A celebraçÃo da palavra – fora da missa ritos iniciais



Baixar 185,31 Kb.
Encontro27.09.2018
Tamanho185,31 Kb.

CELEBRAÇÕES

PARA A ABERTURA DO ANO DA FÉ
Dia 11 de Outubro ou no domingo seguinte

A. CELEBRAÇÃO DA PALAVRA – FORA DA MISSA

1. RITOS INICIAIS
1.1. Saudação
Terminado o cântico de entrada e feito o sinal da cruz com a saudação inicial, o celebrante dirige-se ao povo com estas palavras ou outras semelhantes:
Se a celebração ocorre no dia 11 de Outubro
P- Irmãs e irmãos, o nosso Papa Bento XVI inaugura hoje em Roma o Ano da Fé. É um convite dirigido a cada um de nós que estamos aqui, para percorrer de novo e com entusiasmo a peregrinação da fé iniciada no dia do nosso Batismo. Também na nossa comunidade (paroquial) damos início a este tempo particular de reflexão. Queremos descobrir mais profundamente a graça batismal que fez de todos nós familiares de Deus. Desejamos seguir os passos do nosso Salvador para oferecer a todos os homens um caminho de salvação e de libertação. Por isso precisamos de renovar em nós a graça do Batismo. Ao receber esta água benta, fazendo o sinal da nossa fé comum, ou seja, o sinal da cruz, manifestamos o nosso desejo, cada um de nós pessoalmente, de iniciarmos este caminho, pedindo a Deus a graça do perdão.

Se a celebração ocorre no domingo seguinte, dia 13 ou 14 de Outubro
P- Irmãs e irmãos, o nosso Papa Bento XVI inaugurou quinta--feira passada o Ano da Fé. É um convite dirigido a cada um de nós que estamos aqui, para percorrer de novo e com entusiasmo a peregrinação da fé iniciada no dia do nosso Batismo. Também na nossa comunidade (paroquial) damos início a este tempo particular de reflexão. Queremos descobrir mais profundamente a graça batismal que fez de todos nós familiares de Deus. Desejamos seguir os passos do nosso Salvador para oferecer a todos os homens um caminho de salvação e de libertação. Por isso precisamos de renovar em nós a graça do Batismo. Ao receber esta água benta, fazendo o sinal da nossa fé comum, ou seja, o sinal da cruz, manifestamos o nosso desejo, cada um de nós pessoalmente, de iniciarmos este caminho, pedindo a Deus a graça do perdão.
1.2. Ato Penitencial

Segue-se o ato penitencial com a aspersão dos fiéis com a água benta
(para recordar o Batismo como início do caminho da fé).

1.3. Oração Coleta

(Extraída da segunda-feira da Oitava da Páscoa)
P- Oremos: Senhor nosso Deus, que, pelo Batismo, aumentais continuamente a Vossa Igreja com novos filhos, concedei-lhes a graça de serem fiéis na vida ao sacramento que pela fé receberam. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Ámen

2. LITURGIA DA PALAVRA

As seguintes leituras a escolher, sugeridas pelo lecionário do Rito da Ini-
ciação Cristã dos Adultos,
para o rito da Traditio Symboli, encontram-se
por extenso no
Lecionário para as Missas Rituais, pp. 54-59.

2.1. Leituras
ANTIGO TESTAMENTO DT6,1-7
Leitura do Livro do Deuteronómio
Moisés falou ao povo, dizendo:

«São estes os mandamentos, preceitos e leis,

que o Senhor, vosso Deus, mandou ensinar-vos,

para que os ponhais em prática na terra de que ides tomar posse:

Temerás o Senhor, teu Deus,

todos os dias da tua vida,

cumprindo todas as suas leis e preceitos

que hoje te ordeno,

para que tenhas longa vida,

tu, os teus filhos e os teus netos.

Escuta, Israel, e procura pôr em prática

o que te vai tornar feliz e multiplicar sem medida

na terra onde corre leite e mel,

segundo a promessa que te fez o Senhor, Deus de teus pais.55

Escuta, Israel:

o Senhor nosso Deus é o único Senhor.

Amarás o Senhor teu Deus com todo o teu coração,

com toda a tua alma e com todas as tuas forças.

As palavras que hoje te prescrevo

ficarão gravadas no teu coração.

Hás de recomendá-las a teus filhos

e delas falarás,

quer estando sentado em casa quer andando pelos caminhos,

quando te deitas e quando te levantas».

Palavra do Senhor.
NOVO TESTAMENTO: RM 10,8-13
Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Romanos

Irmãos:


Que diz a Escritura?

«A palavra está perto de ti,

na tua boca e no teu coração».

Esta é a palavra da fé que nós pregamos.

Se confessares com a tua boca que Jesus é o Senhor

e se acreditares no teu coração

que Deus O ressuscitou dos mortos,

serás salvo.

Pois com o coração se acredita para obter a justiça

e com a boca se professa a fé para alcançar a salvação.

Na verdade, a Escritura diz:

«Todo aquele que acreditar no Senhor

não será confundido».

Não há diferença entre judeu e grego:

todos têm o mesmo Senhor,

rico para com todos os que O invocam.

Portanto, todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.

Palavra do Senhor.


Ou 1COR 15,1-8
Leitura da Primeira Epístola do apóstolo São Paulo aos Coríntios

Recordo-vos, irmãos, o Evangelho

que vos anunciei e que recebestes,

no qual permaneceis e pelo qual sereis salvos,

se o conservais como eu vo-lo anunciei;

aliás teríeis abraçado a fé em vão.

Transmiti-vos em primeiro lugar o que eu mesmo recebi:

Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras;

foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia,

segundo as Escrituras,

e apareceu a Pedro e depois aos Doze.

Em seguida apareceu a mais de quinhentos irmãos de uma só vez,

dos quais a maior parte ainda vive,

enquanto alguns já faleceram.

Posteriormente apareceu a Tiago e depois a todos os Apóstolos.

Em último lugar, apareceu-me também a mim, como o abortivo.

Palavra do Senhor.
SALMOS RESPONSORIAIS SL 18,8-11

A Vossa palavra, Senhor, é luz dos meus caminhos. A vossa palavra, Senhor, é luz dos meus caminhos.
São admiráveis as vossas ordens,

por isso a minha alma as observa.


A manifestação das vossas palavras ilumina

e dá inteligência aos simples.


Firmai os meus passos segundo a vossa promessa

e que nenhuma iniquidade me domine.


Fazei brilhar a vossa face sobre o vosso servo

e dai-me a conhecer os vossos decretos.


A justiça das vossas ordens é eterna:

dai-me inteligência para que eu viva.


ACLAMAÇÕES ANTES DO EVANGELHO

Jo 3,16: Deus amou tanto o mundo que lhe deu o Seu Filho Unigénito: quem acredita n'Ele tem a vida eterna.

Ou Jo 8,12: Eu sou a luz do mundo, diz o Senhor: quem Me segue terá a
luz da vida.
EVANGELHO

1. MT 16,13-18


Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus

Naquele tempo,

Jesus foi para os lados de Cesareia de Filipe

e perguntou aos seus discípulos:

«Quem dizem os homens que é o Filho do homem?».

Eles responderam:

«Uns dizem que é João Baptista, outros que é Elias,

outros que é Jeremias ou algum dos profetas».

Jesus perguntou:

«E vós, quem dizeis que Eu sou?».

Então, Simão Pedro tomou a palavra e disse:

«Tu és o Messias, o Filho de Deus vivo».

Jesus respondeu-lhe:

«Feliz de ti, Simão, filho de Jonas,

porque não foram a carne e o sangue que to revelaram,

mas sim meu Pai que está nos Céus.

Também Eu te digo: Tu és Pedro;

sobre esta pedra edificarei a minha Igreja

e as portas do inferno não prevalecerão contra ela».

Palavra da salvação


Ou Jo 12,44-50



Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João
Naquele tempo, Jesus disse em alta voz:

«Quem acredita em Mim não é em Mim que acredita,

mas n’Aquele que Me enviou;

e quem Me vê, vê Aquele que Me enviou.

Eu vim como luz do mundo,

para que todo aquele que acredita em Mim não fique nas trevas.

Se alguém ouvir as minhas palavras e não as guardar,

não sou Eu que o julgo,

porque não vim para julgar o mundo, mas para o salvar.

Quem Me rejeita e não acolhe as minhas palavras tem quem o julgue:

a palavra que anunciei o julgará no último dia.

Porque Eu não falei por Mim próprio:

o Pai, que Me enviou,

é que determinou o que havia de dizer e anunciar.

E Eu sei que o seu mandamento é vida eterna.

Portanto, as palavras que Eu digo,

digo-as como o Pai Mas disse a Mim».

Palavra da salvação.


2.2. Homilia

Durante a homilia é oportuno mencionar, segundo as possibilidades e as exigências pastorais, os seguintes temas:

- o Ano da Fé (o percurso do Catecismo);

- o Credo e o seu significado;

- a renovação da fé recebida no Batismo;

- o kerygma e a missão dos cristãos de anunciar a boa notícia.



2.3. Profissão de Fé

a) Depois da homilia, o celebrante dirige-se aos fiéis com estas palavras ou outras semelhantes:
P- O Ano da Fé conduz-nos ao Credo como profissão pública da nossa fé. Desde os primeiros séculos, a Igreja entregava-o aos adultos que se preparavam para receber o Batismo. Durante uma celebração própria, os catecúmenos escutavam, pela primeira vez, o sacerdote que dizia o Credo e, depois, deviam aprendê-lo de cor para o devolver, ou seja, professá-lo publicamente, durante uma outra celebração. O Santo Padre convida-nos a refletir sobre o texto do Credo e sobre os conteúdos para os quais este remete. Agora, eu vou entregar-vos o Símbolo da nossa fé. De agora em diante procurai decorá-lo, repeti-lo na oração diária, para depois o testemunhardes com a vida.
b) O celebrante entrega o texto do Credo a cada um dos presentes(pode ser ajudado, segundo as necessidades, por outras pessoas, sobretudo pelos catequistas e por todos aqueles que estão empenhados na pastoral).

c) Concluída a entrega, o celebrante inicia a recitação comum do Credo.

d) Conclui-se com a seguinte oração
P- Senhor, nosso Pai, nós Vos pedimos: concedei a todos os Vossos filhos o dom de acolher a graça da fé num coração renovado, para que saibam reconhecer em Vós o único Deus e aquele que Vós enviastes: Jesus Cristo. Fazei com que se deixem guiar pelo Vosso Espírito Santo ao longo de todo este ano, de modo a avançarem no caminho da fé com um coração alegre e a serem para os seus irmãos e irmãs testemunhas do Vosso amor, atraindo para Vós novos filhos. Por Cristo Senhor Nosso. Ámen.
2.4. Oração dos Fiéis
P- Caríssimos irmãos e irmãs, invoquemos o Espírito Santo que procede do Pai e do Filho, para que acompanhe o caminho espiritual da Igreja no Ano da Fé, dizendo (ou: cantando):
R: Mandai, Senhor, o Vosso Espírito.

1. Para que a Igreja, reunida pelo Espírito Santo com o nosso Papa Bento, o nosso bispo Manuel Clemente, e todos os bispos, presbíteros e diáconos, cresça na unidade da fé até à vinda de Cristo. Oremos, irmãos.


2. Para que todos os leigos empenhados nas várias formas da vida pastoral se tornem discípulos e testemunhas do Vosso Evangelho. Oremos, irmãos.

3. Para que todos os membros das nossas sociedades, que não conhecem ou não querem conhecer Jesus Cristo, possam encontrar a graça da verdadeira conversão. Oremos, irmãos.


4. Para que as nossas famílias tenham a coragem de viver quotidianamente a fé. Oremos, irmãos.
5. Para que Vós reaviveis em todos nós a graça do Batismo. Oremos, irmãos.
6. Para que, guiados por Vós, caminhemos na santidade de vida e alcancemos a vida eterna. Oremos, irmãos.
P- Senhor, nosso Deus, que derramastes o Espírito Santo sobre os Apóstolos e, por meio deles e dos seus sucessores, quisestes transmiti-lo a todos os membros da Vossa Igreja, atendei a nossa oração. Por Cristo Senhor Nosso. Ámen.
3. RITOS DA COMUNHÃO E DE CONCLUSÃO
O celebrante convida a comunidade a rezar a oração do Pai Nosso
e, terminada a oração, dá a bênção segundo as normas litúrgicas
próprias.


B. CELEBRAÇÃO DURANTE A MISSA


1. Ritos Iniciais
Terminado o cântico de entrada e feito o sinal da cruz com a saudação
inicial, o celebrante dirige-se ao povo com estas palavras ou outras semelhantes:

Se a celebração ocorre no dia 11 de Outubro
P- Irmãs e irmãos, o nosso Papa Bento XVI inaugura hoje em Roma o Ano da Fé. É um convite dirigido a cada um de nós que estamos aqui, para percorrer de novo e com entusiasmo a peregrinação da fé iniciada no dia do nosso Batismo. Também na nossa comunidade (paroquial) damos início a este tempo particular de reflexão. Queremos descobrir mais profundamente a graça batismal que fez de todos nós familiares de Deus. Desejamos seguir os passos do nosso Salvador para oferecer a todos os homens um caminho de salvação e de libertação. Por isso precisamos de renovar em nós a graça do Batismo. Ao receber esta água benta, fazendo o sinal da nossa fé comum, ou seja, o sinal da cruz, manifestamos o nosso desejo, cada um de nós pessoalmente, de iniciarmos este caminho, pedindo a Deus a graça do perdão.

Se a celebração ocorre no domingo seguinte:

P- Irmãs e irmãos, o nosso Papa Bento XVI inaugurou quinta--feira passada o Ano da Fé. É um convite dirigido a cada um de nós que estamos aqui, para percorrer de novo e com entusiasmo a peregrinação da fé iniciada no dia do nosso Batismo. Também na nossa comunidade (paroquial) damos início a este tempo particular de reflexão. Queremos descobrir mais profundamente a graça batismal que fez de todos nós familiares de Deus. Desejamos seguir os passos do nosso Salvador para oferecer a todos os homens um caminho de salvação e de libertação. Por isso precisamos de renovar em nós a graça do Batismo. Ao receber esta água benta, fazendo o sinal da nossa fé comum, ou seja, o sinal da cruz, manifestamos o nosso desejo, cada um de nós pessoalmente, de iniciarmos este caminho, pedindo a Deus a graça do perdão.


1.2. Ato Penitencial
2. Liturgia da Palavra
Proposta A: Leituras do dia 11 de Outubro

Quinta-Feira da XXVII Semana do Tempo Comum – Anos Pares
LEITURA I: Gal 3, 1-5


1ª LEITURA

Leitura da Epístola do apóstolo São Paulo aos Gálatas
Ó gálatas insensatos, quem vos fascinou,

depois de ter sido apresentada aos vossos olhos

a imagem de Jesus Cristo crucificado?

Só quero que me respondais ao seguinte:

Foi por cumprirdes as obras da Lei de Moisés

que recebestes o Espírito Santo,

ou porque ouvistes a mensagem da fé?

Sois tão insensatos que, tendo começado com o Espírito,

acabais agora na carne?

Foi em vão que recebestes tantos dons? Se é que foi em vão!

Aquele que vos dá o Espírito e realiza milagres entre vós

procede assim por cumprirdes as obras da Lei de Moisés,

ou porque ouvistes a mensagem da fé?

Palavra do Senhor.


SALMO RESPONSORIA: Lc 1, 69-70.71-72.73-75 (R. cf. 68)

Refrão: Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, que visitou e redimiu o seu povo.


O Senhor nos deu um Salvador poderoso,

na casa de David, seu servo,

como prometeu pela boca dos seus santos,

os profetas dos tempos antigos;


Para nos libertar dos nossos inimigos

e das mãos daqueles que nos odeiam;

para mostrar a sua misericórdia a favor dos nossos pais,

recordando a sua sagrada aliança:


O juramento que fizera a Abraão, nosso pai,

que nos havia de conceder esta graça:

de O servirmos um dia, sem temor,

livres das mãos dos nossos inimigos,

em santidade e justiça na sua presença,

todos os dias da nossa vida.


ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO: ALELUIA. Abri, Senhor, o nosso coração, para recebermos a palavra do vosso Filho. ALELUIA
EVANGELHO Lc.11,5-13
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas

Naquele tempo,

disse Jesus aos seus discípulos:

«Se algum de vós tiver um amigo,

poderá ter de ir a sua casa à meia-noite, para lhe dizer:

‘Amigo, empresta-me três pães,

porque chegou de viagem um dos meus amigos

e não tenho nada para lhe dar’.

Ele poderá responder lá de dentro:

‘Não me incomodes;

a porta está fechada,

eu e os meus filhos já nos deitámos;

não posso levantar-me para te dar os pães’.

Eu vos digo:

Se ele não se levantar por ser amigo,

ao menos, por causa da sua insistência,

levantar-se-á para lhe dar tudo aquilo de que precisa.

Também vos digo:

Pedi e dar-se-vos-á;

procurai e encontrareis;

batei à porta e abrir-se-vos-á.

Porque quem pede recebe;

quem procura encontra

e a quem bate à porta, abrir-se-á.

Se um de vós for pai e um filho lhe pedir peixe,

em vez de peixe dar-lhe-á uma serpente?

E se lhe pedir um ovo, dar-lhe-á um escorpião?

Se vós, que sois maus,

sabeis dar coisas boas aos vossos filhos,

quanto mais o Pai do Céu

dará o Espírito Santo àqueles que Lho pedem!».

Palavra da salvação.



Proposta B

Leituras do Domingo XXVIII Domingo Comum B

13 e 14 de Outubro
1ª LEITURA SAB 7,7-11
Leitura do Livro da Sabedoria
Orei e foi-me dada a prudência;

implorei e veio a mim o espírito de sabedoria.

Preferi-a aos cetros e aos tronos

e, em sua comparação, considerei a riqueza como nada.

Não a equiparei à pedra mais preciosa,

pois todo o ouro, à vista dela, não passa de um pouco de areia,

e, comparada com ela, a prata é considerada como lodo.

Amei-a mais do que a saúde e a beleza

e decidi tê-la como luz,

porque o seu brilho jamais se extingue.

Com ela me vieram todos os bens

e, pelas suas mãos, riquezas inumeráveis.

Palavra do Senhor.
SALMO RESPONSORIAL Salmo 89 (90), 12-13.14-15.16-17

Refrão: Saciai-nos, Senhor, com a vossa bondade, e exultaremos de alegria. Ou: Enchei-nos da vossa misericórdia: será ela a nossa alegria.


Ensinai-nos a contar os nossos dias,

para chegarmos à sabedoria do coração.

Voltai, Senhor! Até quando?

Tende piedade dos vossos servos.


Saciai-nos, desde a manhã, com a vossa bondade,

para nos alegrarmos e exultarmos todos os dias.

Compensai em alegria os dias de aflição,

os anos em que sentimos a desgraça.


Manifestai a vossa obra aos vossos servos

e aos seus filhos a vossa majestade.

Desça sobre nós a graça do Senhor.

Confirmai em nosso favor a obra das nossas mãos.


II LEITURA HEB 4,12-13
Leitura da Epístola aos Hebreus
A Palavra de Deus é viva e eficaz,

mais cortante que uma espada de dois gumes:

ela penetra até ao ponto de divisão da alma e do espírito,

das articulações e medulas,

e é capaz de discernir os pensamentos e intenções do coração.

Não há criatura que possa fugir à sua presença:

tudo está patente e descoberto a seus olhos.

É a ela que devemos prestar contas.


Palavra do Senhor.
ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO: ALELUIA. Bem-aventurados os pobres em espírito, porque deles é o reino dos Céus. ALELUIA…
EVANGELHO MC 10,17-30
Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Marcos
Naquele tempo, ia Jesus pôr-Se a caminho,

quando um homem se aproximou correndo,

ajoelhou diante d’Ele e perguntou-Lhe:

«Bom Mestre,que hei-de fazer para alcançar a vida eterna?».

Jesus respondeu:

«Porque Me chamas bom? Ninguém é bom senão Deus.

Tu sabes os mandamentos:

‘Não mates; não cometas adultério; não roubes; não levantes falso testemunho; não cometas fraudes; honra pai e mãe’».

O homem disse a Jesus:

«Mestre, tudo isso tenho eu cumprido desde a juventude».

Jesus olhou para ele com simpatia e respondeu:

«Falta-te uma coisa: vai vender o que tens, dá o dinheiro aos pobres e terás um tesouro no Céu. Depois, vem e segue-Me».

Ouvindo estas palavras, anuviou-se-lhe o semblante

e retirou-se pesaroso, porque era muito rico.

Então Jesus, olhando à sua volta, disse aos discípulos:

«Como será difícil para os que têm riquezas entrar no reino de Deus!».

Os discípulos ficaram admirados com estas palavras.

Mas Jesus afirmou-lhes de novo: «Meus filhos, como é difícil entrar no reino de Deus! É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha

do que um rico entrar no reino de Deus».

Eles admiraram-se ainda mais e diziam uns aos outros:

«Quem pode então salvar-se?».

Fitando neles os olhos, Jesus respondeu:

«Aos homens é impossível, mas não a Deus,

porque a Deus tudo é possível».

Pedro começou a dizer-Lhe:

«Vê como nós deixámos tudo para Te seguir».

Jesus respondeu:

«Em verdade vos digo:

Todo aquele que tiver deixado casa,

irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos ou terras,

por minha causa e por causa do Evangelho,

receberá cem vezes mais, já neste mundo,

em casas, irmãos, irmãs, mães, filhos e terras,

juntamente com perseguições,

e, no mundo futuro, a vida eterna».

Palavra da salvação.



2.2.Homilia (propostas de temas)
- a força e o poder da Palavra de Deus;

- deixar tudo por causa do Evangelho e para seguir a Cristo;

- o kerygma e a missão dos cristãos de anunciar a boa notícia;

- o Ano da Fé (o percurso do Catecismo);

- o Credo e o seu significado;

- a renovação da fé recebida no Batismo.


2.3. Profissão de Fé
a) Depois da homilia, o celebrante dirige-se aos fiéis com estas palavras ou outras semelhantes:
P- O Ano da Fé conduz-nos ao Credo como profissão pública da nossa fé. Desde os primeiros séculos, a Igreja entregava-o aos adultos que se preparavam para receber o Batismo. Durante uma celebração própria, os catecúmenos escutavam, pela primeira vez, o sacerdote que dizia o Credo e, depois, deviam aprendê-lo de cor para o devolver, ou seja, professá-lo publicamente, durante uma outra celebração. O Santo Padre convida-nos a refletir sobre o texto do Credo e sobre os conteúdos para os quais este remete. Agora, eu vou entregar-vos o Símbolo da nossa fé. De agora em diante procurai decorá-lo, repeti-lo na oração diária, para depois o testemunhardes com a vida.

b) O celebrante entrega o texto do Credo a cada um dos presentes (pode ser ajudado, segundo as necessidades, por outras pessoas, sobretudo pelos catequistas e por todos aqueles que estão empenhados na pastoral).
c) Concluída a entrega, o celebrante inicia a recitação comum do Credo.
d) Conclui-se com a seguinte oração
P- Senhor, nosso Pai, nós Vos pedimos: concedei a todos os Vossos filhos o dom de acolher a graça da fé num coração renovado, para que saibam reconhecer em Vós o único Deus e aquele que Vós enviastes: Jesus Cristo. Fazei com que se deixem guiar pelo Vosso Espírito Santo ao longo de todo este ano, de modo a avançarem no caminho da fé com um coração alegre e a serem para os seus irmãos e irmãs testemunhas do Vosso amor, atraindo para Vós novos filhos. Por Cristo Senhor Nosso. Ámen.
2.4. Oração dos Fiéis
P- Caríssimos irmãos e irmãs, invoquemos o Espírito Santo que procede do Pai e do Filho, para que acompanhe o caminho espiritual da Igreja no Ano da Fé, dizendo (ou: cantando):
R: Mandai, Senhor, o Vosso Espírito.
1. Para que a Igreja, reunida pelo Espírito Santo com o nosso Papa Bento, o nosso bispo Manuel Clemente, e todos os bispos, presbíteros e diáconos, cresça na unidade da fé até à vinda de Cristo. Oremos, irmãos.
2. Para que todos os leigos empenhados nas várias formas da vida pastoral se tornem discípulos e testemunhas do Vosso Evangelho. Oremos, irmãos.
3. Para que todos os membros das nossas sociedades, que não conhecem ou não querem conhecer Jesus Cristo, possam encontrar a graça da verdadeira conversão. Oremos, irmãos.
4. Para que as nossas famílias tenham a coragem de viver quotidianamente a fé. Oremos, irmãos.
5. Para que Vós reaviveis em todos nós a graça do Batismo. Oremos, irmãos.
6. Para que, guiados por Vós, caminhemos na santidade de vida e alcancemos a vida eterna. Oremos, irmãos.
P- Senhor, nosso Deus, que derramastes o Espírito Santo sobre os Apóstolos e, por meio deles e dos seus sucessores, quisestes transmiti-lo a todos os membros da Vossa Igreja, atendei a nossa oração. Por Cristo Senhor Nosso. Ámen.

3. Liturgia Eucarística: Missa à escolha conforme o dia e o lugar da celebração o exigirem
4. Ritos da Comunhão e da Conclusão: Segue-se a celebração segundo o costume da comunidade e segundo as normas litúrgicas próprias



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal