Ciência: sistema de dominaçÃo michel fucault arquivismo



Baixar 22,88 Kb.
Encontro29.05.2017
Tamanho22,88 Kb.

CIÊNCIA: SISTEMA DE DOMINAÇÃO

MICHEL FUCAULT – ARQUIVISMO


MICROFÍSICA DO PODER

CIÊNCIAS HUMANAS E CIÊNCIA POLÍTICA



  • A gênese das ciências Humanas; (surgiram no século XIX)

  • A mentalidade científica; (Século XIX)

  • Positivismo e neopositivismo; (Século XX) – Augusto Conte fundador do positivismo.

  • A ciência política; (se desenvolve em função dos graus de incerteza)

Pilares da ciência política: Filosofia, Sociologia(Carl Marx , Max Weber e Ducain) e Direito (a ordem pública é uma fera de jurisdicionalização).

  • A ciência ética. (Nosso problema é saber se teremos uma atitude ética).

* Caudilhismo.

- Luta de classes entre proletariado e burguesia;

- Teoria do Definhamento do Estado

- Ditadura do proletariado: utiliza a opressão para manter o controle.

- Individualismo ético de Marx.

- Individualismo ético Burguês (coletivista)

LIVRO: 18 brumários de Luis Bonaparte

Manuscritos Econômicos e Filosóficos – Carl Marx

Estado e Revolução – Lênin – Ulianov

As Origens do Poder


  • Poder na Pré-História: Da coletividade ao indivíduo.

Dividida em períodos ferramentais. O indivíduo vai se fortalecendo. A moral coletiva era uma moral de sobrevivência.

  • Poder na História: Religião, ética e razão.

No início da história os indivíduos que se sobressaíam baseavam-se na religião (fanática) como ferramenta de dominação.


  • Do período axial à história da filosofia.

O eixo passou a ser o moral (ético). De 1300 ac até 600 dc. Não que se tenha deixado a religião de lado, mas a religião passou a ter um discurso ético, ou seja, Deus está dentro de cada indivíduo e que estes teriam que mudar a conduta para melhorar.

Passa do fantástico para o moral tratando da conduta apropriada.


Estado e História da Filosofia

  • A gênese do pensamento político (Grécia, Roma e a Cristandade Ocidental). Estado dividido em classes distintas (operários, guerreiros (armas de ferro pesadas), filósofos (dominadores).

Sofistas (retórica e oratória) não tinham compromisso com a verdade suprema mas sim, falar bem. Mais democráticos, pois recebiam qualquer um que pudesse pagar.
Escola de Platão: não aceitava qualquer um, pois era rico e não precisava de dinheiro, relação com a verdade suprema. Aristóteles foi aluno de platão por 20 anos e depois da morte de platão, como não foi reitor da escola de platão, voltou para Macedônia e foi professor particular de Alexandre o Grande (dos 13 aos 19 anos).
Mais tarde voltou para a Grécia e criou sua própria escola – Liceu – Aristóteles assumiu um viéz naturalista.

- Governo de um: Monarquia (bom) ................. (corrompido)

- governo de poucos: Aristocracia Oligarquia (corrompido)

- Governo de muitos: Democracia Oclocracia (corrompido)

GRÉCIA - SUPREMACIA DA RAZÃO E VOLTADO PARA O EQUILÍBRIO.

Na Grécia antiga, quem tinha dinheiro não era preso pois pagavam pela liberdade.


ROMA – assumia o controle do território e absorvia a cultura sem opressão. Se quiserem ser romanos nós oferecemos vantagens. (Americanos de hoje).

O que segurava o sistema romano:

a) Direito

b) República

c) Império

Cresceu tanto que foi difícil administrar, eles foram os precursores da descentralização do poder.

Os romanos prezavam a CIVILIDADE. A queda de Roma foi por motivos internos: O exército começou a dividir os frutos somente entre os italianos de sangue, estes descontentes começaram a desertar, os colonos viam os soldados voltando pararam de plantar e foram para Roma = êxodo rural. Começou a faltar comida.
CRISTANDADE OCIDENTAL – união dos cristãos com os egípcios....

- Discurso: Moneteísta (Deus está nos vendo) o inferno é na terra o paraíso é no céu.



EGÍPCIOS: regularidade

GREGOS: individualidade

ROMANOS: ......

IGREJA: religiosidade


  • Príncipe-Estado (Maquiavel, Hobbes, Montesquieu, Hegel).

MAQUIAVEL O homem é ganancioso – o homem sofre mais com a perda do dinheiro do que com a do pai. O homem tem que governar utilizando a razão. Os impérios são cíclicos, não tem jeito e o melhor a fazer é prolongar a vida do reino.

- astúcia: usar a inteligência racional (com ética);

- intimidação: exército na rua com as armas reluzentes;

- terror: cortem as cabeças e deixem expostas em praça pública.


Hobbes: O homem é o lobo do homem. (o homem é naturalmente mau) = guerra total – entreguem o poder a rei e este garantirá o Estado.
Montesquieu – sugeriu a divisão dos Poderes. Centralizado mas divido.
Hegel – havia um espírito absoluto, todos conflitos humanos conduzem a um futuro melhor. “Deus, cansado de estar sozinho, resolveu se dividir, criando o homem.”

Esta realização do espírito absoluto só se realizará após o Estado Constitucional moderno.




  • Estado-Nação (Robespierre, Tocqueville).

Robespierre – a base do Estado é o povo. Costumava mandar pessoas, que o ameaçavam, para a guilhotina por insurgência ao Estado e por isso, mataram ele.
Tocqueville – Democracia americana cuja gênese era audaciosa, pois tiveram que ir contra a Inglaterra porém mantiveram a seriedade inglesa. O Poder representa a nação.


  • Estado-Sociedade (Mill, Comte, Marx).

Mill – utilitarista defendem uma ética matemática – como promover o maior bem para o maior quantidade de pesssoas.
Comte – Pai do positivismo – perspectiva científica – promover um governa racional com base na ciência.

Marx – Analisou relações entre as classes ....e chegou a conclusão pelo materialismo.Modos de produção.

Eu preciso considerar a condição da sociedade para


  • Estado-Partido (Lênin, Stalin).

Lênin –

Stalin – 1930 à 1953

Visão de um partido que detenha a vontade da história.


  • Estado-Força (Maurras, Lê Bom).

Hitler, Mussolini.

Maurras –

Lê Bom – purificação da raça (eugenia).

Tudo depende da vontade do Estado.




  • Estado-Cientista (Durkheim, Weber).

Durkheim – usar a ciência para ....... Para entender a sociedade não precisa entender o indivíduo basta entender os movimentos sociais. O avanço do socialismo e a complexidade social afrouxavam os laços e o homem ficou deprimido. Era uma questão científica e não religiosa.

Weber – Sociologia cultural compreensiva. Um indivíduo pode mudar a história desde que seja um líder carismático. O TIPO IDEAL.

Pragmatismo – funcionou então é bom.
Livro: História das Idéias Políticas – François Chatelet

Teoria das formas de governo.

A ÉTICA PROTESTANTE E O CAPITALISMO....

Sociedade, Estado e Governo no Mundo Contemporâneo.



  • Promessas e Cobranças da Idade Contemporânea. (séculos XIX e XX).

  • As mudanças no papel do Estado.

- Getúlio Vargas: profissionalização do serviço público.

- Juscelino Kubitchek: 50 anos em 5 – desenvolvimentismo e desburocratização.




  • O novo papel do Estado.

- Desburocratização para ter recursos para atender saúde, educação e com a função de facilitador.

Surge a idéia do terceiro setor: ONGS, associações de servidores, PPP, OSIPS



Wellfairemix – Estado promovendo o bem estar com parceiros, ficando num papel gerencial.



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal