Circuito Nacional de Tiro Esportivo



Baixar 56,23 Kb.
Encontro19.04.2018
Tamanho56,23 Kb.

Confederação Brasileira de Tiro Esportivo

Tiro ao Prato Olímpico
Primeiro (1º) Adendo ao
Regulamento Geral de Tiro ao Prato Olímpico 2015


A Comissão Técnica de Tiro ao Prato Olímpico da CBTE, no uso de suas atribuições e em estrita conformidade com o estatuído no item 14.4., do Regulamento do Tiro ao Prato Olímpico/2015,
Considerando que o item 9.1, do Regulamento atual, não atende ao que foi pactuado entre a CBTE e o COB, em datas anteriores, no que diz respeito aos atletas aptos a participarem das provas seletivas referentes ao preenchimento das vagas das modalidades de Fossa Olímpica Masculina e Fossa Double para a Olimpíada Rio/2016;
Considerando que, no concernente às demais modalidades, inclusive a Fossa Olímpica Feminina, o Regulamento atual contempla, com exatidão, o predito ajuste;
Considerando, portanto, a necessidade da CBTE adequar-se ao que foi ajustado com o Comitê Olímpico do Brasil, suprindo, destarte, o equívoco involuntariamente contido no Regulamento atual,
RESOLVE aditar o Regulamento em questão, e o fazendo neste ato e apenas com relação às modalidades de Fossa Olímpica Masculina e Fossa Double, e, tudo, mediante o que segue:


  1. O item 9.1 do Regulamento 2015 passa a ter a seguinte redação:


9.1. Fossa Olímpica Masculina - Os três (3) primeiros atletas classificados no Ranking Geral de 2014, e um (1) indicado pela Comissão Técnica, dentre os atletas componentes do Grupo AIO.


  1. O item 9.3 do Regulamento 2015 passa a ter a seguinte redação:


9.3. Fossa Double - Os três (3) primeiros atletas classificados no Ranking Geral de 2014, e um (1) indicado pela Comissão Técnica, dentre os atletas componentes do Grupo AIO.



  1. A Comissão Técnica indica, desde já, para compor a Equipe Brasileira de Fossa Olímpica Masculina, como seu quarto (4º) integrante, o atleta ANDRÉ ALTOBELLO, porquanto componente do Grupo AIO incentivado pelo COB, já tendo, inclusive, participado, nessa condição, de provas internacionais da ISSF em 2014.



  1. Referido Atleta, desde já, é indicado, também, como primeiro (1º) reserva da modalidade de Fossa Olímpica Masculina para os Jogos Pan-americanos de Toronto, Canadá.




  1. Em razão da alteração da redação dada aos itens 9.1 e 9.3, e diante da impossibilidade de disputa, nas Copas Mundiais e Campeonato do Mundo, pelo MQS, porquanto a ISSF não autorizou tal disputa nas suas provas 2015, altera-se o critério das seletivas para o preenchimento das vagas para os Jogos Olímpicos 2016, passando, tão somente, para as modalidades Fossa Olímpica Masculina e Fossa Double, a ser o que consta abaixo.




  1. O Ranking da Equipe Brasileira será formado através dos resultados obtidos nas quatro (4) Copas do Mundo 2015, mais o Campeonato do Mundo. Cada um, dos quatro (4) atletas das duas (2) respectivas modalidades, participará de três (3) das quatro (4) referidas Copas do Mundo, o que lhes possibilitará idênticas oportunidades de classificação.




  1. Na primeira (1ª) Copa do Mundo, a ser realizada no México, as Equipes Brasileiras de Fossa Olímpica Masculina e de Fossa Double serão formadas pelos três (3) atletas melhores classificados no Ranking Geral da CBTE 2014 em suas respectivas modalidades.




  1. Na segunda (2ª) Copa do Mundo a Equipe Brasileira de cada uma das respectivas modalidades será formada pelo atleta que não integrou a Equipe na primeira (1ª) Copa do Mundo, mais os dois (2) atletas melhores classificados naquela competição.




  1. Na terceira (3ª) Copa do Mundo, a Equipe Brasileira, em cada uma das referidas modalidades, será formada com o atleta que não integrou a Equipe Brasileira na primeira (1ª) Copa do Mundo, mais o atleta que não participou da segunda (2ª) Copa do Mundo, além do atleta melhor classificado na segunda (2ª) Copa do Mundo dentre os dois (2) que participaram das duas (2) primeiras provas.




  1. Na quarta (4ª) e última Copa do Mundo, a Equipe Brasileira, em cada uma das referidas modalidades, será formada pelos três (3) atletas que não participaram de todas as Copas do Mundo anteriores. Nesse caso, portanto, não participará desta competição o atleta que participou das três (3) primeiras Copas do Mundo.




  1. A soma dos resultados obtidos por cada um dos atletas nas referidas competições, determinará uma pontuação e uma classificação, sendo que os três (3) melhores classificados comporão a Equipe Brasileira, em suas respectivas modalidades, no Campeonato do Mundo a ser realizado em Lonato, Itália.




  1. A soma dos resultados obtidos nas Copas do Mundo, mais o resultado obtido no Campeonato Mundial, de cada um dos atletas, determinará uma classificação final definitiva.




  1. O melhor classificado, na modalidade de Fossa Olímpica Masculina, será o titular da vaga convite que o Brasil já possui para os Jogos Olímpicos Rio/2016.




  1. Os critérios estabelecidos nos itens 12 e 13, acima, não são aplicados para a modalidade de Fossa Double, porquanto não foi concedida para tal modalidade, vaga convite para os Jogos Olímpicos Rio/2016.




  1. No curso do ano 2015, em cada prova ISSF, haverá concessão de vagas olímpicas. Se um atleta conquistar uma segunda (2ª) vaga, e não sendo ela em substituição à vaga convite, será ele o titular da vaga conquistada, desde que cumpra com todas as exigências previstas no Regulamento aqui aditado. Da mesma forma, o ou os atletas da modalidade de Fossa Double que conquistarem vagas, através das provas internacionais, para os Jogos Olímpicos Rio/2016, será(ao) o(s) titular(es) da(s) respectiva(s) vaga(s).




  1. Permanecem plenamente válidas todas as demais regras estabelecidas no Regulamento 2015, inclusive as que estabelecem o critério de pontuação nas Provas Mundiais válidas como seletivas.




  1. Este aditamento entrará em vigor imediatamente após sua publicação no site da CBTE, revogando-se todas as disposições em contrário.

Rio de Janeiro, 29 de janeiro de 2015.



Durval Balen
Presidente

José Ailton Patriota de Oliveira
Diretor Técnico






©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal