Departamento de música



Baixar 79,45 Kb.
Encontro11.09.2017
Tamanho79,45 Kb.



GOVERNO DO ESTADO DO PARANÁ

SECRETARIA DE ESTADO DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR

FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ

Reconhecida pelo Decreto Governamental nº 70.906 de 01/08/72 e Portaria nº 1.062 de 13/11/90,



Ministério da Educação

CURITIBA - PARANÁ




PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO

ANEXO I DO EDITAL Nº 011/2009 – DG/FAP
PROGRAMA DE PONTOS
Área: Música

Disciplina: Recursos digitais
1- Softwares de edição de áudio, softwares seqüenciadores – MIDI, softwares de automação de acompanhamento musical e protocolo MIDI.

2- Softwares musicais em sistemas e plataformas diversos.

3- Estúdios digitais de áudio: processo de captação, produção mixagem e finalização de áudio.

4- Áudio analógico e áudio digital.

5- Softwares editores de partitura.

6- Acústica musical: uma introdução.

7- Produção fonográfica.
BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

1- ALVES, Luciano. “Fazendo Música no computador”. Rio de Janeiro. Elsevier Ed. 2006.

2- DOMINGUEZ, Ángel. A dimensão sonora da linguagem audiovisual. São Paulo, SENAC, 2006.

3- MENEZES, Flo. A acústica musical em palavras e sons. Cotia: Ateliê Editorial, 2003.

4- Stevens, S. & Warshofski, F. Som e audição. Rio de Janeiro, Olympio, 1970.

5- RATTON, Miguel. “Dicionário de áudio e Tecnologia Musical”. Rio de janeiro. Editora Música e Tecnologia. 2004.

6- VALLE, Sólon do. “Microfones”. Rio de janeiro. Editora Música e Tecnologia.2002.
Área: Música

Disciplina: Rítmica
1- Características rítmicas das diferentes manifestações musicais populares brasileiras.

2- Desenvolvimento da leitura e execução rítmica a duas e três vozes: estabelecendo caminhos para a aquisição da independência na execução rítmica.

3- O ritmo e suas relações com os tempos do compasso - relação métrica. Compassos simples e composto, sincopa, mudança de compasso.

4- Abordagem teórico/analítica do ritmo. Fraseologia, melodia, ritmo harmônico.

5- O corpo como instrumento de realização de exercícios rítmicos.

6- Rítmica e educação musical: estratégias pedagógicas nos diferentes contextos educacionais.

7- O ritmo na música popular brasileira contemporânea: novos caminhos e releituras.
OBS: O candidato deverá fazer demonstração prática no decorrer da aula.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA:
1- BOLÃO, Oscar. Batuque é um privilégio. A percussão na música do Rio de Janeiro. Para músicos, arranjadores e compositores. Rio de Janeiro: Lumiar Editora, 2003.

2- GRAMANI, José Eduardo Ciocchi. Rítmica. São Paulo: Editora Perspectiva, 2004.

3- HINDEMITH, Paul. Treinamento elementar para músicos. São Paulo: Ricordi Brasileira, 2004.

4- LUSSY , Mathis. El ritmo musical: su origen, función y acentuación. Buenos Aires: Ricordi, 1965.

5- MED, Bohumil. Ritmo. Brasília: Musimed, 1986.

6- SANDRONI, Carlos. Feitiço decente. Transformações do Samba no Rio de Janeiro (1917- 1933). Rio de Janeiro: Lumiar Editora, 2003.
Área: Musicoterapia

Disciplina: Estágio Supervisionado em Músicoterapia
1- O lugar da música na supervisão clínica/orientação de estágio em Musicoterapia e no desenvolvimento da identidade do musicoterapeuta.

2- A contribuição da supervisão/orientação de estágio para o desenvolvimento pessoal, ético e profissional do musicoterapeuta em formação

3- A relevância da supervisão/orientação de estágio para o estagiário de musicoterapia inserido em equipes multi/interdisciplinares de trabalho.

4- O papel do supervisor/orientador de estágio e as diferentes abordagens teóricas da Musicoterapia, na formação do musicoterapeuta.

5- Sobre o supervisor/orientador de estágio: capacidades, qualidades, responsabilidades e ética na prática da supervisão.

6- Supervisão individual e em grupo: semelhanças e diferenças.

7- Escuta e leitura musical no processo de formação do musicoterapeuta:comunicação,significados e sentidos.
Bibliografia Sugerida:
1.BENENZON, Rolando. La supervision: el gran ausente en la formación del musicoterapeuta. R. un caso clínico. In: Revista Brasileira de Musicoterapia. Ano IV, nº5, 2001.
2.BARCELLOS, Lia Rejane. As experiencias musicoterapicas nos Cursos de Musicoterapia: um pesquisa qualitativa-fenomenológica. In: Revista Brasileira de Musicoterapia. Ano IX, nº7, 2004.
3.BARCELLOS, Lia Rejane. Da prática clinica a sistematização: um caminho para o desenvolvimento da Musicoterapia. In: Musicoterapia: alguns escritos. Rio de Janeiro: Enelivros, 2004.
4.BUYS, Rogerio C. Supervisão de Pscoterapia - na abordagem humanista centrada na pessoa. São Paulo: Summus, 1987.
5.CHAGAS, Marly. A construção do vínculo: considerações acerca da clinica em Musicoterapia. Disponível em http://www.amtrj.com.br/arquivos/MChagas.doc
6.FELDMAN, Clara, MIRANDA, Marcio L. Construindo a relação de ajuda. Belo Horizonte: Crescer, 2001.
7.MABILDE, Luiz Carlos. Supervisão em PSiquiatria e Psicoterapia Analitica - teoria e técnica. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1991.
8.RUUD, Even. Caminhos da Musicoterapia. São Paulo: Summus, 1990.
9.SÁ, Leomara, ESPERIDIÃO, Elizabeth. Dinamica do Relacionamento Humano: uma experiencia interdisciplinar na formação do musicoterapeuta. Disponível em http://www.musica.ufg.br/mestrado/anais/anais%20IV%20Sempem/artigos/artigo%20Leomara%20Elizabeth.pdf
Área: Ciências Humanas

Disciplina: História da Arte
1- Abordagens teóricas e metodológicas em História da Arte

2- O cubismo, o futurismo e as pesquisas acerca dos movimentos.

3- O renascimento, barroco e rococó na arquitetura religiosa do Brasil dos séculos XVII e XVIII.

4- As influências do impressionismo na pintura na primeira metade do século XX.

5- A mudança do eixo Paris-New York e sua repercussão no âmbito mundial.

6- Usos das artes como fontes e objetos de estudos visuais

7- As mudanças de espaço, as novas tecnologias e o hibridismo marcam na arte Contemporânea.
Bibliografia Sugerida:
1- ADES, Dawn. Arte na América Latina: A Era Moderna, 1820-1980. São Paulo: Cosac Naify, 1998.

2- ARCHER, Michael. Arte contemporânea: uma história concisa. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

3- ARGAN, Giulio Carlo. História da Arte Moderna. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

4- BASBAUM, Ricardo (org.). Arte contemporânea brasileira: texturas, dicções, ficções, estratégias. Rio de Janeiro: Rios Ambiciosos, 2001.

5- CAUQUELIN, Anne. Teorias da Arte. São Paulo: Martins Fontes. 2005.

6- COUCHOT, Edmond. A tecnologia na arte: da fotografia a realidade virtual. Porto Alegre: UFRGS, 2003.

7- GOMBRICH, E. H. A História da Arte. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1979.

8- JAMESON, Frederic. Pós modernismo. A lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Editora Ática, 2000.

9- JANSON, H. W. História Geral da Arte. São Paulo, Martins Fontes, 2001. 3 volumes.

10- SCHAPIRO, Meyer. A Arte Moderna: séculos XIX e XX: ensaios escolhidos. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 1996.

11- ZILIO, Carlos. A querela do Brasil: a questão da identidade da arte brasileira. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1997.

Área: Ciências Sociais

Disciplina: Sociologia
1- Sociologia: história, principais conceitos e fundamentos epistemológicos.

2- Tendências paradgmáticas na Sociologia Contemporânea

3- Método de investigação sociológico

4- Cultura e identidade na Teoria Sociológica Contemporânea;

5- Globalização e Pós-modernidade: desafios analíticos

6- O estudo da arte na abordagem da sociologia do cotidiano

7- Contribuição da Sociologia nos estudos das manifestações culturais
Bibliografia Sugerida:
1- ADORNO, T W.; HORKHEIMER, Max. Sociologia da Arte e Literatura em Temas básicos da Sociologia. São Paulo: Editora Cultrix /Edusp, 1973.

2- ARON, R. As etapas do pensamento sociológico. Brasília/São Paulo: EDUNB/Martins Fontes, 1990.

3-BHABHA, Homi K. O local da cultura. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1998.

4-BENJAMIN, Walter, Sobre Arte, Técnica, Linguagem e Política. – Lisboa: Relógio d’Água, 1992.

5- BERGER, Peter L. A construção social da realidade: tratado de sociologia do conhecimento. Tradução Floriano de Souza Fernandes. 26ª edição. Petrópolis: Vozes,1996.

6- _________. Perspectivas sociológicas: uma visão humanística. Trad. Floriano de Souza Fernandes. Petrópolis: Vozes, 1978.

7- BOURDIEU, Pierre. A Economia das Trocas Simbólicas: S. Paulo, Perspectiva, 1987.

8- ________. Coisas ditas. São Paulo: Ed. Brasiliense, 1989.

9- CANCLINI, N. A Globalização Imaginada. - São Paulo, SP, Iluminuras ltda, 2003.

10- CUCHE, Denys, A Noção de Cultura nas Ciências Sociais, Lisboa, Fim de Século, 1999

11- DEMO, Pedro. Metodologia Científica em Ciências Sociais. Atlas: SP. 1985.

12- ________. Pesquisa e Construção do Conhecimento. Tempo Brasileiro: RJ. 1994.

13- DUVIGNAUD, Jean. Sociologia da arte. Trad. Antônio Teles. Rio de Janeiro: Forense, 1970.

14- FERNANDES, Florestam. A natureza sociológica. São Paulo: Ática, 1980.

15- GIDDENS, Anthony . Política, Sociologia e teoria social. São Paulo: EdUnesp, 1998.

16- ________. Sociologia, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1997.

17- HALL, Stuart. A identidade cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: DP&A Editora, 2003.

18- JAMESON, Fredric. Pós-modernismo: a lógica cultural do capitalismo tardio. São Paulo: Ática, 1996.

19- MAFFESOLI, M. No fundo das aparências. Petrópolis: Ed. Vozes, 1996

20- MARTINS, J. S. A Sociabilidade do Homem Simples: São Paulo: Ed. Contexto, 2003

21- MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Tradução Eliane Lisboa. 3ª edição. Porto Alegre: Sulina, 2007.
Área: Teatro

Disciplina: Improvisação
1- Improvisação para o Teatro.

2- Ação física do ator.

3- Jogos de integração do elenco.

4- O Gesto psicológico do ator.

5- O treinamento do ator: pré-expressividade.

6- Corpo e psicologia do ator.

7- Ator e espaço
Bibliografia Sugerida:
1- BARBA, E. A canoa de papel: tratado de Antropologia Teatral. São Paulo: HUCITEC, 1994.

2- BOAL, Augusto. 200 exercícios e jogos para o ator e o não-ator com vontade de dizer algo através do teatro. 3.ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1980.

3- BONFITTO, M. O ator compositor: as ações físicas como eixo – de Stanislavski a Barba. São Paulo: Perspectiva, 2002.

4- BROOK, Peter. A porta aberta. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

5- MARTINS, Marcos Aurélio Bulhões. Encenação em jogo: experimento de aprendizagem e criação do teatro. São Paulo: Hucitec, 2004.

6- BURNIER, L. O. A arte do ator: da técnica à representação. Campinas: EdUNICAMP, 2001.

7- CHEKHOV, M. Para o ator. São Paulo: Martins Fontes, 1986.

8- NUNES, S. M. As metáforas do corpo-mídia em cena. (tese, disponível em publico)

9- STANISLAVSKI, C. A preparação do Ator. 12 ed. RJ: Civilização Brasileira, 2000.

10- SPOLIN, Viola. Improvisação para o Teatro. São Paulo: Perspectiva, 1982.
OBS.: Na prova didática, o candidato deverá trazer alunos para demonstração prática.
Área: Comunicação

Disciplina: Edição e Montagem Audiovisual
1- O surgimento da montagem no cinema.

2- Montagem: opacidade e transparência.

3- Princípios da montagem clássica.

4- A montagem como elemento narrativo.

5- Tecnologias contemporâneas de edição.

6- Técnicas e processos de edição de ficção.

7- Técnicas e processos de edição de documentário.

Bibliografia Sugerida:
1- LEONE, eduardo & MOURÃO, Maria Dora. Cinema e montagem. São Paulo : Ática, 1993.

2- EISENSTEIN, Sergei. A forma do filme. Rio de Janeiro : Jorge Zahar, 2002.

3- DANCYGER, Ken. Técnicas de edição para cinema e vídeo. São Paulo : Campus, 2007.

4- MURCH, Walter. Num piscar de olhos. Rio de Janeiro : Jorge Zahar, 2004.

5- XAVIER, Ismail. O discurso cinematográfico: a opacidade e a transparência. São Paulo : Paz e Terra, 2008.
Área: Roteiro e Audiovisual
1- Os primórdios do Cinema Brasileiro.

2- Os ciclos regionais do Cinema Brasileiro.

3- Os modelos da Atlântida e da Vera Cruz no Cinema Brasileiro.

4- A dimensão narrativa do roteiro audiovisual.

5- Estruturas de roteiros audiovisuais de ficção.

6- A criação e desenvolvimento de personagens em roteiros audiovisuais.

7- O roteiro para documentários
Bibliografia Sugerida:
1- BERNARDET, Jean-Claude. Historiografia clássica do cinema brasileiro: metodologia e pedagogia. São Paulo: Anna Blume, 1995.

2- GOMES, Paulo Emílio Salles. Cinema brasileiro: trajetória no subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1996.

3- GOMES, Paulo Emílio Salles. Humberto Mauro, Cataguases e Cinearte. São Paulo : Perspectiva/ EDUSP, 1974.

4-CAMPOS, Flávio de. Roteiro de cinema e televisão: a arte e a técnica de imaginar, perceber e narrar. RJ, Jorge Zahar, 2007.

5- CANNITO, Newton & SARAIVA, Leandro. Manual de roteiro: ou manuel, o primo pobre dos manuais de cinema e tv. SP, Conrad do Brasil, 2004.

6- CARRIERE, Jean-Claude & BONITZER, Pascal. Prática do roteiro cinematográfico. SP, JSN, 1996.

7- FIELD, Syd. Manual do roteiro. Os fundamentos do texto cinematográfico. RJ, Objetiva, 1995.

8- VOGLER, Christopher. A jornada do escritor: estruturas míticas para contadores de histórias e roteiristas. RJ, Ampersano, 1997.
Área: Ensino da Música

Disciplina: Estágio Supervisionado em Música
1- Concepções Históricas do ensino da Música no Brasil;

2- Concepções de criatividade no ensino da música na Educação Básica;

3- Técnica e sensibilidade no processo de ensino e aprendizagem em música na escola e fora dela;

4- Articulação entre teoria e prática na construção do conhecimento em música;

5- A relação da música com linguagens artísticas presentes na escola ( Artes visuais, teatro, dança, áudio-visual);

6- O Estágio Supervisionado no ensino de música: concepções e abordagens;

7- A produção musical para crianças no Brasil: Abordagens e possibilidades didático-pedagógicas.
Bibliografia Sugerida:
1- WISNIK, José Miguel. O som e o sentido. São Paulo: Companhia da Letras, 1989.

2- JEANDOT, Nicole. Explorando o universo da música. 2da. Edição. São Paulo: Scipione, 1993.

3- HOLST, Imogem. ABC da música. Tradução: Mariana Czertok. 2da. Edição, São Paulo: Martins Fontes, 1998.
Área: Ensino do Teatro

Disciplina: Ensino do Teatro
1- O teatro na escola a partir da Lei 4024/61

2- Teatro e jogo nos espaços educacionais

3- Teatro e educação na escola pública

4- O papel do estágio na formação de professores de teatro

5- Abordagens metodológicas do ensino do teatro

6- O teatro com espaço de transformação

7- O teatro como fazer, como conhecer e como expressar
Bibliografia Sugerida:


  1. BIASOLI, Carmen Lúcia. A formação do professor de arte: do ensaio... à encenação. São Paulo: Papirus, 1999.

  2. COURTNEY, Richard. Jogo, teatro & pensamento. São Paulo: Perspectiva, 2001.

  3. JAPIASSU, Ricardo. Metodologia do ensino de teatro. São Paulo: Papirus, 2001.

  4. KOUDELA, Ingrid Dormien. Jogos Teatrais. São Paulo: Perspectiva, 1998.

  5. PAREYSON, Luigi. Os problemas da estética. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

  6. PICONEZ, Stela C. Bertholo (Coord). A prática de ensino e o estágio supervisionado. São Paulo: Papirus, 1999.




©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal