A relação Homem-Máquina



Baixar 19,64 Kb.
Encontro30.07.2018
Tamanho19,64 Kb.



A relação homem - máquina
A Ligação entre o Homem-Máquina, Interface, Interatividade e Realidade Virtual
Para que a relação homem-máquina ocorra, é indispensável o uso das interfaces e da interatividade. Sem estes dois fundamentos, é impossível haver qualquer tipo de relação homem-máquina dentro da Internet ou mesmo fora dela. Quanto à realidade virtual, ela tornou todas as relações do homem com o computador mais fáceis, para que ocorra de forma mais agradável, divertida, funcional e/ou eficiente.
A partir daqui, vai ser possível verificar quais são todos os elos de ligação de um homem à um computador. Como é que essa relação pode ser estabelecida, como funciona. A relação homem-máquina faz parte das interfaces, dos diversos tipos de interatividade e da realidade virtual, assim como todos eles fazem parte da relação homem-máquina. Depois de conhecer passo a passo cada trecho desta pesquisa, será possível pelo menos, chegar a uma conclusão: que em se tratando de homens e máquinas, tudo é necessariamente interligado.
Histórico
As máquinas fazem parte da vida do ser humano há muito tempo, desde que os homens das cavernas passaram a caminhar e sobreviver pela Terra. Maquinas? Sim, máquinas. E porque não? Neste caso é só atribuirmos ao termo máquina um novo significado: tudo que ajuda ao homem a desempenhar algum tipo de função com maior facilidade.
Mais tarde, com o aparecimento dos primeiros artesãos e depois com a Revolução Industrial, a máquina passou a fazer parte da vida do ser humano com seu sentido real, o que estamos acostumados a usar, ou seja, foi criada para auxiliar o homem sendo uma extensão dele próprio, executando tarefas que o homem não podia, trazendo, então, inúmeros benefícios a ele.
Desde aquela época, já havia discussões a respeito da exclusão que a máquina proporcionava junto a todos aqueles benefícios à vida do ser humano. Ainda naquela época muitos homens perderam seus empregos por causa das máquinas e os que ficavam tinham maior contato com elas do que com as pessoas que com quem trabalhavam. Hoje não é diferente, só que as máquinas que fazem parte da nossa realidade são os computadores. Desde a criação do ENIAC, os computadores não pararam de evoluir e de fazer parte da vida humana. E é a partir daí que entramos no ponto crucial desta pesquisa.
O Computador na Relação Homem-Máquina
A espécie humana depende tanto dos computadores, que muitas empresas, hospitais, indústrias e mesmo pessoas comuns não conseguiriam viver sem o auxílio desta máquina. Inúmeras pesquisas vêm acompanhando a relação que ocorre entre o ser humano (Homem) e os computadores (máquinas), tanto que a HCI (Human Computer Interaction) foi instituída para estudar a relação de interação homem-computador. E esta está tão presente que os computadores futuros serão projetados para atender às necessidades do usuário, reconhecê-las e entender sua linguagem verbal e não-verbal, já que a nossa linguagem usual não é adequada para o relacionamento homem-máquina.
É por isso que, nesta pesquisa, os dois significados empregados ao termo máquina são pertinentes, pois o computador é uma máquina que ajuda ao homem a desempenhar algum tipo de função com maior facilidade (lembrando a definição de interface, que será discutida mais à frente, justamente pelo computador ser uma interface) e foi criado para desempenhar tarefas que o homem não podia.
Muitas destas pesquisas apontam várias preocupações, uma delas é a exclusão. Exclusão das pessoas que não estão atualizadas tecnologicamente com o mundo de hoje. Muitas pessoas não sabem nem o que é um computador e passam a ser excluídas, isoladas da sociedade atual, pois o homem-máquina não tem tempo a perder e a rapidez aplicada na tecnologia também serve para ele e seu cotidiano.
Uma outra preocupação é a de que o homem está deixando de se relacionar com outros de sua espécie para se relacionar com os computadores. E muitos deles, quando se relacionam com qualquer outra pessoa, é através do computador conectado à Internet.
A Relação Homem-Máquina através da Internet
A Internet está revolucionando a comunicação humana, e graças a ela, o termo homem-máquina passou a ser mais discutido e amplamente estudado. Através dela o homem se relaciona com o computador no sentido real da palavra, e automaticamente, como já citado anteriormente, com outras pessoas.
Uma grande prova da relação homem-máquina dentro da Internet, são os chatterbots, que simulam uma conversa com um ser humano, chegando muitas vezes a parecer realmente uma conversa entre duas pessoas. Todos os outros programas que possuem em seu nome as letras BOT, são agentes que operam para um usuário ou um outro programa simulando uma atividade humana; um outro exemplo que pode ser usado são os search bots, que realizam buscas na Internet, como o site Altavista.
Com a oportunidade de poder se comunicar com outras pessoas através do computador conectado a Internet, houve uma grande divulgação das salas de chat, e-mails e home pages. E não foram só os simples usuários que se interessaram pela Internet, as grandes empresas perceberam aí um grande canal para chegar aos seus clientes; e conseqüentemente os clientes, a empresa. Tudo isso fez com que a Internet se tornasse um meio de comunicação indispensável para qualquer empresa. Uma empresa que não está no mundo "virtual", de algum modo, não pode sobreviver no mundo "real" por muito tempo, e dentro deste mundo virtual, devem buscar sempre as melhores formas de conquistar e atrair seus clientes para dentro de suas páginas. Para isso, é necessário alta tecnologia e um sério estudo sobre seu público, para que a relação entre o cliente e a empresa seja proveitosa para ambos os lados.
A mesma afirmação "virtual-real" é aplicada também as pessoas comuns e a principal forma de estar na Internet é participar das populares salas de chat, onde começa uma nova fase de relação homem-máquina, como veremos a seguir.
Internet x Relações Humanas
Dentro deste tópico é necessário dar uma nova grafia ao termo Homem-Máquina, porque muitas vezes quando um usuário se conecta a Internet, não busca uma relação com um computador, mas sim com uma pessoa através do computador. Por isso: Homem-Máquina-Homem.
A necessidade de comunicação imediata, velocidade e tecnologia (que foi causada pela Internet) faz das máquinas o melhor amigo do homem. Através do modem é possível fazer verdadeiros milagres, onde qualquer coisa, muitas vezes, passam a poder ser resolvidas somente através dele. Tudo isso acabou deixando as pessoas solitárias e cada vez mais próximas ao computador. Muitas pessoas são mais sociáveis sentadas em frente à um teclado do que na vida real. Com a Internet, um simples clicar no mouse traz todo o conteúdo que se deseja, do mundo inteiro para a casa do usuário. Permite a ele escolher como ser e agir, sem culpas ou preconceitos.
A loucura do dia-a-dia também acabou por contribuir para este isolamento. As pessoas acabam por deixar a sua vida social e passam a não depender mais do contato humano para qualquer tipo de relacionamento. E é este o papel desempenhado pelas salas de chat e conferências eletrônicas espalhadas por toda a Internet: aproximar pessoas.
Nas conferências eletrônicas, pode-se falar sobre seu assunto preferido, ou mesmo de algo que não goste da forma que se desejar, pois não haverá nada e ninguém que lhe impeça de fazê-lo. A Internet se incumbe de deixar o usuário "invisível" aos olhos de outros usuários, se assim ele desejar.
Dentro das salas de chat, as pessoas podem comunicar-se com inúmeras pessoas ao mesmo tempo e ainda sim continuar incógnita. Pode-se fazer sexo com pessoas desconhecidas sem medo de doenças venéreas (sexo virtual), e ainda fazer amizades novas com pessoas que não fazem parte de seu continente! Os apelidos ou nicks escondem a pessoa e permitem que ela tenha o comportamento que desejar. Ela pode ser ela mesma, viver e falar da forma que sempre quis sem ter maiores complicações por qualquer atitude tomada, como já havíamos comentado. E é por isso que geralmente a primeira coisa que se mostra nas relações virtuais é o que mais se esconde nas relações físicas (ou reais): o interior das pessoas. Mas mesmo assim, ela deve seguir as "regras", ou melhor, signos criados especialmente para os chats. Emoticons, gírias, e tantos outros são obrigatórios para quem quer conversar com alguém em uma sala. E só seguir todas essas recomendações para ser o mais novo "internauta" da face da Terra! E é justamente isso que preocupa. É muito fácil distanciar-se do mundo real e passar a fazer parte do mundo virtual. Nele não existe qualquer tipo de problema, e se existir é só desconectar ou trocar de apelido para passar a ser uma nova pessoa. Será este o futuro das relações humanas? Será que para poder conversar com alguém um computador e uma linha telefônica necessariamente devem estar no meio? Saber dosar é fundamental para as relações reais, mas principalmente para as virtuais.
Fonte

A relação homem - máquina. Disponível em: . Acesso em: 15 jun. 2007.







©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal