Disconzi da Silva,Rodrigo Choma,Ernani [A57]



Baixar 37,76 Kb.
Encontro27.09.2018
Tamanho37,76 Kb.

Xp 08
Disconzi da Silva,Rodrigo - Choma,Ernani [A57]

Curitiba – Memorial Alexandre Queiroz (6), 11.11.2007


Escolhi novamente uma partida minha, e que perdi, para dar continuidade em minha tentativa de mostrar alguns aspectos competitivos e psicológicos além das jogadas efetuadas no tabuleiro.Em primeiro lugar acredito ser sempre útil contextualizar a situação em que foi jogada a partida. Não para usar como desculpa para os erros cometidos, e sim para avaliar se as decisões foram corretas em relação ao contexto:- do torneio, - das ambições dos jogadores - da condição individual no momento da partida, entre outros aspectos...O ritmo de jogo era de 1 hora nocaute e a premiação desproporcional entre o primeiro lugar e as demais premiações. No meu entender, um empate estava fora de questão.
1.d4 Cf6 2.c4 c5 3.d5 b5
Ernani tem o Gambito Benko atado em seu repertório e raramente evita-o. Imagino que a maioria de nós, jogadores, tenhamos nossas aberturas prediletas. E estas aberturas tornam-se parte de nossa personalidade como jogadores.Tentar abalar as estruturas da abertura preferida do adversário sempre é uma tentativa válida, mas muito difícil de se conseguir.Aposto que se eu for estudar o gambito Benko de pretas, acharei que as pretas ficam um pouco piores sempre. E se for estudar com as brancas para enfrentá-lo, dificilmente conseguirei achar uma linha que dê vantagem satisfatória. Sempre surgirão variantes que não nos convencem, ou linhas tidas como boas mas que não são do nosso gosto.
4.Bg5
Trompowsky contra o Benko? Tendo cerca de 01 hora entre o sono e a rodada desta partida, decidi procurar alguma linha diferente para jogar desta vez. Lembro aqui que, apesar de escolher uma subvariante qualquer, eu já possuía alguns conhecimentos básicos de outras diversas variantes e da estrutura do Benko em si. Para quem não costuma enfrentar o Benko com freqüência, recomendo estudar as linhas principais, manobras típicas, finais temáticos recorrentes e planos básicos da abertura, antes de escolher a variante para enfrentá-lo.Em relação a Bg5, lembro da frase do GM inglês Nigel Short: "A variante escolhida não precisa ser muito boa, conquanto você saiba mais sobre ela do que seu adversário".

[Nosso último encontro havia sido curto... 4.Cf3 Da5+ 5.Bd2 b4 6.g3 d6 (Se 6...g6 7.Bh3!?) 7.Bg2 h6 (7...g6) 8.0–0 g5 9.Ce1! Apóia e4 e busca resolver a tensão na ala da dama com Cc2. 9...Bg7 10.a3 Ba6? Ernani esqueceu a casa f5... (10...Bf5! 11.f3 Bg6 12.e4 Da6 13.Cc2 brancas leve vantagem) 11.Cc2± Db6 12.axb4 Após este, a posição preta desmorona... 12...Bxc4 13.Ce3 Ba6 14.Cf5 Ops... 14...Bf8 (14...0–0 15.bxc5 Dxc5 16.Cxe7+ Rh8 17.Cf5+-; 14...Rf8 15.bxc5 Dxc5 16.Bc3+-) 15.bxc5 Dxc5 (15...dxc5 16.d6! Bb7 17.Ba5 Db5 18.dxe7 Bxe7 19.Cc3 Dd7 20.Bxb7 Dxb7 21.Bd8!!+- Cc6 22.Bxe7 Cxe7 23.Cd6+) 16.Txa6 Cxa6 17.Da4+ Cd7 18.Dxa6 Dc2 19.Tc1 1–0 Disconzi da Silva,R-Choma,E/Copa Positivo 2007]


4...d6 Após alguma reflexão, Ernani escolhe um lance neutro e aceita dobrar seus peões.
5.Cd2 [5.Bxf6 seria uma alternativa coerente, mas eu pretendia deixar a partida ainda tensa em relação à estrutura de peões.]
5...Da5!? Pretas jogam ativamente e procuram descoordenar o jogo branco. [Esperava que após d6 pretas seguissem com Cbd7 para manter a estrutura intacta. 5...Cbd7 6.e4 g6 7.Cgf3 Bg7 8.Bd3]
6.Dc2 Reforçando a idéia e4, protegendo b2 e c4.

[Procurei achar variantes que justificassem a tentativa de uma armadilha, mas não consegui. 6.Cgf3 Ce4? (6...bxc4! 7.Bxf6 gxf6 8.e3 Tg8 9.Dc2 f5 jogo pouco claro) 7.b4! Dxb4 8.Tb1 Da5 9.Txb5 Dc3 10.Tb3 Da5 11.Db1! Cxd2 (11...Cd7 12.Dxe4) 12.Bxd2±; não gostei de 6.Bxf6 gxf6 7.e4 Bg7 8.Dc2 f5 9.exf5 Ca6 e a atividade do Benko aparece com força.]


6...Cbd7 7.e4 bxc4
Aqui gastei certo tempo tentando encontrar formas de validar a manobra Ce2-c3 e Cxc4, que eu havia visto em algumas partidas da variante.
8.Bxc4?! Joguei este achando que era por falta de opção, já achando que minha abertura não havia saído conforme eu esperava. Mas na verdade foi preguiça ou falta de tenacidade. Deveria ter pensado um pouco mais e quem sabe acharia Cgf3.Uma das qualidades de um bom jogador é duvidar sempre das jogadas automáticas, como este Bxc4. [Não vi como adequar a idéia Ce2-c3 a esta posição. Estas tentativas de tentar usar as idéias estudadas é válida, mas não mpode nos cegar da realidade da partida em si ou nos fazer gastar tempo desnecessário no relógio.
8.Ce2 Ce5 9.Cc3 Ba6 10.f4 Cd3+ 11.Bxd3 cxd3 pretas leve vantagem;
Uma das idéias que eu conhecia, mas que não avaliei devido ao curto tempo disponível, era deixar para recapturar em c4 mais tarde. 8.Cgf3! Cb6 9.Be2 Ba6 10.0–0 Tb8 (10...g6? 11.Bxf6! exf6 12.Cxc4 Cxc4 13.Bxc4 Bxc4 14.Dxc4 Bg7 15.Cd4! f5 16.Cc6 Dd2 17.e5! dxe5 18.Dxc5+-) 11.b3!? brancas leve vantagem cxb3? 12.axb3+-]
8...Cb6?!

pretas não aproveitam a chance. Em b6 o cavalo está mais estável que em e5, mas bloqueia a coluna B e fecha o retorno da Da5. [Muito natural 8...Ce5! 9.Be2 (9.Ce2 Cxc4 10.Dxc4 Ba6 11.Dc3 Dxc3 12.bxc3 Tb8 pretas leve vantagem) 9...Tb8 10.h3 (10.f4 Ceg4 e a casa e3 está desprotegida.) 10...Bd7 11.f4 Cg6 e o Bg5 deixa as casas pretas do campo branco vulneráveis.]


9.Bd3 Ba6 Pretas seguem no piloto automático dos lances do Benko.
[A idéia de minar o centro branco é razoável, mas agora seria cedo, pois o rei preto ficaria exposto. 9...e6 10.Bxf6 gxf6 11.Ce2 exd5 12.exd5 Cxd5 13.Be4 Cb4 14.Dc3 Tb8 15.0–0 com jogo mais fácil para as brancas.; Resolveria de forma radical a tensão do Bg5 forçando a troca para optar pela captura de peão G. 9...h6!? 10.Bxf6 gxf6 11.Ce2! Bg7 (11...f5? 12.Cc3 fxe4 13.Bb5+ Bd7 (13...Cd7 14.Cc4 Dc7 15.Bc6±) 14.Cb3 Db4 15.a3+-) 12.Cc3 f5 13.exf5 Bb7 14.Cb3 Db4 15.a3 Dg4 jogo pouco claro]
10.Cgf3 Agora fiquei tranquilo, pois o roque alivia a chata cravada da Da5.
10...Cfd7 Pretas preferem proteger sua estrutura.
[10...g6 11.Bxf6 exf6 12.0–0 Bg7 13.Bxa6 Dxa6 14.a4! para dominar c4 14...0–0 15.a5 Cd7 16.Cc4 brancas leve vantagem; parece perigoso ceder d4 e abrir a posição com o rei preto preso no centro 10...c4 11.Be2 Tc8 12.Cd4 c3 13.bxc3 Txc3 14.Dd1]
11.0–0 g6 Jogado rapidamente, provavelmente sem se dar conta do perigo que corre a dama preta. Este tipo situação, que aparenta falta de consideração com a posição, costuma ter efeito nocivo na minha forma de conduzir as partidas. Fica na cabeça a frase ou imagem: "Como posso perder para quem não está nem aí para o que está acontecendo na partida?" Na verdade todos cometem erros, e não podemos reclamar se nossos adversários os cometem...cabe-nos aproveitar da melhor maneira e não reclamar da falta de sorte (ou capacidade) por não ganhar rápido.
12.a4 As posições logo após completar o desenvolvimento sempre são importantes. Pretas ainda preciam de 2 lances para atingir esta meta. Decidi tentar incomodar a dama preta ou causar problemas com ações que desviem a atenção das pretas..

[Não vi 12.Bxa6 Dxa6 13.Dc3 mas parece não ser nada demais para as pretas resolverem 13...f6 14.Be3 Bg7 15.a4 Tb8 16.a5 Ca8 17.Cc4 Cc7 jogo pouco claro]


12...Bg7

[12...Bxd3 13.Dxd3 Bg7 14.Tfb1 e o Bg5 cumpre a função de atrapalhar o roque preto...]


13.Tfb1! Criando temas de b4 ou somente para defender b2.
[13.Bxa6 Dxa6 14.a5 (14.Tfe1!?) 14...Cc8 15.Cc4 brancas leve vantagem Brancas ganham espaço mas pretas podem rocar graças ao desengonçado Cc8.]
13...Bxd3

[Perderia a dama 13...Ce5? 14.Cxe5 Bxe5 15.b4 Bxd3 16.Dxd3 cxb4 17.Cb3+-]


14.Dxd3 c4?

Pretas sentem-se incômodas e preferem entregar um peão para aliviar a barra da dama preta. [melhor manter a calma 14...Tc8 15.De2!? brancas leve vantagem (15.b4? cxb4 16.Cb3 Cc5–+) ]


15.Cxc4 Db4 16.Cxb6! simples e eficiente 16...axb6
[16...Cxb6 17.Bd2 Dc4 18.Dxc4 Cxc4 19.Bc3 Bxc3 20.bxc3 0–0 21.Tb7+-]
17.Bd2
[Decidido a jogar Bd2, nem cogitei a excelente oportunidade pouco natural de dobrar os peões, mas com a vantagem de ganhar a coluna A. 17.Db5! Dxb5 (17...Dc5 18.Tc1!) 18.axb5 Txa1 (18...Tb8 19.Ta7+-) 19.Txa1 f6 20.Be3 Rf7 21.Ta7 Cc5 22.Cd4+-]
17...Cc5 Única jogada 18.Df1!? Tão otimista que estava com a posição, já estava achando que ganharia novamente com miniatura. Esta sensação pode ser agradável, mas tem o efeito sedativo e pode causar cegueira.
[Vi mas achei desnecessário simplificar, visto que numa partida de 1 hora nocaute era melhor procurar causar o máximo de problemas ao adversário para que ele gaste tempo no relógio. 18.Bxb4 Cxd3 19.Bc3 Bxc3 (19...0–0 20.Bxg7 Rxg7 21.b4±) 20.bxc3 Cc5 na verdade parei por aqui as análises e, mesmo achando que seguia melhor, poderia dar azar e chegar numa posição de resistência para as pretas. 21.Txb6 Cxe4 22.c4 0–0 23.Cd4+-]
18...Dxe4 19.Db5+ Rf8
[Era possível 19...Cd7 20.Dc6 Td8 21.Bc3!? Bxc3 22.bxc3 0–0 23.Te1 Df4 24.Txe7 Cf6 25.c4±]
20.Dc6 Te8 Nesta altura começo a ficar apreensivo, pois sabia que possuía vantagem mas que não era fácil ganhar a partida, simplesmente. Pretas iriam logo resolver seu problema com o rei e suas torres iriam começar a jogar. Precisava decidir entre atacar o rei preto ou tentar fazer dama. Decidi por atacar o rei, pois atrapalharia o plano preto de evacuação...
21.Te1? Muito automático. Havia resolvido alguns problemas de forma razoável até aqui...poderia seguir caprichando e não deixar a mão guiar as peças por conta própria.
[Instintivamente acreditava que o certo seria jogar com os peões..mas decidi sem calcular variantes...erro grave e que deixa a partida ser levada pelas ondas... 21.b4 Cd3 (21...Bxa1? 22.Txa1 Cb3 23.Bh6++-) 22.Bc3 Bxc3 23.Dxc3 Rg8 24.Td1 Cf4 25.Rh1±;
Nem cogitei em abrir caminho para a oitava fila, que une os planos e ataque ao rei e tentar passar um peão na ala da dama.

21.a5! bxa5 22.Te1 Df5 23.Txa5 Bxb2? 24.Ta8+-]


21...Df5 22.Ta3? Jogado na "vontade" de atacar, imaginando Te3 ou Tf3 num futuro próximo... Também falhei em resumir minha avaliação com algo do tipo" e aqui devo ter ataque", como se atacar por si só fosse alguma vantagem consumida... Sempre que traçarmos planos com mais de 3 lances, devemos conferir bem nossos cálculos...Neste caso, não conferi quase nenhum lance à frente!
[22.Dxb6 Dxd5 23.Be3 Bf6 e não sabia ao certo como continuar; 22.a5!? Bxb2 23.Ta2 Bf6 24.axb6 Rg7 25.b7 Tb8 26.Ta7 e também é difícil vencer.; poderia ser mais decente 22.Bc3!? Bxc3 23.bxc3 Rg7 24.Cd4 Dg5 25.Te3 brancas leve vantagem]
22...Bxb2! Ops...as pretas podiam se dar ao luxo de gastar um tempo para pegar este peão? Sim , podiam, pois ameaçam Rg7...
23.Bh6+
[Aturdido, nem notei que poderia realmente tentar atacar com o inesperado, mas lógico 23.Ce5!? Rg7! (23...Bxe5 24.Txe5! Dd7! 25.Bh6+ Rg8 26.Te1 e5! jogo pouco claro; 23...Bxa3?? 24.Bh6+; 23...Tc8? 24.Bh6+ Rg8 25.Tf3 Bxe5 26.Txf5 Txc6 27.Tfxe5 dxe5 28.dxc6+-) 24.Tf3 Dxe5 25.Txe5 Bxe5 26.Th3 h5 27.Ta3 jogo pouco claro]
23...Bg7 24.Bg5 Bf6 Decidido a não empatar, resolvo arriscar. A história da partida se encaminhava para um final feliz para as brancas, só esqueci que as pretas também escrevem o roteiro! 25.Bh6+ [25.Bxf6 Dxf6 26.Dxb6 Rg7 jogo pouco claro] 25...Bg7 26.Be3 [26.Bg5=] 26...Tc8 27.Dxb6 Dxd5 28.a5 h6

Dentro do possível, pretas conduziram muito bem a partida após cometerem o erro no lance 14. Agora ameaçam Rg8-Rh7.


29.Da7?! Após gastar tempo considerável após 22.Ta3? , tinha 5 minutos contra 15 e a posição preta só tem a melhorar...Aqui joguei a toalha, não tive forças pra seguir lutando e fiquei mais chateado por perder o rumo da partida do que por perdê-la.
[29.a6 Bf6 (29...Rg8 30.Bxc5 Dxc5 31.Dxc5 dxc5 32.a7 Ta8 33.Txe7) 30.a7 (30.Db4 Rg7 31.Bd4 e5 pretas com vantagem) 30...Rg7 31.Db4 pretas leve vantagem]
29...Bf6 30.Bd4?? Bxd4 31.Cxd4 Dxd4 32.Dxe7+ Rg7 33.Tf3 Thf8–+ e abandonei alguns lances depois.
Conclusão: Não se deve jogar pensando mais no resultado do que nos próximos lances.Manter a atenção e o nível de concentração durante a partida toda.Procurar aproveitar a partida de forma divertida e manter o interesse nela e no que o adversário está tentando fazer (mesmo que seja sobreviver!).Não desanimar só porque alguma coisa deu errado ou a vitória tornou-se difícil...melhor tentar empatar do que entregar a luta. 0–1



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal