Daniel capítulo nove (primeira parte)



Baixar 23,04 Kb.
Encontro10.10.2018
Tamanho23,04 Kb.

DANIEL CAPÍTULO NOVE (PRIMEIRA PARTE)

No primeiro ano de Dario, filho de Assuero, da linhagem dos medos, o qual foi constituído rei sobre o reino dos caldeus, no primeiro ano do seu reinado, eu, Daniel, entendi, pelos livros, que o número de anos, de que falara o SENHOR ao profeta Jeremias, que haviam de durar as assolações de Jerusalém, era de setenta anos”.


“Na verdade, treze anos de atividade (551 a 538 a. C.) decorreram entre os capítulos 8 e 9. ... ”. – (MAXWELL, C. Mervyn. Uma Nova Era Segundo as Profecias de Daniel. 1ª ed. Tatuí – SP, CPB, p. 199.).

Esse primeiro ano de Dario, segundo a contagem do Calendário dos medos e persas é o ano 538 a. C., porque em 539, foi o ano de ascensão dele ao trono em Babilônia, em outubro do referido ano.


“Deste modo, quando Belsazar soube que seu pai havia sido derrotado e se encontrava em fuga, pode ter decidido que ─ tendo em vista manter a ordem na capital ─ melhor seria se ele se proclamasse plenamente rei. Quando consideramos esta possibilidade, podemos até mesmo imaginar o banquete de 12 de outubro de 539 a. C. como sendo realizado em comemoração de seu novo ‘status’ real. ...” – (Ibidem. p. 92.).

Em Dan. 5:30-31, está escrito:

Naquela mesma noite, foi morto Belsazar, rei dos caldeus. E Dario, o medo, com cerca de sessenta e dois anos, se apoderou do reino”. (ARA).


Em Dan. 6:28, diz:

Daniel, pois, prosperou no reinado de Dario e no reinado de Ciro, o persa”. (ARA).


Voltando a Dan. 9:1 e 2. Aqui, percebemos que o profeta Daniel é explicito ao afirmar que ele entendeu a profecia do profeta Jeremias, pelos livros. Ou seja estudando. Não foi por meio da revelação do anjo Gabriel.
Ellen G. White, escreveu o seguinte, no Livro Profetas e Reis:
A oração de Daniel tinha sido proferida ‘no ano primeiro de Dario’ (Dan. 9:1), ... O reinado de Dario foi honrado por Deus. A ele foi enviado o anjo Gabriel, ‘para o animar e fortalecer’. Dan. 11:1. Após sua morte, cerca de dois anos depois da queda de Babilônia, Ciro o sucedeu no trono, e o início do seu reinado marcou o fim dos setenta anos desde que o primeiro grupo de hebreus tinha sido levado cativo por Nabucodonosor de sua pátria judaica para Babilônia.” – (WHITE, Ellen G.. Profetas e Reis. 4ª ed. Tatuí – SP, CPB, 1989. p. 535[556-557.).
No capítulo nove, temos mais relatos ligados à aparência (visão) - (mare’ēh).

Em Dan. 9:21: “Falava eu, digo, falava ainda na oração, quando o homem (wehā’îsh) Gabriel, que eu tinha observado na minha visão (be chāzôn) ao princípio, veio rapidamente, voando, e me tocou à hora do sacrifício da tarde”. (ARA).

Aqui, nesse verso, o profeta Daniel, faz uma referência direta à visão que tivera no capítulo 8.



Em Dan. 9:22: “Quando veio instruir-me; então, falou comigo e disse: Daniel, agora, saí para fazer-te entender o sentido”.
Em Dan. 9:23: “No princípio das tuas súplicas, saiu a ordem (dābār), e eu vim, para to declarar, porque és mui amado.” (ARA). Então, (atenta para) considera (û bîn), à fala (ba dābār - (palavra, declaração, conversa, discurso; etc.) e compreende (we hābēn) à (na) aparência (visão) - (ba mare’eh)”.
Nesses dois versos, fica claro que Daniel não havia entendido a aparência (visão) (ba mare’eh). Como ele já havia afirmado (8:27). Por isso, o anjo Gabriel veio novamente para instruí-lo.
Porque ele não havia entendido? No verso 27, do capítulo 8, Daniel diz que enfraqueceu e esteve enfermo por alguns dias. Este sem dúvida foi um dos motivos.
Não foi por incapacidade do anjo Gabriel ao transmitir à mensagem. Porque se analisarmos a falha do anjo, teremos, que declarar, que, também, o Messias não foi capaz de ensinar perfeitamente, nem mesmo os seus discípulos durante o seu ministério aqui na Terra. Portanto, sabemos que a causa da não compreensão da profecia, estava com o próprio profeta, ou até mesmo, podemos entender que não era o propósito de Yahweh que ninguém, nem mesmo o profeta entendesse a profecia naqueles dias. Conforme está escrito no capítulo 12:4, 6, 8-10. (1Pedro 1:10-12).
Em Dan. 9:24: “Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo e sobre a tua santa cidade para fazer cessar a transgressão, e para dar fim aos pecados, e para expiar a iniqüidade, e para trazer a justiça eterna, e para confirmar (selar, referendar) a visão e a profecia” (we lachetōm chzôn wenābî’) e para ungir o Santo dos Santos”.
Durante as “Setenta semanas” seria (chetōm – confirmada, selada, referendada) a visão (chāzôn) e a profecia (we nābî’). Essa confirmação ocorreu com a vinda do Messias (nascimento, ministério, morte e ressurreição e ascensão).
O Messias confirmou a profecia (nābî’) de Daniel. Ele, pois nela o Seu selo, referendando, (dando crédito ao que foi predito pelo profeta). Além do mais, o Messias disse que nEle estava o selo do Pai. No entanto, o Messias confirmou, tanto a visão (chāzôn) do capítulo 8, quanto a aparência (visão) – (ba mare’eh) do capítulo 9:24-27, que, também é parte do 8.
“Trabalhai, não pela comida que perece, mas pela comida que permanece para a vida eterna, a qual o Filho do homem vos dará; pois neste, Deus, o Pai, imprimiu o seu selo (“o selou” – ARC; “o confirmou com o seu selo” – ARA)”. (João 6:27 – AVR).
Ora, quando vós virdes a abominação da desolação estar onde não deve estar (quem lê, entenda), então os que estiverem na Judéia fujam para os montes”. (Mar. 13:14 – AVR).

Quando, pois, virdes estar no lugar santo a abominação de desolação, predita pelo profeta Daniel (quem lê, entenda).”. (Mat. 24:15 – AVR).

Mas, quando virdes Jerusalém cercada de exércitos, sabei então que é chegada a sua desolação”. (Luc. 21:20 – AVR).

Em Dan. 9:25: “Sabe e entende: desde a saída da ordem (dābār) para restaurar e para edificar Jerusalém, até o Messias, o Príncipe (até o ungido - AVR), sete semanas e sessenta e duas semanas; as ruas e as tranqueiras se reedificarão, mas em tempos angustiosos”. (Dan. 9:25 - ARA).
A Bíblia de Jerusalém, assim traduziu Dan. 9:25:

Fica sabendo, pois, e compreende isto: Desde a promulgação do decreto (dābār) ‘sobre o retorno e a reconstrução de Jerusalématé um Príncipe Ungido, haverá sete semanas. Durante sessenta e duas semanas serão novamente construídas praças e muralhas, embora em tempos calamitosos”.


E aconteceu naqueles dias que veio Jesus de Nazaré da Galiléia, e foi batizado por João no Jordão”. (Mar. 1:9 – AVR).

“... O tempo está cumprido...”. (Mar. 1:15 - AVR).

O Espírito do Senhor está sobre mim, porquanto me ungiu para anunciar boas novas aos pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos, e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos”. (Luc. 4:18 - AVR).

Concernente a Jesus de Nazaré, como Deus o ungiu com o Espírito Santo e com poder; o qual andou por toda parte, fazendo o bem e curando a todos os oprimidos do Diabo, porque Deus era com ele”. (Atos 10:38 – AVR).





LTJ/130502 josielteli@hotmail.com 2ª Impressão Corrigida e Ampliada




©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal