Curricula vitae



Baixar 49,04 Kb.
Encontro14.11.2018
Tamanho49,04 Kb.

CURRICULA VITAE




MANUEL PEDRO NUNES (barítono)
Nasceu no Barreiro e iniciou os seus estudos na Academia de Amadores de Música, com a prof.ª Albertina Xavier. Concluído o Curso Geral, ingressou na classe da prof.ª Joana Silva, tendo concluído o Curso Superior de Canto com a máxima classificação. Prosseguiu os seus estudos no Mozarteum, em Salzburgo, sob a égide do prof. Rudolf Knoll, como bolseiro do Ministério da Cultura e da Fundação Luso-Americana. Trabalhou com a prof.ª Vera Rozsa em Londres, durante amplos períodos, como bolseiro do IPAE e da AB-FLAD. É actualmente aluno do prof. Ralf Döring, catedrático da Hochschule de Viena. Frequentou ainda várias "masterclasses" com professores como: Elizabeth Grümmer e Hugo Diez (em Salzburgo), Sena Jurinac (em Viena), Kurt Equiluz (por duas vezes em Lisboa), Eberhardt Wächter (Salzburgo) e José van Dam (Bruxelas), sempre com cartas de louvor e de recomendação. Foi premiado nos concursos do Porto e de Tomar, representou Portugal no Concurso de Viña del Mar no Chile, tendo sido seleccionado a nível mundial para o efeito, e foi patrocinado pela RDP-2 para representar Portugal no BBC World Contest em Cardiff. É membro da Direcção da Associação de Bolseiros da FLAD e tem desenvolvido actividade como conferencista nesta instituição e na Faculdade de Letras de Lisboa. Cursou ainda Engenharia Química, Filologia Clássica e Matemáticas, tendo ainda ampliado os seus conhecimentos linguísticos, dominando oito idiomas. Regressou à Escola Superior de Música de Lisboa, para concluir a nova licenciatura, de novo com a classificação máxima.

Como concertista tem feito recitais para a RDP, para a Fundação Gulbenkian, para várias autarquias, para a Universidade de Aveiro, para o Instituto Franco-Português e para a FLAD, tendo apresentado em estreia em Portugal as "Ten Old American Folk Songs" de Copland. Apresentou também na EXPO 98 um recital de ópera no Dia de Portugal. Participou em projectos de divulgação da música erudita junto do público infantil, em particular nos espectáculos "Música para Pais e Filhos" no Centro Cultural de Belém e no Teatro Maria Matos. Em Salzburgo, ainda estudante, apresentou-se em recitais no Mozarteum e participou na oficina de Composição do compositor Alfred Schnittke, apresentando obras inéditas de jovens compositores europeus. Tem actuado muitas vezes como solista de concerto com a OSJ, nas Missas de Schubert em Sol Maior e Lá Bemol Maior, na Missa em Dó Menor de Mozart e em "A Criação" de Haydn. Participou nas homenagens ao compositor Tomás del Negro e ao cantor Tomás Alcaide. Estreou-se recentemente no "Stabat Mater" de Rossini também com a OSJ e participou na Gala Verdiana na Aula Magna da Reitoria de Lisboa, interpretando o Quarteto de “Rigoletto” e a ária do Conde de Luna de “O Trovador”.

A sua estreia operática deu-se no teatro da Trindade no papel de Conde Almaviva em "As Bodas de Fígaro" de Mozart, numa produção de grande sucesso. Estreou-se depois no protagonista de "Rigoletto" de Verdi, no Teatro Camões. Integrou o elenco do espectáculo "Viva Verdi", com excertos do "Otello", "Rigoletto", "Trovador", "Traviata" e "Força do Destino". Prepara agora a integral dos ciclos de Schubert, que já apresentou em Setúbal, bem como as “Valsas” de Brahms. Como futuros papéis, reapresentar-se-á como Rigoletto e depois estrear-se-á como Conde de Luna, na ópera “O Trovador”. Cantará depois o “Elijah” de Mendelssohn.

O seu repertório integra as principais obras concertísticas para a sua voz de barítono lírico, bem como os principais papéis da ópera italiana, francesa, alemã e russa para o seu tipo de voz, além de um número assinalável de "Lieder" e de "Mélodies" das mais variadas literaturas musicais. Os seus projectos futuros incluem a gravação de um disco de repertório português e outro de repertório internacional, bem como a ampliação do seu repertório operático, com estudo de papéis wagnerianos e straussianos.



VERA PROKIC (piano)

Aos 5 anos iniciou os estudos de piano no convento Beneditino Zadar, na Croacia. Estudou na escola oficial e no mesmo tempo recebeu aulas particulares com o prof. Despalj. Mais tarde com o famoso professor Russo E.Timakin. O prémio melhor aluna do curso secundário de música permitiu-lhe tocar com a Orquestra Sinfónica e participar num "festival de criação em Sinenik". Concluiu o curso de escola superior em Zagreb onde estudou com a prof.ª Krpan durante 5 anos. Na escola superior de música em Viena tirou a especialização com o prof. B Czuberka. Possui cursos de pós-graduação realizados com R. Kerer, C. Boginov. Ganhou o 2º prémio no concurso nacional de piano da ex-jugoslávia.

Durante 10 anos foi pianista, cravista e organista da orquestra filarmónica de Zagreb. Foi professora efectiva do Conservatório Nacional de Zagreb e maestra corepetidora da ópera nacional  como também colaborou com o Teatro Nacional. Participou no Festival internacional de Dubrovnik e em Festivais de música contemporânea "Zagreb Music Bienale" trabalhando e tocando com J. Cage, Kagel, Penderecki, L. Berio, Ligetti, entre outros. Realizou diversos concertos em toda Europa. Escreveu para o III programa radiofónico "música e palavra".

Actualmente, reside, em Portugal, ocupando funções no Conservatório de Música de Lisboa. Colaborou com a Fundação dos amigos, Escola de música "Linda a Velha", com a orquestra e coro Gulbenkian, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Universidade de Évora. Desempenhou o cargo de maestra corepetidora da ópera Nacional São Carlos. Acompanhou e realizou várias master-classes com Marimi del Ponzo, R. Knoll, Lela Cuberli, T. Lafonteine entre outros. Tem realizado concertos para a antena 2, e programas televisivos e apresenta-se regularmente como solista de vários duos e cantores em todo o país. Colaboradora permanente com CNC e associação "Ginásio Opera".



ANA MADALENA MOREIRA (soprano)

Em Fevereiro de 2004, editou um CD de Árias de Ópera – “Octaedrum” - que foi gravado com a Orquestra Metropolitana de Lisboa, sob a direcção do Maestro Manuel Ivo Cruz. Com obras de Dvořák, Mozart, Marcos Portugal, Bellini, Donizetti, Verdi, Puccini, Rossini e Alfredo Keil.

Em Maio de 2002, no Teatro Camões, interpretou a personagem de Gilda na Ópera “Il Rigoletto” de Verdi.

Gravou um CD patrocinado pelo Ministério da Cultura, onde interpreta música dos compositores portugueses: Croner de Vasconcellos, Ivo Cruz e Vianna da Motta.

Aperfeiçoou a sua técnica vocal e interpretativa, em Viena, com a professora Karmmersängarin Ruthilde Boesch.

No âmbito do Lied a sua preferência em Recital tem-se centrado em Richard Strauss, Schubert e Schumann, integrando também no seu repertório música de outros compositores tais como Ravel, Duparc, Fauré, Bizet, etc.

O seu repertório estende-se igualmente a outras áreas tendo apresentado-se em Concerto com interpretações de obras como “Missa em Dó M” de Mozart, “Stabat Mater” de Pergolesi, “Gloria RV 589” de Vivaldi, “Missa de Stª Teresa” de Haydn ,“Requiem” de Domingos Bomtempo, Cantata de Bach “Jauchzet Gott in allen Landen”, “Exultate Jubilate” de Mozart, a Óratória “Jephte” de Giacomo Carissimi, a Oratória “Die Schöpfung” de Haydn e o ciclo “Schéhérazade” de Maurice Ravel e “Stabat Mater” de Rossini.

Em Outubro de 98 frequentou a Master-classe com o professor Ted Puffer e foi finalista no “Concours Internacional d’Art Lyrique“ em França.

Apresentou-se na EXPO ‘98 interpretando “Madame Herz” da ópera “Schauspieldirektor”.

Estreou-se na Ópera interpretando a personagem de Rainha da Noite em “Flauta Mágica” de Mozart, a que se seguiram outras interpretações em Óperas do mesmo compositor tais como em “Rapto do Serralho”, “Don Giovanni” e “Idomeneo”.

Obteve uma Menção Honrosa, no III Concurso Nacional de Canto “Luisa Todi“ e, em 1995, foi seleccionada para a semi-final do Concurso Internacional Belvedere.

Gravou para a R.T.P. e para a R.D.P.

Foi solista com a Orquestra Nacional do Porto, com a Orquestra Metropolitana de Lisboa, com a Orquestra do Norte, com a Orquestra Sinfónica Juvenil, com a Orquestra de Câmara de Cascais, com o Coro Polifónico Eborae Música, com o Quarteto Lacerda e em duo com os guitarristas Piñeiro Nagy e Carlos Gutkin. Actuou em colaboração com os Maestros Manuel Ivo Cruz, Christopher Bochmann, José Ferreira Lobo, José Atalaya, João Paulo Santos, Armando Vidal, Mats Liljefors e Günther Arglebe bem como com os pianistas Lucjan Luc, Alessandro Misciasci, Michael Lobberegt, Eurico Rosado, Nicholas MacNair e Mariko Moritani.

Tem desenvolvido a sua actividade através de Recitais e Concertos, em Portugal e no estrangeiro nomeadamente em Espanha, França, Bélgica e Áustria.

Em Portugal, frequentou cursos de aperfeiçoamento com os professores Oliveira Lopes, Elsa Saque e Liliana Bizineche.

Frequentou os cursos de Verão na Internacional Sommerakademie Mozarteum, na Áustria, no âmbito dos quais trabalhou com os professores Elisabeth Schwarzkopf, Kerstin Meyer, Werner Hollweg e Rudolf Knoll. Aperfeiçou o seu repertório em Ópera Italiana com a professora Iris Adami-Corradetti.

É licenciada em Canto pela Escola Superior de Música de Lisboa, onde estudou com a professora Joana Silva, tendo ainda frequentado a classe da professora Olga Pratts.

É licenciada em Matemática. Foi um dos elementos fundadores do Coro da Universidade de Évora, tendo prestado colaboração directa ao então maestro e director artístico.

Nasceu em Faro, onde iniciou os estudos musicais. Em 1987 iniciou os estudos de canto com a professora polaca Marta Jaroszewicz.
IAN NIKOLAEVITCH MIKIRTOUMOV (1974) - Maestro de Coro, Cantor, Pianista, Professor.
Natural de Moscovo (Rússia). Iniciou a sua formação profissional aos 5 anos de idade na Escola Estatal do Arte Coral “A. V. Sweschnikov” na especialidade de “Direcção Coral” onde estudou 11 anos e obteve diploma com distinção na especialidade de “Direcção Coral”. Em 1997 finalizou a sua Licenciatura em “Direcção Coral” na Academia Superior de Arte Coral em Moscovo na classe do prof. Viktor Popov (Direcção Coral) e Mikhail Arkadiev (Piano). Entre Setembro de 97 e Janeiro de 1998, especializa-se em Composição no Conservatório Superior de P.I. Tchaikovsky em Moscovo. A partir de 1989 tem desenvolvido uma grande actividade de concertos e recitais como cantor, pianista – acompanhador, compositor e maestro do coro. Trabalhou com inúmeros coros mistos e masculinos de Moscovo, entre os quais Coro Juvenil “Sweschnikov”, Coro de Academia da Arte Coral, Coro masculino de Patriarca de Moscovo, Coro masculino “Academia Coral”, Coro de Teatro “Nova Opera”, Coro de Mosteiro Sviato Danilovskij entre outros. Participou em tournée na Alemanha, França, Suíça, Suécia, Itália, Polónia, Finlândia, Noruega, Japão, EUA e Rússia. Ganhou vários concursos de “Formação Musical” em vários níveis. Participou nos vários cursos de “Direcção Coral” orientados pelos prof. B. Tevlin, A. Sokolov, Helmut Riling, Victor Popov e outros. Em 1995 participou no Primeiro Concurso Nacional do Maestros dos Coros obtendo prémio especial do júri. Em Março de 2001 participou no curso de Piano que decorreu na Universidade de Aveiro (Portugal) orientado pelo Prof. Valery Starodubrovsky. Em 1991 - 1994 trabalhou como maestro de ensemble vocal e solista no famoso teatro dramático "Lenkom" em Moscovo onde fez três estreias de espectáculos musicais. Escreveu a música para varias peças teatrais.

Desde 1993 dedicou-se a música antiga como solista (tenor), coloborou com os grupos de musica antiga “Madrigal” da Filarmónica de Moscovo, “Lad”, quarteto vocal "Argushev - consort", quarteto masculino "Pesnoslov". Gravou varios discos e CD com coros e orquestras da Russia e Alemanha, interpretou o papel solista – tenor nas obras I. S. Bach "Johannes Passion", H. Schutz "História de Natal", L. van Beethoven "Missa solemnis", G. Berlioz "Infância de Jesus Cristo", E.Denisov "A vida e a morte de Jesus Cristo" em estreia absoluta entre outros.

Desde 1999 reside em Portugal onde começou a sua carreira como professor. Leccionou em vários escolas do pais disciplinas: Coro, Canto, Formação Musical, Música de Câmara, Piano e Acompanhamento.

Foi entrevistado pela revista “Algarve Mais” em Março 2001 e no “Diário Cultural do Algarve” em Abril de 2003.

Em 2001 formou o seu próprio grupo “Contradição” com qual fez vários recitais, entre os quais no Centro Cultural de Belém, foi Maestro do Coro dos Pequenos Cantores de Academia Amadores de Música, com qual participou na apresentação de ópera “Boris Godunov” no teatro “São Carlos” em Lisboa.

Fundou os Grupos Corais Juvenil e “Sénior” do Conservatório de Musica de Albufeira, com os quais regularmente actua no Algarve; em 2002 deslocou-se a França para representar Portugal no 1º Festival de Coros Juvenis; recentemente apresentou o musical “Músicos de Bremen” e participou nos concertos com Orquestra da Escola Profissional de Música de Espinho para qual fez instrumentação de duas obras. Participou nas vários actuações como pianista – acompanhador entre os quais festival “MUSA” em Almada, 3º concurso de Instrumentos de Arco “Júlio Cardona” em Covilhã, “Prémio Jovens Músicos”, Concurso de Interpretação em Estoril. É regularmente convidado para acompanhar instrumentistas e cantores. Anualmente trabalha com a prof.ª Mercê Obiol no masterclasse de Canto na Academia de Amadores de Musica. Actualmente lecciona na Academia Nacional Superior de Orquestra, Academia de Amadores de Música, é professor de Coro e Canto no Conservatório de Música de Albufeira. Dirige vários grupos de música de câmara.

Dedica-se ao mundo da Internet; criou vários páginas entre os quais “Música Clássica em Portugal” e “Coro Júnior e Sénior do Conservatório de Música de Albufeira”.


DOMINGOS-ANTÓNIO GOMES (piano)
Nasceu em Pittsburgh, Pennsylvania, em 30 de Julho de 1977, filho de pai português e mãe italiana.

Iniciou aos 7 anos os estudos de piano na Westwood Elementary School, Pittsburgh, Pa., em simultâneo com a Escola Martin Luther King para crianças sobredotadas.

Em 1991, com 14 anos, a conselho dos seus professores americanos, que lhe antevêm um futuro de virtuosismo pianistico, parte para Moscovo. É admitido na Escola Especializada de Música, afiliada do Conservatório Tchaikovsky, onde ingressa em 1996, tendo como Professor Dmitri Saharov.

Conclui o curso de piano no Conservatório Tchaikovsky de Moscovo em 2001 com a mais alta classificação: “Excellent”.

Com 26 anos conta com actuações nos EUA, Rússia, Ucrânia.

Em Portugal, onde passou a residir recentemente deu já vários recitais a solo em: Cascais, Porto, Vila Real, V. N. de Ourém, Aveiro, Sintra e Lisboa.

Participou no Festival de Música da Madeira como solista convidado da Orquestra Clássica da Madeira sob a direcção do Maestro Rui Massena.

Actuou no Pavilhão Atlântico com a Orquestra do Porto sob a direcção do Maestro José Cura.

Em Janeiro irá tocar com a Orquestra do Algarve sob a direcção do Maestro Álvaro Cassuto.

O seu reportório inclui: Bach, Haydn, Beethoven, Chopin, Schumann, Scarlatti, Schubert, Liszt, Brahms, Tchaikovsky, Mussorgsky, Rachmaninov, Debussy, Ravel, Prokofiev e Vianna da Mota.




~ IL DOLCIMELO ~

grupo de Música Antiga

Nomes dos músicos que integram o programa Jardim das Delícias – música italiana de c.1600



Margarida de Mourasoprano

Sara Laureano – soprano

Carmo Burnay – contralto

João de Barros – tenor

Ricardo Valente – baixo

Marco Magalhães, Sara Ponte, Sofia Barreira, Francisco Gonçalves - flautas

Diana Matos – alaúde e viola de cinco ordens

Ana Luísa Pimentel – violino barroco

Manuela de Oliveira – viola da gamba

Flávia Castro – virginal/cravo

Cecília Torka, Luísa Amado, Joana Sousa Monteiro, Pedro Nunes, Manuel Branco, José Pedro Castanheira – coro

Ana Isabel Ribeiro – cenografia e assistência de produção

Isabel Monteiro – flauta e direcção
O grupo de Música Antiga IL DOLCIMELO – constituído por músicos profissionais e estudantes do ensino superior – nasceu de uma necessidade de recriar e divulgar as sonoridades musicais do passado com rigor histórico, quer no que se refere a repertório e técnicas interpretativas quer na utilização de cópias de instrumentos da época.

Para tal mantém uma actividade de investigação musicológica como suporte da execução musical, recolhendo nas fontes documentais e iconográficas informação sobre as práticas musicais em vigor, não só em Portugal e na Europa renascentistas, como também nos novos territórios de influência portuguesa.

Este rigor na escolha do repertório e dos instrumentos tem contribuído para que o grupo seja frequentemente solicitado a participar em recriações históricas das épocas em que se vem especializando, nomeadamente em monumentos e igrejas. É neste âmbito que se enquadra uma intensa colaboração com a Comissão dos Descobrimentos iniciada em 1993, em espectáculos de reconstituição das épocas de D. João II e de D. Manuel I, desde o Algarve até ao Minho.

Desde a sua fundação, em 1993, apresentou-se em concerto em diversos locais de Lisboa, também em Sintra, Algés e Oeiras, bem como na cidade de Budapeste. Com o Coro Arsis participou num espectáculo comemorativo do 60º aniversário da Radiodifusão Portuguesa, em Coimbra, e em 1998 apresentou na Igreja Matriz de Alvôr um programa especialmente seleccionado para as comemorações do Padre António Vieira, dando uma breve panorâmica da evolução musical e instrumental ao longo da sua época.

Em Agosto de 2000 participou nas comemorações da chegada dos portugueses ao Brasil em 1500, actuando integrado numa espectacular encenação em Belmonte, terra natal de Pedro Álvares Cabral. No ano seguinte apresentou-se com grande sucesso no Festival de Música Antiga de Loulé, e em 2002 apresentou em Alenquer um programa especialmente dedicado a Damião de Góis, integrado nas comemorações do quinto centenário do seu nascimento.

Nas suas actuações tem vindo a privilegiar a divulgação de obras de compositores portugueses bem como o variado repertório dos cancioneiros renascentistas, de entre os quais os portugueses de Elvas, de Belém, de Paris e da Biblioteca Nacional de Lisboa.

Na montagem dos seus concertos recorre frequentemente aos cronistas e outros autores contemporâneos do repertório musical – nomeadamente Camões, Garcia de Resende ou Gil Vicente – os quais dão um importante contributo para a recriação de uma atmosfera humanística tão própria da corte portuguesa da primeira metade do século XVI.

De entre os programas actualmente disponíveis – montados com número variável de músicos, desde dois até cerca de vinte – destacam-se: Amor é fogo que arde... / canções de amor do século XVI, Vilancicos de Natal / canções ibéricas ao Menino e à Virgem e Jardim das Delícias / música italiana de c.1600.



Vocacionado para empreender acções de carácter didáctico na área da música renascentista, tem desenvolvido actividade pedagógica em escolas de primeiro e segundo ciclos, tendo neste momento em curso um projecto de sensibilização ao século XVI português para Animação de Bibliotecas e para alunos do Ensino Secundário.

Notas Biográficas



Margarida de Moura – concluiu o curso de Flauta de Bisel na Academia de Amadores de Música, onde prossegue a sua formação como cantora, tendo frequentado diversos cursos de interpretação e aperfeiçoamento com especialistas portugueses e estrangeiros. Integrando o projecto "Sintra Estúdio de Ópera" tem efectuado diversos concertos e participa com regularidade em animações de época.

Sara Laureano – terminou o curso de Instrumento da Escola Técnica de Imagem e Comunicação, em Lisboa, prosseguindo o estudo do Canto anteriormente desenvolvido noutras escolas. Aprofunda a sua formação como cantora no Conservatório Nacional de Lisboa, sendo também aluna do Curso de Ciências Musicais na Universidade Nova de Lisboa.

Carmo Burnay – membro efectivo do Coral Públia Hortênsia, onde desenvolveu um particular interesse pelo repertório renascentista, integra frequentemente grupos de solistas no repertório coral. Estudou Canto com Helena Afonso e com Lúcia Lemos.

João de Barros – actualmente estudante de Canto no Conservatório Nacional de Lisboa, tem já larga experiência como coralista, tendo participado em diversos espectáculos com o Coro Gulbenkian, o Coro do Teatro de S. Carlos, com as orquestras Sinfónica Portuguesa e Metropolitana de Lisboa. É membro efectivo do Coral Lisboa Cantat.

Ricardo Valente – é diplomado pela Escola Superior de Música de Lisboa como professor de Formação Musical, tendo estudado também canto no Conservatório Nacional de Lisboa. Tem actuado com diversos grupos como cantor.

Marco Magalhães – diplomado em Flauta de Bisel pela Escola Superior de Música de Lisboa, integra diversos grupos instrumentais, nomeadamente A Imagem da Melancolia, com quem tem actuado em Festivais de Música Antiga em Portugal e no estrangeiro.

Sara Ponte – licenciada em Flauta de Bisel pela Escola Superior de Música de Lisboa, é actualmente docente em diversas escolas de música, actuando como flautista em vários grupos de Música Antiga.

Sofia Barreira – estuda Flauta de Bisel e Violeta na Academia de Música de Santa Cecília. Como elemento do Coro da escola tem participado em concertos com a Orquestra e o Coro Gulbenkian.

Francisco Gonçalves – terminou o curso de Flauta de Bisel na Academia de Música de Santa Cecília, ingressando seguidamente na Escola Superior de Música de Lisboa. É também membro do Coral Públia Hortênsia, com quem tem realizado inúmeros concertos.

Diana Matos – licenciada em Alaúde pela Universidade de Évora, tem-se dedicado aos repertórios renascentista e barroco, actuando frequentemente com diversos grupos de câmara como alaudista ou tocando viola de cinco ordens.

Ana Luísa Pimentel – terminou o curso de Violino na Academia de Música de Santa Cecília, tendo-se posteriormente especializado em Violino Barroco com Steaphen Bull. Colabora com a orquestra barroca Capela Real e é membro efectivo da Orquestra do Círculo de Música de Câmara de Lisboa.

Manuela de Oliveira – estudou Viola da Gamba em Tours, Angoulême, Poitiers e Lyon (França), sendo presentemente estudante no Curso de Ciências Musicais da Universidade Nova de Lisboa. Como gambista participou em diversos projectos abrangendo um vasto leque de repertório.

Flávia Castro – é diplomada em Cravo pela Escola Superior de Música de Lisboa (ESML) e pela Escola Superior de Artes de Utrecht, Holanda. É professora de Cravo no Instituto Gregoriano de Lisboa e na Escola de Música do Orfeão de Leiria, sendo também cravista acompanhadora na ESML. A sua carreira como intérprete, com diversos grupos de câmara, tem-se desenvolvido em Portugal e no estrangeiro.

Coro – criado em 2003 expressamente para a montagem do programa Amor é Fogo que Arde / canções de amor do século XVI, por ocasião do décimo aniversário do grupo, é constituído por professores, estudantes de música e elementos de outras profissões com larga experiência coral. Alguns destes cantores assumem também responsabilidades solísticas.

Ana Isabel Ribeiro – licenciada em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa, estudou música na Academia de Santa Cecília, onde presentemente é professora de Expressão Plástica e de Educação Visual.

Isabel Monteiro – licenciada em Flauta de Bisel pela Escola Superior de Música de Lisboa, estudou também Percussão e Direcção Coral. Frequentou diversos cursos de interpretação de Música Antiga com especialistas nacionais e estrangeiros, nomeadamente com Jordi Savall nas Semanas de Música Antiga Ibérica da Fundação Calouste Gulbenkian. A par de uma intensa actividade pedagógica no domínio da música, dedica-se à investigação em torno do século XVI. É professora de Flauta de Bisel e de Música de Câmara na Academia de Música de Santa Cecília, em Lisboa.



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal