Brve histórico da dançA



Baixar 34,08 Kb.
Encontro06.07.2017
Tamanho34,08 Kb.

ENSINO DA DANÇA

PROFª HELAINE QUARESMA



BREVE HISTÓRICO DA DANÇA
Conceitos de Dança:


  • Neves (1987): Dança com certeza é movimento, mas movimento não é necessariamente dança. A dança difere do movimento cotidiano por uma transposição a um nível mais “poético” de ações corporais.




  • Ossona (1988): uma forma de comunicação expressiva através do corpo.




  • É a expressão do corpo através de movimentos estéticos, plásticos e rítmicos combinados as grandes posturas corporais numa composição coerente e dinâmica.

De todas as artes, a dança é a única que dispensa materiais ou ferramentas, dependendo apenas do próprio corpo. Por isso dizem-na a mais antiga das artes, aquela que o homem carrega dentro de si desde tempos imemoriais (PORTINARI, 1989, p. 11).

A dança precedeu o homem: movimentos considerados dançantes integram a rotina de diferentes espécies, de insetos a mamíferos, na aproximação para o acasalamento. (PORTINARI apud ELLIS e SARCHS). Porém só com o homem se eleva a categoria de arte, em função mesmo de sua consciência.
Segundo Mendes apud Rangel (2002):

Os primeiros registros encontrados a respeito da prática da dança vêm desde o Período Paleolítico Superior (75.000 a 15.000 anos a.C). Nesta época o homem dançava com o objetivo de adoração aos seus Deuses. Nesta época surge a Dança-Magia, a qual tinha como significado que “O igual atrairia o semelhante”. Os homens utilizavam a pele de animais mortos como vestuário (possível indicio do surgimento do figurino) e imitavam os gestos destes animais para atraí-los para perto de sua mira e abatê-los para o consumo.

No Período Neolítico (1.000 anos a.C) o homem deixa de ser nômade e surgem então as danças relacionadas à agricultura, fertilidade e cerimônias religiosas, bem como culto aos espíritos de seus antepassados.

Segundo Fahlbush (1990) existiam danças masculinas e femininas. São elas:



    • Danças Masculinas: de caça, guerreiras, solares, imitativas, animalizadas, de máscaras, dos espíritos...

    • Danças Femininas: da fertilidade, da chuva, da plantação, da colheita, do nascimento, iniciação à puberdade, as mudanças e momentos lunares, fúnebres...

Na antiguidade aparece com mais clareza a dança profana, ou seja, aquela com o intuito de diversão. As duas finalidades da dança nesta época eram apenas duas:: dançar o profano ou dançar o sagrado. Grécia e Roma eram as duas principais cidades da época e elas utilizavam a dança como obrigação na educação de crianças, jovens e adultos.

Na Idade Média, com o advento do cristianismo, a dança estava atrelada a religião, onde o lado profano era condenado. O homem só podia dançar se fosse à homenagem ao Deus que a igreja impunha. Surge nesta época uma verdadeira adoração a dança, onde o homem acreditava que todo e qualquer problema poderia ser resolvido dançando, este fato recebeu o nome de Dançomania. Relacionada a ela, surge a Dança Macabra que era a cura de doenças através da dança. Como exemplo temos o surgimento da dança italiana Tarantela, a qual recebeu este nome devido na época existir uma epidemia de picadas de aranhas tarântulas e o povo picado dançava até a exaustão para eliminar no suor o veneno.

No Renascimento surge os mestres em dança a serviço da corte e conseqüentemente surge a dança espetáculo. Inicialmente estas danças surgem em festas nababescas (luxuosas) que duravam vários dias, as quais eram chamadas de Trionfis




  • A evolução da dança, segundo Faro (1987) aconteceu da seguinte forma:

  • Templo:

  • Aldeia:

  • Praça;

  • Salão; e

  • Palco- teatro.

E são divididas em quatro tipos:

- Étnica;

- Folclórica;

- Salão/ Social;

- Teatral/Espetáculo


1 - Dança Étnica:

Tem vinculação com o ato religioso, onde a necessidade em se fazer um sincretismo das religiões de origens indígenas e africanas com a Igreja Católica, por exemplo no Brasil, possibilitou a sobrevivência das religiões e seus derivativos.


2 - Dança Folclórica:

Refletem a necessidade do homem em expressar seus hábitos e costumes. Possuem íntima relação com algumas atitudes do cotidiano do indivíduo e retratam determinados momentos da vida de suas sociedades que, passando de geração em geração, procuram conservar suas raízes e a essência de sua história.


3 - Dança de Salão/Social:

Encontra sua origem nas danças populares realizadas nas praças das aldeias. Essas danças chegaram até os refinados salões dos castelos da realeza, de forma estilizada,


4 - Dança Teatral/ Espetacular:

Teve inicio na época da idade média, com o objetivo de entreter a realeza, combinava música, teatro e dança. Ela envolve uma gama imensa de estilos como o ballet clássico, neoclássico, moderno, jazz, contemporâneo, sapateado, dança livre, criativa...


As danças teatrais/espetáculos dividem-se em vários estilos como: ballet clássico, neoclássico, dança moderna, contemporânea, jazz, sapateado, dança de salão entre outras,
4.1 - Ballet Clássico (séc XVII): busca traduzir boa postura, leveza e rigor técnico na reprodução de seus movimentos. O primeiro espetáculo que pode ser considerado como ballet foi um trionfi. Durante um casamento de Duque de Milão com Isabela de Aragão – 1459. Os pratos eram apresentados com uma dança. Entretanto alguns historiadores afirmam que o primeiro ballet propriamente dito com suas técnicas foi em outubro de 1581, em Paris em um casamento, diante de 10 mil convidados. Este espetáculo foi encomendado por Catarina de Medicis ao mestre de dança Balthasar de Beaujoyeus, e este cria o espetáculo denominado Ballet Comique de la Reine, o qual inaugurou os grandes ballets
4.2 - Neoclássico (séc XIX): sem abandonar as características técnicas do clássico, procura explorar as formas abstratas como conteúdo de expressão, utilizando-se de mais espaço em suas execuções.
4.3 - Dança livre (séc XX): desprendeu-se do rigor e do virtuosismo que a dança Clássica propunha. Tem como precursora a bailarina e coreográfica Isadora Duncan.

4.4 - Dança Moderna (séc XX): utiliza movimentos de contração e rotação de tronco, braços e pernas, refletindo o sofrimento e a interiorização do homem. Tem como precursora a bailarina e coreografa Martha Graham.
4.5 - Dança Contemporânea (anos 60): envolve todas as técnicas já existentes. A dança é relacionada com temas que permeiam a realidade do homem na sociedade atual.
História da Dança e sua relação com a Educação Física

A dança é bastante visível durante a educação da civilização grega.

- Para os gregos, o ideal de perfeição consistia na harmonia entre corpo e espírito. A dança era matéria obrigatória na formação do cidadão.

“O homem educado, para essa civilização precisava conhecer política, filosofia, ter domínio de um instrumento e também de dança”.

Em Esparta, por exemplo, os meninos praticavam diariamente a embateria, (ginástica rítmica) que lhe dava a resistência e a agilidade, necessárias a vida militar. A dança era encontrada na preparação das lutas e do pugilato.

Os grandes filósofos foram os principais responsáveis pela inserção da dança no cotidiano do homem.



  • Sócrates: delegava que os guerreiros vitoriosos eram sempre aqueles que sabiam dançar.

  • Platão: atribuía à dança uma função educacional na formação do indivíduo, associada ao aprendizado de música e canto. Dança nobre (imita o belo) e ignóbil (c

  • ômico, imita o feio- delegada aos estrangeiros e escravos).

  • Aristóteles: o aprendizado da dança e sua prática favorece o físico e o intelectual do indivíduo. O adulto deveria abster-se da prática- apreciação.

Roma inconformada com sua inferioridade diante da dança grega, contrata professores exclusivos para ensinarem a dança de outros povos à classe social determinada de patrícios. Surge aqui a dança institucionalizada- “mestres de danças”.


Como Educação das crianças entre os povos primitivos, ainda hoje a dança deve proporcionar situações que lhes possibilitem desenvolver habilidades de movimento, exercer possibilidades de auto-conhecimento e ser agente efetivo da harmonia entre a razão e o coração.

Portanto, sob um prisma educacional, a dança é visualizada como proposta que vem contribuir com o processo criativo, expressivo, e integrativo do indivíduo, por intermédio das mais variadas formas de movimentar-se.



REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICA
CAMINADA, E. História da dança: evolução cultural. Rio de Janeiro: Sprint, 1999.
JUNIOR, E. B.C. Os mais famosos Ballets. 1ª ed. Rio de Janeiro: Tecnoprint, 1988
PORTINARI, M. História da Dança. Rio de Janeiro: Nova Fronteiro, 1989.
RANGEL, N.B.C. Dança, Educação, Educação Física: propostas de ensino da dança e o universo da Educação Física. São Paulo: Fontoura, 2002.





©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal