Ciência cristã liçÃo bíblica



Baixar 38,24 Kb.
Encontro03.02.2019
Tamanho38,24 Kb.

PowerPlusWaterMarkObject4170080



CIÊNCIA CRISTÃ - LIÇÃO BÍBLICA

Estudo Metafísico do Acampamento dos Cedros para a Lição Bíblica

“Irrealidade” de 28 de março a 03 de abril de 2011

Viva sem medo e veja através da irrealidade

De que você tem medo? Por que você tem medo disso ou daquilo? O seu medo é justificado? No Acampamento dos Cedros, quando os campistas estão se preparando para o “circuito das cordas altas”, nós explicamos a eles a diferença entre um perigo real e uma imagem de perigo. Todas as precauções são tomadas para se ter certeza de que, ao passar no caminho das cordas, todos da Ciência Cristã estão amarrados corretamente aos cabos de segurança. Pode parecer assustador andar sobre toras e cabos lá no alto, longe do chão, mas usar o equipamento de segurança muda o perigo de “perigo real” para “imagem de perigo”. É claro que não podemos confiar apenas no equipamento. Também estamos orando ali mesmo por força, sabedoria e proteção de qualquer perigo, para diminuir a “imagem de perigo”.

Na nossa experiência diária, podemos enumerar diversos perigos que certamente parecem bastante reais. Mas pela compreensão do infinito poder do Deus Onipotente, aprendemos que todo perigo é irreal porque Deus está sempre presente e nos mantém a salvo de qualquer dano.

No Texto Áureo, Jesus está se dirigindo aos discípulos no que se chama seu discurso de despedida. Lhes adverte de que enfrentarão desafios severos, e seu Mestre os está preparando amavelmente. Seus corações estão conturbados como um “mar revolto”, mas Jesus os encoraja a não temer. De acordo com A.T. Robinson em seu livro “Word Pictures in the New Testament” (Descrições das palavras no Novo Testamento), a palavra grega deiliao foi usada apenas uma vez no Novo Testamento. Robinson ressalta que essa palavra é rara, e pode ser encontrada em Aristóteles, num papiro de alguém que foi condenado à morte. Em outras palavras, eles estavam lidando com algo mais que uma “imagem de” perigo. O teólogo Adam Clarke parafraseia o mandamento dessa forma: “Não deixe seu coração se retrair por medo de um perigo que se aproxima”.

Na Lição dessa semana veremos muitos exemplos de medos que foram superados quando a pessoa não se impressionou com o que parecia ser um “perigo que se aproximava”. Quando estamos com Deus, podemos ver que todo o mal, não importa o quanto seja desafiador, é irreal.

Quer você esteja com medo de um bully, ou seja, de uma intimidação, ou do “imposto de renda”, de um terrorista, de uma tentação ou de uma doença, as escrituras, na Leitura Alternada, são claras: “Não temas”. E Deus não está a apenas um telefonema de distância; Ele está com você sempre. Na verdade, você está nEle. Nada pode passar por Deus e te alcançar. Você já procurou uma sombra com uma lanterna? Você nunca vai encontrá-la, porque para onde quer que a lanterna aponte, as sombras fogem. Assim também devem ser seus inimigos, diz Isaías. Você procurará por eles, mas não os encontrará. O poder de Deus nos dá força. Em vez de ficarmos apavorados, procurando freneticamente por perigos em toda parte, deveríamos nos manter calmos, livres de toda apreensão. Ao contemplarmos o poder de Deus, a situação será revertida. Nossos olhos cegos serão abertos, e nossos ouvidos surdos serão abertos. Cantaremos com alegria, e onde parecia haver aridez e ruínas, teremos abundância e riqueza. Nossas lamentações desaparecerão, e serão substituídas por alegria infinita.

Seção 1: A luz da verdade e do Amor elimina a escuridão do medo.

Um dos significados de magnificar é “tornar grande”. Acredita-se que esse Salmo (B1) foi escrito depois de Davi ter sido escorraçado. Ele está chamando todos a engrandecerem o nome do Senhor exatamente onde estão, mesmo no meio de um desafio. Acredita-se que o versículo seguinte (B2) foi escrito no dia em que Davi foi libertado das mãos de seus inimigos: “...fazes resplandecer a minha lâmpada...meu Deus, derrama luz nas minhas trevas...” Toda vez que leio isso me lembro do Senhor dos Anéis. O anti-herói, Froddo Baggins, recebe um Frasco de Galerdiel, a Rainha de Elvin, que contém a luz da Estrela de Earendil. Sua bênção é: “Que ela seja uma luz em todos os lugares escuros aonde você for, que todas as outras luzes se apaguem.”

Nós também temos uma luz como essa, mas a nossa não é fantasia; a nossa é a luz da Verdade e do Amor. E a luz que vem de Deus não está confinada a uma única fonte, como uma lanterna ou um frasco místico. A luz de Deus enche todo espaço e não há lugar para qualquer escuridão. Essa luz é nossa salvação em todas as situações (B3). Ela guia, governa e protege. Mesmo que um exército tenha ordem de batalha contra nós, teremos confiança no todo-poder de Deus. O inimigo não conseguirá nos descobrir e chegar até nós. Permaneceremos seguros e a salvo.

Ao reconhecer Deus como todo o bem e como a Fonte de todo o bem, Mary Baker Eddy concluiu que o erro não tinha criador e era, portanto, irreal (CeS 1). Ela também usou a imagem da luz destruindo a escuridão para ilustrar o poder da Verdade sobre o erro. (CeS 2) Ela mostra que a escuridão apenas parece ser real. A escuridão não é uma presença, mas uma ausência da luz. A escuridão foge quando a luz se acende (CeS 3). Ela usa a analogia da humanidade como uma criança assustada no escuro, vendo perigo em todas as direções (CeS 4). Quando nossa filha era pequena, a luz noturna fez uma sombra na parede que parecia um tubarão. Isso a deixou com medo. Acender a luz mudou o cenário, e fez ela não ter mais medo. Na próxima vez em que você estiver tentado a ter medo, acenda a luz!

Seção 2: Encare o desconhecido sem medo (confie em Deus)

Você já esteve apreensivo porque ia fazer algo totalmente novo? Por sair da sua zona de conforto? Essa é outra coisa sobre a qual falamos com os campistas do Acampamento dos Cedros que vão passar pela rota das cordas. Quer seja na nossa casa, no trabalho ou na igreja, ir em direção a um território desconhecido e, com o qual não se está familiarizado, pode ser um desafio. A Bíblia nos diz que não precisamos temer o futuro, porque Deus é o único que está no controle. “Eis que faço coisa nova, que está saindo à luz... Eis que porei um caminho no deserto...”(B4). Abraão (B5-B7) foi desafiado a deixar sua zona de conforto de forma grandiosa. Muitas pessoas voam milhares de quilômetros para longe de casa. Mas nos tempos antigos não era incomum que uma pessoa deixasse sua vida toda para trás ao se afastar num raio de cerca de cinco quilômetros. Novamente, me lembro do Senhor dos Anéis, quando Sam pára a expedição para anunciar que seu próximo passo o levaria para o mais longe de casa que ele já estivera. Foi uma ocasião significativa. E foi assim também para Abraão. O teólogo John Wesley coloca: “Deus o fez saber que esse não era o lugar que lhe era destinado. Sai tu de teu país, agora. Por essa ordem ele foi testado se amava mais a Deus do que sua terra natal e seus amigos mais queridos, se ele poderia deixar tudo e seguir com Deus, de bom grado. Seu país se tornara idólatra, sua família e a casa de seu pai eram uma tentação constante para ele, e ele não poderia continuar com eles sem o perigo de que o infectassem; portanto sai tu, (Heb.) vade tibi, sai com toda velocidade, fuja por sua vida, não olhe para trás”. Um desafio e tanto, para dizer o mínimo! [E provavelmente uma ordem para aqueles campistas cujos amigos ou colegas foram levados a praticar hábitos inapropriados].

Mary Baker Eddy nos instrui: “Quando não mais te servir o que é velho, não deves recear vestir o que é novo”. Quanto do que fazemos é resultado da tradição, ou da hesitação em progredir? Abraão representa um exemplo de confiança em Deus, o bem, mais do que todos os outros (CeS 7). Abraão usou a fé. A fé na verdade nos leva à compreensão, e isso nos habilita a distinguir a realidade da irrealidade (CeS 8). A evidência diante dos sentidos é irreal e deveríamos abandoná-la de bom grado. Foi decisivo que Abraão deixasse o passado e seguisse adiante, e assim é conosco. A Ciência Cristã amplia nossa compreensão espiritual e nós, naturalmente, nos voltamos àquilo que é benéfico. Nossa Líder recomenda que despojemos nosso “pensamento daquilo em que erradamente confia...para que os fatos espirituais do ser possam aparecer” (CeS 10). Todos nós podemos fazer isso. Podemos sair da nossa zona de conforto, sair da rotina do que é familiar e que não serve mais e entrar no campo do novo e real.

[O Tire Transversal (pneus transversais) do Acampamento dos Cedros é uma exemplificação clara e participativa de que você tem de se soltar dos pneus número 1, 2, 3....para chegar até o pneu número 10 e além, até o real. Nosso estudo metafísico do texto inspirado de São Paulo é: “Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo pelo prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo Jesus” Filipenses 3:13-14].

Seção 3: Encare os gigantes sem medo (seja confiante)

Todos nós conhecemos a história de Davi e Golias (B9). Praticamente todo mundo já enfrentou, ou enfrentará, um desafio gigante mais cedo ou mais tarde. Há algumas coisas a serem lembradas a respeito da vitória incomum de Davi. Enquanto todos a sua volta estavam com medo, Davi estava confiante. Não apenas nas suas próprias habilidades, mas na habilidade de Deus em protegê-lo e defender Israel. Davi também estava bem preparado. Com a ajuda de Deus, ele havia salvo suas ovelhas de ataques do urso e do leão. Mas agora encarava um desafio relacionado à sua nação e ao seu Deus. Ele estava pronto. O teólogo Adam Clarke nos conta que a ideia de um pastor derrubar um guerreiro gigante com uma funda não é tão absurda, como se poderia supor. Ele cita Diodorus Siculus liv.. v., c. 18, p. 287:

“Os Baleares, nos tempos de Guerra, atiravam pedras maiores do que qualquer outro povo, e com tal força que pareciam terem sido lançadas de uma catapulta.

Por isso, em ataques feitos contra suas cidades fortificadas, eles feriam gravemente aqueles que cercavam o forte; e, na batalha, conseguiam quebrar os escudos, capacetes e qualquer tipo de armadura que era usada para defender o corpo. E são atiradores tão precisos que raramente erram aquilo em que miram”.

A explicação continua: “Eles mantém essa perfeição por meio de exercícios constantes, desde a infância; porque enquanto são pequenos e estão sob os cuidados de suas mães, são obrigados a aprenderem a atirar com a funda. As mães amarram um pedaço de pão como alvo no alto de uma vara; e a criança permanece em jejum até que acerte o pão; e quando o acerta, a mãe lhe dá esse pão para comer.” (Ibid.). Então, podemos ver que a confiança é inspirada pela preparação. Logo, essa confiança deve ter estado com Davi [assim como está junto aos jovens campistas que estão aprendendo tais lições].

A Sra. Eddy escreve: “A confiança inspirada pela Ciência assenta no fato de que a Verdade é real, e o erro irreal” (CeS 11). Eddy também escreve que: “Algum dia, aqui ou no além, todo mortal terá de lutar contra a crença mortal num poder oposto a Deus, e vencê-la” (CeS 12). Ela continua, e fala sobre ter fé a despeito de algumas coisas. Davi tinha bastante prática com sua funda, e nós devemos praticar regularmente as verdades que sabemos. Então, quando um desafio surgir, estaremos preparados. Além disso, perceba que, diferentemente de todos os outros, Davi não estava impressionado pelo tamanho ou pelas ameaças do gigante. Nossa Líder nos dá coragem pelo lembrete de que Deus nunca fez do homem “um mortal mau” (CeS 13). Não precisamos nos impressionar pelas diversas vantagens que o erro alardeie ter. Essas falsas vantagens não têm poder, não têm vida, não têm causa. Davi tinha o que Eddy chamava de “sentido mais divino” (CeS 14), e para esse “sentido mais divino”, o mal era irreal. Que confiança Eddy manifesta ao fazer a pergunta: “Mas por que deveríamos ficar apavorados ante o nada?”

Seção 4: Não Tenha Medo, Deus Está no Controle (Tenha Fé)

Você já sentiu como se as coisas estivessem fora do controle? Que há algumas coisas acontecendo que ninguém poderia fazer nada a respeito delas? O salmista nos faz começar com o reconhecimento de que, independente do que pareça estar acontecendo ao nosso redor (B10), a lei de Deus está firmemente estabelecida e assim permanecerá sempre. Esta lei nos mantém em toda e qualquer circunstância.

Na história de Jesus caminhando sobre as ondas (Marcos 6, B11), há vários níveis onde o medo parece estar bem presente. Já no início, vemos que Jesus "coagiu", literalmente "compeliu" ou "forçou" os discípulos a entrarem em um barco. Há várias opiniões do porquê isso foi necessário. Alguns estudiosos acreditam que os apóstolos tinham medo de ir ao território inimigo, alguns deles estavam, hesitantes de ir sem Jesus. Mas, qualquer que seja o motivo, eles estavam com medo antes mesmo de entrarem no barco. Eles já estavam longe, no mar, e havia uma terrível tempestade, quando, aproximadamente entre 3 e 6 da manhã, eles viram Jesus caminhando sobre as ondas e vir até eles. Esta visão os aterrorizou. Jesus disse a eles que não temessem. Pedro, sem pensar com clareza, pede a Jesus para sair e caminhar sobre as águas até ele. Sua impetuosidade foi mais forte do que sua fé e, no meio das ondas, seu medo o dominou. No entanto, o Mestre ainda o salvou. Assim que entraram no barco, a tempestade cessou.

Durante toda esta experiência, Jesus ficou calmo e firme. Ele estava no comando da situação, porque não estava impressionado com a tempestade à sua volta. Ele sabia que não havia realidade em um poder que não fosse de Deus. A Sra. Eddy nos ensina que devemos saber isso também (CeS16). Para o sentido espiritual de Jesus, a tempestade era irreal. Somente parecia real e amedrontadora ao sentido material. Jesus não apenas tinha domínio sobre as tempestades metafóricas da vida, como também sobre as tempestades literais. Podemos pensar que não sejamos capazes de superar estes desafios, mas é somente a falta de fé que nos faz pensar desta forma (CeS 18). A demonstração de Pedro precisava acompanhar esta teoria. Cristo também exige de nós que avancemos em nossas demonstrações e, às vezes, é um desafio e tanto (CeS 19). Mas, da mesma forma que Pedro foi amparado quando começou a afundar, o Cristo vai nos alcançar e nos salvar. Jesus sabia que o Amor a tudo sustenta e que nada estava fora do controle no reino de Deus. Ele vivia na calma estabelecida do reino de Deus, e você também pode viver nesta calma.

Seção 5: Nunca É Tarde (Crê Somente)

Você já esteve em uma situação em que os atrasos, aparentemente além de seu controle, deixavam você ainda mais temeroso? E então, para completar, parece que você perdeu sua chance de cura? É o que acontece nesta seção. Percebemos nesta Lição que o medo parece estar nas duas extremidades da crença de que algo irreal seja real. O medo faz com que o irreal pareça real e, então, temos ainda mais medo do que vemos. As escrituras, entretanto, afirmam que "o perfeito amor lança fora o medo" - ou seja, deixa o medo do lado de fora (B12).

Sem dúvida, quando Jairo veio suplicando a Jesus (B13), ele estava com medo. Sua filha parecia estar morrendo. Jesus concordou em ir com ele, mas o progresso da caminhada foi interrompido por alguém que também estava buscando a cura. Você consegue imaginar como Jairo deve ter ficado inquieto enquanto Jesus estava ajudando a mulher, sabendo que sua filha estava em casa à beira da morte? Depois, imagine a sensação de medo e desespero quando alguém chega e lhe diz que é muito tarde. Mas a resposta de Jesus foi: "Não temas, crê somente." Quando Jairo acompanhado de Jesus, e muitos outros, chegam na casa todos já estão lamentando a sua morte. Parece, com certeza, que toda a evidência aponta para a derrota. Mas o que Jesus faz? Ele proclama exatamente o oposto do que os sentidos estão dizendo e os faz sair todos. [Cobbey Crisler salientou que foi mais fácil para Jesus dispensar os lamentadores pagos, quando eles estavam rindo de seu comentário sobre a garota não estar morta, mas dormindo. Isso limpou a casa e estabeleceu a atmosfera correta para a cura. Isso tornou possível a] Jesus silenciar o alarde do mal e expulsar o medo. Jesus viu através da irrealidade da morte e curou a garota.

Jesus sabia, como sabia nossa Líder, que "as crenças de sofrimento, de pecado e de morte são irreais" (CeS 21). A Sra. Eddy nos diz que quanto mais difícil a experiência, mais forte deve ser nossa fé e nosso amor (CeS 22). Expulsar o medo, permite que a verdade seja vista (CeS23). Nosso livro texto declara categoricamente que, uma vez removido o medo, o paciente está curado (CeS 24). Quando o medo desaparece, percebemos que não há nada mais de que se ter medo. Podemos expulsar o medo porque sabemos que não somos governados por órgãos ou condições materiais. O medo não tem poder perante a realidade. Se não nos sentimos capazes de ver a verdade por nós mesmos, podemos nos confortar no fato de que a Mente divina nos fez e nos mantém (CeS 25). Mesmo algo aparentemente final como "o rei dos terrores" não está além do poder de cura de Deus. A Sra. Eddy declara a morte como sendo uma "ilusão dos mortais" (CeS 26). Temos como provar isso, mas superar o medo da morte é a melhor maneira de começar o combate desta "ilusão".

Seção 6: Qualquer Luz Acesa Servirá; (Acione o Poder)

Isaías acena: "Dispõe-te, resplandece, porque vem a tua luz, e a glória do Senhor nasce sobre ti" (B14). Aqui estamos novamente com a luz dissipando a escuridão. Várias traduções desta expressão são: "Haja luz", "passe para o estágio da luz", "seja cercado e resplandecente de luz". Em outras palavras, deixe a luz da verdade dissipar a escuridão da irrealidade. Quando vivemos nesta luz, nenhuma arma pode nos ferir; nenhuma mentira pode nos magoar (B15). Nenhuma legislação pode negar-nos nossa habilidade de curar. Nenhum mal ou pandemia pode vir sobre nós, porque Deus é nosso refúgio constante (B16). O mestre nos diz "não temais" (B17). Independente do desafio que os sentidos podem apresentar, estamos sempre protegidos em nosso rebanho do Pai celestial. Não há nada a temer porque Deus é tudo.

A discórdia pode parecer reinar, mas toda a discórdia é irreal. Deus reina em absoluto (CeS 27). Independente de enfrentarmos o desconhecido, uma ameaça gigante, uma tempestade de pecado ou de doença, ou a aparente finalidade da morte, não precisamos ter medo. Estas ameaças não são reais. A luz da Verdade as dissolve. Somente o poder da Verdade evita o medo do erro (CeS 28). A Verdade é o oposto do erro, e é absurdo pensar que ambos podem conviver juntos e serem ambos reais. Se um é real, o outro é irreal. A Verdade destrói a falsidade, assim como a luz destrói a escuridão (CeS 29). Na próxima produção Teatral Musical do Acampamento dos Cedros de "José e a Fantástica Túnica Colorida dos Sonhos", há uma faixa chamada "Qualquer Sonho Vai se Realizar". Como qualquer pessoa que já tenha estado em uma caverna pode dizer, a menor luz é o suficiente para romper a escuridão. Não precisamos entender tudo para experimentar a cura. Qualquer verdade é melhor do que nada. Abraão não sabia aonde ele iria parar, mas ele sabia o suficiente para confiar e seguir a direção divina. Davi não sabia sobre a armadura e o combate, mas ele sabia como usar a funda. Pedro não entendia o suficiente para ficar sobre as ondas, mas o Cristo o salvou. Jairo pode ter tido mais medo do que expectativa, mas ele expulsou o medo para acreditar. Mesmo um grau de entendimento é potente o bastante para destruir o nada do mal (CeS 30). Não importa o mal que você esteja enfrentando, ele é irreal, porque não vem de Deus. Compreender o "Todo-poder divino, destrói o medo e firma os pés na verdadeira vereda."

Podemos tomar emprestado o slogan "No Fear" (Sem Medo) e fazer melhor uso dele. Podemos recusar sermos tentados por qualquer medo ou ameaça, não importa quão impressionante possa ser. Podemos viver sem medo - com confiança, segurança, fé e convicção. Ligue-a. "Que haja luz para você nos locais escuros, quando todas as outras luzes se apagarão."

[NOTA DO DIRETOR. Os pensamentos apresentados são a inspiração do momento e são partilhados para darem uma maior dimensão e de retrospectiva assim como novos ângulos (e anjos) na sua aplicação prática diária de algumas ideias e passagens contidas na Lição Bíblica da semana que estão no Livrete trimestral da Ciência Cristã. ( Se você ainda não tem encomende o seu exemplar, fale com quem lhe enviou os Cedros.) As citações de nosso estudo metafísico desta semana são da Bíblia e do livro Ciência e Saúde com a chave das Escrituras de autoria de Mary Baker Eddy. A Bíblia e Ciência e Saúde constituem o pastor ordenado para as Igrejas de Cristo, Cientista. A Lição Bíblica constitui o sermão lido em todos os serviços dominicais em todo o planeta. A Lição Bíblica fala individualmente por meio do Cristo a cada um, para que cada um tenha inspiração original e na medida precisa para superar os seus problemas com o estudo da Lição Bíblica. Estamos felizes que você deseja receber estes estudos metafísicos e esperamos que algumas das idéias aqui compartilhadas lhe sejam úteis em sua jornada espiritual diária, ao se aprofundar no estudo dos livros e sinta uma maior união com o Consolador e Pastor.]

-----ooooo00000ooooo-----

Este estudo metafísico foi preparado por Craig L. Ghislin, C.S., Glen Ellyn, IL , E.U.A.

[comentários entre colchetes: Warren Huff]

A tradução para o português é gentileza de Leila Kommers e Martha Samary, e leitura final por Orlando Trentini, CSB (visite o saite www.trentinicsb.com).








©livred.info 2019
enviar mensagem

    Página principal