível, quanto depender de vós, tende paz com todos os homens

*Uma coisa tem que ficar claro! Deus não atende a pecadores. Jo 9.31 “Sabemos que Deus não atende a pecadores; mas, pelo contrário, se alguém teme a Deus e pratica a sua vontade, a este atende

Diante o exposto. Entendo que é necessário para nossa caminha cristã, a busca incessante pelo conhecimento da Palavra de Deus, bem como, uma vida de oração – oração – oração. Devemos observar o que fala o Apóstolo Paulo, para nossa edificação: “ITs 5.17 – Orai sem cessar / para não dar lugar ao diabo – Ef 4.27

Ora, agindo dessa forma, com certeza venceremos os três piores inimigos que temos: O mundo (Mc 13.13; Jo 17.14-16); a carne (Mc 14.38); e o diabo (Tg 4.7; Ef 6.13).

E a nossa oração deve ter sobre tudo, requintes de perseverança e súplicas por todos os santos. Pois os cristãos são como ovelhas, vivem em rebanhos. A igreja é um exército. E os soldados precisam permanecer juntos e lutarem juntos. Tg 5.13-16; Sl 133.

PARA FINALIZAR: Quando Paulo fala; revesti-vos da armadura de Deus, ele diz; revesti-vos de Cristo. E se nos revestirmos de Cristo. Poderemos fazer nossas as palavras dirigidas a Saul por Davi, quando Saul colocou a sua armadura nele; disse Davi: Não! Não conheço nem nunca usei essas armas, não conseguirei lutar com elas, eu vou usar as armas que eu conheço e que eu tenho intimidade (ISm 17.38-40).

O cristão revestir-se com a ARMADURA DE DEUS, é utilizar armas que conhece e que tem intimidade com elas. É usar em meio às batalhas as armas espirituais que o Senhor liberou para ele. É ter a convicção de que se estiver vestido da ARMADURA DE DEUS, vai resistir no dia mau, e, depois de ter vencido TUDO, vai permanecer INABALÁVEL. ALELUIA!!!!

Igreja Nações Unidas, 28 de outubro de 2012



Pr. Claudomiro



Movido por um propósito divino, claro, específico, entendido por todos!

www.reverendomaximo.com.br //revmaximo@reverendomaximo.com.br




©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal