Com marcelo serrado um filme de bruno barreto, roteiro de aguinaldo silva



Baixar 72,41 Kb.
Encontro10.07.2018
Tamanho72,41 Kb.

PARIS FILMES, DOWNTOWN FILMES, GLOBO FILMES

FILMES DO EQUADOR/LC BARRETO

APRESENTAM

CRÔ - O FILME

COM MARCELO SERRADO

UM FILME DE BRUNO BARRETO, ROTEIRO DE AGUINALDO SILVA

PRODUÇÃO FILMES DO EQUADOR/LC BARRETO



facebook.com/CroOFilme

PLANO, DOLBY DIGITAL 5.1, 80 min



ELENCO

MARCELO SERRADO (CRÔ)

CAROLINA FERRAZ (VANUSA)

ALEXANDRE NERO (BALTAZAR)

MILHEM CORTAZ (RIQUELME)

KATIA MORAES (MARILDA)

CARLOS MACHADO (JEAN JACQUES)

NATALY CABANAS (ELENA)

ÚRZULA CANAVIRI (PALOMA)

KARIN RODRIGUES (FRANCISCA)


PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS

ANA MARIA BRAGA

GABY AMARANTOS

IVETE SANGALO

TIAGO ABRAVANEL
FICHA TÉCNICA

DIREÇÃO: BRUNO BARRETO

ROTEIRO: AGUINALDO SILVA

PRODUÇÃO: PAULA BARRETO

PRODUÇÃO EXECUTIVA: CLAUDIA BÜSCHEL

DIREÇÃO DE FOTOGRAFIA: HUGO COLACE

DIREÇÃO DE ARTE: JOSÉ JOAQUIM SALLES

FIGURINO: CARLOS ALBERTO GARDIN

CARACTERIZAÇÃO: WESTERLEY DORNELLAS

PRODUÇÃO DE ELENCO: MARCIA ANDRADE

TRILHA SONORA ORIGINAL: ED CÔRTES

MONTAGEM: JAIR PERES E MANGA CAMPION



APRESENTAÇÃO

'Crô - O filme' narra a história de Crodoaldo Valério, personagem criado por Aguinaldo Silva para a novela 'Fina Estampa', da Globo. A direção é de Bruno Barreto, o roteiro é de Aguinaldo Silva e a Filmes do Equador/LC Barreto assinam a produção. Globo Filmes, Teleimage, Locall e The End assinam a coprodução. A distribuição será feita pela Paris Filmes e Downtown Filmes.

O filme conta a história de Crô, que depois de herdar uma fortuna de sua ex-patroa falecida, está cansado de ser milionário e não fazer nada. Ele tenta ser cantor, estilista e cabeleireiro, mas fracassa em todas as aspirações. Depois de um sonho com sua mãe, ele descobre que seu destino é servir, ser mordomo.

O longa traz no elenco grandes nomes como Marcelo Serrado, Carolina Ferraz, Alexandre Nero, Milhem Cortaz, Katia Moraes e Carlos Machado, além de Nataly Cabanas, Úrzula Canaviri e Karin Rodrigues. E conta com as participações especiais de Ana Maria Braga, Gaby Amarantos, Ivete Sangalo e Tiago Abravanel.

Na adaptação cinematográfica, Crô busca uma nova musa a quem se dedicar e, para isso, decide entrevistar as patroas. A lista de peruas que desejam tê-lo como mordomo é grande e depois de muito avaliar, o mordomo descobre que a sua nova musa será bem diferente do esperado.

"Para levar o Crô da novela para o cinema, o Bruno Barreto pediu que eu não esquecesse a verdade do personagem e não perdesse o humor. A graça já está nas situações e diálogos propostos pelo Aguinaldo, eu apenas joguei com isso, brinquei e me diverti", conta Marcelo Serrado

SINOPSE

Cansado de ser milionário e não ter o que fazer, Crô precisa escolher uma nova musa a quem se dedicar. Ele entrevista várias peruas para ver qual é a mais qualificada para tê-lo como mordomo. Mas depois de muito avaliar, acaba descobrindo que a sua nova musa será quem ele menos espera.



BRUNO BARRETO

DIRETOR

"Quando a novela 'Fina Estampa', do Aguinaldo Silva, estreou, eu assisti aos vinte primeiros capítulos a adorei o personagem do Crô. Um ano depois, disse para o Marcelo Serrado que eu queria muito fazer um filme com o Crô de protagonista. Ligamos na mesma hora para o Aguinaldo que adorou a ideia e começou a escrever o roteiro. Para criar o universo do Crô no cinema pensei muito nas grandes chanchadas do Oscarito, Grande Otelo e Ronald Golias. Esses filmes eram comédias irreverentes e anárquicas. A escolha do elenco foi sempre governada pela capacidade dos atores de serem o mais verdadeiros possíveis, inclusive os comediantes. O Marcelo Serrado é um ator único. A criação desse personagem é muito dele. Outro ator genial é o Alexandre Nero. No papel do Baltazar, ele quase que rouba a cena. O Milhem Cortaz nunca tinha feito comédia e foi uma descoberta. A tabelinha dele com a Carolina Ferraz fez com que os vilões da historia ficassem ameaçadores e cômicos ao mesmo tempo. A grande revelação do filme é a menina Ursula Canaviri. Ela faz o personagem da Paloma e é uma atriz nata, o elenco todo ficou pasmo com ela".



Bruno Barreto é diretor de cinema e filho do casal de produtores Lucy e Luiz Carlos Barreto. Tendo a câmera como sua grande companheira desde pequeno, realizou vários curtas-metragens, sendo o primeiro aos 11 anos: 'Três Amigos Nunca Se Separam', com o qual participa do 2º Festival Brasileiro do Filme Amador e ganha o prêmio Mais Jovem Diretor. Seguiu a carreira e dirigiu outros grandes sucessos de bilheteria, como 'Dona Flor e Seus Dois Maridos', 'A Estrela Sobe', 'Amor Bandido', 'Romance da Empregada', 'O Que é Isso, Companheiro?', indicado para o Oscar ® de melhor filme estrangeiro em 1998, 'Bossa Nova', 'O Casamento de Romeu e Julieta', 'Caixa 2 e 'Última Parada, 174', além de comerciais, telefilmes internacionais e televisão, mais recentemente 'Amor em Quatro Atos' (Globo). Em 2013, Bruno lançou 'Flores Raras' - história de amor entre a poeta americana ganhadora do Pulitzer, Elizabeth Bishop, e a arquiteta brasileira Lota de Macedo Soares - com Miranda Otto e Gloria Pires e lança ainda 'Crô - O filme'.

AGUINALDO SILVA

ROTEIRISTA

"A parceria com o Bruno Barreto e o Marcelo Serrado não poderia ter sido melhor. O Marcelo eu já conhecia da novela e de outros trabalhos. Com o Bruno tive apenas reuniões e foi um prazer enorme trabalhar mais ativamente com ele. É difícil escrever um roteiro para cinema sobre um personagem que veio da televisão. É preciso apagar tudo da novela e ficar apenas com o personagem e sua história. No filme, o Crô é rico e poderoso, mas continua carente e solitário como o de 'Fina Estampa'. O Crô da novela precisava trabalhar para viver, o do filme quer trabalhar para espantar o tédio. O Crô da novela não podia escolher suas deusas, já no filme pode se dar esse luxo. O Crô do filme é um personagem central, o protagonista, o da novela era apenas um satélite que, por força da aceitação do público, virou um planeta, um astro. Minhas expectativas para o filme são as melhores possíveis. Acho que Bruno Barreto conseguiu fazer uma comédia non sense, que foge aos padrões das comédias que o cinema brasileiro costuma produzir. Acho que o público vai perceber esta diferença e vai embarcar".



Aguinaldo Silva é responsável pelas maiores audiências de minisséries e telenovelas da Globo, dramaturgo, jornalista, escritor, considerado pelo público e pela crítica como um dos maiores novelistas da televisão brasileira. Aos 16 anos, lança com sucesso o seu primeiro romance 'Redenção para Job'. Aos 18 anos, estreou no 'Última Hora' de Recife. Dois anos depois, desembarca no Rio de Janeiro – na redação de O Globo, como repórter policial. A experiência adquirida nas redações lhe valeu um convite para escrever 'Plantão de Polícia'. De todos os autores da Globo é o único que só escreveu novelas para o horário das 20h. Além disso, de todas as novelas de maior audiência da emissora, a maioria foi escrita por ele. Em uma de suas muitas idas a Portugal, ministrou um workshop de roteiro denominado pelos portugueses de Master Class. Selecionou 15 talentosos roteiristas e desenvolveu sua primeira Master Class no Brasil. O workshop deu origem à sinopse da novela 'Fina Estampa', cujo personagem Crodoaldo Valério inspirou o filme de Bruno Barreto, escrito por Aguinaldo Silva.

ATORES

MARCELO SERRADO

CRODOALDO VALÉRIO

"Quando começou a ideia de o Crô da novela ganhar um filme, era fundamental que o roteiro fosse escrito por quem o criou, ou seja, pelo Aguinaldo Silva, para que o personagem não se tornasse um híbrido. Com isso, o processo até o filme ser feito foi bem rápido e conduzido pela produtora LC Barreto. Contracenar com esse elenco no set foi ótimo. Sem o Alexandre Nero o filme não existiria. Ele é o meu contraponto, minha dupla, é como Abbott & Costello, o Gordo e o Magro, ele foi fundamental no filme. A Carolina Ferraz é uma grande amiga e fez uma vilã carismática que ela interpretou com muita inteligência, foi incrível. A Katia Moraes sabe muito bem sobre a personagem dela e me ajudou bastante. Sem contar as participações especiais que nós tivemos de Ivete Sangalo, Ana Maria Braga e Gaby Amarantos, que foram incríveis, entenderam o tom do filme. Trabalhar com um diretor como o Bruno Barreto foi ótimo, ele foi extremamente sensível e muito generoso. Agora a expectativa para o lançamento é grande, esse é um filme para toda a família, que foi feito com muito carinho e diversão".



Marcelo Serrado nasceu no Rio de Janeiro, começou sua carreira no Teatro Tablado, em 1987. Sua estreia no teatro foi na peça 'Um bonde chamado desejo'. Fez sua primeira aparição nos cinemas em 'Sonho de Menina Moça'. Na televisão sua estreia foi dois anos depois, em 1989, na minissérie 'Desejo'. Em 1991, fez sua primeira novela, 'O Dono do Mundo'. Permaneceu durante 15 anos na emissora e somou cerca de 13 projetos, entre novelas e minisséries. Dirigiu 'Maria Minhoca' de Maria Clara Machado, indicado para o Prêmio Mambembe, e 'Branca de Neve', adaptação de Marcello Vale, com três indicações ao Prêmio Coca-Cola. Em 2006, Marcelo foi contratado pela Record, onde permaneceu por cinco anos e atuou em 'Prova de Amor', 'Vidas Opostas'. Marcelo Serrado é também produtor, diretor e músico. Ao lado de Marcelo Novaes, integrou a banda Los Imposibles. Recentemente atuou na peça 'Rain Man'. No cinema integrou o elenco de ' Malu de Bicicleta', 'Quente a Frio'. Participou da novela 'Fina Estampa' e de 'Gabriela'. Estreia em 'Crô - O filme em novembro de 2013.

CAROLINA FERRAZ

VANUSA

"O convite para o filme partiu do Bruno Barreto. Ele me enviou o roteiro e me contou um pouco sobre a história. Achei o roteiro muito bom, um filme divertido e também adorei a minha personagem, a Vanusa. Ela é uma excelente vilã e acho que todo ator gosta de interpretar vilões, eles são sempre muito divertidos. O Crô é ótimo, o brasileiro costuma criar heróis para si e o bacana sobre esse personagem foi que o Marcelo Serrado conseguiu trazer verdade para ele. Teve muita inteligência e sensibilidade como ator. Isso que o tornou esse grande sucesso. Foi uma comunhão muito feliz do autor e do ator. No filme, o Aguinaldo Silva acertou em cheio no roteiro. Eu sempre fui muito fã dele e acho que um diferencial do 'Crô - O filme' é ter sido escrito por quem criou o personagem. Além disso, a interpretação do roteiro pelo Bruno Barreto, que é um diretor de cinema, fez com que um longa que tinha tudo para ter uma linguagem mais televisiva se transformasse em um grande filme de cinema. A fotografia é incrível, o roteiro é maravilhoso, além de todo o trabalho de atuação. Estou muito feliz e acho que temos um belo filme nas mãos".



Carolina Ferraz nasceu em Goiânia e se mudou para São Paulo aos 14 anos. Tornou-se bailaria pelo Royal Ballet. Estreou na televisão como apresentadora. Trabalhou na Rede Manchete em 'Shock' e 'Programa de Domingo'. Atuou na novela 'Pantanal', em 1990. Ainda na Manchete, protagonizou as minisséries 'O Fantasma da Ópera' e 'Floradas na Serra'. Na Globo, apresentou o 'Fantástico' e alguns episódios de 'Você Decide'. Integrou o elenco de 'O Mapa da Mina', 'Pátria Minha', 'História de Amor'. Participou do filme 'Alma Corsária', 'Amores Possíveis', 'O Passageiro - Segredos de Adulto', 'A Graça e a Glória'. Produziu e apresentou a série 'Mulher Invisível', da GNT. Destacou-se na novela 'Por Amor', em 1997. Participou também de 'Beleza Pura', 'Amor em quatro atos', 'O Astro', 'Avenida Brasil', entre outros. No teatro, atuou em 'Amores, Perdas e meus Vestidos', 'O Rim', 'Selvagem como o vento', 'Honra'. Em 2013, está em 'Crô - O filme', de Bruno Barreto, escrito por Aguinaldo Silve, na pele da vilã Vanusa.

ALEXANDRE NERO

BALTAZAR

"Desde que fazíamos a novela 'Fina Estampa' na Globo, já havia conversas sobre estender o personagem do Crô para outras plataformas. Quando o Marcelo Serrado me contou que ia rolar o filme, que o Bruno Barreto seria o diretor e o roteiro seria do Aguinaldo Silva eu fiquei muito animado, com muita vontade de fazer parte disso. É diferente interpretar o Baltazar na novela e em um filme. No cinema você tem mais cuidado, você pode cuidar de cada movimento, na novela você filma durante meses, não pode rever cada detalhe. Mas a matéria-prima é sempre a mesma, o importante é ser verdadeiro ao seu personagem. A minha maior admiração pelo Aguinaldo é o fato de ele tratar o ator com muita confiança. Era assim na novela e foi no filme. Eu fiquei apreensivo quando soube que o Bruno Barreto, esse grande diretor, faria o projeto, mas foi sensacional. Ele nos deu muita liberdade, nunca dizia não, claro que quando algo não dava certo ele falava. Poder contracenar com esse elenco foi maravilhoso e apesar de eu não costumar ter grandes expectativas nos meus trabalhos, esse filme eu tenho certeza de que vai ser um sucesso".



Alexandre Nero é cantor, compositor, músico, arranjador, sonoplasta, diretor musical e ator. Ficou conhecido depois de sua atuação no espetáculo 'Os Leões' e por sua participação na novela 'A Favorita'. Acumula mais de 50 trabalhos em espetáculos de música, teatro, cinema, TV e dança. Participou do remake da novela 'Paraíso', de 'Escrito nas Estrelas' e ganhou destaque interpretando o homofóbico Baltazar na novela 'Fina Estampa', de Aguinaldo Silva. Atuou em 'Salve Jorge', 'Batendo Ponto', 'Escrito nas Estrelas', 'Dó-Ré-Mi-Fábrica', 'Paraíso' e participa da novela 'Além do horizonte' em 2013. No cinema, esteve em 'O preço da Paz', 'Corpos Celestes', 'Cilada.com', 'A Novela das Oito', 'Rosinha, Minha Sereia'. No teatro, atuou em 'Agora é que são elas', 'O Processo', 'Você Precisa Saber de Mim', 'Bolacha Maria - um punhado de neve que restou da tempestade', 'Linguiça no campo', 'A Bruxinha que era boa', 'Pluft, o fantasminha', 'Chicago', entre outros. Em 2013, está em 'Crô - O filme', novamente no papel de Baltazar.

MILHEM CORTAZ

RIQUELME

"O convite para o filme foi bastante curioso. Fui levar a minha mulher para o teste e a Márcia Andrade, produtora de elenco, me viu e uma semana depois me chamou para participar. Eu achei demais, nunca tinha feito uma comédia leve e sempre quis trabalhar com o Bruno Barreto. Era uma oportunidade de aprender e uma linguagem de filme que eu ainda não tinha navegado, então para mim foi tudo muito novo, difícil e eu aprendi bastante com esse trabalho. O Bruno Barreto é um gentleman, ele conduz com muita delicadeza e muito respeito, o que transmite bastante tranquilidade para o ator. O Serrado é um grande parceiro, já tínhamos trabalhado juntos antes. O meu personagem, o Riquelme, é o típico novo rico no Brasil. Ele é casado com uma gostosona que manda nele, é dono de uma confecção que cresce junto com a sua fortuna. Ele se passa por argentino. Ele é patético. Foi um personagem divertido, estou contente, mas com bastante medo. Eu gosto de desafios, então foi um filme diferente de se fazer. Eu tentei me divertir muito e espero que o público goste".



Milhem Cortaz é um ator de cinema, teatro e televisão. Atuou em 'Através da Janela' (2000), 'Domésticas' (2000), 'Garotas do ABC' (2004), 'Cabra Cega' (2004), 'Nina' (2004), 'Cafundó' (2005), 'A Concepção' (2005), 'Carandiru' (2003), 'O Cheiro do Ralo' (2007), Nome Próprio (2008) e 'Tropa de Elite' (2007). Em 2010, participou de 'Lula, o Filho do Brasil', dirigido por Fabio Barreto. Também esteve em 'Cilada.com' (2011), 'A Montanha' (2011), 'Dores de Amores' (2011), 'Assalto ao Banco Central' (2011), 'O Lobo Atrás da Porta' (2012). No teatro, integrou o elenco de 'O Melhor do Homem', 'Rei Lear', 'Hamlet', 'A Boa', 'Jardim das Cerejeiras', 'História de Pescador', 'Um Bonde Chamado Desejo', 'Homem sem Rumo', entre outros. Em televisão, fez as novelas ' Essas Mulheres' (2005) e 'Cidadão Brasileiro' (2006). Além disso, participou de 'Carga Pesada', 'A Diarista' e 'Cidade dos Homens', da novela 'Chamas da Vida', da Record, de 'Sansão e Dalila' (2011), 'Poder Paralelo' (2009), 'Chamas Da Vida' (2008), 'Vidas Opostas' (2007).

KATIA MORAES

MARILDA

Eu soube primeiro pela imprensa que o Crô ganharia um filme e que a minha personagem, a Marilda, e o Baltazar (Alexandre Nero) estariam presentes. A minha personagem ama o Crô de uma maneira muito especial. Ele é a família da Marilda. A experiência de levar essa personagem da televisão para o cinema foi maravilhosa. O Bruno Barreto e o Ricardo Conti, preparador de elenco, fizeram um trabalho espetacular. Nós nos preocupamos com essa diferença de veículo e de linguagem porque queríamos que o filme tivesse uma linguagem cinematográfica mesmo. Foi bacana dividir o set com o Serrado e o Nero que já contracenei na novela, sempre tivemos muita química. A Carolina Ferraz é uma querida. Trabalhar com o Bruno Barreto foi um estase. Ele nos respeita, vibra junto, ri junto, se emociona junto. É apaixonado pelo que faz. Eu também sou. Então, imagina como foi prazeroso. As minhas expectativas para o filme são de muito sucesso. Eu sempre acredito no sucesso, quando há dedicação, amor, um trabalho bem feito. Com o roteiro espetacular do Aguinaldo Silva e direção do Bruno Barreto não há como não se esperar por isso.



Katia Moraes é atriz de teatro, ganhou destaque ao interpretar a personagem Marilda, da novela 'Fina Estampa'. Começou a estudar teatro aos 16 anos no Teatro Tablado. É formada em Interpretação Teatral (1999) e licenciatura Plena em Artes Cênicas (2001) pela Universidade do Rio de Janeiro (UNI-RIO). Atuou em diversos espetáculos teatrais, teve muitos grupos de teatro, trabalhou com eventos, participou de 18 festivais de teatro pelo país todo, fez leituras dramatizadas, esteve em cartaz em grandes teatros, atuou como diretora teatral em Ongs e deu também aulas de Artes Cênicas por quatro anos no Município do Rio de Janeiro. Entre seus principais trabalhos no teatro destacam-se: O premiado espetáculo 'Muito Barulho por Nada' de Shakespeare onde ficou em cartaz por três anos no Centro Cultural dos Correios, Casa de Cultura Estácio de Sá, SESC Copacabana e Teatro Gláucio Gil, além de viajar pelo Brasil todo. E a peça 'Três Contos' que foi produzida por ela e ficou em cartaz na Sala Paraíso do Teatro Carlos Gomes. Estreia em 'Crô - O filme' em 2013.

CARLOS MACHADO

JEAN JACQUES

"O convite para o filme partiu do Aguinaldo Silva. Eu já tinha lido em jornais que eu poderia estar no longa e perguntei para ele se era verdade já que o meu personagem da novela 'Fina Estampa' tinha morrido. E ele disse que eu interpretaria o irmão gêmeo do Ferdinand, o Jean Jacques. Ao contrário do Ferdinand, o Jean Jacques tem uma conduta um pouco melhor, ele não é mau caráter. Quando eu recebi a notícia de que participaria do 'Crô - O filme' fiquei muito feliz e foi um prazer, ainda mais por ter a oportunidade de ser dirigido pelo Bruno Barreto. É a primeira vez que vou me ver nas telonas e é uma alegria muito grande estrear em um filme desse porte. Tenho certeza que será um grande sucesso. O Crô virou um fenômeno. O legal do Crô é que ele alegra a todos, o público gostou dele por causa da conduta dele, do grande coração que tem. O Crô é um herói. O fato de ele ser ou não homossexual não importa, o que é importante é que a discussão sobre a homossexualidade e também sobre a homofobia seja cada vez mais aberta. Assim, podemos aceitar os outros como eles são e também a nós mesmos".



Carlos Machado é ator e dentista. Na televisão, ele participou de 'Malhação' (1996), como Bené, 'Mandacaru' (1997), como Capitão Luís Cavalcanti, 'Labirinto' (1998), como Guga, 'Você Decide' (1999), como Zeca, 'Força de um Desejo' (1999), como Estácio, 'Uga-Uga' (2001), como Alexandre, 'Kubanacan' (2003), como Batista, 'A Diarista' (2004), como Marco Antônio, 'Cobras & Lagartos' (2006), como Ronaldo, 'A Turma do Didi' (2007), como Pai do Didizinho, 'Duas Caras' (2007), como Dr. Siqueira, 'Guerra e Paz' (2008), como Amaury, 'A Turma do Didi' (2008), como Patrão da Dircinéia, 'Zorra Total' (2010), como Drácula. Integrou o elenco da novela de Aguinaldo Silva 'Fina Estampa' (2011), como Ferdinand. Participou de 'Louco por Elas' (2013), como Serjão, 'Amor à Vida' (2013), como Ignácio 2. No teatro, 'Lancelot' (2004), 'Alta Vigilância' (2005) e 'Ser ou Não Ser' (2006). Carlos Machado estreia em 2013 no cinema em 'Crô - O Filme', dirigido por Bruno Barreto e escrito por Aguinaldo Silva.

PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS

ANA MARIA BRAGA

"Eu sou amiga do Bruno Barreto e o admiro muito já há alguns anos, mas nunca tive a oportunidade de estar em um set de filmagem trabalhando com ele. O cinema tem uma leitura totalmente diferente da televisão que eu já estou acostumada. É um cuidado muito grande. A equipe do filme foi maravilhosa e tenho certeza que isso vai ser passado para a tela. Foi um grande prazer trabalhar com o Bruno Barreto e o com o Marcelo Serrado que é muito querido. No set foi maravilhoso, o Serrado é muito engraçado, veste mesmo o personagem e fica Crô o tempo todo, mesmo nos bastidores. O convite para essa participação foi maravilhoso. Quando a gente é imitado em algum lugar, seja para o bem ou para o mal, é sempre uma forma de o nosso trabalho ser reconhecido. Mas quando somos convidados para fazer uma participação como nós mesmos, é uma consagração de carreira. No filme eu entrevisto o Crô para o meu programa. Então, ter sido escolhida para interpretar a mim mesma em um filme que tem esse peso, esse investimento e com a expectativa que ele possui, nesse momento da minha vida, é um privilégio muito grande".



Ana Maria Braga é paulista de São Joaquim da Barra, filha única, passou a infância e a adolescência estudando em internatos no interior de São Paulo. Na adolescência, disposta a fazer faculdade, fugiu de casa e começou a trabalhar para poder se formar bióloga pela Universidade de São Paulo, em São José do Rio Preto. Com o diploma em mãos, foi para São Paulo para fazer especialização na sua área, mas para pagar os estudos, ela conseguiu um emprego na TV Tupi onde apresentou telejornais, shows e estreou em um programa feminino ao vivo. Cursou a faculdade de jornalismo. Foi assessora de imprensa e diretora comercial das revistas femininas da Editora Abril. Voltou, em 1992, para as telas e por sete anos dirigiu, produziu e apresentou o programa 'Note e Anote' na Record. Esse programa lhe rendeu muitos prêmios e até um título no Guiness Book de maior permanência no ar. Foi para a Globo em julho de 1999 e estreou o programa 'Mais Você' no dia 18 de outubro, ao lado do seu fiel companheiro o Louro José. Em 2013, fez uma participação especial em 'Crô - O filme', de Bruno Barreto.

GABY AMARANTOS

"O convite para participar do filme surgiu depois que o Aguinaldo Silva assistiu à minha participação em 'O conto de Egdar'. A equipe entrou em contato, li o roteiro e achei divertidíssimo. Foi um grande desafio interpretar a mim mesma e fiquei super feliz com o reconhecimento e o carinho. No filme, eu vou fazer um teste para que o Crô seja o meu mordomo. O mais bacana foi poder trabalhar com esse elenco maravilhoso, que me deu dicas, me recebeu super bem. Trabalhar com o Bruno Barreto foi uma grande responsabilidade, eu sou fã do trabalho dele e para mim foi uma honra. Ele também dá muita liberdade e escuta as nossas sugestões. O Serrado também me deixou super à vontade. Eu acompanhava a novela e o núcleo do Crô era o mais divertido. Tenho certeza que o Crô no cinema vai ser um sucesso. É bastante importante ter um herói gay nesse momento em que a gente está vivendo, até porque ele parece ser da nossa família, ele poderia ser meu irmão, meu primo. Acho maravilhoso levar para o cinema o personagem do Crô e, assim, trazer para esse personagem todo o respeito e o carinho que ele merece".



Gaby Amarantos nasceu em Belém. Sua família era de sambistas. Antes de cantora profissional, Gaby foi coreógrafa de quadrilha, fez cursos de teatro e chegou a fazer pequenas apresentações na comunidade. Canta desde os 15 anos – começou na Paróquia de Santa Terezinha do Menino Jesus, no bairro onde nasceu. Mas, apenas quando completou 18 anos, teve permissão para cantar nos bares da cidade, e assim começou a se apresentar cantando clássicos da MPB. O destaque de Gaby Amarantos começou quando ela resolveu formar a banda Tecno Show, no ano de 2002. Em 2003, o grupo lançou seu primeiro CD. Logo depois do lançamento, se apresentou pela primeira vez no Domingão do Faustão. Em 2009, a Gaby saiu da banda, no período em que engravidou do seu único filho, Davi e ficou um período na carreira solo. Participou em 2012 de 'Dança dos Famosos', e no ano seguinte de 'Contos de Edgar'. Está no ar no quadro 'Medida Certa' do 'Fantástico' e faz uma participação especial em 'Crô - O filme', que estreia em 2013.

IVETE SANGALO

"O Marcelo Serrado já é um querido amigo de longa data e nós gravamos 'Gabriela' juntos. Um dia ele me contou que ia fazer o filme do Crô e queria que eu participasse. Começamos a pensar em que personagem eu poderia fazer e achamos que seria divertido se eu interpretasse a mãe do Crô. Ela morre quando ele é pequeno e coloca nele os gestos e esse enaltecimento pelas mulheres. Quando o Marcelo me chamou eu topei na hora, e, além disso, com Aguinaldo Silva e Bruno Barreto no projeto, ficou ainda mais bacana de se fazer. Eu já havia feito cinema, uma participação pequena, mas especial em 'O Fantasma Trapalhão', com o Renato Aragão, em 'Xuxa Gêmeas', que também foi muito legal e um papel um pouco maior. E em 'As Brasileiras', que era na televisão, mas tinha o preciosismo de cinema. Eu acompanhava a novela 'Fina Estampa' e o Crô era a alegria das nossas noites. Nas filmagens, o Aguinaldo nos deixou à vontade para não ficarmos presos ao texto e o Bruno é um cara extremamente acessível, carinhoso e generoso. O que me surpreendeu foi ele ter tido esse tempo para mim, essa preocupação. A minha expectativa é muito grande, vai ser um sucesso".



Ivete Sangalo nasceu em Juazeiro, interior da Bahia, numa família de músicos. Começou a cantar ainda criança e, no colégio, aproveitava os intervalos para tocar violão. Nos saraus familiares, encarregava-se da percussão. Veio morar em Salvador aos 17 anos, tendo trabalhado como modelo. Na música, começou tocando em bares e, em seguida, realizou alguns shows em cidades do interior da Bahia, chegando a apresentar-se em Pernambuco. Na cidade natal, recebeu convite para abrir o show de Geraldo Azevedo, no teatro do centro de cultura João Gilberto. Ivete é frequentemente reconhecida pela sua poderosa voz, carisma e notáveis performances durante os seus shows. E é conhecida internacionalmente, tendo feito diversos shows no continente europeu em países como Portugal, Espanha, Alemanha, Suíça, Itália, Angola, Estados Unidos, Paraguai, Argentina, entre outros. Fora dos palcos, já fez participações nos filmes 'O Fantasma Trapalhão', 'Xuxa Gêmeas', e nas séries 'As Brasileiras' e 'Gabriela'. Em 2013, está em 'Crô - O filme', em uma participação especial.

TIAGO ABRAVANEL

Tiago Abravanel iniciou sua carreira como ator em 2004, na época com dezessete anos, na peça teatral 'TeenBroadway'. Posteriormente, atuou em diversas outras peças, como 'Avoar', 'Aroma do Tempo', 'O Gato Malhado' e a 'Andorinha Sinhá e Pinóquio', entre outras. Em 2007, fez parte do elenco do musical 'Miss Saigon', e durante os anos de 2009 e 2010 atuou no aclamado musical 'Hairspray', sob direção de Miguel Falabella. Em 2011, estreou na televisão com personagem Davi, na novela 'Amor e Revolução', de Tiago Santiago, exibida pelo SBT. No mesmo ano, assumiu o papel principal no musical 'Tim Maia - Vale Tudo', baseado no livro de Nelson Motta, no qual interpreta o cantor Tim Maia, tendo sido muito elogiado pela crítica. Em 2012, Tiago é convidado pela autora Glória Perez para atuar na novela 'Salve Jorge', na Globo. No dia 03/03/13 ganhou o troféu da categoria 'Revelação' nos Melhores do Ano 2012 do Domingão do Faustão. Participou em 'Dança dos Famosos' no Domingão do Faustão, ficando em terceiro lugar. Está no ar na novela 'Joia Rara' e participa de 'Crô - O filme'.

EQUIPE

JOSÉ JOAQUIM SALLES

DIRETOR DE ARTE

José Joaquim Salles é cenógrafo e diretor de arte de longas-metragens e filmes publicitários, com passagens por várias funções na produção de um filme ao longo dos anos 70, 80 e 90. Começou dirigindo curtas-metragens na segunda metade dos anos 60 e, em seguida, atuou como assistente de direção de longas. Trabalhou como assistente de produção, montagem, direção em filmes de cineastas conceituados, entre eles, Mário Carneiro, Carlos Diegues e Bruno Barreto. Nos anos 80, foi assistente de direção de Paul Mazurky no longa 'Luar sobre Parador', e de Stanley Donen em 'Feitiço do Rio'. Depois passou a atuar como desenhista e coordenador de produção e, em seguida, como diretor de produção. A partir dos anos 90, concentrou-se na cenografia e direção de arte em vários filmes nacionais. Como cenógrafo e diretor de arte participou de 'Sombras de julho' (1994), 'Buena sorte' (1995), 'Brava gente brasileira' (2000), 'É proibido proibir (2006), ' Inesquecível' (2007), ' Sonhos Roubados' (2009) e ' Tainá 3 – A origem' (2012). Em 2013, em 'Flores Raras' e 'Crô - O filme', de Bruno Barreto.

CARLOS ALBERTO GARDIN

FIGURINISTA

"Toda equipe de arte e figurino em pouco tempo criou um projeto, um estilo mais arrojado para o personagem que era mordomo, herdou uma fortuna e ficou rico. O grande desafio foi viabilizar esta rica história dentro de nosso orçamento e prazos. Pesquisamos todo o universo que o autor cita na visão bem humorada do enredo. Para os figurinos de cada personagem criei uma identidade pontual e extravagante, alternando volumes, transparências, brilhos, grafismos, cores, texturas e estampas. Todos possuem estilo único, composto por detalhes que salientam cada personalidade. Com o Bruno Barreto na direção, o José Joaquim Salles na direção de arte, Westerley Dornellas na caracterização, com esse elenco e a minha equipe, composta pelo meu assistente Gustavo Lociks, pela produtora Miki Shimosakai, as costureiras Benê e Cris, e a Evelyn, responsável pelos adereços, além dos parceiros fornecedores, nós fomos afinando e refinando sutilezas para cada caracterização. Quando esses personagens se misturam nos ambientes, somos surpreendidos com o colorido próprio de cada cena. Acredito no bom resultado deste trabalho".



Carlos Alberto Gardin tem formação artística no Ballet Stagium, nos anos 80 experienciou a dança e segmentos como direção de arte e figurinos para dança e teatro. Como figurinista, recebeu prêmios em festivais com peças direcionadas para o público adulto e o Prêmio Mambembe como melhor figurinista infantil de 1984. Nos anos 90, fez figurinos para televisão em premiadas produções como 'Mundo da Lua', 'Glub-glub', 'Castelo Rá-tim-bum', e iniciou uma trajetória realizando figurinos para filmes publicitários, como 'Brastemp', premiado em Cannes. Realizou 100 filmes desta mesma campanha em 10 anos, e outros produtos e prêmios, parcerias com diretores como Fernando Meirelles, com quem também esteve no longa metragem 'Ensaio Sobre a Cegueira'. Presta serviços para a O2 Filmes e seus diretores e outras produtoras. Produziu figurinos para ballet e musicais como 'Noé noé!', 'Deu a louca no convés', premiado com o Troféu Arlequim em 2012 pelos figurinos do musical 'Os boêmios de Adoniran'. Em 2013, foi responsável por figurinos para o Ballet Stagium e de 'Crô - O filme'

LC BARRETO

PRODUÇÃO

Fundada em 1963 por Lucy e Luiz Carlos Barreto, a LC Barreto produziu e co-produziu mais de 80 filmes de longa e curta metragem, dentre os quais podem-se destacar 'Vidas Secas', 'Dona Flor e Seus Dois Maridos', 'Bye Bye Brazil', 'Garrincha', 'Alegria do Povo', 'Isto é Pelé', 'Memórias do Cárcere', 'Bossa Nova', 'O Quatrilho' e 'O Que É Isso Companheiro?' (esses dois últimos indicados para o Oscar® de Melhor Filme Estrangeiro – em 1996 e 1998). Também produziu 'Lula, O Filho do Brasil', de Fábio Barreto, selecionado para representar o Brasil na corrida para o Oscar ® 2011 de Melhor Filme Estrangeiro. A mais recente produção por Paula Barreto foi 'Flores Raras', que estreou em agosto de 2013. Este ano, Paula Barreto está na produção de 'Crô - O filme', com estreia prevista para 29 de novembro de 2013. A LC Barreto / Filmes do Equador também produz conteúdos para televisão, telefonia celular, internet, além de filmes institucionais e de publicidade.



GLOBO FILMES

COPRODUÇÃO

Desde 1998, a Globo Filmes já participou de mais de 130 filmes, levando ao público o que há de melhor no cinema brasileiro. Com a missão de contribuir para o fortalecimento da indústria audiovisual nacional, a filmografia contempla vários gêneros, como comédias, infantis, romances, dramas e aventuras, apostando em obras que valorizam a cultura brasileira. A Globo Filmes participou de alguns dos maiores sucessos de público e de crítica como 'Tropa de Elite 2', 'Se Eu Fosse Você 2', '2 Filhos de Francisco', 'O Palhaço', 'Xingu', 'Carandiru', 'Nosso Lar' e 'Cidade de Deus' – com quatro indicações ao Oscar. Suas atividades se baseiam em uma associação de excelência com produtores independentes e distribuidores nacionais e internacionais.



PARIS FILMES

DISTRIBUIÇÃO

A Paris Filmes é uma empresa brasileira que atua no mercado de distribuição, produção e exibição de filmes. A companhia está alicerçada em uma estrutura independente, onde a qualidade de seus produtos e o respeito com que se trabalha são elementos indispensáveis. Unidos, esses fatores fizeram e fazem da empresa hoje, uma das mais respeitadas e tradicionais distribuidoras do país.

A partir de 2011, a empresa passou a atuar também na produção de filmes brasileiros. O investimento foi um novo desafio que deu certo, desde sua primeira aposta, com o longa metragem 'De Pernas Pro Ar', do diretor Roberto Santucci. Atualmente, onze filmes já foram produzidos pela companhia, entre eles: 'E Aí Comeu', 'Cilada.com' e 'Minha Mãe É Uma Peça – O Filme'.

Em 2009 a companhia conseguiu firmar seu espaço no mercado se tornando líder dentre as distribuidoras nacionais ao apoiar grandes e pequenas produções, nacionais e internacionais, dentre elas o fenômeno 'A Saga Crepúsculo'. Em 2011, fechou o ano como a maior distribuidora independente e a 3ª maior em participação de market share. E no ano seguinte, confirmou seu espaço ao conquistar o 1º lugar em Market Share dentre todas as distribuidoras, majors e independentes, além de distribuir grandes sucessos como o filme brasileiro com maior número de bilheteria no ano, 'Até que a Sorte Nos Separe', do diretor Roberto Santucci. Neste mesmo ano, a Paris Filmes lançou a nova franquia cinematográfica 'Jogos Vorazes', além de distribuir os premiados: 'O Artista', 'A Dama de Ferro' e 'Meia-Noite em Paris'.

A Paris Filmes segue sua trajetória de sucesso em 2013. São da distribuidora os dois maiores filmes nacionais até aqui, 'De Pernas Pro Ar 2' e 'Minha Mãe É Uma Peça - O Filme', que por conta de seu sucesso já tem uma sequência encomendada. E a previsão é de mais bilheteria com 'Crô - O filme', de Bruno Barreto e 'Meu Passado me Condena', de Júlia Rezende. Para os títulos internacionais, a previsão também é ótima: depois de sucessos como 'Truque de Mestre' e 'O Lado Bom da Vida', as grandes produções até o final do ano incluem 'Os Suspeitos', com Hugh Jackman e Jake Gyllenhaal; 'Rota de Fuga', com Arnold Schwarzenegger e Sylvester Stallone; 'Ender’s Game – O Jogo do Exterminador', de Gavin Hood; além de ‘Última Viagem a Vegas’, com Robert De Niro, Michael Douglas e Morgan Freeman e o segundo filme da franquia Jogos Vorazes, 'Em Chamas', de Francis Lawrence.

DOWNTOWN FILMES

DISTRIBUIÇÃO

Fundada em 2006 por Bruno Wainer, que tem em seu currículo a distribuição de alguns dos maiores sucessos do cinema brasileiro, entre os quais se destacam 'Olga', 'Os Normais', 'Central do Brasil' e 'Cidade de Deus', a Downtown Filmes especializou-se a partir de 2008 na distribuição exclusiva de filmes brasileiros. Isso garantiu à empresa o lançamento de grandes sucessos de bilheteria como 'Meu Nome Não é Johnny', 'Divã' e 'Chico Xavier'.

Em 2011 foi responsável pela distribuição dos dois maiores sucessos do ano: as comédias 'De Pernas Pro Ar' e 'Cilada.com', que juntos venderam mais de 6,6 milhões de ingressos. Outro lançamento importante foi o documentário 'Lixo Extraordinário', indicado ao Oscar neste mesmo ano.

Em 2013, a Downtown Filmes lançou dois grandes sucessos: 'De Pernas Pro Ar 2', que ultrapassou a marca de 4,8 milhões de espectadores e 'Minha Mãe É Uma Peça - O Filme', com mais de 4,6 milhões de ingressos vendidos. Até agosto deste ano, a Downtown Filmes, em parceria com a Paris Filmes lançou 5 filmes e vendeu mais de 11,5 milhões de ingressos.





ASSESSORIA DE IMPRENSA

Anna Luiza Müller

Julia Moura | julia@primeiroplanocom.com.br



(21) 2266-0524 | 2286-3699

BARRA DE LOGOS



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal