Antonio José de Almeida



Baixar 10,75 Kb.
Encontro19.05.2018
Tamanho10,75 Kb.



PROJETO DE LEI Nº 209, DE 2004
Dá denominação de "Antonio José de Almeida" ao prédio onde estão sediados a 2ª Cia do 36º BPM/I e a 5ª Cia do B.P. Ambiental.

A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO DECRETA:


Art. 1º - Passa a denominar-se “Antonio José de Almeida” o prédio onde estão sediadas a 2ª Cia do 36º BPM/I e a 5ª Cia do B.P. Ambiental, imóvel situado na Rua Allan Kardec s/nº, no município de Araras, anexo ao prédio da Escola Estadual Professora Yolanda Salles Cabianca.
Art. 2º - Esta lei entrará em vigor na data de sua publicação.

JUSTIFICATIVA




Antonio José de Almeida nasceu aos 13 de junho de 1926 em Curaçá, estado da Bahia, filho de Thomazina Maria de Jesus e de Cirilo José de Almeida, foi criado no sertão onde aprendeu o ofício de vaqueiro, tendo como referência geográfica na juventude a Serra da Canastra. Quando menino conheceu pessoalmente o lendário Virgolino Ferreira, vulgo “Lampião”, de quem recebeu uma medalhinha como compensação por ter sido injustamente chicoteado por um de seus capangas, o qual foi exemplarmente castigado pelo “capitão”.
Diante das parcas expectativas, como milhares de nordestinos, o Sr. Almeida migrou para o sul aos 21 anos de idade, chegando à cidade de São Paulo em 1947. Devido ao natural afastamento dos sertanejos em relação à cidadania, à época, estudou apenas o primeiro ano primário e, ao chegar em São Paulo, foi servir o Exército, pois não estava em dia com o serviço militar. Quitadas suas obrigações militares, iniciou a busca por emprego, trabalhando como operário em indústrias de porte. Desde então, e até o final de sua vida sempre esteve ligado aos movimentos dos trabalhadores, lutando por justiça e condições dignas de trabalho, participando ativamente de assembléias e reuniões em prol dos colegas de trabalho.
Em 1955, mudou-se para o município de Araras/SP, onde conheceu sua esposa a Sra. Eunicen Pelosi de Almeida com quem se casou em 1959, tendo quatro filhos: Edevaldo de Almeida; Evandro de Almeida; Edelton de Almeida e Enio Antonio de Almeida. Passou a ser conhecido como “Baiano” e, em 1970 foi contratado como mecânico de máquinas pesadas da Prefeitura do Município de Araras/SP, onde trabalhou arduamente até se aposentar em 1983. Nunca perdeu, em toda a sua vida profissional, um dia sequer de trabalho por motivo de doença.
Desde o final dos anos setenta também trabalhava como garçon – devidamente formado pelo SENAC – para complementar seus vencimentos, atividade que exerceu até 1994. Quando da inauguração, em março de 1990 do quartel da Companhia de Policiamento Florestal da Polícia Militar na Rua Emílio Ferreira nº 264, o Sr. Almeida foi o garçon que serviu o coquetel às autoridades presentes. Hoje, seu filho caçula Enio Antonio de Almeida é Oficial da Polícia Militar e comanda o Pelotão de Araras/SP do Batalhão Ambiental.
Em 1987, ajudou a organizar e fundar a Associação dos Aposentados e Pensionistas de Araras, entidade da qual foi o primeiro Presidente. Mercê da idade continou lutando, viajando, participando de assembléias em inúmeras cidades do país, inclusive acompanhando em Brasília as discussões sobre aposentadorias na Assembléia Nacional Constituinte, mediante intenso esforço e sofrimento pessoal e familiar.
Pai, amigo e marido maravilhoso, foi idealista e sempre acreditou no que fazia, na bondade humana, nas instituições e no país. Humilde, honesto e carismático, deixou uma inestimável herança aos seus pares: exemplo de homem, trabalhador e temende a Deus.
Faleceu em 25 de abril de 2002, aos setenta e cinco anos de idade, vítima de complicações decorrentes de um tumor no estômago, detectado um ano antes, tempo de duração de sua derradeira luta.

Sala das Sessões, em 1/4/2004



a) Ubiratan Guimarães - PTB


SPL - Código de Originalidade: 509013 310304 1813





©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal