Carburador Elementar



Baixar 144,15 Kb.
Encontro01.12.2018
Tamanho144,15 Kb.

/


Carburador Elementar
É um elemento mecânico que promove a mistura combustível / ar, dosando a quantidade de combustível para uma certa vazão de ar admitida pelo motor.







Sistemas auxiliares do carburador elementar
Para que o carburador elementar atenda as necessidades do motor, ele deverá ser equipado, no mínimo, com os seguintes sistemas auxiliares.
1 - Marcha-lenta e progressão;

2 - Circuito principal (regime econômico ou de cruzeiro);

3 - Máxima potência;

4 - Acelerações rápidas;

5-; - Partida a frio;

-
1 - Sistema auxiliar de marcha lenta e progressão

Quando a borboleta aceleradora encontra-se praticamente fechada, abaixo dela,

existe um vácuo muito grande, que vai aspirar mistura pelo orifício (1). O



c

ombustível é dosado pelo

gargulante de combustível

(2) e o ar é dosado

pelo gargulante de ar (3),

proporcionando uma

mistura muito rica. A vazão

dessa mistura é dosada

pela válvula de agulha (4),

que permite a regulagem da

emissão de CO pelo escapamento

na condição de “marcha-lenta”.

Quando a borboleta aceleradora

for aberta, haverá um aumento na vazão de ar pelo sistema principal do

carburador, provocando um empobrecimento excessivo.

Para evitar que isso aconteça, existem os chamados furos de progressão (5), que permitem entrada de mistura rica junto com o ar, provocando um empobrecimento progressivo na

passagem das baixas para as médias


2 – Sistema do circuito principal

É



circuito que opera em cargas médias, também conhecido como regime econômico ou de cruzeiro.

C
(2)


om o aumento da abertura

da borboleta, a tendência é que

a mistura fique cada vez mais rica.

Este sistema tem como função

e
(1)
vitar este enriquecimento.

Quando o combustível, aspirado

p
(3)
elo venturi e dosado pelo

gargulante de combustível (3), passa

através do tubo misturador (1), o ar

dosado pelo gargulante de ar (2) é

misturado pela série de orifícios, fazendo com que a mistura final fique pobre.
3 - Sistema auxiliar de máxima potência (com válvula de máxima)

Para que o motor possa atingir máxima potência, a mistura deve ser rica. No

sistema da figura com a borboleta aceleradora fechada, a câmara (1) fica sujeita

a



um elevado vácuo, fazendo com que a válvula de diafragma (2) se feche. Com

a borboleta próxima

da abertura total o

vácuo na câmara

diminui, fazendo com

que a mola abra a

válvula, permitindo

que uma quantidade

extra de combustível

seja enviada para o

sistema principal,

enriquecendo a mistura.


3.1 - Sistema auxiliar de máxima potência (suplementar aerodinâmico)

No sistema da figura, coma borboleta próximo da abertura total, a sucção

causada no tubo (1) faz com que por ele seja arrastada uma quantidade extra de

combustível, enriquecendo a mistura.








4 - Sistema auxiliar de acelerações rápidas

Para evitar que a mistura se empobreça bruscamente com uma abertura muito rápida



d

a borboleta

aceleradora, o

sistema da figura

mostra que ao se

mover à borboleta no

sentido da abertura, o

diafragma (2) é

comprimido pelo

mecanismo, fazendo

com que a pressão na câmara (2) aumente, fechando a válvula (5) e abrindo a válvula

(4), permitindo que uma grande quantidade de combustível seja jogada no sistema

principal através do injetor (3). Ao se mover à borboleta no sentido do fechamento, a

mola nove o diafragma, fazendo com que a pressão na câmara (2) diminua, fechando a

válvula (4) e abrindo a válvula (5), permitindo a entrada do combustível na câmara.


5 - Sistema auxiliar de partida a frio (afogador)

A



través de um mecanismo se fecha a borboleta (1), não permitindo a entrada de

ar e ao mesmo tempo

abre-se, um pouco, a

borboleta aceleradora (2),

permitindo que a sucção

provocada pelo

funcionamento do motor,

acionado pelo motor de

partida, arraste uma certa

quantidade de combustível

pelo sistema principal

enriquecendo bastante a

mistura, fazendo com que

o motor entre logo em funcionamento.

O esquema abaixo mostra um carburador completo, ou seja, com todos os

s



istemas auxiliares.

Nota: Texto adaptado e figuras da apostila “MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA - PROF. DURVAL PIZA DE OLIVEIRA JUNIOR” WWW.scooterclube.com.br/download/motores_de_combustão interna.pdf







©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal