A fortaleza do amor frio



Baixar 15,31 Kb.
Encontro13.07.2018
Tamanho15,31 Kb.

A FORTALEZA DO AMOR FRIO!
Ora, os servos e os guardas estavam ali, tendo acendido um braseiro, por causa do frio, e aquentavam-se. Pedro estava no meio deles, aquentando-se também. (João 18:18)
Lá estava Simão Pedro, aquentando-se. Perguntaram-lhe, pois: És tu, porventura, um dos discípulos dele? Ele negou e disse: Não sou. (João 18.25) 
Esta cena é bem conhecida por quase todos. Jesus preso está sendo levado à presença de Caifás. Sem o mestre, os discípulos se espalharam e se sentiram inseguros.
Pedro e outro discípulo seguiam a escolta de soldados que haviam prendido Jesus e procurava saber o que aconteceria.

É interessante que nestes versículos Pedro sente frio – Ele está longe do Senhor.

Por vezes estamos distantes do Senhor e não percebemos. Tentamos nos aquecer, mas não observamos que permanecemos distantes do Senhor, embora tenhamos a sensação de estarmos pertinho.
O seu amor pelo Senhor e pelo próximo está crescendo e se tornando cada vez mais suave, mais brilhante, mais ousado e mais visível?
Esta é uma questão muito importante porque seu cristianismo nunca será mais real do que o seu amor. Uma queda considerada na sua capacidade de amar é uma evidência de que a fortaleza do amor frio está se firmando dentro de você.
Não existe unidade espiritual, e, por conseguinte vitória duradoura, sem o amor, sem a comunhão. Amor é paixão por unidade. Amargura, por outro lado, se caracteriza por uma visível falta de amor.
Esta frieza do amor é uma fortaleza que mata nossa relação com Deus e com o próximo. Na nossa geração o amor frio está se tornando mais e mais comum. Ela anula o poder da oração e bloqueia o fluir de cura e salvação. De fato, onde uma pessoa ou igreja persiste e se endurece na falta de perdão, o mundo dos demônios (chamados na parábola de Mateus 18.34 de verdugos) tem livre acesso.
As Escrituras advertem que mesmo uma pequena raiz de amargura na vida de uma pessoa pode brotar e contaminar a muitos (Hebreus 12.15).
Amargura é a vingança não executada. A crueldade ou a falta de consideração por parte de outra pessoa pode nos ter ferido profundamente.
É inevitável neste mundo de crescente aspereza e crueldade, que você seja ferido em algumas ocasiões. Mas se você não reagir com amor e perdão, se retiver no seu espírito a dívida que a ofensa lhe deve, aquela ofensa roubará do seu coração a capacidade de amar. Imperceptivelmente, você se tornará membro daquela grande maioria de cristãos dos fins dos tempos cujo amor “esfriará”.
A amargura é um sintoma clássico da fortaleza do amor frio. Para tratar disto você precisa se arrepender desta atitude e perdoar aquele que o ofendeu.
 “Neste tempo, muitos hão de se escandalizar, trair e odiar uns aos outros; levantar-se-ão muitos falsos profetas e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor se esfriará de quase todos” (Mateus 24.10-12)

Vamos deixar algo bem claro: não existe amor sem compromisso. A qualidade do seu amor pode ser avaliada pela profundidade do seu compromisso.


Como está o seu compromisso com Cristo, com Sua igreja? Você tem se envolvido e se colocado à disposição da obra servindo nos ministérios ou, simplesmente, passou a ser um “freqüentador” de igrejas? Tem aberto sua casa para receber irmãos ou tem preferido viver isolado?
As pessoas se afastam do seu compromisso, sem perceber que seu amor está esfriando cada vez mais!
Pode até não parecer que ficaram frias – ainda vão à igreja, lêem a Bíblia, dão o dízimo – mas por dentro tornaram-se distantes e indiferentes com as outras pessoas. Desviaram-se do amor de Deus.
Todos nós precisamos de pessoas que se comprometam conosco como indivíduos, pessoas que sabem que não somos perfeitos, mas que nos amam mesmo assim.
A manifestação de Deus não virá sem que pessoas estejam comprometidas umas com as outras para alcançarem a plenitude de Deus. Não estou falando de salvação do inferno, estou falando de crescer na salvação até que nos amemos e nos comprometamos uns com os outros com amor de Jesus.
Muitas pessoas vão tropeçar em pequenas faltas e fraquezas humanas. Estas pequeninas coisas são rapidamente infladas pelo inimigo para que sejam percebidas como problemas enormes. Como são frágeis as desculpas que as pessoas usam para justificar seu afastamento das outras!
Precisamos vencer nossas resistências ao compromisso, porque ninguém alcançará a plenitude dos propósitos de Deus na terra se não estiver comprometido com pessoas imperfeitas ao longo da jornada.
O Reino de Deus não está baseado em meras doutrinas, é fundado sobre relacionamentos, relacionamentos com Deus e, por causa de Deus, de uns com os outros.
Quando você ama a Deus, seu amor pelos outros será como seu amor por Deus: o “segundo será igual ao primeiro”.

Para aqueles cuja atitude é “só Jesus e eu”, eu gostaria de dizer que é maravilhoso que tenha encontrado a Jesus. Mas você não pode verdadeiramente amar a Jesus e simultaneamente não fazer o que Ele diz.


Veja bem. O reino de Deus não está em mim ou em você. Está em nós como corpo. Estamos sendo aperfeiçoados na unidade (João 17). Para termos o Reino, precisamos nos comprometer um com o outro como indivíduos e como igreja.

Lembre-se, o objetivo de derrubar as fortalezas do amor frio é para que a unidade do Corpo de Cristo seja revelada. É um grande desafio fazer isto, mas se persistirmos, certamente descobriremos as alturas e profundidades, a largura e o comprimento do amor de Cristo. Seremos um corpo cheio e inundado pelo próprio Deus. 



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal