Digo ao Senhor: Vós sois o meu Senhor, sois o meu bem…Ensinar-me-eis o caminho da vida; na vossa presença gozamos a plenitude da Alegria”



Baixar 264,67 Kb.
Encontro09.07.2018
Tamanho264,67 Kb.






Caminhada Advento - Natal

Diocese do Porto

2014 / 2015

Mensagem de Abertura

Digo ao Senhor: «Vós sois o meu Senhor, sois o meu bem…Ensinar-me-eis o caminho da vida; na vossa presença gozamos a plenitude da Alegria” (Salmo 16, 2-11)

Saúdo-vos, amados diocesanos, com as palavras do salmo 16 para que sintamos a presença de Deus no coração da nossa vida, no aconchego das nossas casas e no dinamismo da nossa missão. Convido-vos para a missão de levar a alegria do evangelho a cada casa e a cada família da nossa Diocese.

Iniciamos o ano pastoral 2014-2015 na Diocese do Porto, a 9 de setembro, na Sé, em dia solene da dedicação da Catedral. Alguns dias depois, a 15 de setembro, alegrámo-nos ao celebrar 150 anos do Seminário Maior de Nossa Senhora da Conceição. Um mês depois, de 17 a 19 de outubro, congregávamo-nos em Colóquio Internacional e em Celebração jubilar da Eucaristia também a partir do Seminário e da Sé para celebrarmos 900 anos da restauração da Diocese e da construção do Cabido Portucalense.

Num e noutro lugar anunciei o desejo pastoral de irmos irradiando por todas as comunidades cristãs, movimentos apostólicos, instâncias de corresponsabilidade pastoral e serviços diocesanos esta consciência de sermos uma só Igreja Diocesana, unida e em comunhão de pessoas, de famílias, de ministérios, de dons e de serviços.

Anima-nos neste desejo a firme convicção de que por este caminho passa o sonho de Deus para a nossa Diocese e aqui se encontra a alegria do evangelho de que queremos fazer nossa missão.

Apresentei à Diocese o lema para este ano pastoral: “A alegria do evangelho é a nossa missão”, que queremos motivador das pessoas, mobilizador das comunidades e unificador de tantas e tão belas iniciativas, a inspirar caminhos, propor objetivos, indicar estratégias e desenhar atividades de ação pastoral dirigidas a toda a Diocese.

Temos presente que este ano pastoral se desenvolve entre dois momentos marcantes do Sínodo extraordinário e ordinário sobre “os desafios pastorais da Família no contexto da evangelização”.

É neste sentido de programação pastoral para este ano e neste horizonte de missão, sem perturbar nada de quanto ao nível das paróquias, das vigararias ou dos serviços diocesanos e movimentos apostólicos já estava planeado ou decidido, que venho apresentar a Caminhada de Advento – Natal, sob o lema: “Uma Casa para a alegria do Evangelho”.

Inscreve-se esta Caminhada no mesmo espírito que deve inspirar o rumo e afirmar os objetivos do Ano pastoral em curso. Preside a esta iniciativa o desejo de que seja uma oportunidade de nos centrarmos na vivência do Advento e do Natal como momentos maiores de levarmos às famílias a “alegria do evangelho”.

Queremos viver o tempo novo do Advento - Natal 2014/2015 impregnado do dinamismo, do encanto e da alegria do evangelho. Desejamos rezar, refletir e agir em Igreja diocesana, inseridos e interventivos nas paróquias e nas vigararias da nossa Diocese. Temos, cada um de nós e cada uma das nossas famílias, um lugar próprio e um desafio novo ao assumirmos a alegria do evangelho como missão.

Preparada pelo Secretariado Diocesano da Pastoral Familiar, a quem agradeço desde já toda a disponibilidade desde logo manifestada ao acolher o meu convite e todo o entusiasmo ao compreender o propósito de elaborarmos uma única Caminhada para a Diocese, assumida por igual por todas as Paróquias, Vigararias, Secretariados Diocesanos e Movimentos Apostólicos.

Trata-se de uma Caminhada a que está subjacente esta intenção de estender a cada família no seu todo e a cada comunidade, entendida como família de famílias, este imperativo mobilizador que nos convoca para a missão. Queremos ser como família e como comunidade: “Casa” aberta, disponível e acolhedora da “alegria do Evangelho”.

É mais um passo que damos neste caminho e um degrau que subimos nesta escalada de compromisso de criarmos uma consciência diocesana em que uma proposta pastoral por mais simples que seja possa ser acolhida e experienciada por cada um de nós, pelas nossas famílias e pelas comunidades cristãs.

Esta Caminhada destina-se a todos, desde a catequese das crianças, à animação dos grupos de jovens, à celebração dos mistérios da fé e dos sacramentos, à formação cristã dos adultos e à afirmação do serviço da caridade junto dos doentes, dos que vivem ausentes ou distantes da Igreja e daqueles que passam por momentos de dor ou de provação.

Ao apresentarmos o que a todos nos uniu na elaboração desta proposta estou certo de que a todos unirá também na sua realização, nas famílias e nas comunidades paroquiais.

O Advento e o Natal são um mesmo tempo litúrgico, forte na tradição da Igreja e pleno de sentido, desde logo pelas propostas litúrgicas que lhe estão associadas. Não é possível elaborar itinerários que não partam do mistério, que somos convidados a celebrar – a Encarnação do Verbo – e que não se desenvolvam a partir do sentido da Palavra de Deus, que somos convidados a rezar e a integrar na vida.

De toda a Palavra de Deus importa sublinhar aquela que escutamos na Eucaristia: porque o centro da vida dos cristãos é a Eucaristia e assim o deve ser também o centro da vida das nossas famílias e das nossas comunidades.

Servem-nos igualmente de guia ao longo desta Caminhada Advento – Natal os objetivos propostos pelo Papa Francisco na Exortação Apostólica “Evangelii Gaudium”, verdadeiro texto programático para o seu ministério e texto paradigmático para a missão da Igreja.

Em todos os momentos da vida da Igreja sentimos por perto a presença terna e materna de Maria. Em comunhão com o Papa Francisco que Lhe confiou a Igreja e o seu ministério desde o primeiro dia, quero confiar a Maria, a Senhora do Advento e do Natal, o caminho de ação, de missão e de renovação pastoral para a nossa Diocese.

Porto, 6 de novembro, festa de S. Nuno, de 2014

António, Bispo do Porto

Metodologia:




  • Construir um presépio em casa tendo a fachada da igreja paroquial como cenário

  • Construir um presépio na igreja paroquial com a casa de cada um, como se fosse a cidade de Belém (à imagem dos presépios antigos em forma de cascata).

Linhas orientadoras:




  1. Integra-se esta caminhada no contexto da proposta pastoral diocesana: “A alegria do Evangelho é a nossa missão”. E destina-se esta caminhada a ser vivida em toda a diocese, nos vários âmbitos da sua vida e acção pastoral.




  1. Vamos viver o Advento - Natal de 2014, entre o Sínodo Extraordinário sobre os “Desafios pastorais da família no contexto da evangelização” e o novo Sínodo, com a mesma temática, no ano de 2015.

Uma das afirmações mais antigas da Igreja sobre a Família é que ela é uma igreja doméstica: cada família, cada casa, é uma ‘pequena igreja’.

Ora, o Natal, sendo a Festa do Nascimento de Jesus, é um momento favorável e oportuno para fazer a experiência da família como ‘igreja doméstica’, a ser vivido como verdadeira festa da família.

Por isso, propomos que em cada casa se construa um presépio tendo a fachada da igreja paroquial como cenário, e que se construa um presépio na igreja paroquial com a casa de cada um, como se fosse a cidade de Belém (à imagem dos presépios ‘antigos’ em forma de cascata).

Pretende-se que a família sinta como a Igreja é importante para a fazer ser e crescer como família, e ao mesmo tempo sinta como a Igreja só conseguirá cumprir a sua missão evangelizadora com a presença e participação das famílias, de cada família.

A Caminhada que se propõe é muito simples, é mesmo quase só o ‘tronco’, para que cada família e cada paróquia a possam adaptar à sua realidade concreta.


  1. Para dar expressão a esta ideia sugere-se que cada família faça, em casa, o seu presépio, tendo como cenário a fachada da sua igreja paroquial, que será entregue pela paróquia em fotocópia de tamanho A3, no domingo de Cristo-Rei (depois, cada família passá-la-á para o material que entender: cartão, madeira, K-line…). Na fachada deve estar marcada, a tracejado, a porta da igreja (que será aberta na Epifania).

Ao mesmo tempo, e usando uma caixa de cartão (de sapatos, cereais…), cada família fará a fachada da sua própria casa ou prédio, que entregará, na paróquia, no terceiro domingo de Advento, para se construir o presépio paroquial.

Para o presépio de sua casa, cada família levará, no final da Missa de cada domingo, a partir das leituras e da Exortação Apostólica do Papa Francisco, uma proposta de caminho: a) uma palavra; b) a indicação da figura e do símbolo a valorizar nessa semana; c) duas atitudes: uma atitude em família e uma atitude comunitária; d) uma oração.




  1. Na igreja paroquial, constrói-se o Presépio, diante de uma fachada da própria igreja (ampliação da imagem entregue às famílias), e, à frente e à volta dele, como uma espécie de cidadezinha de Belém, seriam depois colocadas as fachadas das casas dos paroquianos feitas na tal caixa de cartão, se possível com as janelas abertas e com papel de celofane amarelo, para serem iluminadas.

Estas casas deverão ser trazidas no 3º domingo de Advento, para haver tempo de construir o presépio na igreja.

Deste modo, o Presépio da Igreja Paroquial seria a imagem da própria Paróquia, tal como ela se define: «a própria Igreja que vive no meio das casas de seus filhos e das suas filhas» (CFL 26; cit. por E.G.28). Não esqueçamos que a etimologia da palavra “Paróquia” remete, precisamente, para um conjunto de casas. ‘A paróquia é família de famílias’.




  1. Esta Caminhada é uma proposta dirigida a toda a paróquia. Por isso, cada paróquia encontrará a maneira de a divulgar e concretizar envolvendo os diversos grupos paroquiais e movimentos apostólicos.

Importante será que ela seja divulgada e crie laços entre as pessoas, por ex. do prédio ou rua ou bairro onde se mora: alguma família poderia levar a proposta e entregá-la pessoalmente a algum vizinho, por ex.

Cada paróquia encarregar-se-á também de distribuir, em cada Domingo, uma pequena folha com a proposta de caminho dessa semana.


  1. Além disso, a Caminhada tem ainda espaço para crescer, isto é, para ser ajustada com algum elemento, conforme a criatividade de cada comunidade paroquial: por ex. escrever a Palavra-Chave de cada Domingo na rosácea, ver como resultará melhor a colocação das fotos que as famílias trouxerem (num mural, penduradas das estrelas…)




  1. Propõe-se que as iniciativas de partilha e solidariedade, tão próprias desta época e integradas no espírito desta Caminhada, se destinem a ajudar pessoas ou famílias concretas que vivem situações de provação ou pobreza.


Nota: as citações do Papa, salvo menção contrária, provêm da Exortação Apostólica Evangelii Gaudium (A Alegria do Evangelho) e estão assinaladas com EG.

1ª semana: PRIMEIREAR
O que vos digo a vós, digo a todos: Vigiai”.

Como pede o Papa, devemos ser o(s) primeiro(s) a “tomar a iniciativa, a ir à frente, a ir ao encontro…” (EG24)


- Figura do presépio: João Batista
- Símbolo: Lanterna
- Atitude para a família: Identificar na família uma situação de dificuldade - por ex., falta de tempo para dialogar.
- Atitude para a comunidade: Identificar fora da família uma situação de dificuldade - por ex., uma família/pessoa que passa dificuldades, que está só ou doente…
- Atividade: Em família, fazer o pinheiro de Natal; colocar e acender as luzes. Colocar a lanterna por trás do placar recortado, alusivo à fachada da Igreja.
- Oração:
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

V/ A alegria de Jesus que vem salvar-nos esteja connosco.

R/ Ele está no meio de nós.


  1. Convite à oração:

Preparemos o nosso coração para acolher a Palavra de Jesus, e para iniciarmos, vigilantes, o caminho de Advento ao seu encontro. Coloca-se no presépio a figura de JOÃO BATISTA.


  1. Evangelho:

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «O que vos digo a vós, digo-o a todos: Vigiai!» (Mc 13,37)


  1. Breve diálogo sobre este evangelho:

    1. para identificar – como a sentinela, como o porteiro – uma situação, pessoa, acontecimento, na própria família que precise da luz de Jesus que vem;

    2. para identificar uma pessoa, família ou situação, à nossa volta, no nosso prédio, na nossa rua, na nosso lugar que precise da luz do Evangelho.




  1. Porque nos chamamos e somos filhos de Deus, rezemos a oração que Jesus nos ensinou, para sermos mais família e sairmos ao encontro dos nossos irmãos e irmãs: Pai-nosso…




  1. Colocar a LANTERNA por trás do placar da fachada da igreja.




  1. Oremos:

Deus, nosso Pai, nesta primeira semana de Advento, erguemos para Vós os olhos do nosso coração, para nos abrirmos à vossa presença e redobrarmos a atenção aos irmãos que precisam de nós: como João Batista, queremos ser os primeiros a sair ao seu encontro, com o nosso amor, para anunciar a vossa luz. Vinde despertar a nossa fé, para sermos testemunhas da vossa paz e justiça. Por JC…
V/ Abençoe-nos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo.

R/ A alegria do Evangelho é a nossa missão.


2ª semana: ENVOLVER-SE
Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas”.

Como escreve o Papa, ‘o Senhor envolve-se e envolve os seus, pondo-se de joelhos diante dos outros para lavar os pés’ (EG24).


- Figura do presépio: Pastores
- Símbolo: Toalha branca/pano que envolverá o Menino
- Atitude para a família: Desligar a televisão e dialogar sobre o dia vivido, ficando a saber das alegrias e dificuldades que cada um sentiu.
- Atitude para a comunidade: Fazer uma visita à família ou pessoa ou situação escolhida, para partilhar a alegria do Evangelho, em gestos de proximidade.
- Atividade: Colocar a manjedoura para o Menino na frente do placar da fachada da Igreja. Na manjedoura, colocar o paninho, que pode ser a toalha do Batismo.

Começar a construir a fachada da casa, usando uma caixa: por ex. de sapatos, cereais, bolachas, etc. Decorar a maquete da casa ao gosto de todos, e não esquecer de abrir janelas – se for possível, colocar nas janelas um bocadinho de celofane de cor amarela.


- Oração:

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

V/ A alegria de Jesus que vem salvar-nos esteja connosco.

R/ Ele está no meio de nós.




  1. Convite à oração:

Preparemos o nosso coração para acolher a Palavra de Jesus, e para continuarmos, comprometidos, neste caminho de Advento ao seu encontro. Coloca-se no Presépio a MANJEDOURA e os PASTORES.


  1. Evangelho:

Princípio do Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus. (…)

Uma voz clama no deserto: ‘Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas’. (Mc 1,1.3)




  1. Breve diálogo sobre este evangelho:

    1. para ver o modo concreto de em família preparar e endireitar os caminhos para o Senhor que vem;

    2. para planear como e quando é que a família poderá sair – como os pastores – ao encontro da pessoa, família ou situação que foi escolhida na primeira semana.




  1. Porque nos chamamos e somos filhos de Deus, rezemos a oração que Jesus nos ensinou, para sairmos mais ao encontro uns dos outros, em casa e fora de casa: Pai-nosso…




  1. Colocar a TOALHA/PANO na manjedoura.




  1. Oremos:

Deus, nosso Pai, nos desertos da nossa vida, os vossos profetas convidam-nos a meter os pés ao caminho como os pastores, para que o vosso Filho chegue às casas de todas as famílias e faça brilhar a alegria do Evangelho. Por JC…
V/ Abençoe-nos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo.

R/ A alegria do Evangelho é a nossa missão.



3ª semana: ACOMPANHAR
Veio como testemunha para dar testemunho da luz”.

Nas palavras do Papa: “Nós, cristãos, insistimos na proposta de reconhecer o outro, de curar as feridas, de construir pontes, de estreitar laços e de nos ajudarmos…” (EG67)


- Figura do presépio: José
- Símbolo: Sapatinho/bota de Natal
- Atitude para a família: Esta semana repetir com mais frequência três palavras-chave do vocabulário familiar: obrigado, desculpa, por favor.
- Atitude para a comunidade: Valorizar no seio da comunidade as três palavras-chave: obrigado, desculpa, por favor.

- Atividade: Colocar o sapatinho ou bota de Natal junto ao presépio – por ex. pendurado no pinheiro.


- Oração:

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

V/ A alegria de Jesus que vem salvar-nos esteja connosco.

R/ Ele está no meio de nós.




  1. Convite à oração:

Preparemos o nosso coração para acolher a Palavra de Jesus e continuarmos, fiéis, com São José, o caminho de Advento ao seu encontro. Coloca-se a figura de S. JOSÉ no Presépio.


  1. Evangelho:

Apareceu um homem enviado por Deus, chamado João. Veio como testemunha, para dar testemunho da luz, a fim de que todos acreditassem por meio dele. (Jo 1,6-7)


  1. Breve diálogo sobre este evangelho:

    1. para decidir uma atividade ou compromisso comum (por ex. usar, ao longo do dia as três palavras que o Papa Francisco nos lembra: Obrigado; Por favor; Desculpe);

    2. para decidir convidar a pessoa/família para um momento de partilha, por ex. um lanche;




  1. Porque nos chamamos e somos filhos de Deus, rezemos a oração que Jesus nos ensinou, para vivermos mais a fraternidade cristã: Pai-nosso…




  1. Colocar o SAPATINHO/BOTA de Natal junto do Presépio ou na árvore.



  1. Oremos:

Deus, nosso Pai, vinde, encher-nos da vossa Alegria, para a testemunharmos junto dos nossos irmãos. Por JC…
V/ Abençoe-nos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo.

R/ A alegria do Evangelho é a nossa missão.



4ª semana: FRUTIFICAR
Eis a escrava do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra”.

Nas palavras do Papa: “Aquilo que descobriste, o que te ajuda a viver e te dá esperança, isso é o que deves comunicar aos outros.” (EG121)


- Figura do presépio: Maria
- Símbolo: Cesto com os frutos secos do Natal
- Atitude para a família: antecipar-se a fazer uma tarefa útil aos outros.
- Atitude para a comunidade: Ajudar a família/pessoa que estamos a acompanhar numa tarefa concreta: ir passear com ela, ler para ela, ir à farmácia…
- Atividade: Colocar o cesto com os frutos junto da imagem de Maria.
- Oração:

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

V/ A alegria de Jesus que vem salvar-nos esteja connosco.

R/ Ele está no meio de nós.




  1. Convite à oração:

Preparemos o nosso coração para acolher, expectantes, como Maria, a Palavra de Deus, e continuarmos o caminho de Advento ao encontro do seu Filho, Jesus. Coloca-se a figura de MARIA no Presépio.

  1. Evangelho:

Naquele tempo, o Anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia chamada Nazaré, a uma Virgem desposada com um homem chamado José. O nome da Virgem era Maria. Disse-lhe o Anjo: (…) «Conceberás e darás à luz um Filho, a quem porás o nome de Jesus. (…) Maria disse então: «Eis a serva do Senhor; faça-se em mim segundo a tua palavra». (Lc 1,26-27.30-31.38)

  1. Breve diálogo sobre este evangelho:

    1. para cada um decidir, no seu coração, como vai antecipar-se a fazer uma coisa pelos outros;

    2. para decidir uma maneira concreta de ajudar a pessoa ou família que temos acompanhado (por ex. ir passear, ler, ir à farmácia…) e ver como integrá-la na celebração familiar do Natal (convidá-la a consoar e/ou almoçar no dia de Natal, ir visitá-la num desses dias levando a consoada ou outro presente).

  1. Saudemos Maria com as palavras do Anjo Gabriel em Nazaré: Ave-maria

  2. Colocar o CESTO DE FRUTOS SECOS do Natal no Presépio.

  3. Oremos:

Deus, nosso Pai, ao aproximarmo-nos da festa do nascimento de Jesus, vosso Filho e diante da figura de Maria, queremos pedir-Vos um coração humilde, como o dela, para levar a alegria do Evangelho aos que encontramos ao longo destes dias. Como Maria, queremos que a nossa vida frutifique para os outros. Por JC…
V/ Abençoe-nos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo.

R/ A alegria do Evangelho é a nossa missão.



Natal: FESTEJAR
Anuncio-vos uma grande alegria: Hoje nasceu o nosso Salvador, Jesus Cristo, Senhor”.

Escreve o Papa Francisco: “Quero dirigir-me aos fiéis cristãos a fim de os convidar para uma nova etapa evangelizadora marcada por esta alegria.” (EG1)


- Figura do presépio: Anjos
- Símbolo: Estrela(s) de Natal ou Anjo
- Atitude para a família: fazer da Ceia de Natal e do dia de Natal, um grande momento familiar, pela alegria, pela entreajuda, cada um fazendo-(se) um presente para o(s) outro(s);
- Atitude para a comunidade: Visitar a família/pessoa e levar-lhe um presente. Nalgum caso, poderá ser possível convidar para a Ceia ou para o almoço de Natal…
- Atividade: Colocar a Estrela de Natal por cima da manjedoura e os Anjos à volta do presépio. Pode usar-se uma estrela que haja em casa, ou fazer uma a gosto.
- Oração:

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

V/ A alegria de Jesus que vem salvar-nos esteja connosco.

R/ Ele está no meio de nós.




  1. Convite à oração:

Preparemos o nosso coração para acolher, com alegria, o anúncio dos Anjos, e celebrarmos o Natal, festa do amor de Deus pela nossa família. Coloca-se o MENINO na manjedoura.

  1. Evangelho:

Disse-lhes o Anjo: «Não temais, porque vos anuncio uma grande alegria para todo o povo: nasceu-vos hoje, na cidade de David, um Salvador, que é Cristo Senhor». (Lc 2,10-11)

  1. Breve diálogo sobre este evangelho:

  1. para agradecer ao Menino Jesus a alegria da nossa família reunida à volta do menino.

  2. para concretizar a decisão tomada na semana anterior (acolher ou ir visitar a pessoa/família)

  1. Porque nos chamamos e somos filhos muito amados de Deus, e queremos viver a alegria do Natal, entoemos um cântico de Natal

  2. Colocar a ESTRELA e os ANJOS no Presépio.

  3. Como sinal do compromisso de viver o Natal, cada um oferece agora aos outros o presente que preparou.

  4. Oremos:

Senhor nosso Deus, todos os anos nos alegrais com a esperança da salvação, fazei que possamos participar na vida divina do vosso Filho que se dignou assumir a nossa natureza humana. Por JC…
V/ Abençoe-nos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo.

R/ A alegria do Evangelho é a nossa missão.



Sagrada Família: APRESENTAR
Maria e José levaram Jesus a Jerusalém, para O apresentarem ao Senhor”.

Diz o Papa: “A família é o lugar onde nos formamos como pessoas. Cada família é um tijolo que constrói a sociedade.” (Twitter, 23/10/2014)


- Figura do presépio: Fotografia da Família
- Símbolo: Caminho e/ou Ponte entre a manjedoura e a igreja
- Atitude para a família: Participar juntos na Eucaristia;
- Atitude para a comunidade: Convidar a família ou pessoa para participar connosco na Eucaristia; se não, levar à família ou pessoa a oração ou objeto distribuído na igreja e rezar com ela.
- Atividade: Fazer um caminho ou ponte – em areia, pedrinhas, musgo, etc. (se houver uma ponte da cascata, pode usar-se) – desde a manjedoura até à extremidade do presépio, como que sendo para continuar.

Para a Eucaristia deste dia, levar outra foto da família para ser colocada no presépio da Igreja


- Oração:

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

V/ A alegria de Jesus que vem salvar-nos, esteja connosco.

R/ Ele está no meio de nós.




  1. Convite à oração:

Preparemos o nosso coração para acolher, com alegria a Boa Nova de que Jesus nasceu numa família como a nossa. Completa-se o CAMINHO / Coloca-se a PONTE no Presépio.

  1. Evangelho:

“Maria e José levaram Jesus a Jerusalém, para O apresentarem ao Senhor. (…) Entretanto, o Menino crescia e tornava-Se robusto, enchendo-Se de sabedoria. E a graça de Deus estava com Ele.” (Lc 2,22.40)

  1. Breve diálogo sobre este evangelho:

  1. para agradecer o dom da família e rezar pelas famílias que passam dificuldades;

  2. para lembrar que pertencemos também a uma família maior, a Igreja; para nos comprometermos a ir juntos, cada Domingo, à Casa do Senhor…

  1. Porque nos chamamos e somos filhos muito amados de Deus, e queremos crescer como família, de sangue e cristã, rezemos como Jesus nos ensinou: Pai-nosso…

  2. Colocar a FOTOGRAFIA DA FAMÍLIA no Presépio.

  3. Oremos:

Deus, nosso Pai, Vós que quisestes que o vosso Filho nascesse numa família humana, olhai para a nossa família e para todas as famílias, de modo que cada família se torne uma pequena igreja e a nossa igreja se torne uma grande família. Por JC…
V/ Abençoe-nos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo.

R/ A alegria do Evangelho é a nossa missão.



Epifania: SAIR
Entraram na casa, viram o Menino com Maria, sua Mãe, e adoraram-n’O. Depois, abrindo os seus tesouros, ofereceram-Lhe presentes”.

Diz o Papa: “Prefiro uma Igreja acidentada, ferida e enlameada por ter saído pelas estradas a uma Igreja enferma pelo fechamento e a comodidade de se agarrar às próprias seguranças.” (EG49)


- Figura do presépio: Magos
- Símbolo: Porta da igreja paroquial
- Atitude para a família: Decidir a partilha a fazer no ofertório da Missa.
- Atitude para a comunidade: Colaborar em alguma iniciativa da comunidade fora de portas.
- Atividade: Abrir a porta na fachada da igreja que serve de cenário
- Oração:

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

V/ A alegria de Jesus que vem salvar-nos, esteja connosco.

R/ Ele está no meio de nós.




  1. Convite à oração:

Preparemos o nosso coração para acolher, com alegria, o sinal da estrela que nos chama, para sairmos ao encontro do Salvador que nasceu. Colocam-se os MAGOS no Presépio.

  1. Evangelho:

“E eis que a estrela que tinham visto no Oriente seguia à sua frente e parou sobre o lugar onde estava o Menino. Ao ver a estrela, sentiram grande alegria. Entraram na casa, viram o Menino com Maria, sua Mãe, e, prostrando-se diante d’Ele, adoraram-n’O. Depois, abrindo os seus tesouros, ofereceram-Lhe presentes: ouro, incenso e mirra. E, avisados em sonhos para não voltarem à presença de Herodes, regressaram à sua terra por outro caminho.” (Mt 2, 1-12)

  1. Breve diálogo sobre este evangelho:

  1. para pensar que presentes queremos oferecer ao Menino ao longo do ano (atitudes)

  2. para pensar que caminhos novos de anúncio do Evangelho e percorrer este ano

  1. Porque nos chamamos e somos filhos muito amados de Deus, e queremos agradecer o nascimento de Jesus, nosso Salvador, rezemos como Ele nos ensinou: Pai-nosso…

  2. Abrir a PORTA na fachada da igreja por trás do Presépio.

  3. Oremos:

Deus de luz, que viestes habitar no meio de nós, concedei-nos a exemplo dos magos a alegria e a liberdade para irmos ao encontro do Deus-Menino, na sua casa; e dai-nos a sabedoria para seguirmos por um caminho, o caminho que nos leva ao encontro dos irmãos e irmãs, para lhes indicarmos a estrela que os guia na noite. Por JC…
V/ Abençoe-nos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo.

R/ A alegria do Evangelho é a nossa missão.



Batismo: RENOVAR
E dos céus ouviu-se uma voz: «Tu és o meu Filho muito amado, em ti pus toda a minha complacência”.

Escreve o Papa Francisco: “Convido todo o cristão a renovar hoje mesmo o seu encontro pessoal com Jesus Cristo…” (EG3).


- Figura do presépio: Concha do Batismo – ou outra – com algumas gotas de água
- Símbolo: Vela do Batismo (ou outra, para quem não a tiver)
- Atitude para a família: Em casa fazer a oração acendendo alguma vela do Batismo (ou alguma vela do Natal).
- Atitude para a comunidade: Trazer outra vela - decorada – para ser levada à família ou pessoa que acompanhamos durante a caminhada do Advento e Natal, para ficar lá em casa como sinal da Luz que é Jesus.
- Atividade: Colocar a concha com a água junto à maquete da Igreja.

Depois da Eucaristia, colocar a vela no meio do caminho ou ponte, ou junto do presépio.


- Oração:
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

V/ A alegria de Jesus que vem salvar-nos esteja connosco.

R/ Ele está no meio de nós.


  1. Convite à oração:

Preparemos o nosso coração para acolher a palavra de Deus e renovarmos o nosso desejo de vivermos o nosso Batismo. Coloca-se a CONCHA com água no Presépio.


  1. Evangelho:

“Sucedeu que, naqueles dias, Jesus veio de Nazaré da Galileia e foi batizado por João no rio Jordão. (…) E dos céus ouviu-se uma voz: «Tu és o meu Filho muito amado, em Ti pus toda a minha complacência».” (Mc 1, 9.11)


  1. Breve diálogo sobre este evangelho:

  1. para agradecer o dom da Vida Nova recebida no Batismo

  2. dialogar sobre o modo como sentimos a igreja paroquial como nossa casa e como cuidamos do mundo como nossa casa.




  1. Porque somos filhos muito amados de Deus, e queremos viver a nossa fraternidade em Cristo, ousamos dizer como Jesus nos ensinou: Pai-nosso…




  1. Colocar a VELA acesa no Presépio.




  1. Oremos:

Deus, nosso Pai, reavivai em nós a fidelidade às promessas do Batismo, e fazei de nós testemunhas da alegria do Evangelho. Por JC…
V/ Abençoe-nos Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo.

R/ A alegria do Evangelho é a nossa missão.



Caminhada Advento - Natal. 2014 / 2015








©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal