Escola Superior de Educação



Baixar 28,71 Kb.
Encontro14.11.2017
Tamanho28,71 Kb.

Prática dos Desportos II - Desportos de Combate


Escola Superior de Educação
Departamento / Área de Ciências do Desporto e de Educação Física
Curso de Professores do Ensino Básico variante de Educação Física

Programa da Disciplina de Prática dos Desportos II


Módulo de Desportos de Combate
2º Ano

Anual


Ano lectivo 2007/2008

Docentes: Prof. Adjunto Pedro Magalhães

Prof. Adjunto José Bragada


Resumo

A presente disciplina tem como objectivos essenciais: transmitir uma panorâmica geral do valor educativo deste tipo de desportos, através da vivência da sua prática; possibilitar a aprendizagem de algumas técnicas dos desportos de combate e a sua estruturação para o ensino da educação física escolar. Os conteúdos a abordar são: os significados da saudação e do vestuário; “Kion” técnica base do Karaté; “Kata” sequência de movimentos e técnicas aplicadas a adversários imaginários; “Kumité” situação de um contra um, realização de combate simples (hipon kumité) e a luta tradicional do nordeste transmontano “Galhofa”. Será dado ênfase à componente didáctica da disciplina, para que os alunos adquiram as ferramentas e os ensinamentos necessários à abordagem desta componente desportiva na escola.


  1. Introdução

O bloco de Desportos de Combate, insere-se no plano de estudos da disciplina de Prática dos Desportos II, do 2º ano do Curso de Professores do Ensino Básico variante de Educação Física.

Esta disciplina é anual e possui uma carga horária de duas horas semanais, perfazendo um total de horas previstas de sessenta.




B. Objectivos do programa

Com este bloco de desportos de combate, pretende-se que os alunos adquiram:

  • Uma panorâmica geral do valor educativo deste tipo de desportos, através da vivência da sua prática;

  • A aprendizagem de algumas técnicas dos desportos de combate e a sua estruturação para o ensino na Educação Física escolar;

  • O reconhecimento a importância da prática de Jogos Tradicionais (JT), ao longo dos tempos;

  • Algumas teorias explicativas da emergência do JT;

  • As causas do declínio da prática do JT;

  • Conhecimentos sobre os Jogos Tradicionais, nomeadamente a Galhofa;

  • A capacidade de identificar formas de preservação dos J. T.;

  • A experimentação e a exercitação do JT Galhofa;

  • Conhecimentos sobre como aplicar as técnicas básicas;

  • A capacidade de realizar filmes com descrição das técnicas básicas.



C. Conteúdos

  1. Os rituais dentro de um Dojo e seu significado

  2. Estudo prático de algumas técnicas de combate

    1. Jogos didácticos de luta

      1. Jogos de agarrar

      2. Jogos de empurrar

      3. Jogos de destreza

    2. Karaté

      1. Posições básicas

        1. Mobilização do centro de gravidade, equilíbrio e desequilíbrio. O polígono de sustentação face ao deslocamento pretendido.

2.2.2. Deslocamentos

2.2.3. Técnicas de braços e pernas

2.2.4. As áreas tradicionais


        1. Kihon

        2. Kata

        3. Kumité




          1. A guarda

          2. A movimentação

          3. A distância

          4. O controlo

      1. Didáctica do Karaté

        1. Abordagem didáctica das técnicas respectivas da modalidade

        2. Abordagem didáctica dos katas da modalidade

        3. Abordagem didáctica da situação e kumité

    1. Outras

2.3.1. Abordagem didáctica de outras modalidades de combate

  1. A Galhofa

    1. O JT no contexto da actividade física e desportiva

    2. O JT como forma de desenvolvimento harmónico das capacidades motoras

    3. O JT como herança histórica e cultural a preservar

    4. A Galhofa como jogo de luta corpo a corpo do Nordeste Transmontano:

      1. Origem e características do Jogo

      2. Contexto em que era praticado

      3. Regulamento

      4. Conhecimento e aplicação as técnicas básicas

      5. Compilação em diferentes formatos da descrição das técnicas básicas

      6. Torneios internos

    5. Divulgação da Galhofa na comunidade escolar e local (concursos, folhetos etc)



D. Estratégias metodológicas

Transmitir a informação do geral para o particular, de forma a garantir a aprendizagem e a progressão.

Abordar algumas formas de luta numa perspectiva lúdica, permitindo a exploração e descoberta das capacidades dos alunos.

Repartir as diferentes técnicas em elementos mais simples, de forma a facilitar a sua aquisição por parte dos alunos. Juntar progressivamente os vários elementos até chegar à técnica final.

Fazer uma abordagem à componente didáctica da disciplina, para que os alunos adquiram as ferramentas e os ensinamentos necessários à abordagem desta componente desportiva na escola.

E. Forma de avaliação

A avaliação dos alunos será efectuada continuamente no decurso do ano lectivo, de acordo com o prescrito pelas normas gerais de avaliação em vigor na ESEB.

A nota em cada uma dos conteúdos programáticos (Karaté/Judo e Galhofa) resultará da média ponderada entre a classificação obtida, em cada um deles, nas componentes teórica e prática.

A nota final será a que resultar da média ponderada das classificações obtidas nos conteúdos programáticos acima referidos, nomeadamente:



Karaté/Judo (70%):

  • Componente teórica (30%); os alunos serão avaliados através de um teste escrito e/ou trabalho de pesquisa;

  • Componente prática (70%); os alunos serão avaliados acerca dos conhecimentos adquiridos no decorrer das aulas lectivas.

Galhofa (30%):

  • Participação nas aulas (competência adquiridas e participação activa nas aulas), com a ponderação de 50%.

  • Trabalho (s) individuais ou em grupo, com a ponderação de 50%.


F. Bibliografia

Karaté/Judo

  1. CAFFARY, B. (1994). Judo para Expertos. Colección Judo Masterclass. Editorial Paidotribo.

  2. CASADO, G. (1990). 1000 ejercícios y juegos de actividades de lucha. Colección Artes Marciales. Editorial Paidotribo S.A..

  3. FIGUEIREDO, A. (1990a). Há Desporto e “Desporto”. Bushido - Artes Marciais e Desportos de Combate, Lisboa, nº14, pp. 10-11.

  4. FIGUEIREDO, A. (1995). Os Desportos de Combate nas aulas de Educação Física. (não publicado), Departamento de Educação Física da Escola Superior de Educação de Viseu.

  5. GUMMERSON, T. (1993). Enseñanza de las arts marciales. Colección Arts Marciales. Editorial Paidotribo.

  6. HABERSETZER, R. (1992). Shotokan Kata - encyclopédie des arts martiavy. Éditions Amphora S. A..

  7. MARWOOD, D. (1995). Judo – Iniciación y perfeccionamiento. Colección Judo Masterclass. Editorial Paidotribo.

  8. MITCHELL, D. (1992). El libro completo de las Artes Marciales. Editorial Paidotribo.


Galhofa

  1. Bento, J.O (1997): Um olhar do Norte. Campo das Letras – Editores S.A. Porto.

  2. Bragada JB (2002): Jogos tradicionais e o desenvolvimento das capacidades motoras na escola. CEFD - IND

  3. Caillois, R., (1990): Os jogos e os homens – a máscara e a vertigem. Edições Cotovia. Lisboa.

  4. Costa, A. S. (1997): À volta do estádio – o desporto, o homem e a sociedade. Campo das Letras – Editores S.A. Porto.

  5. McPherson, B.D, (1989): The social significance of sport: na introduction to the sociology of sport. Human Kinetics

  6. Palos, C.M.; Mata, D.; Gómez, J. (1993): Aspectos recreativos de los juegos y deportes tradicionales en España. Gymnos Editorial.

  7. Serra, M.C., (1999): Os jogos tradicionais em Portugal: as relações entre as práticas lúdicas e as ocupações agrícolas e pastoris. Tese de doutoramento. UTAD. Vila Real.











José Bragada

(Prof. Adjunto)






Pedro Miguel Magalhães

(Prof. Adjunto)











©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal