AcçÃo urgente



Baixar 27,21 Kb.
Encontro03.05.2017
Tamanho27,21 Kb.

Date: 29 October 2010



ACÇÃO URGENTE

aDVOGADa SEQUESTRADa E AMEAÇADa DE MORTE

Uma advogado que trabalha para uma organização de direitos humanos Associação para uma Sociedade mais Justa ( Asociación para una Sociedad más Justa – ASJ) foi sequestrada por dois homens desconhecidos em Tegucigalpa, capital das Honduras, a 19 de Outubro. Durante o seu calvário de 40 minutos foi ameaçada de morte, e a sua vida pode estar em perigo.

A 19 de Outubro, às 2.15 da tarde , a advogada, que pediu para não ser identificada, chamou um táxi fora do escritório da ASJ. Dois homens aproximaram-se dela enquanto estava a negociar o preço com o taxista. Eles forçaram-na a entrar no táxi com eles. Os homens ordenaram o taxista a seguir as suas instruções.


No taxi os homens trocaram de armas entre eles e perguntaram à advogada “ Trabalhas para ASJ? Quem te paga? Quanto te pagam? Estão a investigar SETECH?” [ SETECH é uma companhia privada de seguranças] (Trabajas para ASJ? Quién te paga? Cuánto te paga? Estás investigando a SETECH’) A advogada recusou-se a responder. Os homens disseram um ao outro “ Sabes que nos pagaram para executá-la...temos que seguir o plano” ( Sabés que nos pagaron para ejecutarla...hay que seguir con el plan). Um dos sequestradores disse “ Filha da puta, estamos a fazer-te uma pergunta, responde” ( Hija de la gran puta, te estamos haciendo una pregunta, contestá). Eles continuaram a fazer perguntas à advogada sobre o seu trabalho.
Depois de cerca de 30 minutos, os dois homens tiveram uma discussão. Um dos homens disse tinha dúvidas, o que pareceu irritar o outro homem, que então ordenou ao taxista para parar em frente a uma loja de ferramentas. Os sequestradores disseram à advogada para asir dizendo “Vá lá! Rápido! Sai![..] que Deus esteja contigo” ( Bueno, bajese pero ya, no lo piense bajese ya […] que Dios ande con usted) O taxista seguiu em frente com os homens dentro deixando-a na rua.
POR FAVOR ESCREVA IMEDIATAMENTE em Espanhol ou na sua língua:

  • Apelando a uma investigação independente, completa e imparcial sobre o incidente e as ameaças contra a advodada da ASJ, com os resultados tornados publicos e os responsáveis levados à justiça ;

  • Incitando as autoridades a tomarem medidas imediatas que proporcionem protecção à vitima, de acordo com os seus desejos.


POR FAVOR ENVIE OS SEUS APELOS ANTES DE 10 DE DEZEMBRO 2010 PARA:

Presidente

Sr. Porfirio Lobo Sosa

Presidente de la República

Casa Presidencial

Boulevard Juan Pablo Segundo

Palacio José Cecilio del Valle

Tegucigalpa, Honduras

Fax: + 504 239 3298

Salutation: Dear President

Ministro do Interior

Oscar Alvarez

Secretario de Estado

Secretaría de Estado en el Despacho de Seguridad, Plantel Casamata, subida al Picacho, Tegucigalpa, M.D.C, Honduras



Fax: +504 220 1756

E-mail: despachoministro@yahoo.com

Salutation: Dear Minister / Estimado Sr.Ministro

E cópias para:

Asociación para una Sociedad más Justa (ASJ)

Apartado 30676

Tegucigalpa

Honduras




Envie também cópias para as autoridaedes acreditadas no seu país. Por favor confirme com a sua secção a possíbilidade de enviar apelos despois da data mencionada.


ACçÃo UrGENTE

ADVOGADA SEQUEstrada e ameaçada de morte

Informação Adicional


A advogada já tinha sido intimidada anteriormente a 21 de Setembro. Ela estava no seu escritório no Secretariado do Trabalho a ver documentos sobre leis do trabalho que protegem seguranças. Por volta das 12h10 da tarde uma mulher aproximou-se e aconselhou a advogada a deixar a investigação sobre as companhias de segurança, por causa dos riscos pessoais envolvidos. Ela perguntou se a pesquisa que focava a SETECH e lembrou a advogada do caso de um advogado da ASJ Dionisio Díaz García, que foi morto em 2006 por causa de um trabalho semelhante. Cerca de 15 minutos depois, um homem chegou e começou a falar com a advogada”...Veja, existem antigos oficiais do exercito nas companhias de segurança...eles assassinos” ( Mire, las empresas de seguridad son formadas por ex militares...tienen sicarios). Ele acrescentou “ Quando apanha um taxi, a qualquer momento uma motocicleta pode aparecer e boom! Boom! O nosso corpo cai no chão...deixa este trabalho e sai desta instituição” (Usted toma un taxi, usted se para en cualquier momento aparece un motorizado le hace bum bum, y su cuerpo queda inerte … deje ese trabajo, váyase de la institución). Depois perguntou se ela estava a investigar a SETECH em nome da ASJ. A advogada respondeu que não estava a investigar para nenhuma companhia em particular e que era simplesmente uma consultora jurídica.

Dionisio Díaz García foi morto a tiro a 4 de Dezembro de 2006 por um homem à garupa de uma moto. Dionisio, na altura da sua morte, representava um número de ex- seguranças que reclamavam ter sido despedidos sem justa causa. A Amnistia Internacional emitiu várias Acções Urgentes sobre este caso em Dezembro de 2006, sublinhando as ameaças sofridas por outros membros da ASJ depois da morte de Dionisio Díaz. A ASJ foram emitidas medidas de protecção pela Comissão Inter-Americana de Direitos Humanos em 2007 depois da morte de Dionisio Díaz.



A investigação e julgamento do caso do Dionísio foram realizados de 2007 a 2009 e resultou na condenação de um ex segurança, que havia trabalhado para SETECH, e um policial pelo seu assassinato.
UA: 228/10 Index: AMR 37/015/2010 Issue Date: 29 October 2010







©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal