Campus Universitário Ministro Petrônio Portela, Bloco 06 – Bairro Ininga



Baixar 28,7 Kb.
Encontro06.07.2017
Tamanho28,7 Kb.




MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ

Programa de Pós-Graduação em Antropologia e Arqueologia

Campus Universitário Ministro Petrônio Portela, Bloco 06 – Bairro Ininga


CEP: 64049-550 – Teresina-PI – Brasil – Fone (86) 3237-2152
RELIGIÃO , MAGIA E SACRIFÍCIO
Profa. Verônica Cavalcante – (86) 99218843 / (86) 32325-1541 fv.cavalcante@uol.com.br
EMENTA
Antropologia e Imagem. Religiões afrobrasileiras. Magia e sacrifício nas religiões afrobrasileiras.

OBJETIVOS
Propiciar ao aluno uma discussão sobre a importância do uso da imagem nos estudos antropológicos sobre religião, magia e sacrifício com base na exposição dois documentários.
PROGRAMA


Unidade I: Antropologia, imagem e religiões afrobrasileira(26/06– 08:00-10:00)

- Apresentação e exibição do documentário “Pierre Verger – mensageiro entre dois mundos”, de Gilberto Gil (2008).

- A pesquisa de Pierre Verger e o uso da imagem na Antropologia.



Unidade II: Um estudo antropológico sobre magia e sacrifício no candomblé.(26/06 – 10:15-12:00)
-Apresentação e exibição do documentário “Jovens de Santo”, de Francisca Verônica Cavalcante.(2009).

- Considerações sobre a pesquisa “A Condição Juvenil em Teresina – eixo: Religiosidade e Juventude em Teresina”. (NUPEC-UFPI).





BIBLIOGRAFIA

Leitura recomendada: 
A juventude atual. In: http://www.psicopedagogia.com.br acesso: 21/08/2006.

As mudanças na religiosidade brasileira. In: http://www.iea.usp.br acesso: 21/06/2010

BASTIDE, Roger. Os problemas da memória coletiva. In: As religiões africanas no Brasil: contribuição a uma sociologia das interpretações de civilizações. São Paulo: Livraria Pioneira Ed.; Ed. Universidade de S. Paulo, 1971.
BOURDIEU, Pierre. Novas Reflexões sobre a dominação masculina. In. : LOPES, Maria Júlia et al

(orgs.). Gênero e Saúde. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

BUTLER, Judith. Problemas de Gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

CAROSO, Carlos e RODRIGUES, Núbia. Exús no Candomblé de Cablocos. In. In. PRANDI, Reginaldo (org.). Encantaria brasileira: o livro dos mestres, caboclos e encantados. Rio de Janeiro, Pallas, 2004.


CARVALHO, José Jorge de.; SEGATO, Rita Laura. A tradição do xangô de Recife. Revista Humanidades; n. 47, dez. Ed. Universidade de Brasília, 1999.
CAVALCANTE, Francisca Verônica. Os tribalistas da Nova Era. Teresina, Fundação Quixote, 2009.
DURKHEIM, E. Definição do fenômeno religioso e da religião. In: As formas elementares de vida religiosa (o sistema totêmico na Austrália). São Paulo: Edições Paulinas, 1989.
ELIADE, Mircea. O sagrado e o profano. São Paulo, Martins Fontes, 1992.

FELDMAN-BIANCO, Bela e MOREIRA LEITE, Mírian L. (orgs.). Desafios da Imagem: fotografia, iconografia e vídeo nas ciências sociais. São Paulo: Papirus2004(3ª. Edição).

FERRETI, Mundicarmo. Terecô, a linha de Codó. In. PRANDI, Reginaldo (org.). Encantaria brasileira: o livro dos mestres, caboclos e encantados. Rio de Janeiro, Pallas, 2004.
FERRETTI, Ségio. Repensando o sincretismo. Estudo sobre a Casa das Minas. São Paulo, Editora da Universidade de São Paulo, São Luís, FAPEMA, 1995.
FERRETTI, Sérgio. Festa de acossi e o arrambâ: elementos do simbolismo da comida de santo no tambor de mina. São Luís, UFMA, 1995.

FOUCALT, Michel. História da sexualidade I: a vontade de saber. Rio de Janeiro: edições Graal, 1977.

GEERTZ, Clifford. Uma interpretação densa: por uma teoria interpretativa da cultura. In: A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1989.
LÉPINE, Claude. Análise formal do panteão Nagô. In. MOURA, Carlos Eugênio Marcondes de. O culto aos orixás, voduns e ancestrais nas religiões afro-brasileiras. Rio de Janeiro, Pallas,2004.
LEVI, Giovann; SCHMITI, Jean-Claude (orgs.) História dos jovens. Trad. Cláudio Marcondes. Nilson Moulin, Paulo Neves. Vol.1. São Paulo, Cia das Letras, 1996. Introdução (p.7-17).

LIGIÉRO, Zeca. Umbanda: paz, liberdade e cura. Rio de Janeiro: Record Nova Era,1998.

LOURO, Guacira Lopes. Nas redes do conceito de gênero. In.: Gênero e saúde. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996.

MAUSS, Marcel e HUBERT,Henri. Sobre o sacrifício. São Paulo: Cosac Naify, 2005

OLIVEIRA, L. R. Cardoso de. O oficio do antropólogo ou como desvendar evidencias simbólicas. Serie Antropologia, n 413, Brasilia, UNB, 2007, 21 p.
OLIVEIRA, R. C de. Tempo e tradição: interpretando a antropologia. In: Sobre o pensamento antropológico. Rio: Tempo Brasileiro; Brasilia: CNPQ, 1988.
PAIS, José Machado. Buscas de si: expressividades e identidades juvenis. In. ALMEIDA, Maria Isabel et al(orgs.) Culturas jovens: novos mapas do afeto. Rio de Janeiro, Jorge Zahar Ed., 2006

PAIS, José Machado. Culturas juvenis. Lisboa, Imprensa Nacional Casa da Moeda, 1993. Cap. 1 e 2 (p. 27 – 79).

PIERUCCI, Antônio Flávio. A encruzilhada da fé. http://www.uol.com.br acesso: 25/03/2002

PIERUCCI, Antonio Flávio. A Magia. São Paulo: Publifolha, 2003.

PRANDI, Regilnaldo. Coração de Pombagira. Jornal Folha de São Paulo. Acesso:HTTP://wwww1.folha.uol.com.br/fsp/mais/fs30032008.htm
PRANDI, Regilnaldo. Coração de Pombagira. Jornal Folha de São Paulo. Acesso:HTTP://wwww.folha.uol.com.br/fsp/mais/fs30032008.htm
PRANDI, Reginaldo. As religiões afro-brasileiras e seus seguidores. In. Civitas:Revista de Ciências Sociais/ Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais. Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Ano 1, número 1 (junho 2001) – Porto Alegre:EDIPUCRS,2001. a

PRANDI, Reginaldo. Mitologia dos Orixás. São Paulo, Companhia das Letras, 2001.b

PRANDI, Reginaldo. Mitologia dos orixás. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

PRANDI, Reginaldo. Os candomblés de São Paulo: a velha magia na metrópole nova. São Paulo: Hucitech, Edusp,1991.

PRANDI, Reginaldo. Os candomblés de São Paulo: a velha magia na metrópole nova. São Paulo: Hucitech, Edusp,1991.



PRANDI, Reginaldo. Segredos guardados: Orixás na alma brasileira. São Paulo, Companhia das Letras, 2005.

RIBEIRO, Jorge Cláudio. Perfil da religiosidade do universitário: um estudo de caso da PUC-SP. 2006. (parte 1).

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil para a análise da história. 1989.

WILGES, Rineu. Cultura Religiosa, as religiões do mundo. Petrópolis: editora Vozes, 1994.








©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal