Crescimento com endividamento externo



Baixar 63,63 Kb.
Encontro26.10.2017
Tamanho63,63 Kb.

ECO 448 – Economia Brasileira O Crescimento com Endividamento Externo

CRESCIMENTO COM ENDIVIDAMENTO EXTERNO
O Brasil na década de 1970:


  • 1968-1973 - o período do “Milagre Econômico Brasileiro”




  • 1974 – 1979 – o II Plano Nacional de Desenvolvimento (II PND)




  • Governos:

    • 1964-67 – General Castelo Branco

      • Roberto Campos e Octávio Gouvêa de Bulhões – PAEG

    • 1967-69 – General Costa e Silva

      • Antônio Delfim Netto

    • 1969-74 – General Emílio Garrastazu Médici




  • Entre 1964 e 1966  Realizaram-se as reformas econômicas que estabeleceram as bases para a recuperação econômica do país.




  • As reformas são essenciais:

  • Reforma Tributária

  • Reforma Monetária – Financeira

    • Principalmente a instituição da correção monetária

  • Reforma do Setor Externo

Adotou-se uma política econômica monetarista de curto-prazo, baseada na restrição da demanda agregada e no arrocho salarial.






  • a partir de 1967 a economia brasileira entra em novo processo de expansão

  • Supera-se a crise econômica;

  • Aprofunda-se a crise política.


A EXPANSÃO DA ECONOMIA A PARTIR DE 1967

A nova expansão da economia foi possibilitada por três aspectos fundamentais:


 Devido à concentração de renda
 não apenas no nível da grande burguesia, mas da classe média para cima.
 Devido ao grande desenvolvimento do crédito direto ao consumidor
 possibilitado pela correção monetária.
 Devido à política de minidesvalorizações cambiais instituída em 1967
 estimula as exportações que repercutem positivamente sobre a economia.
 Outro fator importante é a mudança da política de curto-prazo - a inflação deixa de ser considerada como principalmente de demanda e destaca-se outro componente: os custos.



  • A política econômica conjuntural é baseada na expansão da demanda e no controle administrativo dos preços.

CENÁRIO POLÍTICO


 MUDANÇAS NA POLÍTICA ECONÔMICA
INFLAÇÃO  Definida como sendo basicamente de custos.


  • Característica do processo inflacionário brasileiro:

 De uma fase de identificação das causas da inflação como sendo predominantemente devido à expansão da demanda – com elevados níveis de utilização da capacidade produtiva


 Passou-se para uma fase em que o diagnóstico da inflação identifica-a como predominantemente expansão de custos – com níveis acentuados de capacidade ociosa.



CENÁRIO POLÍTICO NACIONAL





  • Fim do Governo Castelo Branco mudança no quadro político institucional – assume Costa e Silva.

  1. pela nova Constituição;

  2. pela lei eleitoral e dos partidos políticos;

  3. pela lei de segurança nacional.




    • Dezembro de 1968 – ATO INSTITUCIONAL NO 5 (AI5)




    • Decorrente da:




  1. Perda de vigor da Revolução de 1964;

  2. Perda de unidade ideológica conseguida com a revolução, que se sustentava em dois pilares:

      1. Moralismo – combate à corrupção;

      2. Anticomunismo – luta contra a subversão.




  • O diálogo democrático, interrompido em 64, mas que, pouco a pouco, ganhava alento foi novamente interrompido com o AI5 o governo assumia novamente todos os poderes.







  • Teve início uma nova onda de radicalização.

 MUDANÇAS NA POLÍTICA ECONÔMICA


 Nesta última fase, a inflação prosseguiu, apesar da retração da demanda, devido:


  1. a influência da elevação autônoma de certos custos;

  2. a elevação da taxa de juros;

  3. ao aumento do custo médio, resultante de menores vendas;

  4. a ação das expectativas.

 Uma das causas mais importantes da crise brasileira (não mencionada) era o lucro, ou seja, o custo do capital.


Mérito do Governo Costa e Silva  pela primeira vez a inflação brasileira foi diagnosticada como sendo de custos e as medidas econômicas adotadas foram coerentes com esse diagnóstico
as medidas econômicas passaram a estimular a procura.
 Inflação – definida como sendo principalmente de custos e apenas secundariamente de demanda o governo adota medidas (limitadas) para estimular a demanda.
 MEDIDAS ECONÔMICAS ADOTADAS PELO GOVERNO:
 A política salarial foi reformulada
 procurou-se compensar as perdas que os assalariados haviam sofrido devido à subestimação do resíduo inflacionário.
 A política de crédito tornou-se mais flexível.
 Os investimentos governamentais continuaram em níveis elevados.
 RESULTADOS OBTIDOS:

 a economia entra em um processo cumulativo de prosperidade.


 a procura  estimula a produção  estimula a procura novamente   lucros das empresas  > lucratividade  as empresas não têm mais necessidade de  preços para cobrir os custos.



 MEDIDAS ECONÔMICAS ADOTADAS PELO GOVERNO:


Papel do Governo  exercia maior controle sobre os preços industriais
 severo controle sobre os custos e preços industriais.


  • CONSELHO INTERMINISTERIAL DE PREÇOS (CIP)  controlava custos e preços das 350 maiores indústrias brasileiras  o setor oligopolista da economia.




  • O déficit do governo foi controlado  redução do déficit e das emissões de papel-moeda.




  • O crédito foi contido.

Todas essas medidas resultaram  queda da inflação


 de um lado, houve um aumento dos impostos e, de outro, a prosperidade possibilitou a elevação da arrecadação.



PERMITIRAM A REDUÇÃO DO DÉFICIT.




  • Outro aspecto positivo da conjuntura econômica que contribui para o crescimento da economia brasileira  o aumento das exportações ( em 1967, 1968, 1969), devido:




    • a conjuntura internacional favorável;




    • a adoção de uma taxa cambial móvel

      • facilitou a exportação de manufaturados;

      • política de minidesvalorizações cambiais.

RECUPERAÇÃO DA ECONOMIA:


Renda  apresenta taxas crescentes até 1961 e começa a cair a partir de 1962

 período de 1963 a 1965  grave crise econômica

 de 1962 a 1967  a economia apresenta um desempenho desfavorável.

 a partir de 1968  fase de recuperação da economia.

 1968-70  a renda cresceu a taxas elevadas (8,4%, 9,0% e 9,5%).
RECUPERAÇÃO DA ECONOMIA:


  • 1971 –Recessão nos EUA.

  • No BRASIL

  • O nível dos investimentos mantinha-se elevado;

  • As exportações eram crescentes

 em especial as exportações de manufaturados apresentavam grande crescimento.

  • O déficit de caixa do governo estava controlado.

  • Os preços cresciam a taxas decrescentes.

 Do ponto de vista econômico a crise estava superada

 Do ponto de vista político a crise se agravava.



  • 1969 – morte do Presidente Costa e Silva

Sucessor General Garrastazu Médici

 Grupos radicais  terrorismo

 aumenta a violência – repressão

 1970 – vitória do partido do governo nas eleições  devido a dois fatores:



  1. débil educação democrática da população brasileira;

  2. tentativa do governo de formular um projeto nacional.

REVOLUÇÃO DE 30

e

REVOLUÇÃO DE 64



Ambas além de negarem o liberalismo econômico, negam também o liberalismo político.

PROJETO NACIONAL:




  • O novo nacionalismo confunde-se ainda com patriotismo.

  • Novo desenvolvimento do governo  construção de um país grande e poderoso.

    • Política do café

    • Política de fretes marítimos

    • Política da pesca

    • Rodovia Transamazônica

 visava garantir a soberania nacional sobre a região da Floresta;

 tentativa de mobilização do povo brasileiro.



  • Esboça-se uma ideologia nacional e um projeto nacional.

  • Aliança entre o governo e o capitalismo nacional e internacional

 O governo não é mais o elemento subordinado

 procura criar as condições para se obter uma maior taxa de crescimento da renda do país.




  • CAUSAS DA CRISE ECONÔMICA DE 1962-67




  • Claramente relacionada ao esquema de distribuição de renda.




  • No momento em que se esgotaram as oportunidades de substituição de exportações  havia um quadro de concentração de renda no país.

dificultava o crescimento do mercado de bens de consumo necessário à manutenção do nível da demanda agregada suficiente para impulsionar o crescimento da economia.


ftp://ftp.ufv.br/dea/disciplinas/suely A leitura dos livros recomendados é indispensável




©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal