Escola estadual padre anchieta ensino fundamental



Baixar 0,93 Mb.
Página3/7
Encontro10.06.2018
Tamanho0,93 Mb.
1   2   3   4   5   6   7

1.5 - REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BRASIL. LDB 9394/96 Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, Brasília, 1996.


PPP - PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DA ESCOLA – CONSTRUÇÃO COLETIVA, Equipe Pedagógica e Professores. Escola Estadual Padre Anchieta – Ensino Fundamental . Barracão – PR, 2008.
REGIMENTO ESCOLAR. Escola Estadual Padre Anchieta – Ensino Fundamental . Barracão – PR, 2008.
SEED. Secretaria de Estado da Educação, DCEs - Diretrizes Curriculares de Arte para o Ensino Fundamental. Curitiba, PR. Imprensa Oficial, 2008.
__________________________________ Cadernos Temáticos - História e Cultura Afro-Brasileira e África. Curitiba, Pr. Imprensa Oficial. 2006.
SEED. Secretaria de Estado da Educação, LDP – Livro Didático Público. Arte Ensino Médio Curitiba, Pr. 2006.
2 - PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR DE CIÊNCIAS
2.1 - APRESENTAÇÃO GERAL DA DISCIPLINA
A disciplina de Ciências tem como objeto de estudo o conhecimento científico que resulta da investigação da natureza. Entende-se por Natureza o conjunto de elementos integrados que constitui o Universo em toda sua complexidade. Nesse sentido cabe ao ser humano a função de interpretar racionalmente os fenômenos observados na Natureza, resultantes das relações entre elementos fundamentais como tempo, espaço, matéria, movimento, força, campo, energia e vida.

A história da ciência se constrói a partir da evolução do pensamento do ser humano. Historicamente a Ciência foi determinada pela forma como o homem expressa seu conhecimento sobre o mundo, pois, foi a partir da observação e da relação do homem com a natureza que a Ciência passou a se fazer presente na humanidade, porém de forma não sistematizada. A relação do homem com a Natureza dá-se em função da busca de condições mais favoráveis de sobrevivência, consequentemente essa interferência possibilita incorporar experiências, técnicas, conhecimentos e valores produzidos na coletividade e transmitidos culturalmente. Nessa direção, a cultura, o trabalho e o processo educacional asseguram a elaboração e a circulação do conhecimento, estabelecem novas formas de pensar, de dominar a Natureza, de compreendê-la e se apropriar dos seus recursos.

A utilização do método científico forneceu ao ser humano os recursos necessários para a dominação cada vez mais eficaz da Natureza, sendo que, esta dominação se perpetua e se estende não apenas através da tecnologia, mas enquanto tecnologia, e esta garante a legitimação do poder político em expansão que absorve todas as esferas da cultura. Estudos indicam que a sistematização do conhecimento científico evolui pela observação de regularidades percebidas na Natureza, o que permitiu sua apropriação por meio da compreensão dos fenômenos que nela ocorrem. Tal conhecimento proporciona ao ser humano uma cultura científica com repercussões sociais, econômicas, éticas e políticas.

Conceituar Ciência requer cuidado epistemológico, pois para conhecer sua real natureza faz-se necessário investigar a história da construção do conhecimento científico. No entanto, alguns estudiosos a definem como: um conjunto de teorias, leis, modelos que visam ao conhecimento de uma parcela da realidade mediante a utilização de uma metodologia especial ( método científico); a ciência não revela a verdade, mas propõe modelos explicativos a partir da aplicabilidade de método(s) científico(s). Nesse sentido, refletir sobre Ciência implica em considerá-la como uma atividade humana complexa, histórica e coletivamente construída, que sofre constantemente a influência do contexto social, histórico, político, econômico, ético e cultural em que está inserida. Vale salientar que os trabalhos científicos não são obras de gênios solitários e como toda a construção humana está em permanente transformação, deste modo não podem ser aceitas como completas e definitivas.

Nessa perspectiva, pode-se afirmar que a história da ciência está ligada ao conhecimento científico e também às técnicas pelas quais esse conhecimento é produzido, as tradições de pesquisa que o produzem e as instituições que as apoiam. Nessa direção, vale ressaltar a importância de compreender o passado da ciência, ou seja, as diferentes formas de pensar sobre a natureza, interpretá-la e compreendera nos diversos momentos históricos.

No contexto do ensino de ciências, Gaston Bachelard ( 1884 – 1962 ), contribuiu de forma significativa com reflexões voltadas à produção do conhecimento científico apontando caminhos para a compreensão de que na ciência, rompe-se com modelos científicos anteriormente aceitos como explicações para determinados fenômenos da natureza. Nesse sentido, o aspecto descontínuo da validade dos modelos científicos podem ser observados, nos seguintes exemplos: a superação do modelo geocêntrico pelo heliocêntrico; a substituição do modelo organicista pelo modelo dos sistemas para explicação das funções do corpo humano; a superação das ideias de criação pela teoria da evolução; a refutação da teoria do calórico pelas noções de energia; detecção da existência do éter e a afirmação da constituição e conservação da matéria; a dualidade onda partícula da luz e do elétron; a transição da mecânica newtoniana para a relativística e outras.

Nesse contexto, as Diretrizes Curriculares de Ciências para o Ensino Fundamental, estabelecem os Conteúdos Estruturantes, como sendo um campo de conhecimentos necessários para que ocorra a compreensão de seu objeto de ensino e estudo. Propõe-se que, em sala de aula, o professor trabalhe com os cinco Conteúdos Estruturantes ( Astronomia, Matéria, Sistemas Biológicos, Energia, Biodiversidade)em todas as séries. Para tanto, faz-se necessário que os conteúdos sejam desdobrados em uma seleção de conteúdos básicos que possibilitem o envolvimento de conceitos científicos essenciais para a compreensão das especificidades de cada um dos conteúdos estruturantes e para a compreensão do objeto de estudo da disciplina de ciências. Para que se possa atender aos interesses regionais e aos avanços na produção do conhecimento científico, sugere-se que em seu Plano de Trabalho Docente o professor de Ciências promova o desdobramento dos conteúdos básicos em conteúdos

específicos.


CONTEÚDOS_6º_Ano'>2.2 - CONTEÚDOS
6º Ano


CONTEÚDOS

ESTRUTU

-RANTES

CONTEÚDOS

BÁSICOS

1º BIMESTRE CONTEÚDOS

ESPECÍFICOS

BIMESTRE

CONTEÚDOS

ESPECÍFICOS

3º BIMESTRE

CONTEÚDOS

ESPECÍFICOS

4º BIMESTRE

CONTEÚDOS

ESPECÍFICOS

Astronomia


-Universo

-Sistema solar

-Movimentos celestes

-Movimentos terrestres

-Astros


-Planeta Terra e suas regiões: litosfera, hidrosfera e atmosfera.

-Definição de Biosfera.




-Movimentos de rotação e translação dos planetas

constituintes do sistema solar.

-Planeta Terra por fora e por dentro: crosta, manto e núcleo

- Placas tectônicas

- Terremotos e vulcões

- Origem da Terra

- Rochas e minerais

- Conceito de matéria

- Átomo

- O solo: como o solo se formou, componentes do solo, tipos de solos.



- Minerais e minérios




-A origem do universo.

-Características dos corpos celestes.

-Movimento de rotação e translação.


Matéria

Constituição da matéria




-Terra: atmosfera, crosta, solos, rochas, minerais, manto e núcleo.

- Fósseis e sua relação com a produção de energia não renovável.

. combustíveis fósseis, recursos naturais renováveis e não renováveis, fontes renováveis de energia, energia nuclear.


-Água: composição da água e fundamentos teóricos

( estados físicos: pressão e vasos comunicantes).

-Água e sáude.

-Água como solvente.

-Soluto

-Reações quimicas e sua relação com o tratamento da água.



-Composição do ar.

-Camadas atmosfericas.

Propriedades do ar.

Sistemas Biológicos


Níveis de Organização celular



-Células partes fundamentais.

-Níveis de organizaçãdo corpo humano



- O ciclo da água, oxigênio e nitrogÊnio.

-O ciclo da água.

-A água e a saúde humana.



- O ar e a saúde humana.

Energia


Formas de energia

Conversão de energia

Transmissão de energia


-O alimento como forma de energia para os seres vivos;

-Cadeia alimentar;

-Fotossíntese;

-Produtores e consumidores;







-Mudanças de estados fisicos da água e sua relação com a temperatura.

- Água e energia.






Biodiversidade



Organização dos seres vivos

Ecossistema

Evolução dos seres vivos


-Ecologia: o que é Ecologia; Termos utilizados em Ecologia.

-População comunidade e ecossistema.















7º Ano


CONTEÚDOS

ESTRUTU

-RANTES

CONTEÚDOS

BÁSICOS

1º BIMESTRE CONTEÚDOS

ESPECÍFICOS

2º BIMESTRE

CONTEÚDOS

ESPECÍFICOS

3º BIMESTRE

CONTEÚDOS

ESPECÍFICOS

4º BIMESTRE

CONTEÚDOS

ESPECÍFICOS

Astronomia


Astros


Movimentos terrestres

Movimentos celestes



- Planeta Terra primitivo;

- Eclipses, estações do ano,

Sol: composição e produção de energia.

Influência do sol no clima.





Matéria

Constituição da matéria


Definição de matéria;

Átomo e elemento químico.







Processo evolutivo da Terra e sua atmosfera.





Sistemas biológicos


Célula


Morfologia e fisiologia dos seres vivos.

Teoria celular.

Diferenciação celular. (animal e vegetal).




Reprodução sexuada e assexuada.

Classificação dos seres vivos em cinco reinos –características.

Reino Fungi;

Reino Monera;

Reino Protista;


Classificação dos seres vivos em cinco reinos –características.

Reino Animal;



Classificação dos seres vivos em cinco reinos –características.

Reino Vegetal;



Energia

Formas de energia

Transmissão de energia



Respiração celular.

Fotossíntese;



- Sol: composição e produção de energia







Biodiversidade

Origem da vida

Organização dos seres vivos

Sistemática



Níveis de organização dos seres vivos;

Teorias da Biogênese e Abiogenese.

Taxonomia.

Eras Biológicas.



Teorias evolutivas.


A Evolução da espécie humana.


Biomas.




8º Ano

CONTEÚDOS

ESTRUTU

-RANTES

CONTEÚDOS

BÁSICOS

1º BIMESTRE CONTEÚDOS

ESPECÍFICOS

2º BIMESTRE

CONTEÚDOS

ESPECÍFICOS

3º BIMESTRE

CONTEÚDOS

ESPECÍFICOS

4º BIMESTRE

CONTEÚDOS

ESPECÍFICOS

Astronomia



Origem e evolução do universo



- Origem e evolução do universo

- Fundamentos da classificação cosmológica ( galáxias, estrelas, planetas, asteróides, meteoros...)







Matéria


Constituição da matéria



- Matéria, energia e suas transformações-átomo;substânvia química; transformações químicas e transformações da energia.

- Transformações de substâncias complexas em substâncias simples.






Sistemas biológicos


Célula


Morfologia e fisiologia dos seres vivos

- Célula: morfologia e fisiologia das organelas celulares

Estrutura e funcionamento dos tecidos, órgãos e sistemas.

Sistema digestório.

Sistema respiratório.

Sistema cardiovascular.



Estrutura e funcionamento dos tecidos, órgãos e sistemas.

Sistema urinário.



Estrutura e funcionamento dos tecidos, órgãos e sistemas,(reprodutor, urinário.

Sistema nervoso.

Sistema endócrino.

Sistema reprodutor.


Energia

Formas de energia


- O alimento como fonte de energia.










Biodiversidade




Evolução dos seres vivos



- Evolução e teorias evolutivas.

A Evolução da espécie humana.









9º Ano


CONTEÚDOS

ESTRUTU

-RANTES

CONTEÚDOS

BÁSICOS

1º BIMESTRE CONTEÚDOS

ESPECÍFICOS

2º BIMESTRE

CONTEÚDOS

ESPECÍFICOS

3º BIMESTRE

CONTEÚDOS

ESPECÍFICOS

4º BIMESTRE

CONTEÚDOS

ESPECÍFICOS

Astronomia


Astros


Gravitação universal


Leis de Kepler e Newton.





O movimento com velocidade constante.

Atração gravitacional.




Eletricidade e magnetismo.(raios e trovoes)

Matéria


Propriedades da matéria




Propriedades gerais e específicas da matéria.

Átomos e moléculas.

As mudanças dos estados físicos.

O elemento químico e sua organização.



Classificação periódica.

Ligações Químicas.

Substâncias e misturas.

Funções Químicas.

Reações Químicas.


Movimento com aceleração.


- Carga e corrente elétrica.

Sistemas biológicos


Morfologia e fisiologia dos seres vivos

Mecanismos de herança genética








- Calor e a temperatura corporal.

Ondas e o sons. (sentidos).

Impulsos elétricos e o sistema nervoso.


Energia

Formas de energia

Conservação de energia






A energia Química e Física.

Química dos alimentos: glicidios, lipidios e proteinas.



Força.

Trabalho e energia.




- As ondas e o som.

Biodiversidade



Interações Ecológicas









- Transmissão de calor e sua relação com o ambiente.






2.3 - ENCAMINHAMENTOS METODOLÓGICOS:
A abordagem metodológica dos conteúdos de Ciências privilegia a relação entre os conteúdos estruturantes, básicos e específicos. Nesse sentido é fundamental a utilização de metodologias diferenciadas para que a aprendizagem torne-se significativa.

A abordagem problematizadora dos conteúdos permite a valorização dos conhecimentos alternativos dos alunos, sendo que estes poderão ser utilizados como ponto de partida para a construção do conhecimento sistematizado.

A relação interdisciplinar e contextual possibilita ao aluno envolver no processo de aprendizagem conceitos de outras disciplinas bem como questões tecnológicas, sociais, culturais, éticas e políticas. É importante ressaltarmos que nos encaminhamentos metodológicos dos conteúdos será contemplado a historicidade da ciência, proporcionando ao aluno uma visão do processo histórico da construção do conhecimento cientifico em seus diferentes contextos.

Outros recursos pedagógicos como, por exemplo, a pesquisa, a leitura científica e as atividades experimentais constituem-se em excelentes estratégias de ensino para que o aluno tenha a oportunidade de sistematizar ideias, apropriar-se de conceitos científicos com maior grau de profundidade e interessar-se por situações investigativas para a formação e compreensão de conceitos.

Salienta-se também, que ao desenvolver atividades em sala de aula, o processo de ensino-aprendizagem poderá ser melhor articulado mediante a utilização de recursos pedagógicos e tecnológicos como, por exemplo, microscópio, tv multimídia, diagramas em V, mapas conceituais e outros, que poderão enriquecer significativamente a pratica docente.

2.4 - AVALIAÇÃO

A ação avaliativa é importante no processo de ensino-aprendizagem, pois pode propiciar um momento de interação e construção de significados, no qual o estudante aprende. Avaliar implica intervir no processo ensino-aprendizagem do aluno, no sentido de verificar se houve a apreensão do real significado dos conteúdos científicos escolares e do objeto de estudo de Ciências.

Para tanto, a avaliação deve ser contínua e cumulativa, isto é, ocorrer durante o desenvolvimento das atividades de ensino/aprendizagem trabalhadas em sala de aula, com prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos.

A avaliação se dará mediante a utilização de instrumentos avaliativos diversificados como: provas (sendo estas práticas, discursivas e objetivas), produção de textos e atividades (tendo como critério avaliativo, experimentos, temas de casa, mapas conceituais, diagramas e tabelas), pesquisa bibliográfica e trabalho em grupo e individual (apresentação oral, cartazes, debates, pesquisa e exposição), para que dessa forma, se possa diagnosticar se de fato houve a compreensão significativa dos conceitos científicos trabalhados em sala de aula, sendo que os conteúdos não apropriados pelos alunos serão retomados paralelamente, para oportunizar aos mesmos uma melhor compreensão dos conceitos estudados, para tanto utilizar-se-ão metodologias diversificadas.

Partindo dessas considerações, a avaliação no ensino de ciências pressupõe uma intervenção no processo ensino-aprendizagem para que o estudante compreenda o real significado dos conteúdos cientificos escolares e do objeto de estudo de ciências, visando uma aprendizagem significativa para sua vida.

O registro das avaliações e a recuperação paralela se efetivarão de acordo com o Regimento Escolar e PPP (Projeto Político Pedagógico) da Instituição.

Na medida em que surgirem as necessidades de adaptações curriculares, estas ocorrerão frente às dificuldades de aprendizagem dos alunos. Serão realizadas na organização dos conteúdos, encaminhamentos metodológicos, objetivos e avaliação escolar, numa perspectiva inclusiva, oferecendo igualdade de oportunidades de aprendizagem.



1   2   3   4   5   6   7


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal