Concertos Segunda Etapa do Projeto 2002 Concertos Conceição e Assunção de Nossa Senhora Belo Horizonte e Mariana Louvor a Nossa Senhora



Baixar 35,96 Kb.
Encontro19.08.2017
Tamanho35,96 Kb.

Concertos - Segunda Etapa do Projeto - 2002

Concertos Conceição e Assunção de Nossa Senhora - Belo Horizonte e Mariana
Louvor a Nossa Senhora
Temporada de concertos de música sacra resgata precioso acervo de partituras antigas
Obras religiosas dos séculos 18 e 19 que jamais haviam sido gravadas começam a sair do esquecimento para ganhar, finalmente, o reconhecimento do público: uma série de três CDs, acompanhados pelos respectivos livros de partituras, apresenta o resultado final da segunda etapa do projeto Acervo da Música Brasileira - Restauração e Difusão de Partituras, iniciativa da Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese de Mariana e do Santa Rosa Bureau Cultural, sob o patrocínio da Petrobras. O primeiro concerto de 2002 acontece no próximo dia 08, em Belo Horizonte com o grupo Ars Nova apresentando, no Palácio das Artes, as composições inéditas do tema Conceição e Assunção de Nossa Senhora. O mesmo concerto será realizado na Catedral da Sé, em Mariana, no dia 14 de dezembro. Estão programadas outras apresentações também em São Paulo e Rio de Janeiro.
O tema deste concerto destaca duas devoções muito antigas a Nossa Senhora - Conceição e Assunção - reconhecidas oficialmente pela Igreja em 1854 e 1950, ou seja, após a composição da maioria das obras apresentadas nesse volume. A Conceição e a Assunção de Nossa Senhora, além de muito cultivadas no Brasil, especialmente em Minas Gerais, foram também as invocações respectivamente da matriz e depois Catedral de Mariana. Neste volume, gravado pelo Ars Nova, de Belo Horizonte, foram incluídas duas obras seguramente compostas no século XIX, pelo carioca Francisco Manuel da Silva e pelo mineiro Emílio Soares de Gouveia Horta Júnior, além de sete belíssimas obras de autores não- identificados, escritas na transição do século XVIII para o século XIX.
O projeto Acervo da Música Brasileira - Restauração e Difusão de Partituras teve início em 2001 e, desde então, obras preciosas do Museu da Música de Mariana (MG) são reconstituídas, reorganizadas, editadas e oferecidas ao grande público na forma de concertos, CDs e livros de partituras, também acessíveis pela Internet. Assim como na primeira etapa, em 2001, a nova edição reúne peças sacras dos séculos 18 e 19 cantadas nas igrejas mineiras durante as celebrações litúrgicas da época. Desta vez, são 17 obras divididas nos temas Conceição e Assunção de Nossa Senhora, Natal e Quinta-Feira Santa, todos eles ainda pouco explorados em iniciativas do gênero.
Compositores respeitados como Francisco Manuel da Silva, Emílio Soares de Gouveia Horta e Jerônimo de Sousa Queirós têm novas peças reveladas. Mas o grande destaque dessa nova edição são os autores anônimos, o que, segundo o coordenador musicológico do projeto, o professor da UNESP, Paulo Castagna, é uma situação bastante comum em acervos de manuscritos musicais. "São obras de alta qualidade e grande interesse estético, que demandaram um minucioso trabalho de pesquisa e reconstituição de inúmeros trechos perdidos", observa o professor.
Pela profundidade, abrangência, volume de ações e recursos envolvidos, o projeto alcança proporções inéditas no país. O Museu de Mariana é um dos mais importantes acervos latino-americanos de música religiosa manuscrita, com mais de duas mil partituras. Muitas delas foram salvas pelo trabalho de restauração, já que estavam em estado precário de preservação. A estrutura original das partituras foi recuperada tal como concebidas por seus autores. O projeto envolve 150 profissionais, com destaque para a equipe de musicólogos, coordenada pelo professor e pesquisador Paulo Castagna, recrutada entre os melhores do país. A reorganização e nova catalogação estão sendo realizadas com uma metodologia desenvolvida no final da década de 90 e, pela primeira vez, aplicada, em sua total potencialidade, em um acervo brasileiro do gênero. O modelo de inventário adotado já se qualifica como referência latino-americana na área de acervos de manuscritos musicais.
O trabalho empreendido em Mariana, considerado a maior série comercial de música antiga religiosa já editada no Brasil, recebeu, recentemente, o prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, concedido pelo IPHAN, na categoria Inventários de Acervos e Pesquisas.

Belo Horizonte

Data: 8 de dezembro de 2002, domingo

Horário: 20h

Local: Palácio das Artes

Avenida Afonso Pena, 1537

Informações: (31) 3237-7399

Ingressos: R$5,00
Mariana

Data: 14 de dezembro de 2002, Sábado

Horário: 20h

Local: Catedral da Sé

Praça da Sé, s/n.º

Informações: (31) 3261-2244

Ingressos: R$5,00


Concertos 2a Etapa 2002 - Concerto Natal - São Paulo e Quinta Feira Santa - Rio de Janeiro
Temporada de Concertos Resgata Precioso Acervo de Partituras Antigas
Obras religiosas dos séculos 18 e 19 que jamais haviam sido gravadas começam a sair do esquecimento para ganhar, finalmente, o reconhecimento do público: uma série de três CDs, acompanhados pelos respectivos livros de partituras, apresenta o resultado final da segunda etapa do projeto Acervo da Música Brasileira - Restauração e Difusão de Partituras, iniciativa da Fundação Cultural e Educacional da Arquidiocese de Mariana e Santa Rosa Bureau Cultural, sob o patrocínio da Petrobras. Depois das apresentações em Belo Horizonte e Mariana (MG) o projeto segue para São Paulo e Rio de Janeiro. O concerto de louvor ao Natal acontece no próximo dia 16, em São Paulo com o maestro Vitor Gabriel regendo o grupo Brasilessentia e Orquestra de Câmara Engenho Barroco, no Teatro Cultura Artística. No Rio de Janeiro, o concerto Quinta-feira Santa será realizado na Sala Cecília Meireles, dia 18, com apresentação do Conjunto Calíope e Orquestra Santa Teresa, conduzidos pelo maestro Júlio Moretzsohn.
Projeto inovador
O projeto Acervo da Música Brasileira - Restauração e Difusão de Partituras teve início em 2001 e, desde então, obras preciosas do Museu da Música de Mariana (MG) são reconstituídas, reorganizadas, editadas e oferecidas ao grande público na forma de concertos, CDs e livros de partituras, também acessíveis pela Internet. Assim como na primeira etapa, em 2001, a nova edição reúne peças sacras dos séculos 18 e 19 cantadas nas igrejas mineiras durante as celebrações litúrgicas da época. Desta vez, são 17 obras divididas nos temas Conceição e Assunção de Nossa Senhora, Natal e Quinta-Feira Santa, todos eles ainda pouco explorados em iniciativas do gênero.
Compositores respeitados como Francisco Manuel da Silva, Emílio Soares de Gouveia Horta e Jerônimo de Sousa Queirós têm novas peças reveladas. Mas o grande destaque dessa nova edição são os autores anônimos, o que, segundo o coordenador musicológico do projeto, o professor da UNESP, Paulo Castagna, é uma situação bastante comum em acervos de manuscritos musicais. "São obras de alta qualidade e grande interesse estético, que demandaram um minucioso trabalho de pesquisa a reconstituição de inúmeros trechos perdidos", observa o professor.
Pela profundidade, abrangência e volume de ações e recursos envolvidos, o projeto alcança proporções inéditas no país. O Museu de Mariana é um dos mais importantes acervos latino-americanos de música religiosa manuscrita, com mais de duas mil partituras. Muitas delas foram salvas pelo trabalho de restauração, já que estavam em estado precário de preservação. A estrutura original das partituras foi recuperada tal como concebidas por seus autores.

O projeto envolve 150 profissionais, com destaque para a equipe de musicólogos, coordenada pelo professor e pesquisador Paulo Castagna, recrutada entre os melhores do país. A reorganização e nova catalogação estão sendo realizadas com uma metodologia desenvolvida no final da década de 90 e pela primeira vez aplicada, em sua total potencialidade, em um acervo brasileiro do gênero. O modelo de inventário adotado já se qualifica como referência latino-americana na área de acervos de manuscritos musicais.


O trabalho empreendido em Mariana, considerado a maior série comercial de música antiga religiosa já editada no Brasil, recebeu, recentemente, o prêmio Rodrigo Melo Franco de Andrade, concedido pelo IPHAN, na categoria Inventários de Acervos e Pesquisas.
Informações sobre o repertório
O tema do concerto Conceição e Assunção de Nossa Senhora destaca duas devoções muito antigas a Nossa Senhora - Conceição e Assunção - reconhecidas oficialmente pela Igreja em 1854 e 1950, ou seja, após a composição da maioria das obras apresentadas nesse volume. A Conceição e a Assunção de Nossa Senhora, além de muito cultivadas no Brasil, especialmente em Minas Gerais, foram também as invocações respectivamente da matriz e depois Catedral de Mariana. Neste volume, gravado pelo Ars Nova, de Belo Horizonte, foram incluídas duas obras seguramente compostas no século XIX, pelo carioca Francisco Manuel da Silva e pelo mineiro Emílio Soares de Gouveia Horta Júnior, além de sete belíssimas obras de autores não- identificados, escritas na transição do século XVIII para o século XIX.
O Natal é talvez o mais importante tema da atualidade, embora nos séculos XVIII e XIX houvesse maior concorrência popular em outras celebrações religiosas, como as da Quaresma, especialmente da Semana Santa. Por essa razão, são muito poucas as composições destinadas ao Natal em acervos mineiros de manuscritos musicais, tendo sido selecionadas três obras para esse volume, gravado pelo Brasilessentia, de São Paulo: uma composição anônima para as Matinas do Natal, escritas entre o final do século XVIII e o início do século XIX, um Te Deum do autor carioca Francisco da Luz Pinto (?-1865) - que até então nunca havia gravado obras religiosas, somente canções - e um Solo ao Pregador (Hodie Christus natus est) de um músico mineiro menos conhecido, G.G. de Moura, que tem forte influência da ópera de meados do século XIX.
Quinta-feira Santa é primeiro dia do Tríduo Pascal e ponto central da Semana Santa, dedicado à celebração da Santa Ceia. O clima de júbilo dessa comemoração pode ser apreciado nas obras selecionadas para este volume, escritas entre fins do século XVIII e início do século XIX e gravadas pelo Calíope*, do Rio de Janeiro. As Matinas de Quinta-feira Santa, aqui atribuídas a Jerônimo de Sousa Queirós, constituem uma das mais expressivas composições brasileiras para essa cerimônia. Também são apresentados no volume um belíssimo Miserere, com o raro acompanhamento de violoncelo, baixo cifrado, coro e órgão, dois Graduais e Ofertórios para a Missa desse dia e um Pange Lingua de Bento Pereira, um arranjo só de vozes, sem instrumentos. Bento Pereira é o mais antigo compositor mineiro do qual se conhece uma composição musical, mas até então nunca havia sido gravado.Possivelmente, tenha sido o músico que desempenhou a função de mestre da capela na matriz de Sabará, entre 1748-1750.
* O grupo Calíope foi o vencedor do Prêmio Carlos Gomes/2002, na categoria Conjuntos Vocais.


Fontes para entrevistas:
Belo Horizonte

*José Eduardo Gonçalves/Conceito Comunicação Estratégica

Contato: (31) 3225 1888

conceito@alol.com.br


*Eleonora Santa Rosa - coordenadora geral do projeto

Contato: (31) 3261 1041/3262 0332

starosa@terra.com.br
*Carlos Alberto Fonseca - regente

Contato: (31) 3344 2024


*André Guerra - pesquisador

Contato: (31) 3224-8097/9993-0095

Andreg@uol.com.br
*Roque Camello - presidente da FUNDARQ

Contato: (31) 3273-9080/9978-9080/3332-6652


São Paulo

*Paulo Castagna - coordenador musicológico do projeto

Contato: (11) 4145 1722 / 9892-3121

Brspvg@uol.com.br
*Vitor Gabriel de Araújo - regente

Contato: (11) 215 1508/6168 6989

Vgabriel@terra.com.br
Rio de Janeiro

*Júlio Moretzsohn - regente

Contato: (21) 285 5431

Jmoretzsohn@alternex.com.br
*Carlos Alberto Figueiredo - pesquisador

Contato: (21) 2252 7273/2558 0684

Cafig@visualnet.com.br


Serviço:
Belo Horizonte

Conceição e Assunção de Nossa Senhora

Maestro Carlos Alberto Pinto Fonseca, Coral Ars Nova e músicos convidados

Data: 8 de dezembro de 2002, domingo

Horário: 20h

Local: Palácio das Artes

Avenida Afonso Pena, 1537

Informações: (31) 3237-7399

Ingressos: R$5,00


Mariana

Conceição e Assunção de Nossa Senhora

Maestro Carlos Alberto Pinto Fonseca, Coral Ars Nova e músicos convidados

Data: 14 de dezembro de 2002, Sábado

Horário: 20h

Local: Catedral da Sé

Praça da Sé, s/n.º

Informações: (31) 3261-2244

Ingressos: R$5,00



São Paulo

Natal

Grupo Brasilessentia e Orquestra da Câmara Engenho Barroco

Regência Maestro Vítor Gabriel

Data: 16 de dezembro de 2002, segunda-feira.

Horário: 20h

Local: Teatro Cultura Artística

Rua Nestor Pestana, 196

Televendas: (11) 3258-3616

Ingressos: R$5,00
Rio de Janeiro

Quinta-feira Santa

Regência Maestro Júlio Moretzsohn, Conjunto Calíope e Orquestra Santa Teresa

Data: 18 de dezembro de 2002, Quarta-feira

Horário: 20h

Local: Sala Cecília Meireles

Largo da Lapa, 47

Informações: (21) 2224- 3913 - ramal 21

Ingressos: R$5,00


Mais Informações:

Assessoria de Imprensa



José Eduardo Gonçalves/Sílvia Rubião - (31) 3225-1888
Projeto Acervo da Música Brasileira – Restauração e Difusão de Partituras

Fundação Cultural e Educacional da Aquidiocese de Mariana – Museu da Música de Mariana



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal