Cesaf- colégio estadual senador attílio fontana



Baixar 0,67 Mb.
Página1/9
Encontro06.07.2017
Tamanho0,67 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9




CESAF- COLÉGIO ESTADUAL SENADOR ATTÍLIO FONTANA

ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO e PROFISSIONAL

Rua Gonçalves Dias - Fone/Fax (0xx45) 3252-2877 Vila Pioneiro – Toledo/PR

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

Toledo - 2008
CESAF- COLÉGIO ESTADUAL SENADOR ATTÍLIO FONTANA

ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO e PROFISSIONAL

Rua Gonçalves Dias - Fone/Fax (0xx45) 3252-2877 Vila Pioneiro – Toledo/PR

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO

Neste documento consta a Proposta Político Pedagógica do Colégio Estadual Senador Attílio Fontana.



Toledo - 2006

SUMÁRIO



APRESENTAÇÃO 3

I – DADOS DO ESTABELECIMENTO DE ENSINO 5

1.1 - Identificação do Estabelecimento 5

1.2 - Trajetória Histórica do Colégio Estadual Senador Attílio Fontana 5

1.3 - Organização do Espaço Físico 8

1.4 - Caracterização Escolar 8

1.4.1 - Horário de Entrada e Saída 9

1.4.2 Educação Especial - Sala De Recursos 10

1.5 – Quadro da equipe CESAF 11

II – OBJETIVOS GERAIS DA ESCOLA 14

2.1 – Objetivos do Ensino Fundamental 14

2.2 – Objetivos do Ensino Médio 15

2.3 Objetivos do Ensino Profissional 16

III – SITUANDO O COLÉGIO 18

3.1 - Aproveitamento Escolar – Ensino Fundamental e Médio 2004 21

IV CONCEITUANDO O COLÉGIO 24

V- PLANO DE AÇÃO DA ESCOLA 41

5.1 - Critérios de Formação de Turmas: 41

5.2- Organização Interna da Escola 47

5.3- As Relações entre os Aspectos Administrativos e Pedagógicos 54

5.4- Papel das Instâncias Colegiadas – Plano de Ação 58

VI – CONSIDERAÇÕES FINAIS 63

VII – REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 64

ANEXOS 67

ANEXO II 68

ANEXO III 78




APRESENTAÇÃO


Este documento tem como finalidade apresentar o Projeto Político Pedagógico do Colégio Estadual Senador Attílio Fontana – Ensino Fundamental, Médio e Profissional, com base nos aspectos legais da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional 9394/96. Como forma de organização do trabalho do Colégio, fundamenta-se nos princípios que norteiam a escola democrática, pública e gratuita.

Neste documento inclui-se, ainda, o Plano de Ação do ano de 2006 deste Estabelecimento de Ensino, buscando atender às inovadoras políticas educacionais.

Ressalta-se ainda, que o adendo à Proposta de Reestruturação Curricular do Ensino Fundamental e Médio serão encaminhados à parte, em documentos próprios, visando à praticidade do manuseio dos mesmos.



I – DADOS DO ESTABELECIMENTO DE ENSINO

1.1 - Identificação do Estabelecimento


Município: Toledo Código: 2790

NRE: Toledo

Nome: Colégio Estadual Senador Attílio Fontana - Ensino Fundamental,

Médio e Profissional Código: 838




1.2 - Trajetória Histórica do Colégio Estadual Senador Attílio Fontana


No final da década de 70, de uma forma geral, acentuou-se o êxodo rural, mais precisamente na região Oeste, em virtude da falta de incentivo à agricultura, na pequena propriedade, que já não produzia uma renda que atendesse às necessidades das famílias, porque houve a modernização agrícola. Assim, motivadas pelas informações de que a cidade de Toledo oferecia condições prósperas de vida, muitos agricultores e também pessoas de outros segmentos profissionais migraram, vendendo suas propriedades para os grandes latifundiários a um preço irrisório e aqui fixando suas moradias, dado à facilidade na aquisição dos terrenos.

Dessa forma, na Grande Pioneiro foi formado um Conjunto Habitacional para atender em regime de urgência à população com baixo poder aquisitivo, aumentando assim, o índice populacional, exigindo das autoridades competentes a criação de uma escola de 5ª a 8ª séries nas proximidades, para atender a essa clientela, uma vez que já existiam as escolas Reinaldo Arrosi e Walter Fontana que funcionavam de 1ª a 4ª séries.

A fundação Padre Aloys Mann resolveu sanar esse problema criando em 1981 uma escola de 1º grau, a princípio de 5ª a 7ª séries. Em 1982, essa fundação passou a absorver também os alunos de 1ª a 4ª séries.

Dada à urgência do início das aulas e, como o prédio ainda estava em construção, às mesmas eram ministradas no Centro Social Urbano e na Escola Walter Fontana, tudo mantido pela Fundação Padre Aloys Mann.

Concluída em 1982 a construção do prédio, esta escola passou a atender de 1ª a 8ª séries, sendo que, em 1983, o Município passou a assumi-la em todos os aspectos (financeiros, administrativos e outros). Neste período, a escola passou a ser chamada de Escola Municipal Senador Attílio Fontana e era administrada por um único Diretor.

Em 1984, sentiu-se a necessidade de criar várias extensões, nas proximidades da Vila Pioneiro, com o objetivo de atender aos alunos mais próximos de sua moradia, tais como: Escolas de 1ª a 4ª séries (noturno), Salões Paroquiais, Centro Social Urbano, dentre outros.

Devido ao grande número de crianças, jovens e adultos com necessidades escolares, moradores dos bairros: Vila Boa Esperança, Jardim Europa/América e Jardim Maracanã foi implantada a Escola Municipal, hoje Tancredo de Almeida Neves – Ensino de 1ª a 4ª série e concomitantemente, a Escola Estadual Boa Esperança – ensino de 5ª a 8ª série e 2º grau - propedêutico, pela resolução 35/85 Diário Oficial do Estado de 15 de janeiro de 1985, transformando-se em Colégio Estadual Boa Esperança que mais tarde passou a ser denominado Colégio Estadual Pe. João Batista Réus – Ensino de 1º e 2º graus com o curso de propedêutico (Educação Geral). Em 1992 criou-se o curso de Magistério.

Nesta época, a dificuldade era tamanha, onde só a dedicação e comprometimento impulsionavam a escola. Por isso, o diretor utilizava-se de todos os meios possíveis, até mesmo de seus bens pessoais para que a escola atendesse de forma mais completa às necessidades dos alunos.

Em dezembro de 1984, a escola passou a ser administrada e mantida em suas séries finais (5ª a 8ª séries), atendendo 36 (trinta e seis) turmas, pela Secretaria Estadual da Educação (SEED), com o nome de Escola Estadual Vila Pioneiro de 1º Grau. As séries de 1ª a 4ª, por sua vez, também contando com 36 (trinta e seis) turmas, continuavam sendo mantidas pelo Município, com o nome de Escola Municipal Senador Attílio Fontana. Somavam nesta época, um total de 2.700 (dois mil e setecentos) alunos de 1ª a 8ª séries, sob a mesma direção, tanto do Município, quanto do Estado.

Em 12 de Dezembro de 1990, a SEED autorizou o funcionamento do Curso Supletivo fase II Resolução nº. 3859/90, na Escola Estadual Vila Pioneiro - Ensino de 1º Grau Regular e Supletivo que funcionou neste Estabelecimento nos anos de 1991 e 1992, por motivo de espaço físico, passou a funcionar nas dependências da Escola Municipal Carlos João Treis, na Vila Paulista.

Em 19 de Janeiro de 1993, pela Resolução 313/93, a SEED autorizou a criação do Curso de 2º Grau - Habilitação: Auxiliar de Contabilidade, atendendo a uma antiga reivindicação da comunidade escolar. A escola passou a chamar Colégio Estadual Vila Pioneiro - Ensino de 1º Grau Regular e Supletivo e 2º Grau Regular.

Em 1994, objetivando a criação de um centro de 2º Grau para a Grande Pioneiro, transferiu-se o Colégio Estadual Padre João Batista Réus – Ensino de 1º e 2º Graus, que funcionava na Vila Boa Esperança e oferecia os cursos de Educação Geral, Habilitação Magistério, ambos do 2º grau e 5ª a 8ª séries do 1º grau, para o mesmo endereço do Colégio Estadual Vila Pioneiro ensino de 5ª a 8ª série e 2º grau com o curso de auxiliar de contabilidade, localizado no bairro Vila Pioneiro.

A Resolução nº. 928/95 Diário Oficial do Estado de 15/03/95cessa total, definitiva e simultaneamente as atividades escolares do Colégio Estadual Vila Pioneiro, sendo que a documentação fica sob a guarda, que passa a denominar-se Colégio Estadual Senador Attílio Fontana que absorve a clientela do Colégio Extinto.

Com a Resolução nº. 2928/95 Diário Oficial do Estado 04/08/95 Colégio passa a denominar-se Colégio Estadual Senador Attílio Fontana, - Ensino de 1º e 2º Graus. Este Estabelecimento de Ensino, atualmente, oferece os seguintes cursos: 5ª a 8ª séries do Ensino Fundamental, Ensino Médio, Técnico em Administração Integrado e Técnico de Administração Subseqüente, esse último a partir da Lei 9394/96 que estabelece as novas Diretrizes e Bases da Educação Nacional e com a promulgação do Decreto 2.208/97 onde ocorreu uma mudança no panorama da oferta da Educação Profissional, referendada pelo Parecer 1699 do Conselho Nacional de Educação, o qual definiu as novas diretrizes curriculares dos cursos profissionalizantes do nível técnico. O Colégio, disposto a enfrentar o desafio de implantação desta modalidade curricular subseqüente, ofertará o referido curso, com nova proposta, tendo como finalidade proporcionar aos alunos uma formação técnica de qualidade na Rede Pública Estadual de Ensino.

Ao longo de todos esses anos de funcionamento, este Colégio contou com a Administração dos seguintes Diretores. No Colégio/Escola Vila Pioneiro: Pedro Weber, Arnoldo Bohnen / Natalin Bruno, Miriam Salete Cereja. Do Colégio Estadual Padre João Batista Réus/ Hoje, Attílio Fontana: Hugo Rossa, Noeli F. H. Carlomagno, Norimar Pedro Gatto, João Batista de Oliveira, Domenício Ferreira Coelho.

Devido à falta de registros que pudessem comprovar a história deste Colégio, convidamos profissionais e pessoas que vivenciaram a história deste Estabelecimento, a fim de relatar a sua trajetória, desde a sua fundação até os nossos dias. Dentre eles, citamos alguns Professores: Pedro Weber, Carolina Sodoswcki, Maria Raimundi, Adolfo Bragliato, Elisabete Salamanca, Jurema Zeni. A Secretária: Virlene S. E. Hech. Ex-Alunos: José Santana, Juvelina Oliveira.






  1   2   3   4   5   6   7   8   9


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal