Campeonato brasileiro juvenil de nataçÃO



Baixar 320,96 Kb.
Página2/2
Encontro10.06.2018
Tamanho320,96 Kb.
1   2

DAS FINALIDADES

Art. 1º - Pelas Associações de Federações filiadas à Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos - CBDA, serão realizados, anualmente, o CAMPEONATO BRASILEIRO JUVENIL DE NATAÇÃO DE INVERNO – TROFÉU ARTHUR SAMPAIO CAREPA e o CAMPEONATO BRASILEIRO JUVENIL DE NATAÇÃO, em disputa do "TROFÉU CARLOS CAMPOS SOBRINHO", de acordo com o presente Regulamento e com as regras da FINA, tendo por finalidade desenvolver a natação Juvenil em todo o País e incrementar a renovação de valores nessa classe.


Art. 2º - A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos - CBDA, delegará às Federações indicadas para sedes, a organização dos Campeonatos Brasileiros Juvenil de Natação, desde que a mesma preencha os requisitos exigidos pelo presente Regulamento.
CAPÍTULO II

  1. DO PROGRAMA

Art. 3º - O programa de provas deste Campeonato anexo a este Regulamento, será disputado em quatro(04) etapas e quatro(04) dias, nas datas previamente marcadas para a sua disputa.


§ 1º - As provas de 800 metros nado livre feminino e 1.500 metros nado livre masculino não terão eliminatórias, nadando todas as séries na 1ª etapa na 5ª feira pela manhã.
§ 2º - Nas provas de 800 metros livre feminino e 1.500 metros nado livre masculino, as séries mais fortes serão as primeiras a nadarem, vindo a seguir a segunda mais forte, terceira etc..., até a série mais fraca que será a última a nadar.
§ 3º - As provas de 4X50m Livre feminino e masculino serão finais diretas, e nadadas na 1ª etapa após as provas de 1500m nado livre masc., sendo a 1ª série a mais forte e a seguir as demais.
§ 4º - As provas 4X100m Livre feminino e masculino (2ª etapa) e 4X100m medley feminino e masculino (4ª etapa) serão finais diretas, nadando a série mais forte primeiro, depois a segunda etc...
CAPÍTULO III

  1. DA ORGANIZAÇÃO

Art. 4º - A critério da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos, quando houver necessidade de ser feita uma avaliação técnica para a seleção de nadadores que venham a integrar a representação nacional, poderão participar quaisquer nadadores, mesmo em estágio, não incluídos na disputa do Campeonato, sem influência, na classificação oficial nadando somente na fase eliminatória.

Se houver placas eletrônicas nas raias A e B, esses atletas em observação pela CBDA poderão nadar nessas raias fase final,caso tenham obtido na fase eliminatória, tempos entre os oito primeiros.
§ 1º - Poderão, igualmente, participar das disputas dos Campeonatos, nadadores estrangeiros convidados, sem influência, porém na classificação oficial.
§ 2º - Serão respeitadas, prioritariamente, as posições das oito (8) raias principais para os finalistas das provas do programa, quando ocorrerem as situações constantes no presente artigo.
Art. 5º - A Federação a que esteja vinculada a Associação que tenha sido indicada para patrocinar o Campeonato deverá reunir as condições técnicas necessárias para promover este evento, inclusive dispor de piscina de 25 ou 50 metros de extensão, aquecida, com um mínimo de oito (08) raias, bem como arquibancadas de dimensões suficientes para a acomodação dos atletas e do público, sendo também indispensável uma piscina para o aquecimento, iluminação adequada, equipamentos para os trabalhos de secretaria ambulatório para primeiros socorros, ambulância UTI/Móvel, ficando ainda ao seu encargo:


  1. Possuir equipamentos de cronometragem eletrônica e apuração de resultados (Placar Eletrônico, computadores com CBDASystem instalado);




  1. Disponibilizar ponto de acesso à internet, instalada no interior da cabine de controle (Banda Larga), para transmissão de resultados em tempo real;




  1. No caso de não estar presente um representante da CBDA para a transmissão de dados, informar no máximo até 72h(Setenta e duas horas) antes do início da competição o nome, e e-mail do representante local.

§ ÚNICO - A Federação Organizadora do Campeonato deverá apresentar declaração responsabilizando-se pelas condições exigidas no presente Artigo.


Art. 6º - Dois (02) meses antes da data fixada para a realização do Campeonato, a Federação Organizadora deverá remeter à CBDA uma lista de hotéis com as respectivas tabelas de preços para conhecimento das Associações participantes do Campeonato.
§ ÚNICO - A programação do Campeonato e a relação dos hotéis serão remetidas pela CBDA para as Federações filiadas que ficarão com a responsabilidade de encaminhar às Associações a elas vinculadas.

Art. 7º - A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos deverá preparar os boletins das séries eliminatórias do programa, de acordo com os mapas de inscrição enviados pelas Associações participantes e previamente confeccionados pela Federação de origem.


Art. 8º - Os nadadores participantes poderão disputar as provas individuais em que estiverem classificados e, também, as provas de revezamento, limite de quatro (04) provas individuais nas quatro (04) etapas, sendo que no máximo duas provas individuais por etapa.
Art. 9º - Caso seja efetuada erradamente pela Associação, inscrição de um nadador em mais de duas provas individuais na mesma etapa, será cortado da terceira, quarta, etc..., permanecendo na primeira e segunda prova do programa.

Se houver inscrição errada em mais de quatro (04) provas individuais no Campeonato, prevalecerão as quatro (04) primeiras provas do programa, cortando-se as demais.


Art. 10º - Atendendo ao que estabelecem as regras SW 3.2 e SW 3.2.3, da FINA, em todas as finais de provas individuais e finais de revezamento, quando um competidor ou uma equipe se retirar de uma dessas finais, serão chamados os seus substitutos, pela ordem de classificação nas eliminatórias, reclassificando-se, totalmente, se necessário for.

Art. 11º - Todos os cortes deverão ser comunicados via e-mail: cortesnatacao@cbda.org.br ou fax (21) 2142-7654 e 7655 à Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos, até 72hs (Setenta e Duas horas) antes do início do Congresso de Abertura.


§ 1º - Durante uma etapa final, um nadador só poderá ser retirado da prova sem pagar multa por motivo de doença, devidamente comprovada por atestado médico, ficando estabelecido que o atleta deixará de participar, inclusive do revezamento, podendo voltar à competir nos dias subsequentes.
§ 2º - Caso o atleta não compareça a uma prova final e apresente atestado médico, ficará impedido de competir a próxima prova da etapa, inclusive revezamento.
§ 3º - As Associações inscritas neste Campeonato, que por qualquer motivo, não possam comparecer, deverão enviar até 72hs (Setenta e Duas horas) antes do início da competição, um fax ou e-mail à CBDA, a fim de comunicar as razões que provocaram a desistência.
Art. 12º - No intuito de garantir a participação de todos os nadadores inscritos neste Campeonato, fica instituída uma multa para cada deserção de prova individual, multiplicando-se por quatro (4), quando for revezamento, que será estipulada através da Tabela de Taxas da CBDA para os eventos por ela dirigidos.

Para as finais existem dois valores de multa, sendo um quando o clube comunica que o atleta não vai participar da prova, devendo ser avisado até o início do aquecimento da etapa.

O outro valor é quando a Direção do Campeonato não é comunicada da desistência do atleta para nadar a prova.
§ 1º - Quando o atleta for desclassificado pelo Árbitro Geral por “má conduta”, o seu clube terá que pagar multa, como se o nadador não tivesse comparecido e, não poderá nadar nenhuma prova naquela etapa, inclusive revezamento, podendo neste caso, ser substituído no revezamento, caso tenha sido entregue a ficha de nado.
§ 2º - A CBDA enviará à Federação do clube devedor, o valor da multa a ser paga, que deverá ser efetuada imediatamente, antes de qualquer competição oficial do calendário da Confederação, sem o qual não serão aceitas as novas inscrições para o Campeonato seguinte.
CAPÍTULO IV

  1. DAS INSCRIÇÕES E ÍNDICES

Art. 13º - Pela Diretoria Técnica da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos - CBDA, serão organizados e distribuídos, anualmente, índices de participação (em piscinas de 25 e 50 metros) para as provas individuais, não havendo índices de participação para as provas de revezamento. Os índices serão baseados nos resultados dos quatro últimos anos e prevalecerá por duas temporadas.


§ 1º - Os índices só poderão ser considerados quando obtidos em piscinas de 25 e 50 metros de extensão e em competições oficiais constantes dos Calendários Oficiais de cada Federação, previamente divulgados e enviados a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos - CBDA, controladas pelas respectivas Federações, que serão responsáveis pela exatidão e veracidade dos tempos apurados.
§ 2º - Os resultados oficiais aqui referidos no parágrafo anterior, deverão ser enviados à CBDA até dez (10) dias após a data de sua realização.

Caso o resultado não seja remetido à CBDA antes do término do prazo da entrada das inscrições nas respectivas Federações, os tempos não serão considerados e os atletas excluídos das provas.


§ 3º - Não serão considerados índices obtidos em competições extra calendário, tomadas de tempo ou tentativas de índices isoladas ou em conjunto, com a finalidade de participar deste Campeonato, com exceção dos nadadores que estiverem cumprindo estágio e para as aberturas de revezamentos devidamente acompanhadas das fitas eletrônicas comprobatórias em provas constantes de competições oficiais e de passagens parciais impressas em fitas eletrônicas comprobatórias.

As competições estudantis e universitárias não terão seus resultados validados para efeito de índice de participação. Os resultados obtidos nas Olimpíadas Escolares serão válidos para obtenção de índices, desde que supervisionadas pela CBDA e as inscrições sejam efetuadas através do CBDASystem


§ 4º - De acordo com a Regra da FINA SW 3.1.1., os melhores tempos dos nadadores dos doze (12) meses anteriores a data final da inscrição na competição, serão válidos para efeito de índice de participação e para os revezamentos os tempos obtidos no ano em curso.
§ 5º - As Federações que enviarem os Mapas de inscrições dos seus clubes filiados sem os respectivos tempos dos revezamentos ou que a Federação não tenha remetido à CBDA, os resultados das competições estaduais que constem no Calendário para conferência dos tempos dos revezamentos, serão considerados como os mais lentos e balizados nas piores raias.
§ 6º - Não serão aceitos tempos convertidos para efeito de balizamento.

Se o atleta obtiver o índice de participação em piscina de 50 metros e não confirmar posteriormente em piscina de 25 metros quando a competição for ser realizada em piscina de 25 metros, o balizamento do nadador será com o tempo igual ao índice da prova em piscina de 25 metros.

Os clubes deverão preencher dois formulários de inscrição, um com os atletas que obtiveram os índices em piscinas de 25 metros e outro com os atletas que obtiveram os índices somente em piscinas de 50 metros.

No caso de competição a ser realizada em piscina de 50 metros em que o atleta obteve o índice em piscina de 25 metros, idêntico procedimento deverá ser tomado pelos clubes, preenchendo dois formulários.


Art. 14º - As associações participantes do Campeonato poderão inscrever em cada prova individual, todos os nadadores que tenham atingido o índice respectivo e que constem do mapa de inscrição apresentado.
§ 1º - Os atletas participantes das finais que não confirmarem os índices de participação, durante a competição não pontuarão para seus clubes, o mesmo acontecendo com os atletas que ficarem entre os oito primeiros colocados nas provas de 800 metros e 1500 metros nado livre e não confirmarem os índices de participação dessas provas.
§ 2º - Cada Associação participante somente poderá inscrever uma (01) equipe nas provas de revezamento, não havendo índices de participação, prevalecendo, para efeito de balizamento, os tempos fornecidos pelas respectivas Federações. O revezamento será único, podendo nadar atletas juvenis 1 e 2 para formarem o revezamento.
§ 3º - Os revezamentos deverão ser confirmados pelos clubes participantes, com a entrega das fichas de nado preenchidas com os nomes dos atletas e números dos códigos de registro na CBDA, até o término do aquecimento, antes do início das provas. Após a entrega das fichas de nado, não será permitido alterar a sequência nem substituir nadador, excetuando-se os casos do § 4º do presente artigo.
§ 4º - De acordo com a regra da FINA SW 10.12 , “As substituições nos revezamentos após a entrega das fichas de nado, só poderão ser realizadas em caso de documento de emergência médica. Ficará a critério da direção da CBDA a indicação do médico responsável na competição.
Art. 15º - Para a classificação dos nadadores participantes dos Campeonatos, será observado o critério adotado pela CBDA, de acordo com o Boletim já expedido, especificando as classes e anos de nascimento dos atletas.
Art. 16º - As Associações participantes enviarão à Federação a que estejam vinculadas seus mapas de inscrição, acompanhados do respectivo pagamento, com cheque nominativo à Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos, vinte (20) dias antes da data fixada para o início do Campeonato, que é o Congresso de Abertura.

Caso o atleta não possua índice de participação, a Federação deverá corta-lo do Campeonato, comunicando imediatamente a sua associação filiada.

As Federações, após receberem as inscrições dos seus filiados, deverão enviar uma cópia do mapa de inscrição à CBDA, com os respectivos cheques nominativos e exportar as inscrições via CBDASystem até quinze (15) dias antes do início do Campeonato.

Após este prazo final de quinze dias, as inscrições não serão mais aceitas, bem como as inscrições que chegarem à CBDA sem os cheques respectivos ou comprovante de depósito em conta corrente da Confederação.

§ ÚNICO - Somente serão aceitos os mapas de inscrição gerados pelo CBDA SYSTEM – MÓDULO PISCINA.
Art. 17º - Somente participarão dos Campeonatos os nadadores inscritos que apresentarem documentos de identidade atualizados, fornecidos pelas Federações a que estejam vinculadas ou da CBDA e dos quais constem fotografia, data de nascimento.
§ ÚNICO - Não tomará parte dos Campeonatos o nadador que não estiver munido de seu documento de identidade e, devidamente cadastrado na CBDA, para a temporada do ano em curso, devendo apresentá-lo ao banco de controle por ocasião de suas provas.

Art. 18º - Somente poderão participar do Campeonato os nadadores que, na ocasião da inscrição, satisfaçam a todas as exigências em vigor emanadas da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos - CBDA, inclusive as Normas de Transferência de Atletas de Desportos Aquáticos.


CAPÍTULO V

  1. DAS PROVAS, CONTAGEM DE PONTOS E PRÊMIOS

Art. 19º - A contagem de pontos será feita após a disputa de cada prova individual do programa, sendo atribuídos pontos para Juvenil I e Juvenil II, separadamente, nas provas individuais que serão somados para a contagem geral.

Os revezamentos terão a sua contagem de pontos somados somente na pontuação geral.
a) Provas Individuais
9,7,6,5,4,3,2 e 1 pontos para os 1º, 2º, 3º, 4º, 5º, 6º, 7º e 8º lugares respectivamente.
b) Provas Revezamentos
Contagem em dobro para as oito (08) colocações a que se referem a alínea anterior.
c) Bonificação de Pontos
São instituídas as bonificações de pontos para a quebra de recordes individuais e de revezamentos, desde que obtidos nas eliminatórias e finais somente para o melhor tempo da prova, sendo seguinte a pontuação:
- Recorde de Campeonato - 10 pontos

- Recorde Brasileiro Absoluto - 20 pontos

- Recorde Sulamericano - 40 pontos
Os recordes estabelecidos em abertura de revezamento não serão válidos para efeito de bonificação de pontos. Em caso de empate na 1ª colocação com obtenção de recordes, os pontos da bonificação serão divididos pelas Associações dos nadadores vencedores. Na obtenção de um recorde Sulamericano, contar-se-à sempre a pontuação maior desprezando-se a menor, e assim sucessivamente. Quando for igualado o tempo do recorde o mesmo será homologado, mas, não será válido para efeito de bonificação de pontos.

Quando o recorde de uma prova for batido na fase eliminatória, o clube do atleta recordista terá direito à bonificação de pontos.

Quando o recorde for batido na fase eliminatória e, posteriormente na final, prevalecerá apenas o recorde da final, no que diz respeito à pontuação.
CAPÍTULO VI

  1. DA DIREÇÃO

Art. 20º - A direção do Campeonato caberá à Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos, através de seus membros e com a estreita colaboração da Federação Organizadora, das Associações participantes e das autoridades locais.


Art. 21º - O Arbitro Geral e o Juiz de Partida serão escalados pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos e os demais membros do quadro de arbitragem serão indicadas pela Federação Organizadora, com prévio conhecimento e aprovação da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos.
Art. 22º - Os casos omissos serão resolvidos no Congresso, obedecendo-se sempre às Leis da FINA, com exceção dos casos disciplinares e administrativos, que serão julgados pela autoridade designada pela CBDA, que aplicará as punições de acordo com a Instrução Normativa nº 01/2001 de 15 de janeiro de 2001.
CAPÍTULO VII

  1. DAS DATAS E LOCAIS

Art. 23º - Os Campeonatos Brasileiros Juvenil de Natação - Troféu Arthur Sampaio Carepa e o Troféu Carlos Campos Sobrinho serão de realização permanente, efetuados anualmente.


Art. 24º - Caberá à Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos - CBDA fixar em seu Calendário de natação as datas destas competições, a serem disputadas no ano seguinte.
CAPÍTULO VIII

  1. DOS TÍTULOS

Art. 25º - Ao final da competição, serão declarados vencedores, os clubes que obtiverem o maior número de pontos, separadamente, na classe Juvenil I ( Campeão, Vice e 3º lugar ) e na classe Juvenil II ( Campeão, Vice e 3º lugar ) em provas individuais e o Campeão, Vice e 3º colocado geral, somando-se a pontuação das duas classes e a pontuação das provas de revezamentos.


§ ÚNICO - Em caso de empate, na competição, vencerá a Associação que houver conseguido o maior número de primeiros lugares; persistindo o empate, será adotado o mesmo critério para as colocações seguintes, até o desempate.
CAPÍTULO IX

  1. DOS PRÊMIOS

Art. 26º - A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos oferecerá:

a - Um (1) Troféu ou Taça para o Clube Campeão, para o Vice-Campeão e para o 3º Lugar Juvenil I (provas individuais).

b - Um (1) Troféu ou Taça para o Clube Campeão, para o Vice-Campeão e para o 3º Lugar Juvenil II (provas individuais).

c - Um (1) Troféu ou Taça para o Clube Campeão, para o Vice-Campeão e para o 3º Lugar Juvenil (soma da pontuação do Juvenil I, Juvenil II e dos revezamentos.

d - Índices Técnicos para as duas classes e categorias, num total de quatro (4) troféus. Havendo empate em uma das classes e categorias, prevalecerá o 2º melhor índice técnico entre os atletas empatados. Se o empate no índice técnico for na mesma prova, será premiado o vencedor da prova.

e – Troféus Eficiência para as duas classes e categorias num total de quatro (4) troféus. Havendo empate na pontuação do atleta mais eficiente, será premiado o atleta que tiver o melhor índice técnico durante a competição.

Serão oferecidas ainda, medalhas de vermeil, prata e bronze, para os nadadores classificados, respectivamente, em 1º, 2º e 3º lugares em cada prova.

§ 1º - Os índices serão sempre calculados, percentualmente, em relação à tabela em vigor, para a temporada em curso, organizada pela Diretoria Técnica da CBDA.
§ 2º - Serão considerados para efeito de cálculos dos índices técnicos, os tempos obtidos nas eliminatórias e finais, não sendo válidos os tempos de aberturas de revezamentos.
§ 3º - É obrigatória a presença do atleta na cerimônia de premiação quando chamado, devidamente uniformizado, sendo passível de punição caso assim não o faça, cabendo à autoridade designada pela CBDA tomar as devidas providências.
§ 4º - Poderão ser indicados patronos para as provas de programa, homenageando-se desportistas de reconhecidos serviços prestados a Natação Brasileira.
CAPÍTULO X

  1. DO CONGRESSO

Art. 27º - Antes da competição, os representantes devidamente credenciados pelas Associações participantes, deverão reunir-se no Congresso, sob a presidência de um dirigente da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos - CBDA e com a presença de um membro das Federações Organizadoras, para tratarem de assuntos relacionados com os Campeonatos e, eventualmente, com a Natação Brasileira.


§ ÚNICO - Destes Congressos somente participará com direito a voto um (01) representante de cada Associação desde que credenciado para tal fim, devendo constar plenos poderes para representar a Associação no Campeonato.

Os Presidentes dos clubes e proprietários de Escolas de Natação e Academias, deverão apresentar as suas credenciais.


Art. 28º - As Federações Organizadoras promoverão, paralelamente, sob a direção da CBDA, Congressos eminentemente Técnicos, cujas propostas ou resoluções apresentadas e subscritas pela maioria dos técnicos congressistas, um (01) por Associação, deverão ser encaminhadas ao representante da CBDA.
§ ÚNICO - Estes Congressos Técnicos deverão contar sempre com a presença de um (01) representante da Federação Organizadora e um (01) representante da CBDA e será realizado logo após o término do Congresso de Abertura.
Art. 29º - As propostas de que trata o artigo anterior, que modifiquem o atual Regulamento, serão levadas à apreciação da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos - CBDA, que posteriormente, as referendará ou não, comunicando às Federações filiadas, pelo menos, seis (06) meses antes das datas marcadas para a sua próxima disputa.
Art. 30º - No final da competição serão homologados os resultados finais e proclamados o Campeão, Vice-Campeão e 3º lugar Juvenil I, o Campeão, Vice-Campeão e 3º lugar Juvenil II e o Campeão, Vice e 3º colocado geral, bem como os quatro (4) melhores índices técnicos e os quatro (4) mais eficientes.
CAPÍTULO XI

  1. DAS DESPESAS

Art. 31º - As despesas de transporte, hospedagem e alimentação, serão de inteira responsabilidade das Associações participantes.


CAPÍTULO XII

  1. DAS DISPOSIÇÕES GERAIS

Art. 32º - A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos - CBDA, poderá sempre que julgar necessário, alterar o presente Regulamento.


Art. 33º - Revogam-se as disposições em contrário.

VENCEDORES DO CAMPEONATO BRASILEIRO

JUVENIL DE NATAÇÃO DE INVERNO
TROFÉU Dr. ARTHUR SAMPAIO CAREPA





ANO

CLUBE CAMPEÃO

LOCAL
















I

1992

CLUBE TUBARÃO/GO

VITÓRIA/ES

II

1993

CLUBE PORTUGUÊS DO RECIFE/PE

RECIFE/PE

III

1994

FLUMINENSE F.C./RJ

SALVADOR/BA

IV

1995

C.R. FLAMENGO/RJ

MACEIÓ/AL

V

1996

S.C. CORINTHIANS PAULISTA/SP

SÃO LUIZ/MA

VI

1997

FLUMINENSE F.C./RJ

FORTALEZA/CE

VII

1998

FLUMINENSE F.C./RJ

SALVADOR/BA

VIII

1999

MINAS T. C./MG

SÃO PAULO/SP

IX

2000

C.R. FLAMENGO/RJ

RIO DE JANEIRO/RJ

X

2001

MINAS T. C./MG

FORTALEZA/CE

XI

2002

MINAS T. C./MG

NATAL/RN

XII

2003

E.C. PINHEIROS/SP

RIO DE JANEIRO/RJ

XIII

2004

MINAS T. C./MG

BRASÍLIA/DF

XIV

2005

MINAS T. C./MG

BELÉM/PA

XV

2006

MINAS T.C./MG

SÃO LUIZ/MA

XVI

2007

MINAS T.C./MG

RIO DE JANEIRO/RJ

XVII

2008

MINAS T.C./MG

BELÉM/PA

XVIII

2009

S.C. CORINTHIANS PAULISTA/SP

RIO DE JANEIRO/RJ

XIX

2010

Não houve vencedor

CAMPO GRANDE/MS(25 metros)

XX

2011




FORTALEZA/CE


VENCEDORES DO CAMPEONATO BRASILEIRO JUVENIL

TROFÉU CARLOS CAMPOS SOBRINHO


ANO LOCAL CAMPEÃO


  1. 1992 BRASILIA/DF E. C. PINHEIROS/SP

    1. 1993 RIO DE JANEIRO/RJ C. R. DO FLAMENGO/RJ

    2. 1994 SÃO PAULO /SP C. PORTUGUÊS DO RECIFE/PE

    3. 1995 RECIFE/PE BOTAFOGO F.R./RJ

    4. 1996 CURITIBA/PR C. R. DO FLAMENGO/RJ

    5. 1997 BELÉM/PA C. R. DO FLAMENGO/RJ

    6. 1998 RECIFE/PE A.A.C. SANTA CECÍLIA/SP

    7. 1999 CURITIBA/PR C. R. DO FLAMENGO/RJ

    8. 2000 GOIÂNIA/GO C. R. VASCO DA GAMA/RJ

    9. 2001 VITÓRIA/ES E. C. PINHEIROS/SP

    10. 2002 UBERLÂNDIA/MG E. C. PINHEIROS/SP

    11. 2003 VITÓRIA/ES E. C. PINHEIROS/SP

    12. 2004 RECIFE/PE E. C. PINHEIROS/SP

    13. 2005 BRASILIA/DF MINAS TC/MG

    14. 2006 PORTO ALEGRE/RS MINAS TC/MG

    15. 2007 FORTALEZA/CE MINAS TC/MG

    16. 2008 VITÓRIA/ES UNISANTA/SP

    17. 2009 CURITIBA/PR S.C. CORINTHIANS/SP

    18. 2010 BRASÍLIA/DF E. C. PINHEIROS/SP

    19. 2011 VITÓRIA/ES

CAMPEONATOS BRASILEIROS JUVENIL DE NATAÇÃO

TROFÉU CARLOS CAMPOS SOBRINHO

E

TROFÉU ARTHUR SAMPAIO CAREPA



1ª ETAPA – 5ª FEIRA – MANHÃ – FINAL DIRETA

TARDE – ELIMINATÓRIA DA 2ª ETAPA




1

800 m

LIVRE

FEMININO

JUVENIL 1

2

800 m

LIVRE

FEMININO

JUVENIL 2

3

1500 m

LIVRE

MASCULINO

JUVENIL 1

4

1500 m

LIVRE

MASCULINO

JUVENIL 2

5

4X50 m

LIVRE

FEMININO

JUVENIL

6

4X50 m

LIVRE

MASCULINO

JUVENIL

2ª ETAPA – 6ª FEIRA – MANHÃ – FINAL DA 2ª ETAPA



TARDE – ELIMINATÓRIA DA 3ª ETAPA


7

200 m

LIVRE

FEMININO

JUVENIL 1

8

200 m

LIVRE

FEMININO

JUVENIL 2

9

200 m

LIVRE

MASCULINO

JUVENIL 1

10

200 m

LIVRE

MASCULINO

JUVENIL 2

11

200 m

COSTAS

FEMININO

JUVENIL 1

12

200 m

COSTAS

FEMININO

JUVENIL 2

13

200 m

COSTAS

MASCULINO

JUVENIL 1

14

200 m

COSTAS

MASCULINO

JUVENIL 2

15

100 m

BORBOLETA

FEMININO

JUVENIL 1

16

100 m

BORBOLETA

FEMININO

JUVENIL 2

17

100 m

BORBOLETA

MASCULINO

JUVENIL 1

18

100 m

BORBOLETA

MASCULINO

JUVENIL 2

19

400 m

MEDLEY

FEMININO

JUVENIL 1

20

400 m

MEDLEY

FEMININO

JUVENIL 2

21

400 m

MEDLEY

MASCULINO

JUVENIL 1

22

400 m

MEDLEY

MASCULINO

JUVENIL 2

23

4x100 m

LIVRE

FEMININO

JUVENIL

24

4x100 m

LIVRE

MASCULINO

JUVENIL
















3ª ETAPA – SABADO – MANHÃ – FINAL DA 3ª ETAPA

TARDE – ELIMINATÓRIA DA 4ª ETAPA



25

100 m

LIVRE

FEMININO

JUVENIL 1

26

100 m

LIVRE

FEMININO

JUVENIL 2

27

100 m

LIVRE

MASCULINO

JUVENIL 1

28

100 m

LIVRE

MASCULINO

JUVENIL 2

29

200 m

PEITO

FEMININO

JUVENIL 1

30

200 m

PEITO

FEMININO

JUVENIL 2

31

200 m

PEITO

MASCULINO

JUVENIL 1

32

200 m

PEITO

MASCULINO

JUVENIL 2

33

400 m

LIVRE

MASCULINO

JUVENIL 1

34

400 m

LIVRE

MASCULINO

JUVENIL 2

35

200 m

MEDLEY

FEMININO

JUVENIL 1

36

200 m

MEDLEY

FEMININO

JUVENIL 2

37

200 m

MEDLEY

MASCULINO

JUVENIL 1

38

200 m

MEDLEY

MASCULINO

JUVENIL 2

4ª ETAPA – DOMINGO – MANHÃ – FINAIS





39

50 m

LIVRE

FEMININO

JUVENIL 1

40

50 m

LIVRE

FEMININO

JUVENIL 2

41

50 m

LIVRE

MASCULINO

JUVENIL 1

42

50 m

LIVRE

MASCULINO

JUVENIL 2

43

200 m

BORBOLETA

FEMININO

JUVENIL 1

44

200 m

BORBOLETA

FEMININO

JUVENIL 2

45

200 m

BORBOLETA

MASCULINO

JUVENIL 1

46

200 m

BORBOLETA

MASCULINO

JUVENIL 2

47

100 m

COSTAS

FEMININO

JUVENIL 1

48

100 m

COSTAS

FEMININO

JUVENIL 2

49

100 m

COSTAS

MASCULINO

JUVENIL 1

50

100 m

COSTAS

MASCULINO

JUVENIL 2

51

100 m

PEITO

FEMININO

JUVENIL 1

52

100 m

PEITO

FEMININO

JUVENIL 2

53

100 m

PEITO

MASCULINO

JUVENIL 1

54

100 m

PEITO

MASCULINO

JUVENIL 2

55

400 m

LIVRE

FEMININO

JUVENIL 1

56

400 m

LIVRE

FEMININO

JUVENIL 2

57

4x100 m

MEDLEY

FEMININO

JUVENIL

58

4x100 m

MEDLEY

MASCULINO

JUVENIL


Campeonatos Brasileiros Juvenil de Natação - -
10/6/2018


1   2


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal