Caverna, Vale e Vila



Baixar 12,34 Kb.
Encontro23.02.2019
Tamanho12,34 Kb.

CAVERNA, VALE E VILA

Paz e Força Galera!

Nas últimas semanas estamos estudando o tema “Perfil” em nossas células. Já vimos “Bíblia” e “Adoração” e agora estamos conversando sobre “Santidade”.

Santidade sempre é um assunto que pega no meio da juventude, e isso não é de hoje. A Bíblia já mostra isso. Provérbios e Eclesiastes foram escritos para dar “prumo” aos jovens. O Novo Testamento está cheio de orientações sobre as paixões da “mocidade”.

Temos uma juventude diferente da maioria das igrejas. Uma das razões é o nosso foco nas células e oração. Mas preste atenção nisso: nós mudamos para valorizar aquilo que a Bíblia valoriza, os relacionamentos, mas também não brincamos com aquilo que a Bíblia não brinca, o pecado.

Nossas células cada dia mais se parecem com a Caverna de Adulão, onde uma galera de gente cheia de problemas se juntou a Davi (I Samuel 22:1-2). Nós seguimos o modelo de Jesus: não existimos para ser um clube de perfeitos (Lucas 19:10). Uma placa deveria ser colocada na porta dos lugares onde nos reunimos “proibida a entrada de pessoas perfeitas”.

Ao mesmo tempo cremos que nossas células serão lugares de cura, libertação mudança de vida. Uma geração chamada das trevas para a maravilhosa luz (Colossenses 1:13-14 / I Pedro 2:9), para viver na contra-mão, buscar a Deus (Salmo 24:6), fazer diferença no meio de uma geração podre (Fp 2:15) e que deixa tudo para seguir a Jesus (Mc 10:28).

Nosso lugar é o Vale. Em muitas religiões os montes são lugares de adoração, mas podem se tornar lugares de isolamento e alienação. Os evangelhos registram que numa experiência no monte (Lucas 9:28-36) os discípulos queriam ficar por ali mesmo (“armar barracas”), mas Jesus “desceu” pro vale. O lugar dele era no vale, no meio de quem precisava dEle. Ele se renovava nos montes pra enfrentar os vales. É no vale que faremos diferença. Os montes do culto, da reunião da célula, do Ajuntamento, dos eventos são para nos preparar para os vales da faculdade/escola, da família, do trabalho e dos amigos.

E a Vila? Na verdade quero falar do Vila Dionísio. Quero usar a discussão sobre ir ou não ao Vila para servir de exemplo de como tratamos o tema da santidade e de que não brincamos de ser crente. Quero compartilhar com você a minha opinião sobre isto.

Em primeiro lugar ir ao Vila não é pecado.

Em segundo lugar, no que depender de você escolha não ir ao Vila.

Pergunto: porque ir ao Vila seria pecado – qual a base bíblica para isso?

Outra pergunta: porque escolher não ir ao Vila?

Porque ir ao Vila pode te fazer pecar. Pecar com a sensualidade, pela embriaguez, pela cobiça, pelo escândalo, pela idolatria e etc.

Mas quero lembrar que não ir ao Vila também pode te fazer pecar se por exemplo você fofocar e falar mal de quem foi e se sentir mais espiritual e santo que os outros (“orgulho espiritual”).

Seu lugar não é esta Vila de Cervejas&Rock’n Roll.

Pare para pensar: o que faz você ir ao Vila?

O que faz você ir ao Vila mas nunca ir a uma vigília?

O que faz você gastar dinheiro no Vila mas não ser dizimista e nunca dar ter dinheiro para uma oferta missionária ou para os nossos eventos?

Não estamos brincando de santidade. Santidade é estilo de vida e não uma agenda. Você poderá pecar ou ser tentado, até mesmo dentro do templo ou de uma reunião da célula, ao olhar para as roupas provocantes de alguém ou desejar seu corpo, ao dar ouvidos a alguém ou usar a sua língua para ser instrumento do inferno ou ainda se achar o “ban-ban-ban” por ser isto ou fazer aquilo.

Quer “ficar” e dar uns “pegas”?

Quer transar antes do casório?

Quer perder seu tempo e vida na pornografia?

Quer namorar quem não é crente?

Quer beber até cair?

Quer usar roupas sensuais e provocantes?

Quer mentir, fofocar e falar mal dos outros?

Quer entupir sua mente de lixo?

Quer mentir e desobedecer a seus pais?

Quer usar documentos dos outros, “colar” numa prova ou falsificar um trabalho?

Quer enrolar no serviço e ludibriar seu chefe?

Quer “dar um jeitinho”?

Só não espere que a gente chame isto de “normal” ou que não tem problema ou riscos (I Tessalonicenses 4:7 e I João 3:9)

Tamojunto ... na busca por santidade!



Pr. Evandro - ICo2nove.

Novembro, 2010



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal