A maestria maçÔnica trabalho elaborado pelo irmão vitor donizetti dos santos membro do grande oriente paulista loja acácia de itaquá oriente de itaquaquecetuba sp a maestria maçÔnica



Baixar 32,67 Kb.
Encontro07.11.2018
Tamanho32,67 Kb.

A MAESTRIA MAÇÔNICA
TRABALHO ELABORADO PELO IRMÃO

VITOR DONIZETTI DOS SANTOS MEMBRO DO GRANDE ORIENTE PAULISTA LOJA ACÁCIA DE ITAQUÁ

ORIENTE DE ITAQUAQUECETUBA - SP
O homem preso às próprias idéias e com medo de perdê-las, apavorado por novas verdades e não disposto a duvidar de tudo, deve fechar este tratado: porque ele o entenderia mal e ficaria perturbado. Esta obra revela segredos que serão entendidos por poucos. “É necessário esconder a luz às aves noturnas, porque as cegaria e se transformaria para elas, mais escuras que a mais escura treva” ÉLIPHAS LÉVI "O que está em cima e como o que está em baixo. O homem é o microcosmo e Deus é o macrocosmo (Tábua da Esmeralda) "Hermes Trismegisto" Hermes três vezes grande" "Um sofrimento é sempre uma advertência, pior para quem não sabe compreendê-la. Quando a natureza puxa a corda, é porque caminhamos ao contrário; quando ela nos castiga, é que o perigo está perto. Aí, então, de quem não reflete!" ÉLIPHAS LÉVI "Os espíritos humanos têm a vertigem do mistério. O mistério é o abismo que atrai incessantemente nossa curiosidade inquieta por suas formidáveis profudenzas. O maior mistério do infinito é a existência Daquele, que só para quem tudo é sem mistério". ÉLIPHAS LÉVI "Existe um alfabeto oculto e sagrado que os Hebreus atribuem a Enoque, os Egípcios e Thauth ou a Mercúrio Trismegistro, os Gregos a Cadmos e a Palamedes. Este alfabeto, conhecido pelos pitagóricos, se compõe de idéias absolutas unidas a sinais e a números, e realiza por suas combinações as matemáticas do pensamento.
SALOMÃO representa este alfabeto por setenta e dois nomes escritos em trinta e seis talismãs e é o que os iniciados do Oriente chamam as pequenas chaves ou clavículas de Salomão." ÉLIPHAS LÉVI A maçonaria exige de seus membros, entre outras condições, boa reputação moral. Exige tolerância para com os seus irmãos. Os ensinamentos maçônicos orientam seus membros a se dedicar a felicidade de seus semelhantes, levantando templos à virtude e cavando masmorras ao vício. A moral maçônica está contida nos símbolos e rituais que, como nos sabemos, tem-se mantido ao longo dos séculos. A maçonaria requer que os candidatos a maçom possuam mente sã e sejam fisicamente aptos., esta regra é similar a um dos requisitos essenciais para admissão à Yahad, ou "Grupo da União", como descrito em várias das escrituras do Mar Morto. A maçonaria não ensina a arte de trabalhar a pedra. No seu lugar, utiliza o método operativo dos maçons medievais como alegoria de desenvolvimento moral.
Muito embora a maçonaria utilize várias ferramentas dos maçons medievais, uma das mais importantes é o nível, que significa que todos os maçons são irmãos, independentemente da sua posição social, riqueza ou ofícios, tanto na Loja, como no mundo profano. O objetivo da maçonaria é preparar o ser humano de forma a que este reconstrua, através da mudança e mortalidade que possui agora, um corpo fisicamente perfeito e também imortal. O plano é a construção deste corpo imortal, chamado de Templo do Rei Salomão, a partir de material do corpo físico, chamado de ruínas do Templo do Rei Salomão.
Os rituais maçônicos são cerimônias formalizadas com uma carga dramática, alegórica e simbólica, obedecem a um padrão, a uma história lendária do Ofício maçônico, através da ritualística os princípios da maçonaria podem mais facilmente deixar uma marca indelével no espírito do candidato. A referência mais antiga a um terceiro Grau, até agora, vem de 1725, embora só em 1730 tenhamos conhecimento do seu conteúdo; é nesse ano publicada por Samuel Prichard a obra A MAÇONARIA DISSECADA. Nesta, é mostrado um sistema de três Graus (Aprendiz, Companheiro e Mestre), cada um com o seu sinal e palavra, mas existindo uma obrigação apenas no primeiro Grau. De 1770 em diante, assiste-se a um alargamento do número de perguntas e respostas, nas quais é explicada a cerimônia e o propósito de cada Grau; isto incluía ferramentas simbólicas do mobiliário da Loja, assim como dos ornamentos usados pelos membros.
O rito Escocês é um dos ramos da maçonaria nos quais um maçom pode progredir após chegar a Mestre. Os ensinamentos morais e filosofia do Rito Escocês são baseados nos princípios encontrados na Loja Azul ou na maçonaria simbólica. A utilização da palavra Escocesa leva muitos maçons a pensar que o rito teve origem na Escócia, o que não é verdade. Segundo alguns pesquisadores a origem está sedimentada na França, onde encontramos as primeiras referências a este termo através da palavra "Ecossais". Quando, no final do século XVII, as ilhas britânicas foram atingidas por um surto de tifo, muitos escaparam fugindo para França, onde cultivaram os seus interesses maçônicos, pensa-se estar aí origem do termo Escocês. O aprendiz esforça-se para alcançar o companheirismo e lá chegando, o seu objetivo, será o mestrado.
O SEGUNDO GRAU Visa o segundo grau como filosofia, a orientação da juventude, ao bem-estar humano, através de um honrado trabalho, sem descurar da ciência e da virtude. A maçonaria cultiva a virtude, induzindo de dentro do iniciado, as necessárias para o desenvolvimento da vida. Todo ser humano possui o feixe completo das virtudes; a maçonaria, ou mesmo as religiões, não criam essas virtudes, pois o ser humano as traz consigo, oriundas da formação dos genes. O Segundo grau é consagrado à juventude, devemos considerar que o aprendiz, dentro da Instituição Maçônica, equivale a uma criança que cuidada, instruída e protegida, cresce em todos os sentidos, inclusive em idade; a sua juventude, fará com que passe para o segundo grau.
A ESTRELA FLAMEJANTE Através dos séculos houve sempre a preferência por uma estrela de cinco pontas como figura dos astros de aparência menor do que a do sol e da lua. O planeta Vênus tem sido representado assim e é considerado uma estrela matinal e vespertina, ensejou lendas sem conta. Por outro lado, a estrela de cinco de pontas sempre foi, desde tempos remotos e até hoje, o distintivo de comandantes militares, e de generais. Como símbolo maçônico, a Estrela Flamejante de origem Pitagórica, pelo menos quanto ao seu formato e significado, este muito mais antigo do que aqueles que lhe deram alquimia, a magia e o ocultismo, durante a idade média. O seu sentido mágico alquímico e cabalístico e o seu aspecto flamejante foram imaginados ou copiados por Cornélio Agrippa de Netteshein ( 1486-1533), jurista, médico, teólogo e professor. A magia, dizia ele, permite a comunicação com o plano superior para dominar o plano inferior. Para conquistá-la seria necessário morrer para o mundo (iniciação). Símbolo e distintivo dos Pitagóricos.
A estrela de cinco pontas ou estrela homonial é também denominada com impropriedade etimológica. Pentáculo (cinco cavidades). Penta Grama (cinco letras ou sinais gráficos, cinco princípios) ou Pentalfa. Importa saber que os pitagóricos a usam para representar a sabedoria (sophia) e o conhecimento (gnose) e provavelmente empregam no interior do pentáculo a letra gama, de gnosis. A Estrela Flamejante era símbolo desconhecido pelos pedreiros livres medievais. Seu aparecimento na maçonaria, data a partir de 1737, não encontrou guarida em todos os ritos, pois o certo é que os construtores medievais conheciam a figura estelar apenas como desenho geométrico e não com interpretações ocultas que se introduziram na maçonaria especulativa. A Estrela Flamejante corresponde ao Pentagramaton ou Tríplice Triângulo cruzado dos pitagóricos. Distingue-se do Delta ou Triângulo do Oriente, embora, entre os antigos egípcios representasse também Horus que em lugar do pai. Osíris passou a governar as estações do ano e o movimento. O verdadeiro sentido da Estrela Flamejante é Homonial, eis que o símbolo designa o homem espiritual, o indivíduo dotado de alma, ou de fator de movimento e trabalho. Ou seja, o indivíduo como espírito ou fagulha interna que lhe concedeu o G.:. A.:. D.:. U.:. A ponta superior da estrela é a cabeça humana, a mente. As demais pontas são os braços e as pernas. Na maçonaria essa idéia serve para lembrar ao maçom que o homem deve criar e trabalhar, isto é, inventar, planejar, executar e realizar, com sabedoria e conhecimento. Pode ocorrer que o ser humano falhe nos seus desígnios. O maçom também pode falhar como ser humano, mas seu dever é imitar, dentro de seus poderes o G.:. A.:. D.:. U.:., o ser dos seres. Aí está o principal segredo do Grau de Comp.:. recomenda-se ao maçom o dever de analisar as próprias faculdade e bem empregar os poderes pessoais em benefício da humanidade. No centro da Estrela Flamigera encontra-se a letra "G", que significa gnose (conhecimento).
O caráter homonial da Estrela Flamejante é indiscutível, a luz das fontes pitagóricas e das referências gregas e romanas. A letra "G" quer dizer principalmente gnose, porém para satisfazer gregos e troianos tem que se acrescentar os significados. GERAÇÃO, GÊNIO, GEOMETRIA E GRAVITAÇÃO e, também GLÓRIA PARA DEUS, GRANDEZA PARA O VENERÁVEL DA LOJA, ou para A LOJA, e tem sido registrado em muitos rituais maçônicos na tentativa de se encontrar ligação entre estes hipotéticos significados da letra "G". Diz-se que GERAÇÃO estaria ligada ao principio (gênesis da Bíblia) IU a Arquem dos gregos. Gênio seria o correspondente a 'DJINN' dos árabes e a 'GINES' dos persas, que no ocultismo tange aos chamados 'ELEMENTAIS' OU 'semi-inteligentes espíritos da natureza' E EM OUTRAS INTERPRETAÇÕES QUER DIZER O ESPÍRITO CRIADOR OU INVENTOR, OU A CHAMA realizadora. GEOMETRIA, CIÊNCIA DA MEDIDA DAS EXTENSÕES, que lembra as regras do grande geômetra para realizar a Arquitetura do Universo. Na sabedoria ela provou os diálogos sobre ORDEM, EQUILÍBRIO e HARMONIA. A GRAVITAÇÃO lembra Newton e sua lei.
A matéria atrai a matéria na razão direta das massas e na razão inversa do quadrado das distâncias. ARQUEU, O PRINCÍPIO, O FOGO REALIZADOR A palavra Arqueu, que deriva do grego que queria dizer, princípio, primeiro, príncipe, reino, domínio. A letra "G" representa o próprio homem maçons dotado da luz divina que lhe foi transmitida. A estrela de cinco pontas é então a força que impulsiona o companheiro em direção das suas metas e dá sentido as suas realizações, o número cinco a qual a estrela faz alusão se funde na alma do Com.:. M.:. que uma vez elevado a um patamar mais alto pode vislumbrar as luzes desta estrela e pode-se então guiar por esta luz para que a sua caminhada que já é longe das trevas do mundo profano possa se refinar e dar sentido a sua obrar interior, absorvendo a luz desta estrela que representa o corpo humano e utilizando a quintessência o Comp.:. desperta para as luzes do saber e da compreensão da humanidade e do sentido oculto do saber e do realizar. Os alquimistas se esforçam pela busca de um elemento primordial do qual derivam todos, os pensadores antigos tentam definir este elemento primordial que para uns seria um dos quatro elementos simplesmente, o ouro representante simbólico do Sol, da Luz, do Poder Criativo e da Revolução Divina.
Para os acabalistas a quintessência se forma de Quatro pela adição de Um. Quatro são os elementos: AR, ÁGUA, TERRA e FOGO. A metafísica considerava a quintaêssencia como o espírito ou causa universal de todas as coisas. Na filosofia hindu o alento da vida manifesta-se em cinco elementos que são: PRITHIVI ( Terra) que atua dos pés até os joelhos; APAS (Água) que atua dos joelhos ao ânus; TEJAS (Fogo) que atua do ânua ao coração; VAJU (Ar) que atua do coração ao entre cenho; e AKASH (Éter) que atua desde o entre cenho ao alto da cabeça. O Homem de Vitrúvio é baseado no quartenário mais a unidade, representando, o homem detalhado; a ponta superior representa a cabeça; e as outras quatro pontas, os membros do homem. Representa a imagem dos cinco sentidos. O pentagrama com a cabeça para cima representa o homem que, por meio da vontade, domina as sua paixões, ou seja, os membros.
O Pentagrama com a cabeça para baixo representa a mesma figura da Cruz invertida, ou seja, é o homem no qual as paixões comandam as vontades. É o homem que se deixa subjugar pelos espíritos maléficos. O pentagrama pode representar o bem e o mal, de acordo com a direção que ele afeta, e é por isso que ele é a imagem do homem do microcosmo, capaz de fazer o bem ou mal, segundo a sua vontade. Outro fabuloso Pentáculo é a Estrela de Davi, também chamada de Selo de Salomão. Paracelso, médico e alquimista suíço, achava que esse Selo era um dos símbolos mais completos e que era a síntese de outras figuras mágicas. Eliphas Levi ensina-nos que o Ternário é traçado no espaço pelo ponto culminante do Céu, infinito em altura, que se liga por duas linhas retas e divergentes, uma ao Oriente e outra ao Ocidente. Mas esse triângulo visível, a razão compara a outro Triângulo invisível que Eliphas Levi afirma ser igual ao primeiro; é aquele que tem como ápice a profundidade da Terra e cuja base, invertida e paralela à linha horizontal, vai do Oriente ao Ocidente. Esses dois triângulos, reunidos em uma única figura, que é de uma Estrela de Seis Pontas, formou o sinal sagrado do Selo de Salomão, a estrela brilhante do macrocosmo. Esse símbolo de equilíbrio e harmonia, considerado-se que Deus Supremo trabalhou seis dias na sua grande obra arquitetônica, antes de descansar no sétimo, e levando-se em conta que esta obra foi feita com perfeito equilíbrio e harmonia, está claro o seu grande significado e forte vibração.
A combinação de dois triângulos representa a combinação do quente e do úmido, do Sol e da Lua, o princípio de toda a criação, a circulação da Vida, do céu à terra, e da Terra ao céu. A estrela de seis pontas, que é a figura formada pelos dois triângulos, é chamada Estrela de Davi e também Selo ou Sigilo de Salomão. Representa o Universo e os seus dois ternários: Deus e a Natureza: é a imagem do macrocosmo. Ele sobe da Terra ao céu e, de novo, desde à Terra e recebe a orla das coisas superiores e inferiores. Representa a perfeição do Universo, na obra mística dos seis dias, quando se determina, ao mundo, o alto e o baixo, o oriente e o ocidente, o meio-dia e o setentrião. Assim a estrela de seis pontas mostra-nos as suas sete luzes no mistério dos sete dias da criação, porque o centro do Cenário faz o Centenário, sobre o qual repousa a natureza e que Deus escolhe para santificar Seu Nome Divino. Por isso, que é o horizonte da eternidade, de onde são emanadas todas as Virtudes.
SIGNIFICADO ESOTÉRICO DO NÚMERO CINCO ( A PÊNTADE) Dos Extratos de Nicomaco derivamos os nossos conhecimentos sobre a doutrina pitagórica do número cinco. É um número eminentemente esférico e circular, porque em toda multiplicação ele se restaura e é encontrado terminando o número; é mudança de qualidade, porque muda o que tem três dimensões na uniformidade da esfera movendo-se circularmente e produzindo luz; e por isso Luz está relacionada com o número 5. Diodoro chama o cinco "a união dos quatros elementos com o Éter". Há 5 ordens de Arquitetura, e 5 Sentidos do corpo humano geralmente conhecido e descritos (mas o total é sete). A geometria é tecnicamente chamada a Quinta Ciência. Na maçonaria, o grande esquema é constituído pelos 5 pontos da Fraternidade e 5 Irmãos podem formar uma Loja. O numero 5 é também chamado a Pirâmide, por causa da disposição das Mônadas, três embaixo, duas dispostas uma acima da outra. Lembremos o sistema dos 5 corpos euclidianos regulares, o tetraedro, hexaedro ou cubo, octoedro, dodecaedro e icosaedro.O Pentáculo, sinete dos maçons foi o emblema que Antíoco Soter levava em uma bandeira de guerra, e ao qual atribui a assinalada vitória que alcançou. Há 5 espécies de intercolúnio na Arquitetura, segundo Vitrúvio, determinadas pelas proporções da altura e diâmetro, a saber; picnostilo, sistilo, eustilo, diastilo e eaerostilo. Havia 5 partes no templo de Salomão. David abençoou o Senhor 5 vezes nos Salmos CIII e CIV. Cinco é o número de expiações e sacrifícios, o número das paixões e 5 chagas de Cristo.O quinto elemento, a Quinta essência dos Alquimistas, derivava dos quatro, por progressão.
A princípio o Ens, depois os Dois Contrários, depois os Três Princípios, depois os Quatro elementos. Separai o puro do impuro, com atenção e cuidado, e obtereis a Quinta Essência, o Filho do Sol. Lembremos, semelhantes, ente, a progressão: édra, planta, animal, homem, Deus. SIGNIFICADO ESOTÉRICO DO NÚMERO SETE ( A HÊPTADE) A Héptade, dizem os seguidores de Pitágoras, era assim chamada por derivação do verbo grego sebo, venerar e do hebraico ShBO sete, ou satisfeito, abundância, sendo Septos "Sando", "Divino" e " sem mãe" e "Virgem". Por nicomaco aprendemos que a héptade era chamada Minerva, sendo solteira e virgem, não gerada por uma mãe, isto é, um número par, nem por um pai, isto é, um número ímpar, mas procedendo da sumidade do Pai de todas as coisas, isto é, a mônada; do mesmo modo que Minerva saiu completamente armada da testa de Júpiter. Sólonm, o legislador de Atenas, e Hipócrates, chamado o Pai da Medicina, também dividiam a vida em períodos de 7 anos. O corpo humano tem 7 partes; cabeça, torax. abdômem, duas pernas e dois braços. Há sete órgãos internos: estomago, fígado, coração, pulmões, baço e dois rins. Quanto a santidade do número 7, lembremo-nos de que, entre os hebreus, os juramentos eram confirmados por sete testemunhas, or por sete vítimas oferecidas em sacrifício. O número sete era consagrado ao Mitras persa, um Deus Sol. Lebremo-nos da misteriosa Escada Cadoch de 7 degraus ascendentes e 7 degraus descendentes, de um lado Oeb Eloá, Amor a Deus, do outro Oeb Querolo, amor ao próximo. O Castiçal de Iuro de Sete Braços constituía um notável ornamento emblemático do Tabernáculo de Moisés. Êxodo, XXV,31.Lembremo-nos os 7 anos de arrependimento; as 7 igrejas da Ásia; os 7 anjos com trombetas,; os sete castiçais dos lugares Santificados; os set selos,; as sete trombetas; os sete reis; os sete mil mortos; as sete taças da ira que deviam ser derramadas, do Apocalipse. Sete membro formam uma loja maçônica perfeita, embora 5 possam iniciar uma.
Os cabalistas descrevem sete classes de anjos: Ochim, Arelim. Chasmalim, Malaquim, Aufranim, Serafim e Querubim.Sete coisas foram formadas antes do mundo:Lei, Arrependimento, Oaraíso, Geena, o Trono, a Glória e o Messias. Sete coisas estão escondidas do homem: o dia da morte, o tempo da ressurreição, o Juízo final, a opinião do próximo, o tempo da restauração judaica e a Queda da Pérsia.O Talmude, em Chagija enumera 7 céus e os ocultista reconhecem 7 céus planetários: Raquie, Zebul, Macum, Maon, Sagun, Guerebot e Chamaim.Os sete pecados mortais: orgulho; cobiça; luxúria; ira; gula; inveja e preguiça. Os sete dons do Espírito Santo; sabedoria; inteligência; Conselho, Fortaleza, Conhecimento, Piedade e Temor do Senhor; são sete dos Sefirots cabalísticos. "J " e "B " As duas letras foram gravadas nas duas colunas de bronze que Salomão mandou instalar na entrada do Templo de Jerusalém, com o símbolo das cores vermelho e azul, como para designar formas diferentes como a boca e a cauda da serpente Ouroboros, imagem do Ativo e do passivo.
O fato, o vemos também, na Brahamante (peça pirogênicva) em que os opostos, passivo e ativo, se veêm, no pino ativo e na bacia passiva, para dar origem á energia através da produção do calor com o fogo. Vemos ainda, os oposto, no Selo de Salomão ou estrela de Davi, com dois triângulos sobrepostos, como também na Cruz, com as oposições das linhas. O Quartanário é representado é a imagem perfeita do absoluto. No princípio mais perfeito, o quaternário é representado por quatro letras hebraicas, que definem o nome de Deus. Da direita para a esquerda: IOD-HÉ-VAU-HÉ. IOD, corresponde ao algarismo 10. " O TETRAGRAMA HEBRAÍCO Jeová, o Ser dos Seres, o Ser em si, Aquele que é, representado nas Escrituras Sagradas Hebraicas, por 4 letras, que não se podiam pronunciar, mas apenas, escrevere, letras, naturalmente, hebraicas, em que a primeira, o IOD conhecido pelos aprendizes, está inserido no Triângulo Sagrado. IOD representa o Princípio Ativo; é o ser que pensa, que ordena, representa o fogo, como na Sarça Ardente. HE, a segunda letra, representa o sopro animador, aquele que deu vida a Adão, feito com barro, representa a vida.

VAU, representa a ligação do abstrato ao concreto, é a lei é o amor que une Pai à Mãe, engendrando o Filho. HE, é a segunda letra duplicada que representa a manifestação visil. O conjunto constitui a fonte da natureza, o Supremo Mistério da criação, resumindo, as quatro letras hebraicas indicam o nome do Ser Criador que se divide em quatro partes: o Sujeiro; o Atributo; o Objeto e o Complemento(direito ou indireto); é uma concepção da gramática. "Ser maçon. é pregar a tolerância; praticar a caridade sem distinção de raças, crenças e opiniões, é lutar contra a hipocrisia e o fanatismo". O TEMPLO DE SALOMÃO ESCADA DE JACÓ Rendendo graças ao Senhor dos Mundos, rogamos que esparja o seu poder sobre cada um de nós". "E, uma vez que o pecado destruiu em nós o primeiro Templo de pureza e inocência, possa a graça divina guiar-nos e assistir-nos na construção de um segundo templo de reforma, em que a sua glória seja maior que a do seu antecessor"



1 - A CHAVE DOS GRANDES MISTÉRIOS - ÉLIPHAS LÉVI, Editora pensamento 2 - OS PODERES OCULTOS DOS NÚMEROS - W. Wynn Westcott, Editora Record 3 - MAGIA DOS SÍMBOLOS, Antonio Di profio, Editora Madras. 4 - SEMINÁRIO DE COMPNAHEIRO MAÇON, realizado no dia 23 de agosto de 2007, na A.:. R.:. L.:. Simb.:. CAVALEIROS DA FRATERNIDADE, no oriente de Mogi das Cruzes. 5 - O COMPANHEIRISMO MAÇÔNICO, Rizzardo da Camino, Editora Madras.





©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal