Avaliação físico-química de etanol a 70%p/p utilizado como antisséptico na rotina de serviços farmacêuticos



Baixar 196,53 Kb.
Página1/2
Encontro19.08.2017
Tamanho196,53 Kb.
  1   2



Avaliação físico-química de etanol a 70%p/p utilizado como antisséptico na rotina de serviços farmacêuticos
Yanny Adrielly Razera(PIBIC/CNPq/Unioeste), Simone Maria Menegatti de Oliveira(Orientador), e-mail: simone_meneoli@yahoo.com.br
Universidade Estadual do Oeste do Paraná/Centro de Ciências Médicas e Farmacêutica/Cascavel-PR
Grande área e área: Ciências da Saúde – Farmácia
Palavras-chave: Antisséptico, estabilidade, farmacotécnica
Resumo
O álcool 70% é muito utilizado na descontaminação de superfícies e como antisséptico das mãos dos profissionais de saúde. Considerado um germicida de nível intermediário, é um dos mais disponíveis e utilizados na área da saúde, principalmente devido ao baixo custo e eficácia comprovada. O Formulário Nacional preconiza que o álcool a 77ºGL (70% p/p), que atua como antisséptico, deve ter um prazo de validade de sete dias. O objetivo deste trabalho foi de avaliar o etanol 70% p/p, utilizado como antisséptico e desinfetante na Farmácia Escola da Unioeste, verificando as condições físico-químicas do produto ao longo de 30 dias, visando validar um tempo de uso maior do que o previsto na literatura. A concentração alcoólica foi determinada pelo método da densidade e utilizando as tabelas alcoométricas da Farmacopéia Brasileira. Os resultados obtidos na avaliação das amostras mostraram que o teor alcoólico foi mantido dentro da graduação alcoólica preconizada pela legislação, dentro das condições estudadas, durante todo o período de ensaio.
Introdução
A contaminação microbiana das superfícies, onde as mãos dos profissionais de saúde tocam, deve ser eliminada por métodos seguros; quando a higienização das mãos é negligenciada, pode causar infecção cruzada, relacionada a procedimentos assistenciais (FERREIRA et al., 2011).

O álcool é o germicida de nível intermediário, mais disponível e utilizado em nosso meio (CDC, 2003). O etanol puro é menos efetivo que as soluções aquosas, pois a desnaturação requer água, e na sua ausência, as proteínas não são desnaturadas tão rapidamente quanto na presença dela (CARDOSO et al., 2006).

As soluções desinfetantes alcoólicas devem ter, no mínimo, teor alcoólico de 70% (p/p) ou 77% (v/v), correspondente a 76,9°GL e, no máximo, 75% (p/p), correspondente a 81,4°GL de álcool etílico, a 15°C. Como antisséptico, recomenda ainda o prazo de validade do álcool a 77ºGL = 7 dias; 79ºGL = 15 dias e 81ºGL = 30 dias (BRASIL, 2005).

O Manual de higienização das mãos (BRASIL, 2009) preconiza que no caso dos recipientes de sabão líquido e antisséptico não serem descartáveis, deve-se proceder à limpeza destes com água e sabão, desprezando o produto residual e secagem, seguida de desinfecção com álcool etílico a 70%, no mínimo uma vez por semana.

O objetivo deste trabalho foi de avaliar o etanol 70% p/p utilizado como antisséptico e desinfetante na Farmácia Escola UNIOESTE Farma, nas condições físico-químicas do produto ao longo de 30 dias, com o intuito de validar um tempo de uso maior do que o previsto na literatura.

Materiais e Métodos
O álcool a 70% p/p foi manipulado conforme previsto no Formulário Nacional (BRASIL, 2005) e disponibilizado em almotolias para uso na rotina do estabelecimento, na sala de aplicação de injetáveis da Farmácia Escola da UNIOESTE, no município de Cascavel - PR.

As amostras de etanol 70%p/p foram coletadas em três períodos ao longo do ano: nos meses de fevereiro, agosto e outubro de 2014. Cada período de coleta programado abrangeu os tempos: 0, 7, 14, 21, 30 dias. Foram registradas a temperatura e a umidade ambiente na hora da coleta e durante as análises.

Foi pesado um balão volumétrico vazio de 10mL e adicionado 10 mL de água destilada, medindo sua temperatura. Foi então pesado o balão contendo água, resultando numa determinada massa. Através dos dados obtidos (volume e temperatura) foi calculada a densidade da água. A partir dos dados encontrados teve-se o volume exato do balão volumétrico, através da fórmula: densidade = massa/volume.

Num balão volumétrico com peso previamente verificado, foi adicionado 10mL da amostra de álcool a ser analisada. Utilizando a massa da amostra e o volume correspondente anteriormente calculado, foi verificada a densidade da amostra. Através deste resultado e com auxilio da Tabela de Densidade do Álcool, foi calculada a concentração de água/álcool presente na amostra.


Resultados e Discussão
Os teores alcoólicos nos meses de fevereiro, agosto e outubro de 2014 encontrados nas amostras analisadas são apresentados na tabela 1.

Tabela 1. Teor alcoólico das amostras testadas nos meses de fevereiro, agosto e outubro de 2014.





Fevereiro

Agosto

Outubro

Dia 0

71,244%__74,696%__73,535%__Dia_14'>71,244%

72,385%

72,385%

Dia 7

71,244%

74,696%

73,535%

Dia 14

71,244%

74,696%

73,535%

Dia 21

71,244%

72,385%

73,535%

Dia 30

72,385%

74,696%

72,385%

Sendo a porcentagem (% p/p) do álcool desinfetante preconizada de, no mínimo, 70% p/p e no máximo 75% p/p (BRASIL, 2005), o álcool em análise se encontra na faixa da graduação alcoólica preconizada durante todo o período de ensaio. No período de coleta das amostras do mês de fevereiro, agosto e outubro, respectivamente, foram realizados 42, 74 e 110 procedimentos de serviços farmacêuticos que utilizaram o álcool a 70%, e as temperaturas médias observadas foram de 26ºC em fevereiro, 23,8ºC em agosto e 27,8ºC em outubro.



Figura 1. Teor alcoólico encontrado nas amostras analisadas nos meses de fevereiro, agosto e outubro.
A concentração (% p/p) do álcool durante os períodos de análise (Figura 1) variou dentro dos limites preconizados pela legislação (entre 70 e 75% p/p). A variação se deve à baixa sensibilidade do método, em virtude das aproximações nos valores tabelados para transformação das leituras de acordo com a temperatura.


  1   2


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal