Escola Secundária/3 Aurélia de Sousa História Resumos Ano letivo 08/2009



Baixar 49,4 Kb.
Encontro18.08.2017
Tamanho49,4 Kb.

Escola Secundária/3 Aurélia de Sousa

História Resumos Ano letivo 08/2009




PARTE G2

1.Relacionar o bloqueio Continental decretado por Napoleão com as invasões francesas

A França, através de Napoleão Bonaparte (Imperador e chefe militar francês), este ganhou

Muitas batalhas mas não conseguiu dominar militarmente a Inglaterra pois esta tinha muito poder a nível marítimo. Por isso decretou o Bloqueio Continental, que proibia os países europeus de comerciar com a Inglaterra com o objetivo de diminuir o lucro da Inglaterra ligados ao comércio. Inglaterra ainda assim rompia este bloqueio através do contrabando.

Portugal, o velho aliado de Inglaterra continuava na hesitação em aceitar ou não o bloqueio continental por isso Napoleão mandou invadir Portugal e a família real, sabendo desta invasão embarcou para o Brasil.

Portugal foi invadido 3 vezes. A 1ª vez foi entre 1807 e 1808 a Lisboa. A segunda foi em 1809 ao Porto, e a 3ª foi entre 1810 e 1811 a Lisboa mas desta, já havia reforços pois os ingleses vieram para ajudar. Mas no entanto os ingleses pareciam dominar Portugal.

2.Referir as consequências das invasões francesas

As grandes consequências das invasões foram



  • O embarque da família real para o Brasil;

  • Elevada número de mortos;

  • Agricultura destruída;

  • Industria desorganizada;

  • Roubos e saques;

3.Justificar a oposição de diversos grupos sociais ao domínio Inglês

  • A burguesia opunha-se porque depois de o rei ter embarcado para o Brasil este permitiu que os portos do Brasil fizessem comércio internacional. E a burguesia, que até aí dominara o comércio com o Brasil era a mais prejudicada e mais revoltada.

  • A nobreza opunha-se porque os oficiais ingleses estavam a ocupar os postos de comando do exército português. Além disto as pagas eram baixas.

Em 1817 foi descoberta uma conspiração contra os ingleses. Alguns dos conspirantes foram presos e executados.

4.Caracterizar a crise económica e social que se vive em Portugal na época que antecede a Revolução de 1820

Em 1811, as invasões francesas terminaram, mas o país ficou numa situação muito difícil:

- A família real continuava no Brasil;

- O Reino ficou mais pobre e desorganizado após as invasões;

- Os ingleses controlavam quase todo o comércio com o Brasil.

Era pois necessário expulsar os ingleses e obrigar o rei a regressar.



As ideias liberais, vindas de França, tinham cada vez mais adeptos.        

Em 1817, em Lisboa, regista-se a primeira conspiração liberal, chefiada pelo General Gomes Freire de Andrade.   Descoberto, foi preso e enforcado.

Em 1818, forma-se no Porto uma organização secreta, o Sinédrio, com o objetivo de preparar uma revolução liberal.

O Sinédrio reunia burgueses do Porto (comerciantes, juízes, proprietários), entre os quais se destacava Manuel Fernandes Tomás. Também aderiram alguns militares.



5.Descrever os principais acontecimentos da Revolução de 1820

1811-Retirada do exército Francês comandado por Massena

1817-Tentativa fracassada de revolução liberal em Portugal

1818-Formação da organização secreta, o Sinédrio, no Porto

1820-Revolução liberal


6.Referir os princípios consagrados da constituição de 1822

Os princípios da Constituição incluem:



  • Divisão tripartida dos poderes: poder legislativo (cortes), poder executivo (cortes) e judicial (tribunais)

  • Sufrágio universal - todos os cidadãos votam (excluía analfabetos, mulheres e frades)

  • O governo, ou seja os secretários de estado, era nomeado pelo rei

  • O rei não interferia no funcionamento das cortes nem desorganizá-las

7.Comparar a constituição de 1822 com a carta constitucional de 1826

Constituição de 1822

Carta constitucional de 1826

Elaborada pelos representantes, eleitos da população

Elaborada por D.Pedro

Institui uma monarquia constitucional

Mantém Monarquia Constitucional

Divisão tripartida dos poderes

Divisão quadripartida dos poderes

O rei exerce poder executivo

O rei exerce poder moderador e executivo (há reforço do poder do estado)

As cortes são compostas por uma única câmara

As cortes é dividida em duas câmaras

Sufrágio universal (votavam todos)

Sufrágio censitário (só votam os cidadãos ativos)

8.Justificar o desmantelamento do Antigo Regime

Com a aplicação do novo regime, o liberalismo, viu-se o fim do Antigo Regime. Várias medidas aplicadas por este Antigo regime viram-se anuladas.



  • Extinção da maior parte dos morgadios (Conjunto de bens – terras, casas, etc. - herdado sempre pelo filho mais velho do casal)

  • Abolição da dízima

  • Anulação dos impostos de tipo senhorial

  • Proteção do pequeno comércio e pequena industria

  • Impedimento de alguns monopólios

9.Descrever os principais acontecimentos da guerra civil

1826-Morte de D.João VI, rei de Portugal

1826-Publicação da carta constitucional que foi jurada por D.Miguel

1831-D.Pedro abdicou da coroa do Brasil e passou a chefiar os liberais

1832-D.Pedro desembarcou na Praia do Mindelo e consegue conquistar esta cidade. Inicio do cerco do Porto onde os absolutistas tiveram cercados pelas tropas absolutistas.

1833-Após muitas vitórias os elementos do exército liberal e da reconquista de Lisboa, instalou-se na mesma

1834- Assinatura da paz, depois de D.Miguel ficar muito isolado, na Aldeia de Evoramonte. Nesta assinatura D.Miguel foi obrigado a abandonar, para sempre, o país.

10.Localizar no espaço e no tempo os acontecimentos em estudo

Invasões Francesas - a primeira vez foi entre 1807 e 1808 (Lisboa). A segunda foi em 1809 (Porto), e a terceira foi entre 1810 e 1811 (Lisboa).

1820-Revolução Liberal Portuguesa (Portugal, Lisboa)

1822-Publicação da Constituição de 1822

1822-Indepêndencia do Brasil (Brasil)

1826-Apresentação da Carta Constitucional de 1826 (Portugal, Porto)

1832-1834- Guerra Civil (Portugal, Porto)


PARTE H2

1.Relaccionar a instabilidade política com o atraso económico que se verifica em Portugal em meados do sec.XIX

O principal fator que impedia a modernização económica era a instabilidade política. Situações como as invasões francesas, a revolução liberal portuguesa, a guerra civil e até a instabilidade entre vintistas e cartistas abalaram profundamente o funcionamento normal do país.



2.Caracterizar a economia portuguesa em meados do sec.XIX

A nível económico merece referência o facto de Portugal em meados do sec.XIX continuar a ser um país exclusivamente rural com uma agricultura tradicional e pouco produtiva.Com exceção da produção vinícola. É certo que, com as reformas liberais, muitos burgueses investiam na compra de terras, mas não se interessavam pela revolução agrícola, sendo os progressos técnicos muito limitados. Assim não havia um mercado interno relevante.



3.Caracterizar o fontismo

O fontismo (acontecimento) ou regeneração(período) tinha o objetivo de recuperar o atraso de Portugal em relação à Europa Industrializada

















Vanessa d’Orey 9ºD Nº26 1/3




©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal