A natureza da filosofia



Baixar 18,06 Kb.
Encontro18.08.2017
Tamanho18,06 Kb.

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO

CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS

CURSO DE MATEMÁTICA
TRABALHO DE FILOSOFIA
Guilherme Coelho de Souza

Rio de Janeiro, jun. 2008

GUILHERME COELHO DE SOUZA


TRABALHO DE FILOSOFIA
Trabalho apresentado como requisito para avaliação da disciplina de Filosofia .

Rio de Janeiro, jun. 2008



A NATUREZA DA FILOSOFIA
O que é Filosofia?

A realidade que você percebe não é a realidade real; ela é sua realidade naquele momento.

Segundo Leôncio Basbaum “a filosofia é, antes de mais nada, em primeiro lugar e acima de tudo, uma arma, uma ferramenta, um instrumento de ação com a ajuda da qual o homem conhece a natureza e busca o conforto físico e espiritual para a vida.
Noções de Reflexão Filosófica

A Filosofia é um modo de pensar os acontecimentos além de suas aparências. Ela permite o distanciamento para a avaliação dos fundamentos dos atos humanos e dos fins a que eles se destinam.

Somente a partir do século XVII, com Galileu, é que a ciência se separa da Filosofia. Começam a surgir as diferentes ciências e as especializações, que se ocupam apenas de partes da realidade, cabendo à Filosofia a reflexão sobre o conjunto.

A filosofia cabe fazer a investigação dos fundamentos do conhecimento e da ação humana. Assim procurando entender os problemas profundamente, para depois propor alternativas de mudanças.


TEMAS DE FILOSOFIA

Ética e Valores

O valor é o que caracteriza a pessoas é o fato de ela ser um ente que valora.

Atribuir valor a alguma coisa é não ficar indiferente a ela. Portanto, a não-diferença é a principal característica do valor.

Axiologia – designa a filosofia dos valores.

Deontologia – é a ciência do que é justo e conveniente que o homem faça, do valor a que visa e do dever ou norma que dirige o comportamento humano, coincide com a ciência da moralidade ou com ética da ação humana.

I. kant (1724 – 1804) - Crítica da Razão Prática - separa amoral da religião e gera uma cosmo visão antropocêntrica . O homem é um ser determinado, de maneira imperativa e categórica, por uma lei, que é a lei moral, inexplicável pela física ou pela Matemática. Portanto, a natureza oferece, ou impõem ao homem, uma série de obstáculos, ou problemas, e o homem vai tentar resolve-los; ao fazer isso, passa transformar o mundo da natureza num mundo humanizado.

Obrigatoriedade moral – é um comportamento obrigatório e devido, inclui a liberdade de escolha e de ação do sujeito.

Necessidade, coação e obrigatoriedade – comportamento moral como livre e obrigatório; não é obrigatoriedade moral, porque existe esse “ver-se obrigado”, isto é, fica determinado num sentido no qual não há opção; a obrigatoriedade moral perde sua razão de ser quando o agente opera sob uma coação interna, ou seja, sob a ação de um impulso que forçam ou anulam por completo a sua vontade.

Obrigação Moral e liberdade - só existe obrigação moral, a partir do momento em que existe uma promessa que possa ser cumprida, pois temos a possibilidade de escolher entre uma e outra alternativa.

Caráter social da obrigação moral – somente pode haver obrigação para um indivíduo quando as suas decisões e os seus atos afetam os outros ou a sociedade; a obrigatoriedade moral tem um caráter social porque se a norma deve ser aceita intimamente pelo indivíduo e este deve agir de acordo com a sua livre escolha ou a sua consciência do dever, a decisão pessoal não será operada num vácuo social.

Consciência Moral – somente pode existir sobre a base da consciência no sentido e como uma forma específica desta, está estritamente relacionado com a obrigatoriedade.
Estética

A arte e o homem são indissociáveis, porque ao conhecer e atuar buscando a qualidade, o ato de criar é próprio do homem. A realidade estática é uma função essencialmente humana, é algo que experimenta, desenvolve e cria o homem no tempo.

A educação estética deve propiciar, uma atitude viva e exploratória na atividade de “sentir” uma obra de arte.
Antropologia Filosófica

Acreditando-se superior aos demais seres do planeta, devido a sua capacidade de raciocínio, o homem transforma, deforma, constrói, destrói, impregnando marcas no mundo que acredita comandar. No entanto, esse ser que levado pela racionalidade tecnicista, esquece que é parte integrante da natureza e não o seu dono.



Dentre as teorias que fundamentam as concepções de homem temos: Teoria Dualista que engloba o idealismo; platônico (Platão) a razão ultrapassa o mundo sensível e atinge o mundo das idéias; Agostinho (Santo Agostinho), Cartesiano (Descartes) o ponto de partida é a busca de uma verdade primeira que não possa ser posta em dúvida, converte a duvida em método; realismo existe uma realidade exterior, determinada, autônoma, independente do conhecimento que se pode ser ter sobre ela; aristotélico (Aristóteles) a filosofia implica o abandono do senso comum e o despertar da consciências crítica que tem uma função libertadora para o homem; marxismo (Karl Marx)compõem-se de uma teoria científica, o materialismo histórico e de uma filosofia, o materialismo dialético. E a teoria Unicista que engloba a visão unicista parte da conceituação centrada na totalidade, a fenomenologia (Edmund Husserl) é o método e a filosofia fornece os conceitos básicos para a reflexão existencialista e o existencialismo (Sartre) é uma moral da ação, porque considera que a única coisa que define o homem é o seu ato.



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal