CelebraçÃo penitencial da reconciliaçÃO



Baixar 72,65 Kb.
Encontro13.07.2018
Tamanho72,65 Kb.

CELEBRAÇÃO PENITENCIAL DA RECONCILIAÇÃO - QUARESMA 2014


Jesus Cristo: Palavra, Água, Luz e Vida


Ambientação

  • Confiemo-nos ao Senhor, ele é justo e tão bondoso


1. CANTO

Eis o tempo de conversão, eis o dia da salvação

Ao Pai voltemos, juntos andemos

Eis o tempo de conversão!

Os caminhos do Senhor, são verdade, são amor

Dirigi os passos meus, em vós espero, ó Senhor

Ele guia ao bom caminho, quem errou e quer voltar

Ele é bom, fiel e justo: ele busca e vem salvar.

A Palavra do Senhor é a luz do meu caminho

Ela é vida, é alegria, vou guardá-la com carinho

Sua Lei, seu Mandamento, é viver a caridade

Caminhemos todos juntos construindo a Unidade
2. saudação e acolhida
Pres.: O tempo quaresmal, é o Kairós - o tempo de Deus em nossa vida pessoal, familiar e comunitária; tempo favorável e propício à conversão: “Voltai-vos para mim e eu me voltarei para vós” diz o Senhor.

Converter-se é renovar nossa aliança batismal. Reatar o vínculo filial com Deus, o Abbá – Pai. Retomar o caminho do seguimento de Jesus Cristo. Abrir-se ao sopro vivificante do Espírito Santo, que vem em socorro de nossa fraqueza...

O movimento de conversão, autêntico e evangélico, passa pela compaixão, misericórdia e pela solidariedade especialmente para com aqueles que sofrem face às situações que atentam contra a sua dignidade e direitos fundamentais, p.ex. nas várias modalidades do tráfico humano, que explora e escraviza as pessoas.

Converter-se é dar um passo decisivo na direção do outro, especialmente do mais fraco e excluído de nossa sociedade.


3. Oração
Todos: Ó Deus, criador do universo e defensor da vida,/ escuta as súplicas do teu povo reunido nesta celebração penitencial. Abençoa-nos, ó Pai,/ e reconduze ao caminho de Jesus, teu Filho,/ todos nós que vamos receber o Sacramento da Reconciliação. Profundamente renovados/ no teu amor e no amor de nossos irmãos e irmãs,/ possamos celebrar a santa páscoa na pureza e na verdade. Por Cristo, nosso Senhor.

Todos: Amém
4. Escuta da Palavra de Deus

Leitor: Nesta celebração penitencial vamos revisitar os textos bíblico-litúrgicos que têm iluminado nossa caminhada quaresmal, bem como o tema da CF 2014– Fraternidade e o tráfico humano.
5. Não nos deixeis cair em tentação
L.2: No 1º. domingo da Quaresma contemplamos o admirável plano de Deus na criação, em especial na do ser humano, formado à sua imagem e semelhança. “Homem e Mulher os criou” e lhes comunicou o alento do Espírito. Deu-lhes como casa um jardim plantado de árvores floridas e de saborosos frutos, irrigado por águas cristalinas e aquecido pelo calor das manhãs de sol, obra de suas mãos.
L.1: Mas o homem se deixou levar pela sedução do espírito do mal e caiu na tentação... Foi a queda! O passo em falso! O pecado! Ruptura com Deus e seu projeto: “Adão, onde estás?” Ruptura com o outro: “foi a companheira que me deste”. Ruptura com a própria criação: “a serpente me enganou e eu comi do fruto da árvore”. Ruptura consigo mesmo, com sua consciência: “viram-se nus”, despidos de todas as suas relações: divina, humana, cósmica...
L. 2: Assim, misteriosamente, entrou na história humana o pecado com todas as suas graves consequências, inclusive a morte. Contudo, Deus admirável na criação, o é, mais ainda, na redenção! Pois, se o pecado penetrou no mundo por um só homem, o velho Adão, por Jesus Cristo, o novo Adão, “a graça de Deus derramou-se em abundância sobre todos. E resultou assim a justificação que traz a vida... Estamos em paz com Deus por Jesus Cristo.” (Rom 5,17.1)
Pres.: No Evangelho do primeiro domingo da quaresma, Jesus Cristo, contrariamente ao velho Adão, vence as provocações sedutoras do tentador para desviá-lo do projeto do Pai, de ser o Messias da justiça do Reino e não do reino da abundância; nem do prestígio, nem do triunfo espetacular. Com efeito “Ele tinha a condição divina... mas esvaziou-se a si mesmo e assumiu a condição de servo... humilhou-se e foi obediente até a morte, e morte de cruz. (Fl 2,6-7) (Pausa)
6. Revisão de Vida
L. 1: Iluminados pela Palavra façamos o nosso exame de consciência, nossa revisão de vida
Pres.:

  • Alimento a esperança que o fim último da minha vida não é o fracasso, o nada... mas sim a vida definitiva e feliz na comunhão plena com o Abba-Pai, com os irmãos, em novos céus e nova terra? (pausa)

  • Jesus recusou, de forma categórica, conduzir sua vida à margem do projeto do Pai – “seja feita a vossa vontade”. Eu tenho sido fiel seguidor do caminho de Jesus? (pausa)

  • Lido com minha vida qual precioso dom de Deus? Cuido da saúde? Evito excessos de comida ou bebida?

  • Respeito a vida do próximo, jamais pondo-a em risco, por exemplo, no trânsito?(pausa)

  • Interessei-me pela CF sobre o Tráfico Humano que está mais perto do que imaginamos; ou fechei os olhos e ouvidos para não ver essa realidade e não ouvir o grito pela vida? (pausa)

Todos: Misericórdia, Senhor...
7. Salmo 102
Lado 1: “Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e todo o meu ser, Seu santo nome! Bendize, ó minha alma ao Senhor, não esqueças de nenhum de seus favores”.
Todos: “Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e todo o meu ser, Seu santo nome! Bendize, ó minha alma ao Senhor, não esqueças de nenhum de seus favores”.
Lado 2: Quanto os céus por sobre a terra se elevam, tanto é grande o seu amor aos que o temem. Como um pai se compadece de seus filhos, o Senhor tem compaixão dos que o temem. Como um pai se compadece de seus filhos, o Senhor tem compaixão dos que o temem.
Todos: “Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e todo o meu ser, Seu santo nome! Bendize, ó minha alma ao Senhor, não esqueças de nenhum de seus favores”.
Lado 1: O Senhor realiza obras de justiça e garante o direito aos oprimidos; revelou os seus caminhos a Moisés, e aos filhos de Israel seus grandes feitos.
Todos: “Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e todo o meu ser, Seu santo nome! Bendize, ó minha alma ao Senhor, não esqueças de nenhum de seus favores”.


8. ORAÇÃO
Pres.: Senhor, nosso Deus, nesta celebração experimentamos o teu amor e o teu carinho por nós. Pela força deste encontro, dá-nos a graça de trilhar com prontidão e empenho o caminho que tu nos propões nesta quaresma. Guia-nos em teus ensinamentos. Por Cristo, nosso Senhor. Todos: Amém.
9. Éfeta: abre-te à Palavra
Pres.: No 2º. domingo da Quaresma contemplamos a vocação de Abraão, patriarca do povo eleito e nosso pai na fé. ”O Senhor disse a Abraão: sai de tua terra, da tua família e da casa de teu pai e vai para a terra que eu te vou mostrar... E Abraão partiu” (Gn 12,1-4) Abraão escutou o chamado do Senhor. Confiou em sua palavra e promessa. E o Senhor o abençoou
L. 2: O apóstolo Paulo recorda-nos a vocação à qual fomos chamados, “em virtude do desígnio e graça de Deus em Jesus Cristo”, Divino Salvador. Ora, esse é o tempo propício e favorável de reavivarmos esse dom de Deus que há em nós desde o santo Batismo (2Tm 1,9.6). Bem como, somos convidados a subir a montanha com os discípulos Pedro, Tiago e João, para orar com Jesus e ouvirmos o mandamento do Senhor Deus: “Este é meu Filho amado, o meu predileto. Escutai-o” (MT 17,5)
10. Revisão de Vida

L. 1: Continuemos nosso exame de consciência à luz da mensagem bíblica:
Pres.:

  • Abraão é figura típica do homem que sabe escutar, interpretar os sinais e confiar no Senhor... E eu, tenho ouvidos abertos e atentos para ouvir a voz de Deus e interpretar seus sinais no correr da vida? Ou estou por demais ocupado e envolvido com “meus negócios e seguranças pessoais” de modo a não ter tempo nem espaço para o Senhor, muito menos de sentar-me a seus pés, como Maria para ouvi-lo?(pausa)

  • Meu testemunho de cristão manifesta que Deus tem um projeto de vida em plenitude para todos e para o mundo? Ou, embarco na corrida frenética do levar vantagem em tudo, do consumismo materialista e egocêntrico, e jamais presto atenção às necessidades e sofrimentos do próximo? Aos clamores dos pobres de Deus, aos caídos e abandonados à beira dos caminhos, das praças e ruas das cidades? Aos gemidos da criação em dores de parto?(pausa)

  • Que lógica norteia a minha vida: a dos vencedores a qualquer preço ou a lógica da mística do serviço humilde e desinteressado em favor da vida e da dignidade humana?(pausa)

  • Como me posiciono diante das modalidades do tráfico humano: exploração do trabalho escravo; prostituição forçada através de aliciamento enganoso; comércio de órgãos e de crianças para adoção?

  • Enfim, como ressoa em mim esta palavra: “Este é meu Filho amado, meu predileto. Ouvi-o sempre”?(pausa)

TODOS: Misericórdia...
11. SALMO 32
S.: Reta é a Palavra do Senhor e tudo o que ele faz merece fé. Deus ama o direito e a justiça, transborda em toda a terra a sua graça.

Todos: Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, venha a vossa salvação.
S.: Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem e que confiam, esperando em seu amor, para da morte libertar as suas vidas e alimentá-los quando é tempo de penúria.
S.: No Senhor nós esperamos confiantes, porque ele é nosso auxílio e proteção! Sobre nós venha, Senhor, a vossa graça, da mesma forma que em vós nós esperamos.
12. ORAÇÃO

Pres.: Ó Deus de toda luz, tu manifestaste tua glória no rosto transfigurado do teu filho Jesus, sua presença para sempre no meio de nós. Escuta as preces desta tua comunidade, cobre-nos com o mesmo Espírito que o animava, ilumina-nos com o clarão da sua transfiguração e dá a todos nós a graça de escutar a sua palavra e praticar os seus mandamentos, para sermos, em toda verdade, filhos e filhas da luz. Então, na alegria e na fé, caminharemos até a nova celebração da santa páscoa P.N.S.C.

Todos: Amém
13. Um brinde à vida nova
Pres.: No 3º. domingo da Quaresma, Jesus nos brinda com a água viva. Vejamos...

Necessária para a sobrevivência de todo ser vivo, a água é um elemento natural que nos é dado, não como fruto do trabalho humano, mas a água cristalina que jorra da fonte exprime o milagre da vida que se renova continuamente. Ao fazer brotar água da pedra, Deus salva a vida do povo cuja sede, saciada, retoma o caminho pelo deserto. “O Senhor disse a Moisés: “Toma teu cajado, bata com ele na rocha e brotará água para que o povo beba à saciedade” (Ex 17,4)


L. 2: Cansado da caminhada, debaixo do sol escaldante, também Jesus, com sede, senta-se junto ao poço e pede de beber à mulher samaritana. Trava-se o diálogo emocionante e envolvente entre ambos, que ultrapassa todo preconceito de raça, religião e de gênero, até erguerem um brinde à vida nova. O que bebe a samaritana? Dos lábios de Jesus bebe a Palavra que salva. De seu coração ela bebe uma “água viva que dentro dela se tornará uma fonte de água jorrando para a vida eterna” (Jo 4,14) Brinde de água viva entre Jesus e os samaritanos, entre Jesus e a sua amada – a Comunidade, a Igreja, sua esposa na figura da Samaritana. O brinde festivo entre o Divino Salvador e cada um de nós!

14. Revisão de Vida
L. 2: Avancemos um pouco mais em nossa revisão de vida.
Pres.:

  • Nas águas do Batismo fomos mergulhados e regenerados na vida nova de Jesus, Divino Salvador; lavados de todo o pecado. Tenho procurado beber das fontes legítimas da Fé? A leitura orante da Bíblia? Os Sacramentos, especialmente da Eucaristia, pão da vida e cálice da bênção? (pausa)

  • Tenho ido às fontes, que são também os outros sacramentos? A crisma? A confissão? A Unção dos Enfermos, o Matrimônio? Mananciais preciosos de graças e bênçãos que o Senhor, pelo ministério da Igreja nos oferece? (pausa) - TODOS: Misericórdia...


15. BENÇÃO DA ÁGUA
Pres.: Ó Deus, fonte da vida, vós nos destes a irmã água para fecundar a terra e para manter viva a tua criação. Quisestes que, por ela, recebêssemos o batismo que nos consagra a vós. Que esta água seja para todos nós um sinal da vossa compaixão e do vosso amor que se derrama sobre nós. Por Cristo, nosso Senhor. - Todos: Amém.

N.B.:Segue-se a aspersão.



16. CANTO

Água santa, ó água pura/ vem purifica este povo!

//: Dá-nos da neve a brancura e um coração sincero, forte, grande, novo ://
Lembrança do meu Batismo/ Grande graça do Senhor!/ Que afogou meu egoísmo e regou em mim o amor!
Não é do templo, por certo/ Que jorram águas assim

É do coração aberto/ De quem quis morrer por mim.


17. Recebe a luz de Cristo
Pres.: A liturgia do 4º. domingo da Quaresma nos remete à luz verdadeira que irradia do Filho de Deus que, “vindo ao mundo, ilumina todo homem” (Jo 1,9). Jesus, encontrando o cego de nascença que tinha sido curado, perguntou-lhe: “Crês no Filho do Homem?” Respondeu ele: “Quem é, Senhor, para que eu creia nele?” Jesus disse: “Tu o estás vendo; é aquele que está falando contigo”. Então ele exclamou: “Eu creio, Senhor!” E prostrou-se de joelhos diante de Jesus. (Jo 9,35-38)
L. 2: A narrativa do cego de nascença serve para demonstrar como se chega à fé plena e madura no Filho de Deus. Jesus nos recorda, com o sinal da cura do cego de nascença que, além dos olhos físicos, há outros olhos que devem abrir-se ao mundo. São os olhos da fé! Eles permitem vislumbrar outra realidade, muito além do que vemos com os olhos do corpo: o mistério de Deus, a vida eterna, a boa nova do Reino, uma realidade que transcende a dimensão sensível e palpável. A fé cristã não é primariamente crer em algo..., mas crer em alguém. Jesus, no Evangelho, não nos dá uma lista de coisas para crer, Ele diz: ”Credes em Deus; credes também em mim” (Jo 14,1)

Ora, o cristão, pelo Batismo, é iluminado pela luz da fé em Cristo, como diz o Apóstolo Paulo: “Outrora éreis trevas, mas agora sois luz no Senhor: andai como filhos da luz, pois o fruto da luz consiste em bondade, justiça e verdade” (Ef 5,8)

N.B.: acender o círio que se usa no Batismo
18. Revisão de Vida
Pres.: No dia de nosso Batismo foi-nos entregue uma vela (acesa no Círio Pascal), acompanhada das palavras: “Recebe a Luz de Cristo e conserva a graça do teu Santo Batismo”.


  • Temos alimentado a luz da nossa fé batismal, pela Palavra? Pela Eucaristia? Pela Oração? (pausa)

  • Que situações, em minha vida pessoal, familiar e social geram escuridão, trevas, cegueira e até morte? Como me situo diante de tais realidades? (pausa)

  • Minha vida pessoal dá testemunho da luz, através da prática das boas obras, tais como gestos concretos de solidariedade e partilha? Luta pelos direitos e dignidade da pessoa humana? Defesa e promoção da vida, conforme nos propõe a CF/2014.

Todos: Misericórdia
19. SALMO 27
S.: O Senhor é minha luz e salvação; de quem eu terei medo? O Senhor é a proteção da minha vida;

perante quem eu tremerei?



Todos: O Senhor é minha luz e salvação.

O Senhor é a proteção da minha vida.
S.: Ao Senhor eu peço apenas uma coisa e é só isto que eu desejo: habitar no santuário do Senhor por toda a minha vida; saborear a suavidade do Senhor e contemplá-lo no seu templo.
S.: Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver na terra dos viventes. Espera no Senhor e tem coragem, espera no Senhor!.
20. ORAÇÃO
Pres.: Ó Pai, fonte de luz e de vida, por teu filho Jesus Cristo reconciliaste a humanidade divida. Arranca de nós toda a sombra de tristeza e liberta-nos totalmente, para que caminhemos cheios de alegria às festas pascais que se aproximam. Por Cristo, nosso Senhor.

Todos: Amém.
21. A vida em Cristo
Pres.: Enfim, nossa longa caminhada quaresmal nos deixa às portas de Jerusalém, onde se desenrolará o drama misterioso da paixão – morte – ressurreição de Jesus Cristo, cuja memória celebramos na Semana Santa, especialmente no Tríduo Pascal.

Pela re-leitura que fizemos da mensagem de cada domingo da Quaresma, podemos perceber que elas desejam despertar em nós a fé em Jesus Cristo que se apresenta como Palavra, Água, Luz e no 5º. Domingo como Vida.



L. 1: Já na primeira leitura o povo exilado na Babilônia, que se sente como morto e sepultado, salta para a vida pela força do Espírito que o traz de volta para sua terra (Ez 37,12-14). E o Apóstolo Paulo diz que o cristão pelo Batismo “está no Espírito” e assim é nova criatura. “Aquele que ressuscitou Cristo Jesus dentre os mortos dará vida também a vossos corpos mortais, através do seu Espírito que habita em vós” (Rm 8,8-11)
L. 2: O ponto alto da narrativa da Ressurreição de Lázaro é a profissão de fé de Marta, porta voz de toda a comunidade: “Sim, Senhor, eu creio firmemente que tu és o Messias, o Filho de Deus que devia vir ao mundo” (Jo 11,27). A ressurreição de Lázaro é um sinal que aponta o caminho a percorrer pelo discípulo: passagem do medo e da morte para a liberdade e alegria dos filhos(a) do Abba-Pai. Esta passagem da morte para a vida, das trevas para a luz, da sede para as fontes, cumpre-se aqui e agora na celebração dos Sacramentos da Iniciação Cristã: Batismo, Crisma e Eucaristia, e nesta celebração penitencial do perdão.
22. Revisão de Vida
L. 1: Coloquemos nossa vida à luz da mensagem do último domingo da Quaresma, deixando-nos iluminar e questionar por ela.

Pres.:

  • Tenho os olhos abertos para os sinais de esperança e de vida que acontecem no mundo – gestos de bondade, de ternura, de amor, de perdão, de partilha e busca da paz, apesar de situações contrárias que acontecem e aparecem muito mais? (pausa)

  • O Batismo nos revestiu da própria vida de Cristo e nos incorporou na comunidade - Igreja. Tenho presente esta grandeza? Vivo segundo o Espírito, ou me deixo levar pela onda do espírito do mundo e do mal? Quais são os valores que dão sentido à minha vida e a norteiam? (pausa)

  • A ressurreição de Lázaro é um sinal que aponta para nossa ressurreição, mas não é garantia dela. A certeza da fé na ressurreição nos vem da Ressurreição de Jesus Cristo. Poderia eu, em verdade, professar a fé de Marta, Maria e sua comunidade? Como ressoam em mim as palavras de Jesus: “Eu sou a Ressurreição e a Vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá” (Jo 11,25) (pausa)

  • Alimento a confiança que um outro mundo é possível, não de forma mágica, mas pela luta e compromisso de homens e mulheres, povos e nações, religiões e igrejas, até que a natureza, que geme em dores de parto se abra, para a nova terra e novo céu, pelo alento do Espírito? (pausa)


23. SALMO 129
S.: Das profundezas eu clamo a vós, Senhor, escutai a minha voz! Vossos ouvidos estejam bem atentos ao clamor da minha prece.

Todos: No Senhor está toda graça e redenção.

S.: Se levardes em conta nossas faltas, quem haverá de subsistir? Mas em vós se encontra o perdão, eu vos temo e em vós espero.
S.: No Senhor ponho a minha esperança, espero em sua palavra. A minh’alma espera no Senhor, mais que o vigia pela aurora.
S.: Espere, Israel pelo Senhor, mais que o vigia pela aurora! Pois no Senhor se encontra toda graça e copiosa redenção. Ele vem libertar a Israel de toda a sua culpa.

24. ORAÇÃO

Pres.: Deus da vida, por quem tudo existe, tu não deixas morrer em nós a vida que nos ofereces. Tu que, ao chamado de teu filho Jesus Cristo, fizeste Lázaro sair do túmulo, atende a nossa prece e devolve a vida aos teus filhos e filhas do mundo inteiro. Tem compaixão dos que choram os seus mortos nas guerras, tem piedade dos que lamentam os que se foram pela doença, fome e injustiça. Arranca-nos da acomodação e omissão e faze-nos lutar firmemente pela vida em abundância para todos. Assim, na alegria e na solidariedade, caminharemos até a nova celebração da páscoa de Jesus Cristo, teu filho amado e nosso Senhor, bendito pelos séculos dos séculos.

Todos: Amém.
25. ABSOLVIÇÃO SACRAMENTAL
Conforme o Ritual da Penitência e normas do Diretório Sacramental.

  • COMUNHÃO (onde for costume) Rito próprio e em silêncio, apenas com música de fundo


26. RITOS FINAIS
Pres.: Pai, criados à vossa imagem e semelhança, somos criaturas saídas de vossas mãos amorosas, mas naufragamos por causa do pecado. Vossa misericórdia veio em nosso socorro e, em Cristo crucificado e ressuscitado, reencontramos o porto da paz.

Salvos pelas águas do batismo, nosso louvor se enfraqueceu pelo pecado que cometemos, mas o sacramento da reconciliação nos convida à penitência, nos renova na santidade e nos introduz no banquete do vosso amor. Revestidos com a graça do perdão, proclamamos vossa misericórdia e cantamos o dom de vosso amor! (Missal Romano – Prefácio da Penitência)


27. BÊNÇÃO
Abençoe-nos, Deus Pai, que nos adotou como filhos e filhas. Amém!
Ajude-nos Jesus Cristo, que nos libertou e nos transformou em irmãos e irmãs. Amém!
Assista-nos o Espírito Santo, que fez de nós sua habitação santa. Amém!
Abençoe-nos, Deus Pai e Filho e Espírito Santo. Amém!
Partilhemos alegria do perdão e da paz, saudando-nos uns aos outros.
28. CANTO FINAL SALMO 145
Quero cantar ao Senhor

sempre enquanto eu viver.

Hei de provar seu amor,

seu valor e seu poder. (bis)


Paróquia Divino Salvador – Quaresma 2014




©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal