Amar pode ser fácil se soubermos como amar



Baixar 24,06 Kb.
Encontro30.07.2018
Tamanho24,06 Kb.

AMAR PODE SER FÁCIL SE SOUBERMOS COMO AMAR

rev


COMO EXECUTAR UM CONCERTO

 

Consideremos o propósito de aprender a tocar um instrumento musical, por exemplo, piano. Para isso coloquemo-nos pela primeira vez diante do instrumento e de uma partitura, quem sabe um concerto de Mozart. Não irá acontecer absolutamente nada, pois a habilidade necessária ainda está por ser conquistada. Toda a complexidade do instrumento e da partitura parece algo distante de poder ser vencida, mas a superação é possível.



Na vida nos deparamos com desafios muitos já superados e outros para serem vencidos. Podemos destacar a capacidade de andar, falar, ler, escrever e outras habilidades. Os desafios foram superados sempre da mesma forma: desenvolvimento de habilidades pelo treinamento.

 

ADQUIRIR HABILIDADES PELO TREINAMENTO

 

Há um processo para que as habilidades sejam adquiridas. Trata-se de ordenar uma sequência de passos que inicia com os de menor dificuldade até os mais desafiadores. A repetição perseverante da sequência de passos permite que a habilidade seja construída até permitir executar tarefas com facilidade.



Na condição de alunos aplicados poderemos adquirir a habilidade para executar concertos e outras músicas, quem sabe na condição de artistas capazes de encantar as plateias.

A alfabetização foi assim. Começamos com as letras para formar sílabas e palavras para expressar por escrito as ideias e pensamentos. Foi um procedimento que exigiu interesse, dedicação e treinamento para aquisição gradativa dessa habilidade.

Qualquer que seja a habilidade, somente poderá ser adquirida pelo treinamento. O treinamento vai além de simples repetição de procedimentos, pois é um esforço consciente e direcionado no exercício de uma sequência organizada de passos.

Muitas vezes ouvimos a expressão de que a vida nos ensina. Certamente ensina, mas aprenderemos mais quando buscamos desenvolver nossas habilidades pelo treinamento.

Essas considerações servem para realçarmos a relevância e como desenvolver a mais importante habilidade a ser conquistada na vida: capacidade de conviver de maneira harmoniosa e construtiva com as pessoas.    

O MAIOR MANDAMENTO

 

Para que a convivência possa florescer e frutificar, precisamos que nossas emoções, sentimentos, atitudes e comportamentos estejam de conformidade com o ensinamento de Jesus: "Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu espírito. Este é o maior mandamento. Eis o segundo, que é semelhante a este: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos depende toda lei e os profetas”. (Mateus, 22: 37 a 40.) 


A PARTITURA DA VIDA

 

O que, porque e como fazer é o roteiro que precisa ser cumprido sempre que queremos adquirir habilidade competente. Vejamos como considerar essa questão quando buscamos a felicidade que é o propósito da vida.



O que fazer é indicado na recomendação de amar a Deus, ao próximo e a nós.

Porque ao oferecermos o nosso amor entraremos na posse da felicidade.

O como amar implica em reconhecermos as habilidades necessárias na condução de nosso comportamento e sentimentos em relação ao próximo.

A convivência com as pessoas é a única situação na qual podemos colocar em prática o amor ao próximo. Acontece em nosso lar, no trabalho e em todos os relacionamentos ao longo de nossa vida.

Amar o próximo é, portanto, a grande habilidade a ser desenvolvida. É a partitura cuja execução nos aproxima de Deus e da felicidade. Por enquanto o desafio continua a ser como alcançar a qualificação de um grande concertista. Por ora, conseguimos produzir algumas notas que estão longe de um verdadeiro concerto.

O progresso será mais rápido se pudermos identificar o que fazer passo a passo numa sequência que comece com o mais fácil de ser concretizado. Cada etapa superada fortalece nossa motivação. 


COMPORTAMENTO E SENTIMENTO

 

Para o desenvolvimento das habilidades nos relacionamentos podemos considerar duas questões básicas representadas pelo comportamento e sentimento.



O comportamento corresponde às nossas ações e ao que falamos, enquanto que o sentimento é associado aos pensamentos, portanto algo que acontece em nosso íntimo.

A plenificação do amor-sentimento será alcançada nos estágios avançados de nosso desenvolvimento emocional e espiritual. Como possibilidade inicial há o desenvolvimento do amor-comportamento que compreende procedimentos que poderão ser incorporados com alguma facilidade.

Consideremos de início, portanto, nossas ações e o que falamos.

 

NOSSAS AÇÕES E O QUE FALAMOS

 

As ações e as palavras devem irradiar influência que obedeça ao que estabelece a Lei de Ouro: fazer aos outros o mesmo que desejamos para nós. Dessa maneira torna-se possível criar vínculos de amizade. Por outro lado, convém evitar as barreiras que dificultam ou impedem a conquista da amizade das pessoas.



O nosso comportamento ganha qualidade quando as ações e palavras representam gentileza, cortesia, bondade, respeito, honestidade, humildade, paciência e outros atributos.

Com o progresso na qualificação de nossas ações e palavras, os nossos sentimentos vão aos poucos modificando o teor de nossas vibrações que passam a ser positivas e reforçam o amor-sentimento. Este por sua vez favorece a ampliação do amor-comportamento, cria-se um círculo virtuoso.  



CRÍTICA E PUNIÇÕES

 

As observações sobre o comportamento dos outros que julgamos inadequados precisam ser tranquilas e serenas. Usualmente são críticas geradoras de conflitos capazes de provocar prejuízos para os relacionamentos.



A crítica não passa de informação sobre o que não gostamos ou simples indicação de erro no comportamento e, consequentemente, não traz nenhuma possibilidade da pessoa poder ou querer mudar.

Existe favorecimento quando procuramos nos qualificar em orientar positivamente pela indicação de como treinar a capacidade de fazer a coisa certa.

Como a crítica é incapaz de produzir resultados, acaba por exigir o reforço da punição. O constrangimento da punição pode impedir ou obrigar determinado comportamento sem, contudo, modificar a pessoa.

Sempre é importante considerar que o maior impacto da crítica ocorre com as pessoas mais próximas encontradas em nosso lar e onde trabalhamos.

Importante observação do psicólogo americano William James pode estimular o abandono da crítica. Ele diz que no centro da personalidade humana está a necessidade de ser apreciado e lembra que um general afirmou que o homem poderá não vender sua vida, mas a dará de graça por um pedaço de fita colorida.

A fita colorida é uma condecoração que expressa reconhecimento por aquilo que foi feito. O reconhecimento é muito apreciado e tem impacto que se contrapõem de maneira positiva à crítica de efeitos negativos. 



A GRANDE OBRA DE NOSSA VIDA

 

Construir pirâmides ou a maior usina hidroelétrica como a de Itaipu são outros exemplos de obras executadas passo a passo. Na verdade, mesmo tarefas simples exigem procedimentos detalhados. Quando nos referimos às nossas habilidades ocorre a mesma condição. Para que aprendêssemos a falar, a andar, dirigir um carro, dominássemos as profissões foi necessária a existência de uma sequência favorável para o gradativo desenvolvimento das habilidades correspondentes.



O ensinamento de Jesus contido no maior mandamento é mais desafiador do que realizar grandes obras como as mencionadas. Trata-se da capacidade de amar a Deus, ao próximo e a si mesmo. Essa capacidade é alcançada pelo desenvolvimento de muitas habilidades que se expressam por nossas atitudes, comportamentos e sentimento.

Amar ao próximo acontece quando, na convivência com as pessoas, nossas habilidades se ajustam à recomendação de se fazer ao outro o mesmo que é desejado para si mesmo. É a construção de uma convivência harmoniosa na qual todos se beneficiam e são vencedores.



  • Estabelecer a ligação entre o nosso comportamento e a capacidade de amar ao próximo permite reconhecer em nossas ações e no que falamos habilidades para serem adquiridas pelo treinamento.

  • Quando reconhecemos que gentileza e cortesia são detalhes de amar o próximo, nos motivaremos desenvolver essas capacidades.

  • Quando percebermos que ouvir respeitosamente as pessoas para compreendê-las é expressar amor ao próximo, treinaremos com profundo interesse essa capacidade.

  • Quando entendermos que elogiar as pessoas, reconhecer aquilo que têm de bom é uma forma de amar o próximo, então procuraremos desenvolver a capacidade de reconhecer o que há de admirável e que possa servir de elogio.

  • Quando notarmos que as nossas palavras podem entusiasmar as pessoas e criar poderosos vínculos de amor treinaremos para que sejam de mesma qualidade das palavras que gostaríamos de ouvir sobre nós.

Esses são alguns exemplos de habilidades que podemos treinar. Se estivermos firmemente decididos a amar o próximo, perceberemos outras oportunidades.

Algo acontece em nosso íntimo quando convivemos com as pessoas que não diz respeito àquilo que fazemos e nem ao que falamos, mas diz respeito ao que sentimos em relação às pessoas. Sentimos prazer ou desprazer de estar junto com as pessoas ou de simplesmente pensar nelas. O que sentimos é resultado da forma de ver as pessoas.

Uma habilidade fundamental no sentido de melhorar os nossos sentimentos em relação às pessoas é entender que o amor ao próximo é devido a todos indistintamente sem qualquer tipo de restrição. Essa compreensão fica mais adequada ao separar aquilo que a pessoas são daquilo que fazem. Jesus pede para que amemos as pessoas como elas são, ou seja, filhos de Deus criados à Sua imagem e semelhança. Não pede para amarmos aquilo que as pessoas fazem.

Para poder melhorar os nossos sentimentos em relação às pessoas, devemos treinar a capacidade de vibrar sempre positivamente em favor do próximo em qualquer circunstância. Observar nas várias situações da vida oportunidades para mudar o hábito de vibrar contra quando alguém faz algo que nos desagrada.

Podemos aceitar ou não as coisas que os outros fazem, mas independentemente disso procuremos desenvolver a capacidade de sempre envolver as pessoas com pensamentos positivos e desejar o melhor para elas.

Conquistar amizades pode ser algo muito fácil, basta detalhar o que fazer em pequenos passos e dedicar-se ao treinamento até estar de posse da habilidade. Essa é maneira para ser hábil nos relacionamentos de conviver com harmonia, portanto, de colocar em prática a recomendação de Jesus para amar o próximo.



 






©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal