Autos nº 2005. 35. 00. 022911-4 classe



Baixar 1,95 Mb.
Página22/32
Encontro03.05.2017
Tamanho1,95 Mb.
1   ...   18   19   20   21   22   23   24   25   ...   32
- Juiz: O senhor tem quantos irmãos? / - Réu: Eu tenho nove irmãos. Seis mulheres três homens. / - Juiz: O senhor é irmão de um dos acusados, o Luiz Carlos rocha? / - Réu: Sou, claro. / - Juiz: Seu Carlos, essa acusação feita contra o senhor, o que é que senhor tem dizer sobre ela? / - Réu: A acusação eu acho falsa porque eu não tenho nenhum envolvimento com tráfico de drogas. (...)”

Quanto aos acusados, o réu negou conhecer JOSÉ ANTÔNIO DE PALINHOS, mas a sua relação com os acusados ROCINE, MÁRCIO JUNQUEIRA e ANTÔNIO DÂMASO foi assim descrita:



(...) - Juiz: (...) O senhor conhece os acusados? Qual desses acusados o senhor conhece? Antônio dos Santos Damaso. / - Réu: Conheço, conheci há um ano e meio atrás. / - Juiz: Conhece em razão de que? / - Réu: Eu estava tratando de importação de azeite com ele, como venho fazendo desde 2004. Eu tenho contatado algumas empresas portuguesas pra fazer importação de azeite. E o senhor Rossini numa dessas oportunidades, faz um ano meio atrás, por aí, me apresentou o seu Antonio, porque o seu Rossini sabia que eu tinha interesse em importar azeite que eu havia comentado com ele. / (...) / - Réu: Me apresentou seu Antonio em uma oportunidade e eu comecei a tratar com ele a respeito dessa importação e ele falou que tinha facilidade para conseguir lá em Portugal, empresas que poderiam me fornecer azeite e nós começamos a manter alguns contatos tal como com outras empresas portuguesas também. / - Juiz: Certo. O senhor conhece o seu Antônio por algum apelido? / - Réu: Conheço, conheço. / - Juiz: Quais são os apelidos que ele tem? / - Réu: Eu já vi o seu Rossine chamá-lo de gordo. / (...) / - Juiz: Só esse ou tem mais algum outro? / - Réu: Só esse. / - Juiz: O seu JOSÉ ANTÔNIO DE PALINHOS Jorge Pereira? O senhor conhece? / - Réu: Não. Nunca tinha visto, eu vim encontrar o seu Jorge Palinhos lá na Superintendência da Polícia Federal no Rio de Janeio o dia que eu fui preso. Nunca tinha visto antes. / - Juiz: Seu Márcio Junqueira de Miranda? / - Réu: Conheci a um ano meio atrás também, uns dois anos atrás, através do seu Rossine, que ele tinha, se eu não me engano negócios com seu Rossini. / - Juiz: O seu Márcio o senhor conhecia por algum apelido? Ele tinha algum apelido que senhor conhecia / - Réu: Eu já vi o seu Antonio chamá-lo de camisola amarela. Só isso. Porque parece que é um costume que eles têm lá em Portugal, um negócio assim. / - Juiz: O seu Rossine o senhor disse que já conheceu. / - Réu: Há vinte anos atrás. / - Juiz: Há 20 anos? / - Réu: Foi através do meu pai. / - Juiz: Como foi essa relação o seu Rossine nesses vinte anos? / - Réu: Foi assim: Uma vez, meu pai tinha negócio de café no Paraná e ele fez negociação com seu Rossini. Há vinte anos atrás. Uma vez eu tive oportunidade viajar com meu pai pro Rio, eu devia ter uns 18, 19 anos, por aí. (...) Eu fui pro Rio com meu pai numa dessas viagens dele e acabei conhecendo, fui apresentado pro seu Rossini e passou um longo tempo sem vê-lo novamente. Então eu vim encontrá-lo novamente a uns dois anos atrás, por aí, no Cartódromo de Interlagos. Eu estava assistindo um treino de corrida de kart, que gosto muito, e encontrei o seu Rossini lá. Comentei "senhor tá lembrado de mim" ele falou "não eu num lembro de você não", falei "não uma vez eu conheci o senhor, eu sou filho do Paulão, Paulo Bernardo da Rocha assim e assim" "Ah! tô lembrado e tal" então nós viemos manter um certo relançamento mas único e exclusivamente de amizade nada mais. / - Juiz: Nenhum relacionamento comercial com ele? / - Réu: Não. O único relacionamento que tive ultimamente com ele foi que eu tenho um apart... tinha, um apartamento no Rio de Janeiro, já há seis anos atrás que eu havia adquirido, e eu comentei com seu Rossini que eu tinha esse apartamento lá. Ele falou "ó tem um amigo meu que tem uma imobiliária no Rio que é o Valdir Israel Imóveis, né, é eu poderia pedir para ele ver se consegue vender para você". Desde então, eu deixei ele lá no Valdir Imóveis para poder vender. Mas eu já estava tentando vender esse apartamento já há uns três anos, eu mesmo, né, pra num precisar pagar comissão pra ninguém. Eu tinha anunciado lá Rio, jornal tal, só que não tinha tido êxito. Então como o senhor Rossini me ofereceu essa ajuda eu aceitei de imediato. / - Juiz: Certo. O seu Rocine tinha algum apelido? / (...) / - Réu: Velho. (...)"

Após retificar o depoimento na fase inquisitiva, quando negou ter o cognome TOBE, confirmando, porém, as alcunhas de BETO e BETO ROCHA, e reconhecer que encontrou pessoalmente o acusado ANTÔNIO DÂMASO algumas vezes no Rio de Janeiro, quando indicou a este aquele apelido, apresentou a seguinte versão quanto ao relacionamento com o denunciado Luís Carlos da Rocha:

- Juiz: O irmão do senhor, Luiz Carlos Rocha? / - Réu: Sim. / - Juiz: É conhecido como? Tem algum apelido pra ele também? / - Réu: Não. Na minha família só Luís Carlos da Rocha. Nos, no inquérito, não eu num sei inquérito, no processo né, crime que corre contra ele eu sei porque eu acompanhei também. Ele tem apelido de cabeça branca, consta nos autos. Foi aí que eu fiquei sabendo desse apelido dele. / - Juiz: Loirinho o senhor também nunca ouviu falar? / - Réu: Não, não, não. / - Juiz: Essa acusação que fazem contra ele? Dizem ser um dos maiores traficantes do Brasil. / - Réu: Olha, é uma acusação que tem contra ele, porém, até hoje eu sei que não foi nada provado, corre um processo né, contra ele, mas não tem nada provado em relação a isso. / - Juiz: Mas o senhor continuou mantendo relação com ele? Mesmo com essa acusação? ou parou? / - Réu: É assim, bom, eu já estou preso há 50 dias, certo. Antes de eu ser preso, ele deve ter me ligado uns trinta dias antes, mas minha relação com eles é única e exclusivamente familiar. Ele é meu irmão, eu não posso me negar a falar com ele né. Só isso. (...) “

O acusado também negou conhecer os demais denunciados e, após confirmar as declarações prestadas na Polícia Federal, continuou:

(...) - Juiz: Aqui nos autos consta que senhor sempre começava as ligações com "oi amigão" é isso mesmo? / - Réu: É um costume. "Oi amigão tudo bem?" "Como tem tem passado?" "Tudo jóia?" Um comentário normal, porque como eu tudo no comércio há muito tempo, tem esse ímpeto de querer se amigável né. / - Juiz: Essas imóveis que o senhor tem? / - Réu: Estão, os imóveis estão todos declarados. / - Juiz: Declarados no imposto de renda? / - Réu: Estão. O flat, a.... única que não está declarada ainda que eu terminei de... fiz a averbação, inclusive esse ano, foi a minha casa onde eu moro, porque eu levei seis, sete anos para construir. / - Juiz: Tem um terreno lá no Balneário Camboriú? / - Réu: Foi vendido em julho deste ano. / - Juiz: Foi vendido? E foi comprado por quanto? O senhor sabe dizer? / - Réu: Foi comprado por $47.000,00 em 1998. $43.000.00 / - Juiz: 43? E foi vendido por quanto? / - Réu: Foi vendido por $430.000,00. / - Juiz: Essa valorização? / - Réu: Eu paguei o imposto. / - Juiz: Certo. Mas decorreu de que essa valorização? / - Réu: É porque é imóvel, é imóvel... como que fala? em praia né, e teve uma valorização muito grande porque esse imóvel era lá na terceira avenida. Porque duplicaram lá em Camboriú duplicaram a terceira avenida e a quarta avenida e não tem mais terrenas desse porte em Camboriú. Entendeu? Por isso que ele sofreu uma grande valorização. Inclusive eu vendi pra uma igreja, em julho desse ano. Inclusive eu paguei o imposto e tudo que foi sobre lucro imobiliário. 15% eu paguei.(...)”

Após negar conhecer Ferrugem, apesar de confrontado com um diálogo telefônico do dia 25/01/2005, do qual afirmou não se recordar, CARLOS ROBERTO também retificou a declaração sobre o relacionamento negocial com o acusado ROCINE:

(...) - Juiz (...) Chegou a haver efetiva relação comercial com seu Rocine? / - Réu: Nenhuma. / - Juiz: Nenhuma? / - Réu: A única exclusivamente essa ajuda que ele tava me prestando pra eu poder vender meu apartamento do Rio. / - Juiz: Mas chegou haver pagamento e tal, com relação a esse negócio? / - Réu: A esse negócio? / - Juiz: Sim. / - Réu: Não. Um pagamento que fiz pro seu Rocine, inclusive eu tinha esquecido disso, foi perguntado no interrogatório da Polícia Federal. O único pagamento que eu fiz pro seu Rocine, foi numa reforma que foi feita no meu apartamento, que inclusive o senhor Waldir Israel pode confirmar isso, foi feito uma reforma lá porque houve infiltração de água dentro do apartamento e estragou todo o piso. Então o seu Valdir Israel, como tinha mais contato fácil com seu Rocine, acabou falando com ele e ele falô "não pode deixar que eu acerto e depois o Carlos Roberto me paga. E também, foi, além dessa reforma, foi fei.. eram IPTUs que estavam atrasados e alguns condomínios que estão atrasados, e eu daí mandei dinheiro pro seu Rocine pra ele pagá isso, porque ele havia pago a dívida pra mim. / - Juiz: O senhor se lembra quanto foi que o senhor depositou? / - Réu: Lembro. Eu depositei $12.000,00 pra ele. (...)”

Em seguida, disse não saber quem era Capixaba, dando a seguinte explicação para o fato de ligar de telefone público:

(...) - Juiz: O senhor não acha estranho que empresário fique parando em telefone público pra telefonar? / - Réu: Não. Não é estranho. Eu acho a coisa mais normal do mundo, porque tem o telefone público pra gente podê usá mesmo, a nível de economia, eu sou um cara muito econômico.(...)”

Negou, ainda, ter falado ao telefone usando códigos, voltando a apresentar a versão relativa à importação de azeite:



(...) - MPF: Eu gostaria de saber do senhor Carlos Alberto se ele chegou a efetivar algum tipo de importação de azeite? / - Réu: Importação? Não, eu estava na iminência de conseguir, inclusive consta nos altos vários e.mail que foram impressos aonde já tava na eminência, inclusive, até mesmo com seu ANTÔNIO DÂMASO, já estava na iminência de fechar negócio com ele e com outras empresas portuguesas. Não foi feito nenhuma importação ainda. / - MPF: Eu gostaria de saber, qual atuação do seu Damaso dentro deste contexto? / - Réu: É assim: que ele é administrador, ele me contou, ele é administrador de empresas em Portugal. Ele tem muita facilidade, muitos contatos em Portugal em todos os ramos de atividade, não só no azeite. Ele tem uma empresa, a empresa Som Lux, inclusive eu... foi a que ele me falou que é a empresa dele. E como ele tem facilidade em em contactar vários fornecedores de azeite, de bacalhau, de carne, ele falou "olha seria, eu conseguiria para você, intermediária esse negócio e ganharia alguma participação" eu falei "tá ótimo" pra mim é até melhor ter contato com uma pessoa de lá, aqui no Brasil, o contato é muito mais fácil do que só por e.mail e telefone, que fica um absurdo ficá ligando para Europa. / - MPF: Por quê motivo não chegou a ser efetivado nenhum tipo de importação? / - Réu: Porque eu fui preso. / - MPF: Mas não já havia um ano e meio de relação? / - Réu: Já. Só que, pelo que eu senti, parecia que seu Antonio não tava demonstrado muito interesse, por isso que ele num... vários contatos que nós tivemos ele "não eu tô vendo", inclusive tem nas minhas ligações, ele até fala "não, olha tô aqui no Brasil, mas já tá em andamento, o pessoal tá trabalhando, tá contactando as empresas". Inclusive ele mandou alguns e.mails de lá, que é de algumas empresas que tão aí nós autos, não deu tempo concluir. E outra, também porque meu SISCOMEX eu já tava em negociação há muito tempo mais o Siscomex da minha empresa saiu, o primeiro SISCOMEX com o valor de US$33.000 de importação, saiu há seis meses atrás. E como esse valor era muito pequeno pra importação de azeite eu pedi para Receita Federal aumentar e eles renovaram, o meu valor passou para US$60.000 de importação. E faz... isso o que? uns três a quatro meses. Só aí que eu poderia importar, antes disso não podia. O Siscomex meu saiu há quatro meses atrás. / - MPF: o senhor pretendia investir quanto na compra de azeite? / - Réu: Olha, um conteiner que é o mínimo que eles fornecem, que eles não fornecem menos primeira a nas primeiras negociações que são feitas as empresas não fornecem menos de conteiner de 20 pés, um conteiner de 20 pés sai na faixa de US$50.000. Por isso que eu não conseguia antes, que meu limite era 33, como que eu ia consegui comprar US$50.000? Num tinha jeito. Daí foi que a Receita aumentou meu limite para poder fazer minha primeira importação. / - MPF: Com que freqüência o senhor entrava em contato com senhor Damaso? / - Réu: Com que freqüência? Quando ele tava aqui no Brasil eu ligava para ele aí umas, sei lá, umas 2, 3 vezes por mês, por aí. / - MPF: O senhor chegou encontrá-lo pessoalmente? / - Réu: Olha eu vou te falar, desse período que eu conheço o Seu ANTÔNIO DÂMASO, a gente deve ter encontrado pessoalmente umas seis ou sete vezes, por aí, nesse uma ano e meio. / - MPF: Por telefone o senhor chegava ligar 3, 4 vezes por mês? / - Réu: Ligava. Porque eu tava muito ansioso para fazer essa importação de azeite. / - MPF: Pra qual telefone que o ligava? Ele se encontrava no Rio ou se encontrava em Portugal quando o senhor ligava? / - Réu: Não, ele se encontrava aqui no Brasil. / - MPF: No Rio ou aqui em Goiânia? / - Réu: Aqui em Goiânia. Aqui em Goiânia. / - MPF: Da fazenda o senhor chegou a ligar pra ele? / - Réu: Liguei pra ele no celular dele, da fazenda, que se eu não me engano é o 9981.1564 o celular que ele usava. (...)”

Ao ser indagado novamente sobre a alegada negociação do imóvel nos contatos com ROCINE, na versão do acusado vendido por R$ 70.000,00, CARLOS ROBERTO negou qualquer participação financeira do acusado ROCINE na venda e disse também:



(...) MPF: O senhor chegou a encontrar o seu Rocine quantas vezes? / - Réu: Se eu cheguei a encontrar? / - MPF: Quantas vezes? / - Réu: Ah, várias vezes. Eu encontrei seu Rocine há... bom como eu expliquei, há dois anos atrás que nós reencontramos. Mas eu encontrei ele no Autódromo de Interlagos, porque o neto dele corre de kart, encontrei ele no Autódromo Aldeia da Serra, certo? aqui em São Paulo também, encontrei ele no hotel Qualitty, porque uma vez eu liguei para ele e falei "e aí deu Rocine, vai ter treino" e tal. Ele estava em São Paulo, ele falou "eu tô aqui porque meu neto vai treiná essa semana". Eu falei "então onde cô tá" "eu tô aqui no hotel qualitty", "então eu vô passá por aí para gente batê um papo". Fui lá, encontrei ele no hotel Qualitty, encontrei ele algumas vezes no Barra Shopping simplesmente pa conversá / (...) / - MPF: O senhor nunca tratou de importação de carne armazenamento? / - Réu: Nunca mexi com carne. / - MPF: Nunca necessitou do serviço... o senhor tinha ciência do serviço prestado pelo seu Rocine? / - Réu: Que o seu Rocine trabalhava com carne? / - MPF: Que é armazenamento? Que ele tinha um blcão? / - Réu: Sim, claro, ele me falou. / - MPF: Mas o senhor nunca utilizou os serviços dele? / - Réu: Nunca utilizei. Eu nunca utilizei. / - MPF: O único negócio que o senhor realizou então foi a questão da reforma que o senhor falou? / - Réu: Só. No apartamento. Só a respeito do apartamento. / - MPF: E foi feito o pagamento através de depósitos? / - Réu: Depósito bancário, foi pelo Bradesco, inclusive eu num tinha lembrado isso no meu depoimento, eu tava muito nervoso, mas depois eu recapitulei, por isso que eu tô falando. / - MPF: O senhor chegou a encontrar o seu Rocine em aeroportos? / - Réu: Em aeroporto? / - MPF: Sim. / - Réu: Encontrei ele no aeroporto de Congonhas, logo agora faz, em agosto, inclusive pra entregar umas amostras de arroz pra ele que ele falou que talvez podia encaixar pra mim no Rio. / - MPF: O senhor nunca realizou nenhum pagamento em espécie para seu Rocine? / - Réu: Não, nenhum. Em espécie não. / - MPF: Nem nesse encontro no aeroporto? / - Réu: Foi amostra de arroz. Falam aí que foi dólares que eu dei para ele, mas eu gostaria de esclarecer que não foi dólares não, foi amostra de arroz, das duas marcas que eu tenho que é o arroz do loc e o arroz da hora, que ele ficou de encachá pra mim no Rio de Janeiro. / - Juiz: O senhor ficou surpreso com a apreensão de drogas no barracão? / - Réu: Demais. Foi por isso que lá no Rio, quando me perguntaram se eu conhecia alguém deles, seu Rocine, Seu Márcio, eu falei que não conhecia ninguém, que eu fiquei apavorado com aquilo. Aquela hora que eu fiquei sabeno o que tá acontecendo. (...)"

Novamente em Juízo, o acusado, em 12/12/2005, após confirmar as declarações anteriores (fls. 1.721/1.722), afirmou:

(...) - Réu: Meus encontros com senhor Rocine era... ele estava me auxiliando realmente a vender o apartamento que eu tinha no Rio e como eu havia dito antes, ele havia falado que poderia encaixar as duas marcas de arroz que eu tenho na bolsa de cereais e de alguns clientes no Rio de Janeiro que ele tinha conhecimento. Então eu pedi esse favor a ele. Ele tava me ajudando realmente, mas depois eu vim a saber eu vim a saber que ele não tava interessado nisso não. / (...) / - Defesa: Eu gostaria que o denunciado respondesse, se ele chegou a enviar amostras desses a rua para o seu Rossini a no Rio. / - Réu: Eu passei pessoalmente duas amostras de arroz da marca Arroz Do Luca, que é uma das minhas marcas, e da marca uma Da hora. No Aeroporto de Congonhas, entreguei o envelope pra ele, em mãos, com duas amostrinhas. Do tipo um e do tipo dois. (...)”

De acordo com os elementos de convicção, inclusive aqueles supra mencionados, porém, resta plenamente demonstrada a intensa participação do réu na organização criminosa, atuando juntamente com seu irmão, Luís Carlos da Rocha, no fornecimento da cocaína.

A versão apresentada pelo acusado, além de contraditória, diverge da prova produzida, tanto na fase de inquérito como em Juízo.

Realmente, para justificar o relacionamento com o acusado ANTÔNIO DÂMASO, narrou que os encontros e os contatos telefônicos diziam respeito às tratativas para “importação de azeite”. Sucede, como já referido, que a versão do acusado pertinentes às tratativas do negócio, aliadas ao valor previsto, inicialmente U$ 33.000,00 (trinta e três mil dólares) e em seguida U$ 50.000,00 (cinqüenta mil dólares), destoam de uma atividade empresarial lícita, sobretudo quando sequer chegou a ser finalizado, apesar de os ajustes terem iniciado em 2004 na versão do réu, e das diversas viagens e encontros com ANTÔNIO DÂMASO. A versão, ademais, discrepa das declarações prestadas por ANTÔNIO DÂMASO.

Com efeito, o referido acusado inicialmente mencionou que o “negócio” era de R$ 60.000,00, interessando-se pela comissão de 15% (quinze) por cento, cerca de R$ 9.000,00, montante muito inferior àquele que o próprio réu ANTÔNIO DÂMASO afirmou levar “no bolso” e que certamente não justifica os inúmeros contatos telefônicos ao longo de um período considerável e os diversos encontros pessoais no Rio de Janeiro, ambos reconhecidos pelo réu CARLOS ROBERTO DA ROCHA. Remarque-se, pois oportuno, que ANTÔNIO DÂMASO fez questão de enfatizar a condição de grande empresário internacional, cujo tempo era limitado, inclusive pelas constantes viagens Brasil-Portugal (3 em 3 meses). A atipicidade do negócio, portanto, é manifesta.

Em realidade, durante toda a investigação, e simultaneamente às providências, tanto no Brasil, como na Europa, para o transporte do entorpecente embalado em bucho bovino, a cargo dos irmãos Palinhos, e para a distribuição naquele continente, risco de ANTÔNIO DÂMASO, é intenso o contato entre os dois acusados, 31 não sendo raro, também aqui, o uso de linguagem codificada. Causando espécie a completa ausência de referências à “importação de azeite”.

Em setembro de 2004, CARLOS ROBERTO ligou para ANTÔNIO DÂMASO, que tranqüilizou o réu sobre a situação do galpão, a despeito da apreensão do carregamento em São José do Rio Preto:

Índice 107118 telefone 6499811564 (FAZENDA QUINTA DA BICUDA), 16/09/2004, 11:50:19 - TOBE X DAMASO: TOBE pergunta se esta tudo a andar. DAMASO diz que na semana que vem estará por lá para organizar. TOBE pede para DAMASO lhe telefonar quando estiver por lá (RIO).



Índice 112858 telefone 6499811564 (FAZENDA QUINTA DA BICUDA), 22/09/2004, 13:50:14 - TOBE X DAMASO: ANTONIO diz que quando tiver novidades liga para TOBE. TOBE se mostra ansioso. ANTÔNIO DÂMASO diz que lá está tudo bem e depois fala com TOBE, fala que está indo encontrar com VELHO.(ROCINE)”

Em 20/10/2004, foram interceptados dois contatos telefônicos seguidos com ANTÔNIO DÂMASO:

Índice 1329046, telefone 2197923174 (ANTONIO DAMASO), 20/10/2004, 18:00:57 - TOBE X DAMASO: DAMASO DIZ QUE O "VELHO"... Ó..., que já tentou e nada, TOBE pergunta se tem alguma novidade, DAMASO diz que tentou entrar em contato com ele, mas não conseguiu. DAMASO diz que vai falar com TOBE, que o dia 12 de novembro, ele estará lá para falar com TOBE, que aquele número de lá vai funcionar, TOBE diz que liga nele, que qualquer coisa é para DAMASO ir tentando ligar pra ele, TOBE diz que tem o putro número, que depois liga e passa.

Índice 1329050, 2197923174 (DÂMASO), 20/10/2004, 18:08:35 - TOBE X DAMASO: TOBE pergunta se ele está ligando naquele daquela vez, DAMASO diz que está ligando no novo, TOBE pergunta se o "velho" está com ele, DAMASO diz que ele acabou de sair.”

Em 05/01/2005, CARLOS ROBERTO DA ROCHA tentou falar com o acusado, ao ligar para o telefone da Fazenda Quinta da Bicuda em Goiás, quando informado que ANTÔNIO DÂMASO estava em Portugal:

Índice 195185, telefone 6499811564 (ANTONIO DAMASO), 05/01/2005, 12:24:5 - TOBE X FLÁVIO: TOBE liga perguntando pelo ANTÔNIO. FLÁVIO informa que ele está em PORTUGAL e que não avisou quando vai voltar ao BRASIL.”

Após o retorno de ANTÔNIO DÂMASO, CARLOS ROBERTO cobrou rapidez na exportação da droga, quando, então, é tranqüilizado. Na conversa, cifrada, há nova menção ao acusado ROCINE ou VELHO:

Índice 221014, telefone 6499811564 (Fazenda Quinta da Bicuda), 17/02/2005, 11:31:30: TOBE X ANTONIO: TOBE oi meu amigão como tem passado tudo bem estava tentando falar e não conseguia - Antonio pergunta se TOBE falou com o velho(ROCINE) - TOBE diz que falou esses dias atrás - Antonio diz que a situação está assim por enquanto - TOBE não tem previsão nenhuma ? - Antonio diz que por enquanto tá se a tentar , as coisas vão indo- TOBE então tá bom - Antonio diz para ficar tranquilo... é o nosso emprego-TOBE claro, claro, tá certo? -Antonio diz que e as coisas vão indo - TOBE sem dúvida isso que é importante - Antonio vai, mas já chega - TOBE é verdade Deus o livre, então tá bom eu vou aguardar você me ligar... despedem”

Em 28/02/2005, outro contato, no qual fica nítida uma nova cobrança de TOBE em torno de uma previsão para realizar o “negócio”, quando é informado que as providências estavam sendo tomadas pelo acusado JOSÉ ANTÔNIO DE PALINHOS:

Índice 231986, telefone 6499811564 (Fazenda Quinta da Bicuda), 28/02/2005, 11:00:38: TOBE X FLAVIO X ANTONIO: TOBE Fala com Flávio e passa para Antonio - TOBE fala oi meu AMIGÃO, tudo joinha, que saber como está os gados, Antonio deiz que eu estou aqui mas estão trabalhando, fique tranquilo tá bom, quando tiver luz verde eu vou embora - TOBE você não tem nem previsão nem nada ? - Antonio To na espera uns dias - TOBE antes de você ir embora a gente podia conversar né - Antonio diz que não, eu estou falando ir embora daqui para aí pro VELHO(ROCINE)-TOBE a entendí, aí você me fala para a gente conversar.”

De fato, em 07/04/2005, ANTÔNIO DÂMASO, antes de viajar com destino a Portugal, ligou para JOSÉ ANTONIO DE PALINHOS ou GEORGE COHEN, indagando se estava “tudo em ordem”:

Índice 1525219, 2181232123 (GEORGE COHEN), 07/04/2005, 14:50:32, DAMASO X COHEN: DAMASO E aí companheiro .COHEN fala que Damaso sumiu. DAMASO diz que tá na balada, é rapidinho COHEN deseja-lhe boa viagem. DAMASO: Olha, tudo em ordem ? COHEN: Tudo tranquilo - DAMASO: Posso falar lá com o(ANTONIO PALINHOS) COHEN: Pode, vai fundo. Despedem-se.”

Em 09/03/2005, outro diálogo, no qual ANTÔNIO DÂMASO informou ao réu CARLOS ROBERTO que estava chateado com o VELHO ou ROCINE porque este havia contado para o acusado MÁRCIO JUNQUEIRA ou CAMISOLA AMARELA, o teor da reunião realizada em São Paulo. Em seguida, ANTÔNIO DÂMASO recomendou a TOBE que conversasse com ROCINE. O diálogo revelou novamente forte proximidade:

Índice 235662, telefone 6499811564 (Fazenda Quinta da Bicuda), 09/03/2005, 10:07:00 - TOBE X ANTONIO: Antonio atende - TOBE oi meu amigão, como tem passado ? tudo joia ?, tudo bem ? - Antonio diz que não está tudo bem, mas a gente faz por isso - TOBE está muito calor por aí ? - Antonio diz que está muito chateado com o VELHO(ROCINE), não sei qua é a atitude que... é uma situação que nois dois temos que tomar, eu não gosto de gente que não pode confiar, está a entender ? - TOBE a é tá certo - Antonio é porque... aquela conversa que nos tivemos, ele foi falar tudo para o CAMISOLA AMARELA(MARCIO JUNQUEIRA) - TOBE a é ? - Antonio é muito chato - TOBE daí não dá né - Antonio eu não sou nenhuma criança né... inaudível... TOBE é complicado heim - Antonio é complicado, está a entender - TOBE é brincadeira isso né - Antonio é uma situação muito chata - TOBE é verdade não tinha necessidade - Antonio é melhor você falar com ele isso porque não sei a situação que isso tá- TOBE ele não deveria ter falado isso tudo né só para complicar mais né - Antonio nós somos homens ou que somos ? - TOBE exatamente, a partir do momento que deu a palavra tem que cumprir - Antonio com certeza - TOBE é brincadeira, as coisas tão difíceis e as pessoas complicando mais - Antonio a vida está complicada, depois ele falou comigo sobre essa situação e que não seria bom o CAMISOLA... pausa... sair da EMPRESA, eu falei tudo bem, pronto, a responsabilidade é sua se você fala isso tudo bem, se você fala isso tudo bem, então ficou por aí eu não tenho que conquistar a conversa inicial - TOBE você tem previsão para a gente se falar, ou não ? - Antonio em princípio deve estar indo no final da próxima semana, se tiver LUZ VERDE eu vou né, eu confirmo para você, pode ficar tranquilo - TOBE eu aguardo então - Antonio se você quiser falar com ele essa tituação que está muito ingrata para mim - TOBE tá certo...”

A conversa continuou:

Índice 235663, telefone 6499811564 (Fazenda Quinta da Bicuda), 09/03/2005, 10:12:22 - TOBE X ANTONIO: TOBE caiu a ligação aqui, então eu vou ver se eu converso com ele essa semana agora, mas ele(ROCINE) ficou falando tudo aquilo que agente conversou ? - Antonio é - TOBE é complicado né rapaz... e você pediu tanto nem avisa que eu estou aqui e ele vai e fala - Antonio o outro(MARCIO) nem falou comigo, eu nem cheguei a atendê-lo, mas já falou para outra pessoa(JORGE MONTEIRO) - TOBE que já te falou ? - Antonio é - TOBE é duro - Antonio não há necessidade né - TOBE as coisas estão tão difícil e ainda fica complicando mais, eu vou falar com ele... e você não tem... Antonio assim que eu tiver, me derem a LUZ VERDE eu ligo para você tá - TOBE de vez em quando é só dar uma ligadinha você pode falar - Antonio estou preocupado também - TOBE certo então vamos ver se resolve logo qualquer coisa se precisar liga aí.”

Os fatos relacionados aos diálogos acima, a par de evidenciarem o relacionamento estreito entre os co-réus ROCINE, CARLOS ROBERTO, MÁRCIO JUNQUEIRA e ANTÔNIO DÂMASO, foram objeto da conversa entre este último e Jorge Monteiro, em 11/03/2005, na qual fica clara a preocupação com a possível desestabilização da “empresa”, como referido por ANTÔNIO DÂMASO, em razão do comportamento de ROCINE e MÁRCIO:



ÍNDICE 236337, Fone 645541521 (ANTONIO DÂMASO), 11/03/2005, 22:05:23 – ANTONIO DÂMASO X JORGE MONTEIRO: - DÂMASO pergunta do CHEVAL(MÁRCIO) se tá mais calmo ... / - JORGE MONTEIRO diz que falou com ele e ele foi para a terra mexer com os bois.. - DÂMASO diz que esteve pensando... esse filha da puta do VELHO (ROCINE) está querendo desestabilizar essa situação... essa semana falei com o BETINHO (CARLOS ROBERTO DA ROCHA) ele me ligou... o Velho teve uma conversa comigo e nem vale a pena... e eu tive que dizer ao BETO... pois essa conversa foi na frente do BETO... o VELHO disse que o seu sócio(JORGE MONTEIRO) faz umas compras e manda o dinheiro por fora (tráfico paralelo)... depois dessa conversa ...sugere que ele está querendo desestabilizar a situação. / - JORGE MONTEIRO diz que isso não tem fundamento, mas vai perguntar na frente dele./ - DÂMASO diz que não falou para JORGE MONTEIRO, pois isso não tem nem pé nem cabeça, que o OUTRO está na situação lá que está... o IRMÃO LÁ DO OUTRO (PALINHOS), e as preces dele estão sempre com empecilhos... / - JORGE MONTEIRO diz que o OUTRO falou.... mas eu só vou acreditar quando DÂMASO falar para mim / - DÂMASO diz que essa conversa foi feita, eu não nego que não, mas é derivada do comportamento da companhia limitado depois do OUTRO virar as costas, o VELHO virou e falou, não sei o que, é melhor não o Gajo (MÁRCIO) pode arrumar algum problema... e eu falei... a conversa foi mesmo assim... fica sob a sua responsabilidade eu não quero saber disso... / - JORGE MONTEIRO diz que ele (Velho) virou para o CHEVAL (MÁRCIO) e disse que se eles (DÂMASO e JORGE MONTEIRO) tirarem você eu também saio fora da EMPRESA (MÁRCIO Junqueira) eu sai fora da EMPRESA (QUADRILHA). / - DÂMASO diz que ele (Velho) não falou nada disso para mim, eles são duas putas, eu já ví... / - DÂMASO diz que depois dessa conversa eu passei a achar que o VELHO está querendo desestabilizar, como sabe que os HOMENS (Palinhos) estão desestabilizados, ele dá entender isso, falando que é melhor ficar quietinho, é que ele dá entender isso... esse comportamento dele é que está querendo desestabilizar... / - JORGE MONTEIRO diz que o outro não está fazendo nada/ - DÂMASO: quem? /- JORGE MONTEIRO: o CAMISOLA AMARELA (MÁRCIO Junqueira) /- DÂMASO diz que não acha./ - JORGE MONTEIRO diz que ele falou que nunca faz mal a niguém... / -DÂMASO diz que o comportamento do VELHO é estranho, pois falou para o BETO, pois essa conversa foi a frente dele. / - JORGE MONTEIRO diz que essas merdas não é para brincar... JORGE MONTEIRO diz que ele falou que não fez mal nenhum para o DÂMASO, não sabe porque ele não fala comigo... / JORGE MONTEIRO diz que os dois(ROCINE e MÁRCIO) estão sempre juntos eles são coniventes...ele falou que você (DÂMASO) está aqui e pediu para não falar nada.../ Jorge que saber como é que vai resolver - Antonio diz que falou com o outro essa semana e ele falou que é uma TRADING... a TRADING É do tipo daquele Gajo RAUL que e representante de várias empresas - Jorge diz que e bom... e quando vem - Antonio diZ que vai ver se é isso mesmo, diz que lá para o final da semana que vem e vou deixar já orientado... o pessoal já está fartado (da fazenda).... despedem.”

Convém realçar no diálogo acima que, embora o acusado CARLOS ROBERTO tenha apresentado versão procurando distanciar o relacionamento, ANTÔNIO DÂMASO trata-o como Betinho, o que também denota intensa proximidade. O tema da conversa, aliás, é confirmado em outro diálogo telefônico entre ANTÔNIO DÂMASO e CARLOS ROBERTO DA ROCHA no dia 17/03/2005 e cujo objeto é, de novo, o comportamento de ROCINE e MÁRCIO na organização criminosa, sendo certo que TOBE informou a ANTÔNIO DÂMASO que havia falado com ROCINE a pedido do acusado:

Índice 238833, telefone 6499811564 (Fazenda Quinta da Bicuda), 17/03/2005, 16:06:04: TOBE X ANTONIO: cumprimentam-se; ANTONIO diz que tem uma reunião no final da semana que vem com a ADMINISTRAÇÃO o resto do pessoalTOBE diz que conversou com o Velho(ROCINE) bastante e que o Velho tem razão quanto a sua idéia com relação ao moço(Marcio Junqueira) acho que ele tem razão né por enquanto - Antonio diz que ele falou e tava tudo acertado - Tobe qualquer coisa você me liga; despedem-se.”

Em realidade, a intenção de ANTÔNIO DÂMASO de retirar MÁRCIO JUNQUEIRA da "empresa" já havia sido confirmada em esclarecedor diálogo entre este acusado e Jorge Monteiro, em fevereiro de 2005. No telefonema, datado de 15/02/2005, há referências expressas a vários integrantes do grupo criminoso: PALHAS ou JOSE ANTÔNIO DE PALINHOS, BETO ou CARLOS ROBERTO, VELHO ou ROCINE, bem como ao depoimento prestado por MÁRCIO na Polícia Federal já referido:



"Índice 1467580, telefone 2198893772 (MARCIO JUNQUEIRA), 15/02/2005, 08:18:06 - JORGE X MÁRCIO - JORGE pergunta quando encontrou com ANTÔNIO. MÁRCIO diz que ia encontrar com o doutor OSVALDO. MÁRCIO diz que está uma situação meio desagradável pois o homem ANTÔNIO DÂMASO esteve no Rio de Janeiro e não quis falar com ele e disse para o velho(ROCINE) que não é para falar que ele está aqui, que é para arrumar um jeito de MÁRCIO deixar de trabalhar para a empresa. JORGE MONTEIRO diz que essa ele não sabia. MÁRCIO diz que já tinha visto DAMASO no Rio, pois a casa dele é na frente, que passa e olha. JORGE diz que as pessoas tem uma postura do caralho. JORGE diz que MÁRCIO tem fazer aquilo que disse, que faz um outro lado, que ele não tem que saber de nada. MÁRCIO diz que o velho não aceitou o BETO parace que também foi a favor, disse que falou com e que quem deve querer isso é PALHAS (COHEN). MÁRCIO disse que falou com LECO e este disse que a gente botou no cu dele agora, que jogou aquele processo para cima dele, mandou tudo tomar no cu, arrumou advogado e ele deve estar fodido que vai conversar com LECO falar qual argumento que ele usou pra falar que ele tem que deixar a empresa. JORGE diz que também está fodido também com essa merda, que depois fala tudo com ele. Diz que nada de ligações para casa, que está tudo no mesmo barco, todos no mesmo barco, que o filho da puta apareceu na porta da casa de JORGE, como é que é possível uma coisa dessas, que estava saindo de carro e o filho da puta estava na frente da casa e aí JORGE disse que o mandou pro caralho e foi embora e já viu que está tudo uma merda, disse que ligou para o número e atendeu ela. Diz que logo estará de volta ao Brasil. MÁRCIO pede o número de MONTEIRO : 00352021195708. MONTEIRO diz que nesse número pode ligar sempre, reclama que não tem notícias, que ninguém liga. MÁRCIO diz que não ligou pois achava por dentro da situação que os dois estavam armando contra ele. MONTEIRO diz que o que que falou com ele. MÁRCIO diz que ficou na dúvida, que o homem chega aqui... MONTEIRO acha que DAMASO já tinha conversado com MÁRCIO, este diz que no sábado DAMASO foi pra cima(Goiás) na fazenda e que viu DAMASO e que este volta na semana que vem no Rio. Pede para MONTEIRO não ligue para DAMASO, senão fica sabendo que contou. MONTEIRO diz que vai fazer de conta que não sabe de nada, mas acha que devia falar com ele e que quando DAMASO voltar conversam melhor com ele para este não saber que quando DAMASO volta. MÁRCIO pergunta se DAMASO falou com ele. MONTEIRO diz que não e que não sabe de nada. MÁRCIO comenta que salário nada, não pagou, não trouxe. MONTEIRO diz que sobre isso conversou com ele quando chegou em Portugal e DAMASO diz que tem que ser ele, que ter que fazer contas com ele, que MÁRCIO tem que ligar para DAMASO e perguntar se ele esqueceu-se dele. MÁRCIO diz que sai, que não precisam mandá-lo embora, que falou pro LECO e este disse que MÁRCIO vai prá lá, faz tudo sozinho, ajuda dá o nome pra fazer tudo e agora..que isso é sacanagem, que se MÁRCIO sair também sai. MONTEIRO diz que não é assim e pergunta com estão as coisas, se estão em ordem. MÁRCIO diz que está parado, que vai pelajando pois não tem perspectiva nenhuma, o preço está muito ruim, o cafe não deu produção este ano e há previsão de geada. MÁRCIO pergunta até quando MONTEIRO fica em Portugal. Este diz que logo volta ao Brasil. MONTEIRO pergunta quando MÁRCIO vai estar com o doutor(JOÃO LUIZ). Esste diz que vai arrumar uns papéis pro imposto de renda. MONEIRO diz que logo está aí; MÁRCIO diz que lá pela semana santa conversa. Conversam sobre a gravidez de SABRINA. MÁRCIO diz que não vendeu nada na loja."

Em 23/06/2005, o denunciado CARLOS ROBERTO DA ROCHA ou TOBE voltou a cobrar rapidez de ANTÔNIO DÂMASO, que reafirma o cumprimento do “combinado” e que a demora é para ser bem feito:

Índice 87385, 6499811564 (CELULAR DA FAZENDA QUINTA DA BICUDA), 23/06/2005, 13:12:30, TOBE X DAMASO: É O TOBE, AMIGO DELE PEDE PARA FALAR COM SR. ANTONIO CUMPRIMENTOS, PERGUNTA SE TEM ALGUMA NOVIDADE - ANTONIO DIZ QUE NÃO PORQUE AS COISAS AINDA NÃO ESTÁ... TEM QUE AGUARDAR PORQUE EU TÔ AQUI...-TOBE TÁ CERTO - DAMASO FICA DESCANSADO PORQUE EU VOU CUMPRIR COM AQUILO QUE EU FALEI TEM QUE SER BEM FEITO - TOBE VOCÊ ACHA QUE NAQUELE PRAZO MAIS OU MENOS VAI DAR? - DAMASO TALVEZ MAIS UM POUQUINHO... -ENTÃO TÁ BOM - DAMASO VOU VER SE NA PRIMEIRA SEMANA AGORA DESSE MÊS EU JÁ FALO COM O VELHO - TOBE BELEZA ENTÃO - DAMASO TÁ BOM - TOBE FEITO”

Antes, porém, em 13/06/2005, a pressa de CARLOS ROBERTO DA ROCHA já havia sido objeto da conversa entre Jorge Monteiro e ANTÔNIO DÂMASO:

Índice 36326, telefone 645541521 (ANTÔNIO DÂMASO), 13/06/2005, 08:37:37, JORGE MONTEIRO X ANTONIO -: FALAM DIVERSAR COISAS DA SOCIEDADE.... JORGE DIZ QUE O ROBERTO QUER FALAR COM ANTONIO URGENTEMENTE - ANTONIO DIZ QUAL ROBERTO ? - JORGE FALA QUE É O DAI (CARLOS ROBERTO DA ROCHA-BETO/TOBE).”

A preocupação com a demora do envio do entorpecente para a Europa tem íntima relação com os riscos da permanência de vultosa quantidade de “mercadoria” armazenada no galpão alugado pelo acusado ROCINE, tanto mais diante da apreensão, em São José do Rio Preto, de 492 kg de cocaína pela Polícia Federal.

O entorpecente, embalado com o rótulo “TOTÓ 100% PUREZA”, era da mesma “marca” daquele encontrado embutido no galpão do acusado ROCINE, e estava sendo transportado em caminhão originário de uma fazenda no município de Matupá-MT, de propriedade do denunciado Luís Carlos da Rocha ou Cabeça Branca, irmão do acusado CARLOS ROBERTO, com destino ao Rio de Janeiro ao mesmo galpão, conforme vários contatos telefônicos interceptados.

De fato, no dia 25/08/2004, o acusado ROCINE recebeu ligação de indivíduo de alcunha Capixaba na qual este, em linguagem cifrada, avisava que “o menino lá foi hospitalizado” ou “o menino foi hospitalizado sexta feira”:



"Índice 1292168, telefone 2199810133 (ROCINE), 25/08/2004, 18:43:11 - CAPIXABA X ROCINE: - ROCINE alô / CAPIXABA,é Capixaba,, / ROCINE Já to em São Paulo / CAPIXABA a é / ROCINE é / CAPIXABA o menino lá foi hospitalizado viu / ROCINE ein / CAPIXABA o menino foi hospitalizado sexta feira / ROCINE foi ? / CAPIXABA é ce viu aquele lado seu lá / ROCINE não / CAPIXABA onde é que ce ta amanhã para a gente conversar / ROCINE to Interlago / CAPIXABA que hora mais ou menos ? / ROCINE onde é o KART / CAPIXABA horário ? / ROCINE deu 8 horas eu to lá / CAPIXABA o dia inteiro então. (...)"

Como na linguagem do tráfico dizer que "foi hospitalizado" significa que "foi preso" identificou-se a referida apreensão em São José do Rio Preto, objeto do IPL nº 6-579/04-DPF.B/SJE/SP. No dia seguinte, o teor do diálogo é confirmado em novo telefonema de Capixaba que alertou ROCINE dizendo que “o negócio é FICAR DE OLHO LÁ(...)”, numa clara alusão à cocaína já depositada no galpão-frigorífico:



"Índice 1292891, 2199810133 (ROCINE GALDINO DE SOUZA), 26/08/2004, 12:05:54 - CAPIXABA X ARTUR(ROCINE): -Rocine vem ao telefone - HNI fala quer saber se Rocine tá sabendo o que aconteceu né – CAPIXABA e surege para Rocine “o negócio é FICAR DE OLHO LÁ NÉ- Rocine diz que vai falar pessoalmente fica de passar o endereço (cai a ligação). "

A notícia, aliás, gerou apreensão no grupo criminoso, que temia a descoberta da droga guardada no galpão, conforme se infere dos diálogos travados logo em seguida pelo denunciado ROCINE e MÁRCIO JUNQUEIRA:



"Índice 1293339, telefone 2199810133 (ROCINE GALDINO DE SOUZA), 27/08/2004, 11:58:55 - HNI(MARCIO JUNQUEIRA) X ROCINE: - Rocine diz que o cara(Pedro contador) está pedindo duas testemunhas para ti(Marcio Junqueira) se já arrumou - Marcio diz que não - Rocine quer saber se o GORDO chegou? - Marcio diz que não mas falou com ele e ele falou para voce tratar de arrumar um espaço em outro lugar lá - Rocine diz que não tem - Marcio quer sabes se aquele alí do lado não consegue - Rocine diz que ali acabou e que quem tem que arrumar é o cara que eu te disse para botar onde a gente vai, fica de conversar domingo onde meu neto corre que a gente conversa lá ás 10:00 hs.

Índice 1299171, telefone 2199810133 (ROCINE GALDINO DE SOUZA), 08/09/2004, 10:04:37 - ROCINE X HNI(RUCINHO?): HNI diz que o Marcio(Junqueira) mandou juntar tudo, papeis, etiqueta, carimbos e tudo para queimar, quando ele for a gente vai se embora como é?- Rocine diz que é para queimar, quer saber se o Márcio ainda está ? - HNI diz que sim, Rocine diz que está indo para ai. "

Ao tempo em que mantinha contato com ANTÔNIO DÂMASO, chamado de Gordão nos contatos telefônicos, o réu CARLOS ROBERTO mantinha relacionamento aproximado com o denunciado ROCINE, responsável pela guarda da droga no galpão-frigorífico, sendo freqüentes nas conversas telefônicas o uso de linguagem cifrada e a menção a encontros em lugares específicos e corriqueiros, bem como a ANTÔNIO DÂMASO. O teor e a freqüência dos contatos, realmente, não corroboram a versão do réu CARLOS ROBERTO de que ROCINE, tão-só, prestava uma gratuita ajuda na venda de um apartamento ou negociação relativa à venda de arroz, assim como a “importação de azeite” também não concretizada:



Índice 1312772, telefone 2199810133 (ROCINE GALDINO DE SOUZA), 27/09/2004, 14:40:46 - ROCINE X TOBE: TOBE liga e diz que vai estar lá, ROCINE pergunta a que horas, TOBE diz que vai ser lá pelas duas da tarde, ROCINE pergunta se é naquele mesmo local, TOBE diz que o encontro será por volta das 16:00h.

Índice 1326772, telefone 2199810133 (ROCINE GALDINO DE SOUZA), 18/10/2004, 14:52:53 - TOBE X ROCINE: - TOBE liga e diz que eles haviam marcado para amanhã, mas não vai dar não, vai ficar mais para o final de semana. ROCINE diz que para ele seria melhor na quarta feira. TOBE pergunta se ROCINE vai viajar, ele responde que teria que ir viajar para o norte, TOBE fala que o problema é que lá a "documentação" ainda não ficou pronta, TOBE pergunta se ele falou com o "GORDÃO", ROCINE responde que não, TOBE se mostra preocupado com isso, e diz que a hora que tiver a posição certinha ele liga, ROCINE diz que é pra ver se ele vai lá quarta feira, que ele vai lá levar(?), TOBE diz que vai ver se até quarta feira vai estar pronto (?).

Índice 1329055, telefone 2199810133 (ROCINE GALDINO DE SOUZA), 20/10/2004, 18:14:25 - TOB X ROCINE: TOB liga para ROCINE e pergunta se ele conversou com o "GORDÃO", ROCINE diz que conversou e ainda não tem novidades, que precisam conversar pessoalmente. TOB pergunta se vai demorar muito, TOB diz que terça feira lá, onde eles sempre combinaram, no hotel, ROCINE diz que é naquele "furrequinha" que ele vai estar lá, na "ALDEIA DA SERRA", que é o "PAULISTA" TOB diz que não sabe onde é, ROCINE diz que é para ele pegar um taxi e pedir para ir até lá, TOB diz que ele sabe que não dá pra ir lá, tem que ser naquele hotel que a gente combinou. ROCINE diz que é para ele ir lá que de lá eles vão para outro local, TOB diz que volta a ligar.

Índice 1361973, telefone 2125840114 (ROCINE), 10/11/2004, 06: 03: 23 - ROCINE X HNI - HOTEL QUALIT - JARDINS: ROCINE liga para o hotel QUALIT, nos JARDINS em SÃO PAULO, e pergunta se eles estão lotados, HNI fala que não, ROCINE fala que vai um amigo dele se hospedar hoje a tarde nesse hotel.

Índice 1458404, telefone 2196198912 (ROCINE), 25/01/2005, 12:30:12 - HNI (TOB) X ROCINE: HNI trata ROCINE por AMIGÃO; pgta se está tudo bem. ROCINE diz que HNI sumiu. HNI diz que na 5ª feira, na parte da tarde, por volta das 18: 00 h, irão se encontrar LÁ. ROCINE pgta se é LÁ (SP?). HNI diz que sim. HNI diz que irá entregar alguns documentos. ROCINE diz que está ok. HNI diz que avisará ao FERRUGEM, para ver se ELE vai com o ROCINE. ROCINE pgta se é naquele (Hotel Qualit?) onde se encontraram. HNI diz que é lá onde se encontraram, na última vez. HNI diz que 5ª FEIRA (27/01), por volta das 18:00 PROCURARÁ ROCINE, LÁ.

Índice 1461496, telefone 2196198912 (ROCINE), 29/01/2005, 13:25:01 - TOB X ROCINE: - ROCINE diz que está tudo bem. / - CARLOS ROBERTO marca encontro 3ª FEIRA, ÀS 11:00 H, no lugar de sempre. / - ROCINE pergunta se é no mercadinho. / - CARLOS ROBERTO diz que é no mercadinho; diz que o GORDÃO (DÂMASO) te ligou. “

Registre-se que MÁRCIO JUNQUEIRA, em depoimento judicial, confirmou a alcunha de Ferrugem.

Em março de 2005, ocorreu novo encontro em São Paulo entre o acusado CARLOS ROBERTO e ROCINE:

"Índice 1509004, telefone 2182119226 (ROCINE), 28/03/2005, 21: 56: 25 - ROCINE X LILI: ROCINE - e aí LILI? LILI - tudo bem, chegaram bem? ROCINE - já tamu no hotel. Não ligaram pra mim, não? LILI- não, só a ELIANE que e ligou pra cá. ROCINE - tá legal, se caso o irmão do LOIRINHO ligar, eu tô em São Paulo. LILI - interlagos. ROCINE - é. LILI - tá bom. ROCINE - pra ele onde tá o carro que ele encontra comigo. LILI - tá bom. "

Tais reuniões, sejam em São Paulo, sejam no Rio de Janeiro, foram objeto de assíduas conversas do réu CARLOS ROBERTO, ROCINE e MÁRCIO JUNQUEIRA DE MIRANDA, sendo que este último, com freqüência, também participava dos encontros:



"Índice 1354433, telefone 2199810133 (ROCINE), 05/11/2004, 11:34:42 - MARCIO X ROCINE: MARCIO (dizendo ser o MARCO), pede para falar com ROCINE, quando ele atende, diz que está com o endereço para passar para MÁRCIO lá no KART, MARCIO fala que amanhã ele não pode, que teria que ser na terça feira. ROCINE fala que está com o endereço para que MARCIO vá se encontrar com os "amigos" , MARCIO fala que pode marcar na terça feira, ROCINE se "os amigos" ligaram para ele, MARCIO responde que ainda não. ROCINE fala que ontem esteve com eles, e perguntaram se ele havia passado o endereço para MARCIO, e ele falou que não o havia encontrado ainda, ROCINE diz que na terça feira eles conversam.

Índice 1361300, telefone 2198397523 (MARCIO JUNQUEIRA), 09/11/2004, 18:34:15 - TOBE X MARCIO: 0HNI liga para MARCIO e o chama de "AMIGÃO", ele pergunta se podem se ver amanhã, MÁRCIO fala que sim e que poderia ser entre onze e duas horas da tarde.(cai a ligação).

Índice 1361313, telefone 2198397523 (MARCIO JUNQUEIRA), 09/11/2004, 18:36:11 - TOBE X MÁRCIO - HNI volta a ligar e fala que o cartão acabou, MÁRCIO pergunta se é onze ou duas horas, HNI fala que as 13:30h está bom, ele pergunta se MARCIO pegou o endereço com o velho, MÁRCIO responde que não, HNI fala que é para ele pegar o endereço com o "VELHO" (ROCINE). HNI pergunta se ele se lembra onde eles se encontraram daquela outra vez com os dois juntos, naquele hotel que ele os encontrou lá, MARCIO fala que não, HNI pergunta se ele está na mesma cidade do VELHO, MARCIO responde que sim (RIO), HNI fala para ele procurar o velho e pegar o cartão do hotel com o endereço, MARCIO pergunta se poderia ficar para depois de amanhã esse encontro, HNI fala que de maneira nenhuma, tem que ser amanhã. HNI pergunta novamente se MARCIO está na cidade do VELHO, dessa vez ele responde que não (mentindo), HNI fala que é pra ele tentar estar lá amanhã, MARCIO diz que vai ver se consegue, mas está difícil, HNI diz que pra não ficar muito corrido, é pra marcar para as 15:00h, que é para MARCIO pegar o endereço direitinho, porque a hora que ele ligar é só MARCIO falar o número da casa (apartamento do hotel), que ele vai lá, e deixar esse número ligado porque é nesse que ele vai ligar. HNI fala que é para ele ir preparado para assinar os documentos, e levar os documentos dele também.

Índice 1428780, telefone 2199810133 (ROCINE GALDINO DE SOUZA), 14/12/2004, 07:19:24 - ROCINE X MARCIO: ROCINE pgta se o MARCIO já voltou. MÁRCIO diz que sim, mas está saindo de novo (GRAMADO/RS) e retorna dia 26 (RETORNO RESERVADO PELA TAM, NO DIA 21/12/04, COM CHEGADA ÀS 20: 45, NO AIRJ). ROCINE diz que amanhã o BETO estará aqui. MÁRCIO diz para mandar um abraço para o BETO e dizer para ele QUE O RAPAZ, LÁ, NÃO ESTÁ CONCORDANDO MUITO.

Índice 1488452, telefone 2182216917 (MÁRCIO JUNQUEIRA), 15/03/2005, 18:12:09 - MARCIO X ROCINE: Marcio pergunta se tá tudo bem. Rocine responde tudo bem e aí? Marcio diz que tá tudo tranquilo. Rocine diz : eu tô aqui em São Paulo, eu tive com o(BETO ROCHA) irmão do meu amigo(CABEÇA BRANCA-LORINHO), ele tá indo praí, ele quer falar contigo. Marcio diz: tá bom, mas amanhã ele tá aqui, não, não sabe. Rocine diz que ele tá indo praí amanhã. Agora era bom tu vir aqui quinta feira quer encontrar contigo, que ele vai encontrar comigo aqui quinta feira ele quer te dar aquele cinquenta(U$ 50.000). Marcio : Ah tá bom. Rocine diz tu me liga amanhã. Se ele chegar aqui e falar comigo e não encontrou contigo ai eu ligo pra tu vir quinta feira encontrar com ele. Marcio diz que tá bom. Rocine repete que ele quer te dar aquele cinquenta. Marcio diz que tá bom e um abraço. Rocine pergunta: E o gordo (DAMASO) Marcio responde: Não sei. Rocine diz: é, deixa pra lá, eu só tô no Rio sábado.

Índice 1510890, telefone 2182216917 MÁRCIO JUNQUEIRA, 30/03/2005, 11:44:11 - ROCINE X MARCIO: ROCINE: Escuta, ele (TOB) te ligou? MARCIO: Não. ROCINE: Eu passei no número da nota fiscal pra ele ainda agora. MARCIO: Ah, tá bom, ele tá por aqui? ROCINE: Não, num sei, mas diz que tá vindo que o gordo (DAMASO) deve estar aqui esta semana. MARCIO: Ah, então tá bom, deve ficar mais tranquilo. ROCINE: deve te ligar. MARCIO: Falou, um abraço

Índice 1522214, telefone 2182216917 (MÁRCIO JUNQUEIRA), 05/04/2005, 21:26:35 - ROCINE X MÁRCIO: ROCINE - alguma notícia? MÁRCIO - não. ROCINE - também não sei de nada, até agora não encontrei com eles (TOB E CABEÇA BRANCA) não, mas eles tão aqui, se eu te ligar e se disser vem é porque tá comigo, entendeu? MÁRCIO - tá bom. ROCINE - não, porque aí ele aceitou botar mais. MÁRCIO - então tá, qualquer coisa ele liga

Índice 1525381, telefone 2182119226 (ROCINE), 07/04/2005, 15:43:05 - ROCINE X MÁRCIO: ROCINE - amanhã tu vem no primeiro vôo, né? MÁRCIO - só logo a tarde que eu vou decidir que não sei se vai querer falar comigo que o GORDO (DAMASO) tá aqui né? ROCINE - eu sei que ele tá aí, mas diz que eu não tô aí, tô aqui (São Paulo), aí tu vem hoje, amanhã, ou sábado de manhã. MÁRCIO - se ele me chamar amanhã, aí eu vou sábado de manhã. ROCINE - ele tá indo embora, né? MÁRCIO - não sei. ROCINE - tá indo. MÁRCIO - tá legal, se eu não for amanhã, aí sábado de manhã eu tô aí. ROCINE - direto em Interlagos, onde é o Kart. MÁRCIO - que horas vai ser a corrida? ROCINE - sábado. MÁRCIO - que horas? ROCINE - meio dia mais ou menos. MÁRCIO - se eu for sábado eu vou pra ver a corrida. ROCINE - se ele quiser deixar alguma coisa pra mim contigo , tu segura. MÁRCIO - nem pra mim ele vai deixar o caramba. ROCINE - não, a gente conversa aqui porque o teu tá comigo. MÁRCIO - tá bom.

Índice 1525477, telefone 2182216917 (MÁRCIO JUNQUEIRA), 07/04/2005, 16:29:27 - JORGE MONTEIRO X MARCIO: MÁRCIO - hoje à noite não dá pra gente falar não, é? JORGE - não porque eu vou chegar tarde, porque, não está cá amanhã? MÁRCIO - A não e ele (DAMASO) tá indo embora, né? JORGE - vai. MÁRCIO - não vai falar comigo e eu tô precisando de grana. JORGE - eu vou falar contigo, quer falar comigo? Não queres falar comigo amanhã. Se eu quero falar contigo, alguma coisa eu tenho pra te dizer. MÁRCIO - nem que eu tenha que ir em cima. JORGE - em cima aonde? MÁRCIO - em Petrópolis. JORGE - eu vou pra baixo cá um bocadinho, mas tu não tas aqui amanhã? MÁRCIO - tou. JORGE - então, amanhã fala meu, não é nada de outro mundo, ele falou com o velho, foi? MÁRCIO - não sei .JORGE: como é que tu sabes que ele tá indo embora. MÁRCIO - falei com o Beto (TOBE). JORGE não falastes com o velho(ROCINE), não? MÁRCIO - Não . JORGE - vê lá o que tens falado com esse gajo, porque falam tudo pra ele, então ter que ter cuidado. MÁRCIO - eu não falei nada. JORGE - tá bem, a gente depois amanhã fala, depois a gente vai ver se falaste ou não falaste, eu não falo nada, eu só tou ouvindo. MÁRCIO - Tá bom. JORGE - amanhã eu ligo mais ou menos hora que a gente tá em ordem pra conversar um com o outro

Índice 1528806, telefone 2182216917 (MÁRCIO JUNQUEIRA), 09/04/2005, 09:52:42 - MARCIO X ROCINE X GENÉSIO: Cumprimentam-se. ROCINE pergunta a Marcio onde ele está. Marcio pergunta se é muito longe do Aeroporto (Congonhas) até onde está Rocine, Rocine diz que é perto e pergunta se Marcio está no Aeroporto. Marcio confirma e Rocine passa o telefone para Genésio(treinador de KART). Genésio fala para Marcio dizer ao motorista de táxi que para quer ir para a pista de Kart ao lado no Autódromo de Interlagos "

Os diálogos acima, porque harmônicos, revelam, ao contrário do declarado pelo acusado no interrogatório, que CARLOS ROBERTO ou BETO integrava intensamente a organização criminosa chamada por ANTÔNIO DÂMASO de empresa.

Registre-se que no deslocamento de abril, ROCINE viajou à cidade São Paulo com a finalidade de encontrar o denunciado CARLOS ROBERTO ou TOBE, quando então foram acompanhados por Policiais Federais, que filmaram o encontro:

Índice 1523702, telefone 2181949736 (ROCINE), 06/04/2005, 17:12:03 - TOB x ROCINE: ROCINE - tu tá aonde? / - CARLOS ROBERTO - tu tá por aqui ainda? / - ROCINE - tô naquele hotelzinho (PIT STOP, em São Paulo), pode vir agora que a gente conversa. / - CARLOS ROBERTO - eu queria conversar contigo amanhã cedo, dá tempo? / - ROCINE - é lá em Interlagos. / - CARLOS ROBERTO - lá no outro, naquele que eu te encontrei a última vez. / - ROCINE - é interlagos, não é naquele não. / - CARLOS ROBERTO - não, mas vamo lá naquele outro. / - ROCINE - não, não, eu tô aqui, cara. / - CARLOS ROBERTO - que horas, amanhã? / - ROCINE - eu chego lá oito horas. / - CARLOS ROBERTO - é?, então tá, eu vô lá daí a gente conversa. / - ROCINE - Cê entra direto, eu preciso muito falar contigo. / - CARLOS ROBERTO - lá pelas nove e meia, por aí, eu tô lá. / - ROCINE - tá, eu preciso muito falar contigo. / - CARLOS ROBERTO - eu te procuro lá aonde, no restaurante , por lá? / - ROCINE - não, você entra direto, é em frente ao box 45, mas eu tô te esperando cá fora / - CARLOS ROBERTO - fica com o telefone na mão, qualquer coisa eu te ligo. /- ROCINE - eu tô precisando muito falar contigo

Em contato posterior, realizado em 17/06/2005, ficou evidenciada a preocupação quanto à situação da carga de entorpecente armazenada no galpão de réu, quando o denunciado CARLOS ROBERTO DA ROCHA efetuou ligação para ROCINE indagando também sobre Gordão ou ANTÔNIO DÂMASO:

Índice 1658951, 2181949736 (ROCINE), telefone de contato 4333233081, 17/06/2005, 15:35:32 - CARLOS ROBERTO (TOB) x ROCINE: - CARLOS ROBERTO - oi, meu amigão! / - ROCINE - e aí! / - CARLOS ROBERTO - tudo beleza / - ROCINE - tudo bom / - CARLOS ROBERTO - tudo tranquilinho por aí / - ROCINE - E eu preciso falar com vocês / - CARLOS ROBERTO - beleza, e o nosso amigo não ligou para você, não / - ROCINE – nunca / - CARLOS ROBERTO - O GORDÃO (DÂMASO) / - ROCINE – não / - CARLOS ROBERTO - é brincadeira, né / - ROCINE - eu quero falar com você sobre isso. CARLOS ROCHA - beleza, então/ ROCINE - segunda, à noite, eu tô indo para lá, aí terça-feira de manhã agente se encontra lá, 08:00h eu já tô lá/ CARLOS ROCHA - beleza, se der para eu ir para lá, eu vou estar lá / ROCINE - ta / CARLOS ROCHA - um abraço, tchau!”

No dia 15/07/2005, uma sexta-feira, novo diálogo:

"Índice 1703179, telefone 2181949736 (ROCINE), 15/07/2005, 17:16:50 - TOB X ROCINE - TOB - e o GORDÃO (DAMASO) te procurou ou não?/ ROCINE - PROCUROU. Eu queria falar contigo, eu encontrei com o JAIRO, aqui. / TOB - é! / ROCINE - eu levei até um susto, para mim ele tinha morrido / TOB - e o GORDÃO falou com você ou não? / ROCINE - falou / TOB - E JÁ RESOLVEU? / ROCINE - VAMOS RESOLVER, DIZ ELE, NÉ! / TOB - É NÉ. VAI DEMORAR MUITO, AINDA, OU NÃO? / ROCINE - NÃO. Eu tô em Campo Grande, né, no Hotel. Vou embora, amanhã / TOB - e ELE FOI LÁ PARA TERRA DELE, OU TÁ AQUI AINDA / ROCINE - TÁ AQUI, SEGUNDA-FEIRA / TOB - pode falar? / ROCINE - agente vai conversar...um negócio... PARTIDA (????). / TOB - ah, então tá bom. Daí você me avisa, para ver se agente conversa junto / ROCINE - tá legal. Dá um pulo, lá / TOB - fala para ele dar uma ligada para mim / ROCINE - falou. eu encontro com ele (DAMASO), segunda-feira, às 11:00h, no mercadinho / TOB - ah, então tá. Vê se ele quer falar comigo e eu vou para lá / ROCINE - ta / TOB - um abraço/ ROCINE - outro/ TOB - fala para ele não ir embora, sem falar comigo/ ROCINE - acho bom tu ir lá / TOB - éh. Fala para ele não ir embora sem falar comigo, ta / ROCINE - falou meu amigo / TOB - um abraço. Tchau! / ROCINE - outro."

Na segunda-feira, dia 18/07/2005, confirmando o teor da conversa acima, o denunciado ROCINE avisou também ao acusado MÁRCIO que havia encontrado ANTÔNIO DÂMASO no Barra Shopping:

Índice 1705585, telefone 2182119226 (ROCINE), telefone de contato 2138896500, 18/07/2005, 10:41:43 - MÁRCIO pergunta se ROCINE vai no ESCRITÓRIO. / - ROCINE diz que amanhã (ROCINE saiu às 09:20 ao encontro de DÂMASO, no BARRA SHOPPING). / - MÁRCIO diz que está no Escritório (GALPÃO DE ROCINE). / - ROCINE diz que não deve ir, mas amanhã vai querer falar com MÁRCIO, pois foi encontrar com o GORDO (DÂMASO) e amanhã quer falar com MÁRCIO sobre o que foi dito por DÂMASO. / - MÁRCIO pergunta se ROCINE está no MERCADINHO (ENTRADA MERCADO PRAÇA XV - BARRA SHOPPING-EMPÓREO PAX). / - ROCINE diz que está no MERCADINHO.”

Na tarde do mesmo dia, novo contato telefônico entre os acusados TOBE e ROCINE:

Índice 1705819, telefone 2182119226 (ROCINE), telefone de contato 4333422198, 18/07/2005, 13:42:33 - TOB X ROCINE: TOB - oh, Doutor! / ROCINE - e aí! / TOB - eu acho que ele tentou me ligar, mas como eu tô fora meu telefone ficou na caixa postal, né, se ele (DAMASO) falar com você, hoje, fala para ele QUE EU SÓ POSSO FALAR COM ELE, NA SEXTA-FEIRA, DE MANHÃ, E PARA ELE IR INSISTINDO EM ME LIGAR PORQUE, ÀS VEZES, MEU TELEFONE NÃO PEGA MESMO; /ROCINE - ELE IA MARCAR QUARTA-FEIRA, EU PRECISAVA, DE VOCÊ TÁ AQUI PARA AGENTE CONVERSAR (COMEÇAR), NÉ. /TOB - MAS É QUE NA QUARTA E NA QUINTA EU TENHO UM COMPROMISSO AQUI, INADIÁVEL, NÃO TEM JEITO./ ROCINE - SE ELE ME LIGAR, EU DIGO SEXTA-FEIRA / TOB - SEXTA-FEIRA, DE MANHÃ / ROCINE - 11:00H, LÁ NO MERCADINHO / TOB - 11:00H, LÁ NO MERCADINHO. JÁ FICA COMBINADO, ENTÃO, MAS AVISA A ELE, TÁ / ROCINE - EU VOU TÁ, QUARTA-FEIRA, COM ELE / TOB - TÁ, ENTÃO, NA SEXTA-FEIRA, 11:00H, NO MERCADINHO (BARRA SHOPPING), TÁ, E DAÍ FALA PARA ELE IR TENTANDO ME LIGAR, QUE ÀS VEZES ELE CONSEGUE FALAR, QUE ÀS VEZES EU TÔ FORA / ROCINE - tá legal. / TOB - tá, um abraço. Tchau! / ROCINE - outro.”

Os depoimentos das testemunhas compromissadas são convergentes e harmônicos entre si tampouco discrepam do teor de tais diálogos.




1   ...   18   19   20   21   22   23   24   25   ...   32


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal