Communique le 25 avril 2000



Baixar 22,22 Kb.
Encontro30.12.2017
Tamanho22,22 Kb.



Paris, 25 de avril de 2000




A Volvo e a Renault pretendem

reagrupar suas forças na área de veículos pesados
Louis Schweitzer, Presidente-Diretor Geral da Renault, e Leif Johansson, Presidente-Diretor Geral da Volvo, anunciam um projeto de reagrupamento das atividades na área de veículos pesados da Volvo e da Renault.

Este projeto permitiria criar o segundo grupo mundial no setor dos veículos pesados. Seria articulado em torno de uma troca de 100 % dos títulos do grupo Renault V.I./Mack contra 15 % dos títulos da AB Volvo. A Renault, por sua vez, adquiriria no mercado 5 % dos títulos da AB Volvo para elevar a sua participação a 20 % do capital, ações e direitos de voto da AB Volvo. Louis Schweitzer e uma outra pessoa apresentada pela Renault participariam do Conselho de Administração da AB Volvo.
A Irisbus, filial comum da Renault V.I. e do grupo Iveco na área de ônibus, não se acha incluída no âmbito do projeto. As participações da Renault V.I. na Irisbus (50 %), bem como nas sociedades CAT (31 %) e SOVAB (25 %) que tampouco fazem parte do projeto, serão reintegradas ao âmbito do grupo Renault. O acordo não engloba a Nissan Diesel, da qual a Renault e a Nissan Motors detêm, cada uma, 22,5 % do capital. Os lucros esperados pela Renault V.I./Mack até a finalização do acordo não estão incluídos na transação.
Primeiro acionista da Volvo, a Renault, desta forma, se perpetuaria com perspectivas reforçadas tanto para os clientes como para o pessoal da Renault V.I./Mack, bem como para seus acionistas, seu lugar histórico no setor dos veículos pesados, nas melhores condições de crescimento e rentabilidade.
A Renault está comprometida numa estratégia global de crescimento rentável. Através de sua Aliança com a Nissan, da aquisição da Dacia, bem como de sua própria estratégia de desenvolvimento internacional, a Renault tornou-se um dos principais atores da indústria automobilística mundial. A indústria de veículos pesados continuará a fazer parte da estratégia da Renault mediante sua participação no capital da Volvo.
Esta aproximação estratégica permitirá que a Volvo e a Renault V.I./Mack detenham, conjuntamente, cerca de 25 % dos mercados europeu e americano e estejam significativamente presentes em outras regiões do mundo, como a América Latina e a Ásia. Com 165 000 veículos de mais de 5 toneladas produzidos a cada ano e um volume de negócios anual da ordem de 14,5 bilhões de Euros (95 bilhões de francos), o novo conjunto poderia deslanchar sinergias importantes em matéria de desenvolvimento de novos veículos e de componentes mecânicos, bem como nas compras e nos investimentos.
Grupos industriais mais poderosos e mais competitivos, combinando as marcas, doravante estão melhor adaptados para enfrentar uma concorrência crescente e a demanda mais exigente dos mercados. Tirando partido das economias de escala, de uma estratégia comum de compras, de uma maior eficiência industrial, de uma competência técnica ampliada, de uma capacidade de investimento aumentada e de uma força comercial ampliada, estes grupos estão melhor equipados para responder com sucesso às evoluções do mercado, com seus compradores menos numerosos, porém mais fortes, exigindo produtos, financiamentos e serviços em nível mais alto e com melhores custos.
A Renault V.I./Mack, nestes últimos anos, melhorou sua competitividade, modernizou seus produtos e lançou uma política de crescimento. Junto à Volvo, a Renault V.I./Mack se beneficiaria das forças de um grupo poderoso ampliado para acelerar esta estratégia, desenvolver suas marcas, satisfazer seus clientes e garantir melhor o seu futuro. A Renault V.I./Mack é, atualmente, a 4ª produtora mundial de veículos pesados, com 70 000 veículos de mais de 16 toneladas em 1999, atrás da Mercedes, da Paccar e da Volvo. A Volvo e a Renault V.I./Mack juntas constituiriam o segundo construtor mundial de veículos pesados e o terceiro produtor de grandes motores a diesel.

A Volvo e a Renault V.I./Mack conservariam suas identidades, suas marcas, sua organização comercial e seus respectivos locais de montagem. O projeto não prevê qualquer modificação na situação dos colaboradores da Renault V.I ou da Volvo. A Renault V.I. continuaria sendo uma sociedade de direito francesa, com seu domicílio social e seu centro de pesquisa e de desenvolvimento baseados em Lyon. O projeto em si não terá qualquer impacto sobre o emprego, mas o conjunto das marcas do grupo poderá tirar proveito de uma competitividade aumentada para reforçar seu crescimento.


Além da mais-valia ligada à transação, a Renault, que consolidaria sua participação na Volvo por equivalência patrimonial, se beneficiaria, graças a este acordo, de uma contribuição positiva recorrente para seus resultados a partir do primeiro ano seguinte à implementação do projeto. A transação proporcionaria uma mais-valia superior a 1 bilhão de Euros (6,56 bilhões de francos franceses) baseada no valor líquido contábil atual da Volvo. O montante da transação dependerá do valor das ações da Volvo transferidas para a Renault quando do fechamento.
O grupo Volvo, no qual a Renault desempenharia seu papel de acionista de referência, está concentrado nas indústrias de transporte para usos profissionais. Suas atividades estão divididas entre a indústria de veículos pesados (56% do faturamento em 1999), ônibus executivos e ônibus urbanos (12%), o material de obras públicas (15%), motores navais e industriais (5%) e a aeronáutica (8%). Emprega aproximadamente 53 000 pessoas e tem atividades de produção em mais de 30 países. Seu volume de negócios em 1999 atingiu 125 bilhões de coroas suecas. Seu resultado operacional elevou-se a 33 bilhões de coroas suecas, das quais 26,7 bilhões de coroas suecas devidas à cessão da Volvo Car e 3,9 bilhões de coroas suecas para o ramo de veículos pesados.
O projeto será apresentado às instâncias representativas do quadro de pessoal e deverá receber a aprovação dos Conselhos de Administração da Volvo e da Renault. Para entrar em vigor, deverá também obter a aprovação das autoridades competentes em matéria de concorrência da União Européia e dos Estados Unidos.
(1) CAT : Companhia de Fretamento e de Transporte

SOVAB : Fábrica Renault de Batilly, Meurthe-et-Moselle (produção de veículos utilitários e industriais) : Trafic, Master, Mascott).




Assessoria de Imprensa – Renault Brasil / Mercosul

(11) 5508 2498 (11) 5508 2489








©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal