Curso de língua portuguesa módulo 1 alfabeto



Baixar 1,45 Mb.
Página1/8
Encontro10.06.2018
Tamanho1,45 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8


CURSO DE LÍNGUA PORTUGUESA
MÓDULO 1
ALFABETO
O alfabeto da Língua Portuguesa é formado por vinte e seis letras, cada uma delas com uma forma minúscula e outra maiúscula.
a A    (á)                                n N     (ene)
b B    (bê)                              o O     (o)
c C    (cê)                              p P     (pê)
d  D   (dê)                             q Q     (quê)
e E    (é)                                r R      (erre)
f F     (efe)                             s S      (esse)
g G    (gê ou guê)                  t T       (tê)
h H    (agá)                            u U     (u)
i I       (i)                                v V      (vê)
j J      (jota)                          w W     (dáblio)
k K    (capa ou cá)                x X      (xis)
l L     (ele)                              y Ý      (ípsilon)
m M  (eme)                           z Z      (zê)

Além dessas letras, usam-se o ç (cê cedilhado) e os seguintes dígrafos: rr (erre duplo), ss (esse duplo), ch (cê-agá), lh (ele-agá), nh (ene-agá), gu (guê-u) e qu (quê-u).


As letras k, w, e y, usam-se nos seguintes casos especiais:

a) Em antropónimos/antropônimos originários de outras línguas e seus derivados: Franklin, frankliniano; Kant, kantiano, Darwin, darwiniano; Wagner, wagneriano; Byron, byroniano; Taylor, taylorista;


b) Em topónimos/topônimos originários de outras línguas e seus derivados: Kwañza, Kuwait, kuwaitiano; Malawi, malawiano;
c)  Em siglas, símbolos e mesmo em palavras adotadas como unidades de medida de curso internacional: TWA, KLM; K-potássio (de kalium) W-oeste (West); kg-quilograma, km-quilõmetro, kw-kilowatt, yd-jarda(yard); w-watt.
Obs.: O h não corresponde a nenhum som. Usa-se apenas

  1. no início de certas palavras: haver, hoje, homem.

  2. no fim de algumas interjeições: ah!, oh!, uh!

  3. no interior de palavras compostas, em que o segundo elemento, iniciado por h, se une ao primeiro por meio de hífen: anti-higiênico, pré-histórico, super-homem.

  4. nos dígrafos ch, lh e nh: chave, talho, banho.


FONEMA
Vamos ler o poema abaixo, em que o escritor Augusto de Campos narra, de forma pouco comum, uma pequena história.
Uma vez

uma fala

uma foz

uma vez

uma bala

uma fala uma voz

uma foz uma vala

uma bala uma vez

uma voz

uma vala

uma vez
(Viva vaia: poesia 1949-1979, São Paulo, Brasiliense, 1986.)
Agora, compare as seguintes palavras do texto:

fala


bala

vala
Observe que essas palavras diferenciam-se entre si unicamente pela presença dos sons f, b e v.


Compare novamente:

vez


voz
Agora, a diferença de significados ocorre devido à substituição do som de e por o.
Comparando mais duas palavras:

foz


voz

Nesse caso, a simples oposição entre os sons f e v estabelece a diferença de significados entre as palavras.


Essas mínimas unidades sonoras (f, b, v, o, e, etc) recebem o nome de fonemas. Ou seja:

fonema → é de natureza sonora

letra → representação gráfica do fonema


NÚMERO DE FONEMAS X NÚMERO DE LETRAS
Vamos determinar quantos fonemas (sons) e quantas letras (sinais gráficos) aparecem em cada uma das palavras abaixo:

6 letras (á-r-v-o-r-e)



ÁRVORE

6 fonemas (/a/ /r/ /v/ /o/ /r/ /e/)

4 letras (t-á-x-i)

TÁXI

5 fonemas (/t/ /a/ /k/ /s/ /i/ )


Note que a letra x equivale a dois fonemas ( x = /k/ /s/ ).
7 letras (a-s-s-u-m-i-r)

ASSUMIR

6 fonemas (/a/ /s/ /u/ /m/ /i/ /r/)


Note que o grupo de letras ss equivale a um só fonema (ss = /s/ ).
Obs.: Em uma palavra, nem sempre o número de fonemas é igual ao número de letras.

DÍGRAFO

Dígrafo (di = dois + grafos = letras) é o conjunto de duas letras que representa um único fonema.

Em Português, existem os seguintes dígrafos:




Dígrafo

Exemplo

Dígrafo

Exemplo

ss

passado

qu

quiabo

rr

carro

gu

guerra

lh

palha

sc

nascimento

nh

galinha



cresça

ch

chuva

xc

exceto


Observações:
1ª) Em palavras como guaraná, quase, escrita e exclamar, os grupos gu, qu, sc e xc não são dígrafos, porque representam dois sons.
2ª) Podem também ser considerados dígrafos os grupos am, an, em, em, im, in, om, on, um, un, em palavras onde o m e o n não são pronunciados, apenas nasalizam a vogal anterior. Exemplos: bambu, linda, monte, etc.
CLASSIFICAÇÃO DOS FONEMAS
As palavras em Língua Portuguesa podem apresentar três tipos de fonemas: vogais, semivogais e consoantes.
VOGAIS ­– São os sons que se formam quando a corrente de ar vinda dos pulmões não sofre nenhum tipo de interrupção. Isto é, as vogais são sons que chegam livremente ao meio exterior: a, e, i, o e u. (e suas variações ã, é, ê, etc.).

É sempre a base sonora da sílaba.


VOGAL Não existe sílaba sem vogal.
Nunca há mais de uma vogal em uma sílaba.

Exemplos: menino (vogais: e,i,o); ameixa (vogais: a, e, a); outro (vogais: o,o)


SEMIVOGAIS ­– São considerados semivogais o som do i e do u quando aparecem ligados a uma vogal, formando sílaba com ela. As semivogais são pronunciadas mais “fracamente” que as vogais.
Exemplos: ameixa (ei – vogal: e, semivogal: i)

outro (ou – vogal: o , semivogal: u)


As semivogais são representadas também pelas letras e, o, m. Exemplos:

mãe /m/a/y/ c – v – sv

irmão /i/r/m/ã/w/ v – c – c – v – sv

também /t/ã/b/e/y/ c – v – c – v – sv

cantam /k/ã/t/ã/w/ c – v – c – v – sv
consoante – c vogal – v semivogal – sv

ENCONTROS VOCÁLICOS

Os conceitos que serão desenvolvidos neste item são importantes para que você possa utilizar corretamente as regras de acentuação gráfica.


Quando, em uma palavra, sons vocálicos (vogais e semivogais) aparecem um imediatamente após o outro, dizemos que aí está ocorrendo um encontro vocálico. Esses encontros classificam-se em: ditongo, tritongo e hiato.
DITONGO ­– É a junção de vogal + semivogal (ou semivogal + vogal) na mesma sílaba.
DITONGO CRESCENTE – Quando a semivogal (som mais fraco) vem antes da vogal (som mais forte)

ditongo crescente → semivogal + vogal

Exemplos: á – gua ( semivogal: u - vogal a) sé- rio ( semivogal: i – vogal: o)


DITONGO DECRESCENTE – Quando a vogal (som mais forte) vem antes da semivogal (som mais fraco)

ditongo decrescente → vogal + semivogal

Exemplos: trou – xa (vogal: o – semivogal: u)

a – zuis ( vogal: u – semivogal: i)
DITONGO ORAL – Pronunciado somente pela boca.

Exemplos: si – lên – cio

gua – ra – ná
DITONGO NASAL– Pronunciado parte pelo nariz e parte pela boca.

Exemplos: pães

ar – pões

ma – mão



Observação:

Também podem ser considerados ditongos os grupos em e am em palavras como:

po – rém e fa – lam
Repare que, nesses casos, o ditongo aparece somente na pronúncia; não aparece na escrita.
TRITONGO ­– É o encontro de semivogal + vogal + semivogal, na mesma sílaba. Exemplos: quais

sa – guão


HIATO ­– É o encontro de dois sons vocálicos pronunciado em sílabas diferentes. Exemplos: vi ­– ú – va

ra – iz

su – or

ca – dei – a


Observação:

Quando um ditongo crescente aparece no fim da palavra, ele pode ser considerado também como hiato. Ex.: fa – lên – cia (considerado ditongo)

fa – lên – ci – ­a (considerado hiato)

ENCONTROS CONSONANTAIS

Como o próprio nome já diz, encontro consonantal é aquele que se dá quando, numa palavra, juntam-se duas consoantes.

Exemplos: a – trás

crí – ti – ca

pla – no

pneu
Encontro consonantal e dígrafo são conceitos diferentes: no dígrafo ocorrem duas letras e apenas um fonema, enquanto no encontro consonantal há duas letras e dois fonemas.

SÍLABA

“Vou terminar com a palavra mais bonita do mundo. Assim bem devagarzinho: amor, mas que saudade. A – m – o – r. Beijo – te. Assim como a flor. Boca a boca. Mas que ousadia. E agora – agora paz. Paz e vida. Es – tou vi – va. Talvez eu não mereça tanto.”



Clarice Lispector
Lendo esse texto, podemos observar que a palavra amor foi separada em letras ( a- m – o – r ) e a frase “ Estou viva.” Foi separada em grupos de fonemas pronunciados separadamente (Es – tou vi – va ). A cada um desses grupos de fonemas pronunciados separadamente dá – se o nome de sílaba.

Sílaba é o fonema ou conjunto de fonemas pronunciado numa só emissão de voz.

CLASSIFICAÇÃO DAS PALAVRAS QUANTO AO NÚMERO DE SÍLABAS
Sílaba é um fonema ou um grupo de fonemas pronunciados de uma só vez. A quantidade de sílabas de uma palavra é sempre igual ao número de vogais dela.
Em função do número de sílabas, as palavras classificam-se em:
MONOSSÍLABAS ­ – Formadas por uma única sílaba.

Exemplos: fé nós quais Deus


DISSÍLABAS ­ – Formadas por duas sílabas.

Exemplos: ca – sa noi – te i – guais


TRISSÍLABAS ­ – Formadas por três sílabas.

Exemplos: má – gi – co trân – si – to se – guin – tes


POLISSÍLABAS ­ – Formadas por mais de três sílabas.

Exemplos: i – na – de – qua – do des – co – nhe – ci – men – to


Obs.: Na Língua Portuguesa, são raras as palavras com mais de seis sílabas.
DIVISÃO SILÁBICA ­
Ao dividir uma palavra em sílabas, devemos seguir basicamente as seguintes orientações:


  1. Devem ser separadas as letras dos dígrafos: rr, ss, sc,, xc .

Exemplos: ar – roz pas – sar ex – ce – to nas – cer cres – ça


  1. Se uma consoante aparecer não seguida de vogal, ela deve ficar na sílaba da esquerda.

Exemplos: a – dep – to ad – mi – tir mag – ní – fi – co


  1. Os prefixos des , in , sub etc. , ao se juntarem a uma palavra seguem as mesmas orientações que as outras palavras.

Exemplos: desigual : de – si – gual ( e não des – i – gual )

subentender : su – ben – ten – der ( e não sub – en – ten – der )


TONICIDADE
Sílaba tônica//tónica é a sílaba que, em uma palavra, é pronunciada com mais intensidade, com mais “força” que as demais sílabas. A sílaba tônica/tónica pode, ou não, ter acento gráfico. As demais sílabas da palavra são átonas, ou seja, são pronunciadas com menor intensidade que a sílaba tônica/tónica.

Exemplos: – ti – ca ( sílaba tônica/tónica : tá )

ci – da – de ( sílaba tônica/tónica : da )

i – lu – são ( sílaba tônica/tónica : são )


Existem palavras que apresentam uma sílaba chamada subtônica. Nessas palavras, que são derivadas e geralmente polissílabas, existe um acento principal (o acento tônico/tónico) e um acento secundário. A sílaba em que recair o acento secundário será chamada de sílaba subtônica.
Exemplos: ca – fe – zi – nho ( zi – sílaba tônica e fe – sílaba subtônica )

ra – pi – da – men – te (men – sílaba tônica e ra – sílaba subtônica )


Obs. A sílaba subtônica da palavra derivada (rapidamente) corresponde à sílaba tônica da palavra primitiva (rápida).
Tomando a sílaba tônica como base, é possível ainda indicar numa palavra:


  1. Sílaba pretônica: aquela que antecede a tônica.

  2. Sílaba postônica: aquela que se localiza depois da tônica.

Exemplo: Carolina (sílaba tônica : LI , sílaba pretônica: RO , sílaba postônica: NA , sílaba átona: CA) .


As sílabas que antecedem a pretônica ou que se localizam depois da postônica não têm nome específico. Serão sílabas átonas, simplesmente.

CLASSIFICAÇÃO DAS PALAVRAS QUANTO À POSIÇÃO DA SÍLABA TÔNICA/TÓNICA



  1. Palavras de duas ou mais sílabas

Em Português, o acento tônico de uma palavra recai sempre na antepenúltima, na penúltima ou na última sílaba, mesmo que a palavra seja polissílaba. Veja:

CALOR → a sílaba tônica é a última.

ESCOLA → a sílaba tônica é a penúltima.

REBLICA → a sílaba tônica é a antepenúltima.
Dependendo da posição da sílaba tônica, a palavra de duas ou mais sílabas será classificada como:
OXÍTONA ­ – a sílaba tônica é a última.

Exemplos: funil, amanhã, você, filé, avô, urubu, colar, fazer, animal, coração.


PAROXÍTONA ­ – a sílaba tônica é a penúltima.

Exemplos: coluna, livro, caderno, táxi, álbum, móvel, laranja, maravilhoso.


PROPAROXÍTONA ­ – a sílaba tônica é a antepenúltima.

Exemplos: lâmina, árvore, exército, hexágono, vítima, pêssego, lâmpada.



Obs.: Nas palavras compostas em que os elementos aparecem separados por hífen, existe mais de uma sílaba tônica, isto é, cada elemento tem a sua sílaba tônica: cabra – cega : ca e ce são sílabas tônicas


  1. Monossílabos

“Com seu colar de coral,

Carolina


Corre por entre as colunas...”
Lendo-se esse trecho em voz alta, observa-se que o monossílabo de é pronunciado fracamente na frase. Ele se apoia na palavra seguinte (coral), como se fosse uma sílaba átona daquela palavra: [dikoraw]. Na verdade, quando pronunciamos as duas palavras, não deixamos nenhuma pausa entre elas, de forma que o monossílabo de, nessa frase, encosta-se à palavra vizinha. Ele é, nesse caso, um monossílabo átono.

Monossílabo átono é aquele pronunciado fracamente na frase em que aparece. Não tem acento próprio e, por isso, necessita apoiar-se na palavra que o antecede ou na palavra que vem depois dele.

Outros exemplos de monossílabos átonos:


Era uma estrela sozinha

Luzindo no fim do dia... (M. Bandeira)


Mostro - lhe a mão calejada,

enorme, a escorrer seiva, sol e orgulho... (C. Ricardo)


A solidão, carrego-a no bolso. (C. D. Andrade)

Mas que temos nós com isso?


Agora, observe os monossílabos que seguem:

“E o sol, vendo aquela cor

do colar de Carolina,

Põe coroas de coral...”
Os monossílabos sol, cor e põe são pronunciados fortemente na frase em que aparecem. Por isso, não precisam apoiar-se nas palavras vizinhas, uma vez que apresentam acento próprio. Os monossílabos destacados acima são monossílabos tônicos.


Monossílabo tônico/tónico é aquele pronunciado fortemente na frase em que aparece. Tendo acento próprio, o monossílabo tônico/tónico não necessita apoiar-se na palavra que o antecede ou que o segue.

Outros exemplos de monossílabos tônicos/tónicos:


Não têm fé, nem lei, nem rei.

A beleza, é em nós que ela existe. (M. Bandeira)


As estrelas tremem no ar frio, no céu frio. (M. Bandeira)
Depois veio o mau destino

E fez de mim o que quis. (M. Bandeira)


Os monossílabos podem ser tônicos ou átonos, dependendo da frase em que aparecem.
Observe:

__ Você não sabia disso? (Nessa frase, o não é um monossílabo átono.)

__ Não, nunca soube! (Nessa frase, o não é um monossílabo tônico.)

Segue exemplo.


 Os monossílabos podem atuar como átonos em um dado enunciado e como tônicos em outro. Vejamos os exemplos:

Você agiu assim por quê? – tônico

que há com você? – átono
Você trouxe sua mochila para quê? (tônico) / Que tem dentro da sua mochila? (átono)

sempre um mas para questionar. (tônico) / Eu sei seu nome, mas não me recordo agora. (átono)
Existem alguns traços que permitem distinguir monossílabo átono de monossílabo tônico.


  1. Os monossílabos cuja vogal final se modifica ou pode-se modificar na pronúncia são monossílabos átonos. Com os tônicos, não ocorre tal possibilidade.




  1. Vou de carro. (de – monossílabo átono. É possível a pronúncia [di]).

  2. a mão a ela. (Dê – monossílabo tônico. A única pronúncia possível é [de]).

  3. Que horas são? (Que – monossílabo átono. É possível a pronúncia [ki]).

  4. Você pensou em quê? ( quê – monossílabo tônico. É impossível a pronúncia [ki]).

  5. Vou por aqui. ( por – monossílabo átono . É possível a pronúncia [pur]).

  6. Vou pôr a mão ali. ( pôr – monossílabo tônico. É impossível a pronúncia [pur]).




  1. Os monossílabos vazios de significado, quando isolados da frase, são monossílabos átonos. Um, uns, o, a, os, as, me, te, se, lhe, com, sob, etc. Veja:

Exemplo: Ela vai, mas eu não vou.
Isolado, o monossílabo mas é vazio de significado. Ele só tem sentido na frase para indicar oposição de ideias.
Os monossílabos que, mesmo isolados, têm significado, são tônicos: sol, mar, cal, nós, vós, noz, pôs, mal, já, bem, etc.
Observe:

Aquelas meninas são más, papai.

O monossílabo destacado teria sentido mesmo fora da frase: más = ruins.
Outros exemplos:


  • Saia da rua. (da – monossílabo átono)

  • Assim não mais! (dá – monossílabo tônico)


VALOR DISTINTIVO DO ACENTO TÔNICO
Pela variabilidade de sua posição, o acento tônico pode ter em português valor distintivo, fonológico. Comparando, por exemplo, os vocábulos: bia/sabia/sabiá, percebemos que o acento tônico é suficiente para estabelecer uma oposição, uma distinção significativa.
ACENTUAÇÃO VICIOSA


  1. Atente-se na exata pronúncia das seguintes palavras, para evitar uma silabada, denominação que se dá ao erro de prosódia.




  1. São oxítonas: Gibraltar, mister, Nobel, novel, refém, ruim, sutil, ureter.

  2. São paroxítonas: alanos, avaro, aziago, batavo, ciclope, decano, erudito, estalido, filantropo, gratuito(úi), ibero, maquinaria, cartomancia, misantropo, periferia, pudico, rubrica, têxtil, tulipa, edito (lei).

  3. São proparoxítonas: alcoólatra, âmago, anêmona, aríete, azáfama, bígamo, hipódromo, ômega, protótipo, lêvedo, édito (ordem judicial).




  1. Para alguns vocábulos há, mesmo na língua culta, oscilação de pronúncia. É o caso de: anídrido ou anidrido, hieróglifo ou hieroglifo, Oceânia ou Oceania, ortoépia ou ortoepia, projétil ou projetil, réptil ou reptil, sóror ou soror, zângão ou zangão.

Resumindo:


Sílabas tônica, subtônica e átonas.

Na Língua Portuguesa, todas as palavras possuem uma sílaba tônica - a que recebe a maior inflexão de voz. Nem todas, porém, são marcadas pelo acento gráfico.


As sílabas são subdivididas em tônicas, subtônicas e átonas.




Sílaba tônica:

A sílaba tônica é a mais forte da palavra. Só existe uma sílaba tônica em cada palavra.


O guaraná - A sílaba tônica é a última (). A palavra é oxítona.


O táxi - A sílaba tônica é a penúltima (). A palavra é paroxítona.
A própolis - A sílaba tônica é a antepenúltima (pró). A palavra é proparoxítona.

A sílaba tônica sempre se encontra em uma destas três sílabas: na última (oxítona), na penúltima (paroxítona) ou na antepenúltima (proparoxítona).




Sílaba subtônica:

A sílaba subtônica só existe em palavras derivadas, que são as que provêm de outra palavra. Coincide com a tônica da palavra primitiva, ou seja, a sílaba tônica da palavra primitiva se transforma em subtônica da derivada.


Guaranazinho - A sílaba tônica é zi, e a subtônica, na, pois era a tônica da primitiva (guara).


Taxímetro - A sílaba tônica é , e a subtônica, ta, pois era a tônica da primitiva (xi).
Propolina - A sílaba tônica é li, e a subtônica, pro, pois era a tônica da primitiva (própolis).


Sílabas átonas

Todas as outras sílabas são denominadas de átonas.



ESTRUTURA DAS PALAVRAS
forma

reforma

disforma

transforma

conforma

informa

forma

José L.Grünewald



MORFEMA
Do ponto de vista fonológico, a palavra pode ser dividida em sílabas – for – ma – e em fonemas – /f/ /o/ /r/ /m/ /a/. Fonema é a menor unidade fonológica da palavra. Mas a palavra não é apenas uma sequência de fonemas. Veja, por exemplo, as palavras que formam o poema acima. Todas elas podem ser divididas em unidades menores, dotadas de significação: re-, dis-, trans-, com-,in-. Essas unidades são chamadas morfemas. Às vezes, o morfema é constituído de uma palavra que é indivisível em unidades menores de significado. Exemplos: luz, rã, lã.
Os morfemas classificam-se em lexicais e gramaticais.
É lexical quando se refere ao mundo psicológico, biológico e social do homem. A significação diz respeito ao mundo extralinguístico.

É gramatical quando se refere ao sistema da língua a que pertence a palavra. É a significação responsável pelo enquadramento da palavra no sistema linguístico (indicação de gênero, número, grau, modo, tempo, pessoa).



Exemplo: na palavra aluna, alun- é o morfema lexical e –a é o morfema gramatical.
1- Morfema lexical ou radical
Em todas as palavras do poema, há um elemento comum, invariável (form-) que é responsável pela base do significado. A esse elemento dá–se o nome de radical.

Radical é o morfema que contém a significação lexical da palavra.

As palavras que têm o mesmo radical são chamadas de cognatas. Veja exemplos de palavras cognatas e seus radicais:



pedra


pedreiro

empedrar


pedraria

ferro


ferreiro

enferrujar

ferrugem

caixa


caixeiro

encaixar


caixote

Às vezes, o radical de uma família de palavras pode sofrer variações que não alteram seu significado. Exemplo:


Fazero radical faz- sofre alteração em algumas formas do verbo: fizemos, faremos, faça etc.
2- Morfemas gramaticais
Os morfemas gramaticais são os seguintes: vogal temática, desinências e afixos (prefixos e sufixos).
2.1. Vogal Temática
Observe

  • Verbo formar:


form → radical + r → morfema que indica infinitivo
É impossível juntar os dois morfemas sem o auxílio de uma vogal:
form + a + r ( a → vogal temática)


  • Substantivo raízes:


raiz → radical + s → morfema que indica plural
É impossível juntar os dois morfemas sem o auxílio de uma vogal:

raiz + e + s ( e → vogal temática)




Vogal Temática é aquela que se junta ao radical de uma palavra para permitir que ela receba outros elementos que indicam noções gramaticais: gênero, número, tempo, etc.

A vogal temática aparece em verbos, em nomes (substantivos, adjetivos) e em pronomes.


Nos verbos, a vogal temática indica a conjugação a que o verbo pertence:
A – vogal temática da 1ª conjugação: comprar, falar;

E – vogal temática da 2ª conjugação: vender, receber;

I – vogal temática da 3ª conjugação: partir, residir.
O verbo pôr, antigamente, apresentava a vogal temática e (poer). Pertencia, portanto, à 2ª conjugação. Essa vogal temática conservou-se em algumas formas desse verbo: pões, puseram, põem, etc.
Nos nomes, a vogal temática ocorre em derivados de verbos, como: fingimento, partição, perdoável; e em substantivos e adjetivos que terminam em a, e, o átonos. Exemplos: rosa, casa, livro, lobo, dente, análise.
Os nomes terminados em vogal tônica (oxítonos, portanto) não apresentam vogal temática: sarará, urubu, dendê etc.
Para os terminados em consoante, a vogal temática aparece apenas no plural: mares, luzes, revólveres etc.
Dá-se o nome de tema ao grupo formado por radical + vogal temática.

Exemplos:




  • O tema de falar é fala (fal- + a).

  • O tema de vender é vende ( vend- + e ).

  • O tema de

  1   2   3   4   5   6   7   8


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal