DistribuiçÃo espacial e temporal de portunus spinimanus latreille, 1819 (crustacea, brachyura, portunidae) na baía de guanabara, rj – dados preliminares



Baixar 118,21 Kb.
Encontro18.08.2017
Tamanho118,21 Kb.

DADOS BIOMÉTRICOS DO SIRI Portunus spinimanus Latreille, 1819 (Crustacea, Brachyura, Portunidae) na Baía de Guanabara, RJ
Rodrigues, I.B.1*, Carvalho-Cunha, P.1; Lavrado, H.P.1
1 Universidade Federal do Rio de Janeiro – Departamento de Biologia Marinha, Laboratório de Benthos – CCS, Ilha do Fundão, RJ. * ianabr@terra.com.br
RESUMO

O siri Portunus spinimanus é uma espécie de importância comercial na Baía de Guanabara. O presente trabalho tem por objetivo determinar relações morfométricas da espécie, bem como sua distribuição nas diferentes áreas da baía. Para a coleta, foram realizados arrastos quinzenais em cinco áreas da baía, entre julho de 2005 e julho de 2006. Um total de 288 indivíduos foi coletado, podendo-se observar maiores valores de densidade média na primavera e outono. Indivíduos com maior largura de carapaça foram coletados na área 4, enquanto os de menor tamanho foram coletados predominantemente na área 5, próxima à Ilha do Fundão. Em relação às freqüências de tamanho, as maiores foram registradas entre 65 e 85 mm de largura de carapaça. Foi observada aparente isometria para machos e ligeira alometria positiva para fêmeas, diferente do que foi observado na literatura, que registrou valores de alometria positiva também para machos.



Palavras chave: biologia populacional, Decapoda, sistema estuarino

INTRODUÇÃO

Decápodes são encontrados, frequentemente, em ecossistemas estuarinos, sistemas que geralmente apresentam uma grande variabilidade ambiental. Sua importância ecológica reside nas atividades de bioturbação, predação do macrobentos, no fato de serem organismos detritívoros ou carniceiros e de servirem de presa para o necton demersal (Day et al., 1989).

A Baía de Guanabara é um ecossistema estuarino, no qual sua qualidade de água não é uniforme, diferindo de local para local, dependendo dos padrões de circulação e focos de poluição. Esse padrão gera condições de maior salinidade em direção à boca da baía e um aumento dos níveis de poluição em direção às regiões internas (JICA, 1994). Apesar disso, ela ainda abriga espécies de relevante importância econômica, como é o caso do siri Portunus spinimanus, conhecido popularmente como siri-candeia.

Desde 2005, espécies de braquiúros têm sido estudadas dentro do projeto “Avaliação Ambiental da Baía de Guanabara”, coordenado pelo CENPES/PETROBRAS, que se propõe a caracterizar a biota da baía, gerando séries temporais das principais espécies. O presente trabalho tem como objetivo específico o de determinar relações morfométricas da espécie, bem como sua variação temporal na baía.



MATERIAIS E MÉTODOS

Para a coleta, foi utilizada uma traineira, com rede de arrasto de porta e malha de 20mm no saco e com a qual foram realizados arrastos quinzenais, com duração de 30 minutos, em cinco áreas da baía com diferentes níveis de salinidade e graus de eutrofização, entre julho de 2005 e julho de 2006:



Área 1: Atrás da Ilha do Governador. Alto grau de deterioração, recebe diversas fontes de poluição, bastante assoreada.

Área 2: Próxima à Ilha de Paquetá. Recebe influência da APA de Guapimirim, área de manguezais preservados.

Área 3: Próxima ao canal central de circulação. Área com boas condições ambientais.

Área 4: Próxima à entrada da baía. Sujeita à influência oceânica, mas recebe fontes pontuais de poluição orgânica.

Área 5: Próxima à Ilha do Fundão. Deteriorada, recebe diversas fontes de poluição. Bastante aterrada.

Em laboratório, os exemplares foram medidos quanto à largura de carapaça, pesados e separados por sexo e estágio de desenvolvimento.



RESULTADOS E DISCUSSÃO

Um total de 288 indivíduos foi coletado, com as maiores abundâncias ocorrendo na primavera-verão e no início do outono (Fig.1). Apesar de Portunus spinimanus ser considerada uma espécie de baixa tolerância às variações de salinidade (Santos et al., 1994), uma grande quantidade de indivíduos foi coletada em épocas de maior incidência de chuvas, que no período estudado, ocorreram entre novembro/2005 e janeiro/2006..



Fig. 1: Variação temporal da densidade (± erro-padrão) da abundância de P.spinimanus


Em relação aos dados biométricos, indivíduos com maior largura de carapaça foram encontrados na área próxima à entrada da baía (área 4), enquanto os de menor tamanho foram coletados, em maior número na área 5, próxima à Ilha do Fundão, local onde se abrigam juvenis (Fig. 2), sendo provavelmente um local utilizado como berçário para a espécie, apesar de suas condições ambientais.

Fig. 2: Variações das medidas de largura média da carapaça (LC ± erro-padrão) de P. spinimanus nas diferentes áreas da baía

Comparando-se machos e fêmeas, observou-se que um grande número de fêmeas possui tamanhos entre 65 e 80mm de largura de carapaça (Fig. 3A), enquanto os machos apresentam dois picos de freqüência: um entre 25 e 40 mm e outro entre 70 e 90mm (fig. 3B), refletindo uma maior incidência de indivíduos jovens. Entretanto, para ambos os sexos, em geral, a moda ficou entre 75 e 80mm.

A relação peso-comprimento tem sido estudada para estimar o peso de um exemplar através do conhecimento de sua largura, sendo empregado em estudos de dinâmica populacional e avaliação de estoques (Branco et al., 2002). Na Baía de Guanabara, Portunus spinimanus apresentou isometria para machos (3,05) e ligeira alometria positiva para fêmeas (3,08), em discordância com dados obtidos por com Santos et al (1995), onde machos da espécie apresentaram alometria positiva (3,33).




A B
Fig. 3: Distribuição de freqüência absoluta da largura das carapaças de fêmeas (A) e machos (B) de Portunus spinimanus. Os números indicam o limite superior de cada intervalo de classe de tamanho.

CONCLUSÃO

A maior incidência de indivíduos jovens na área próxima ao Fundão, indica o uso de tal local como berçário para espécie. Machos de P. spinimanus atingem maiores tamanhos que fêmeas, apesar de apresentarem padrões de crescimento não muito distintos. A diferença nas relações de peso-comprimento de machos observadas, no presente estudo, em relação aos dados da literatura, sugere diferenças populacionais da espécie de acordo com o ambiente que ocupam.



REFERÊNCIAS

BRANCO, J.O.; LUNARDON-BRANCO, M. J.; SOUTO, F. X. 2002. Estrutura populacional de Portunus spinimanus Latreille, 1819 (Crustacea, Portunidae) na Armação do Itapocoroy, Penha, SC. Revista Brasileira de Zoologia. Vol. 19, n. 3, p. 731-738.

DAY, J.; HALL, C. A. S.; KEMP, W. M.; YÁÑEZ-ARANCIBIA, A. 1989. Estuarine Ecology. New York, John Wiley and Sons, 558p.

JICA. Japan International Cooperation Agency. 1994. The study of recuperation of the Guanabara Bay ecosystem. Supporting Report, Tokyo, Kokusai Kogyo Co., Ltd, Vol. 1-4.

MELO, G. A. S. 1996. Manual de identificação dos Brachyura (caranguejos e siris) do litoral brasileiro. São Paulo: Plêiade/FAPESP, 604p.

SANTOS, S.; NEGREIROS-FRANSOZO, M.L.; NEGREIROS-FRANSOZO,A. 1994. The distribution of the swimming crab Portunus spinimanus Latreille, 1819 (Crustacea, Brachyura, Portunidae) in Fortaleza Bay, Ubatuba, SP, Brazil. Atlântica. Vol. 16, n.1, p. 125-141.



SANTOS, S.; M.L. NEGREIROS-FRANSOZO & C.R. PADOVANI. 1995. Relationship between the body weight and the carapace width of the swimming crab Portunus spinimanus Latreille, 1819 (Decapoda, Portunidae). Arquivos de Biologia e Tecnologia. Curitiba. Vol. 38, n. 3, p. 715-724.



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal