A assembléia legislativa do estado de são paulo decreta: Artigo 1º Passa a denominar-se Estação Santos Jabaquara



Baixar 73,26 Kb.
Encontro11.09.2017
Tamanho73,26 Kb.



PROJETO DE LEI Nº 509, DE 2006
Dá denominação à estação metroviária de São Paulo



A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO DECRETA:

Artigo 1º - Passa a denominar-se Estação Santos - Jabaquara, a atual Estação Jabaquara do Metrô – Companhia do Metropolitano, de São Paulo.


Artigo 2º - Esta lei entrará em vigor na data de sua publicação.

JUSTIFICATIVA
O Santos FC foi fundado no dia 14 de abril de 1912, por iniciativa de três esportistas da Cidade (Raymundo Marques, Mário Ferraz de Campos e Argemiro de Souza Júnior) que convocaram uma assembléia na sede do Clube Concórdia (localizado na Rua do Rosário - atual Avenida João Pessoa), para a criação de um time de futebol. Durante a reunião, surgiu a dúvida quanto ao nome que seria dado a essa agremiação. Várias sugestões apareceram: Concórdia, Euterpe ou Brasil Atlético. Mas os participantes da reunião aclamaram, por unanimidade, a proposta de Edmundo Jorge Araújo: a denominação Santos Foot-Ball Clube.

Na Rua do Rosário, endereço do local de fundação do clube, foi formada a primeira diretoria:


Presidente-SizinoPatusca


Vice-presidente - George Cox
1º secretário - José G, Martins
2º secretário - Raul Dantas
1º tesoureiro - Leonel Silva
2º tesoureiro - Dario Frota
Os diretores eram: Augusto Bulle, João Carlos de Mello, Henrique Cross, Raymundo Marques, Cícero F. da Silva e Jomas de C. Pacheco.

O primeiro jogo ocorreu apenas em 15 de setembro daquele ano. O Santos venceu na estréia o Santos Athletic Club por 3 a 0. No entanto, em uma nova versão levantada pelo conselheiro do clube, Guilherme Gomez Guarche, aponta que o primeiro jogo teria ocorrido em 23 de junho de 1912 contra o combinado local do Thereza Team. Mas, o historiador oficial do clube, Francisco Mendes Fernandes, contesta a informação dizendo que esta partida foi um jogo-treino, sem caráter oficial.

Nesta partida contra o Thereza Team, o Alvinegro saiu-se vencedor pelo placar de 2 a 1, gols de Anacleto Ferramenta e Geraule Ribeiro. O Santos formou com Fauvel, Simon e Ari, Bandeira, Ambrósio e Oscar, Bulle, Geraule, Esteves, Fontes e Anacleto.

No jogo considerado oficial, em 15 de setembro, o adversário foi o Santos Athletic Club, mais conhecido como Clube dos Ingleses, hoje uma das agremiações mais tradicionais da Cidade, mas que não mantém uma equipe de futebol na atualidade. O Santos Futebol Clube venceu por 3 a 0. O primeiro gol oficial da história do clube foi marcado por Arnaldo Silveira.

No início de 1913, o Santos recebia um convite da Liga Paulista de Futebol para disputar o campeonato estadual daquele ano. Esta foi a primeira competição oficial disputada pelo clube. Sua estréia aconteceu no dia 1º de junho, diante do Germânia. O resultado, porém, não foi nada animador: derrota por 8 a 1. O Santos jogou com Durval Damasceno, Sebastião Arantes e Sydnei Simonsen; Geraule Ribeiro, Ambrósio Silva e José Pereira da Silva; Adolfo Millon, Nilo Arruda, Anacleto Ferramenta, Harold Cross e Arnaldo Silveira.

Três semanas depois, no dia 22 de junho, o time santista conquistava sua primeira vitória em uma competição. E logo diante daquele que viria a se tornar seu maior rival: 6 a 3 diante do Corinthians. E em pleno Parque São Jorge.

Ainda em 1913, foi disputado pela primeira vez, o Campeonato Santista de Futebol, contando com a participação do Santos, América, Escolástica Rosa e Atlético. O Alvinegro foi o grande campeão, com seis vitórias em seis jogos, 35 gols pró e apenas sete contra. Este foi o primeiro título da história do clube.

Desde os primeiros anos de existência, o quadro de futebol do Santos obteve êxitos memoráveis, tanto em jogos locais como internacionais. Seu primeiro título de Campeão Paulista aconteceu em 1935, após um declínio dois anos antes, em razão da criação do profissionalismo no futebol.

Em 1955, após 20 anos sem ser campeão, o Santos voltou a conquistar título, vencendo o Taubaté com a equipe formada por: Manga, Hélvio e Feijó; Ramiro, Formiga e Urubatão; Tite, Negri, Álvaro, Del Vecchio e Pepe.

No ano seguinte, chegaria à Vila Belmiro, trazido pelas mãos de Valdemar de Brito, o menino Pelé, de 15 anos, que deu de novo impulso à história do Santos, levando-o a conquistas que enalteceram o futebol brasileiro no planeta. O Santos de Pelé fez seu nome no exterior. Praticamente deu a volta ao mundo, encantando torcedores com o futebol mágico de seus craques. Formou um ataque memorável: Dorval, Mengávio, Coutinho, Pelé e Pepe. Nesse período, o Santos foi Bicampeão Mundial Interclubes (1962/1963), Bicampeão da Taça Libertadores da América (1962/1963), entre outras glórias.


Após a Era Pelé, o Santos Futebol Clube continuou seu caminho de glórias. Em 1978 formou um time campeão. Os Meninos da Vila, apelido dado pela juventude dos atletas da equipe, conquistaram o Campeonato Paulista de 1978. Destacaram-se na época Juari, Pita, Ailton Lira entre outros.

Após isso o time continuou conquistando títulos, como o Paulista de 1984 e a Taça Conmebol de 1998.

Mas, em 2002, ano em que o clube completou 90 anos, o Santos conquistou, pela sétima vez, o principal torneio nacional (o Campeonato Brasileiro). O time que conseguiu a conquista foi, basicamente, formado dentro da Vila Belmiro. Os Meninos da Vila viraram febre no Brasil inteiro e a dupla Diego e Robinho se tornou símbolo de um futebol vistoso e alegre. No ano seguinte, com a base mantida, o Peixe chegou aos vice-campeonatos da Libertadores da América e do Campeonato Brasileiro.

Em 2004, o Peixe conquistou dois títulos importantes, um com sua equipe principal outro com seu time B criado neste ano. O time B, dirigido por Márcio Fernandes, foi campeão da Copa Federação Paulista de Futebol e garantiu vaga ao clube na Copa do Brasil.

Já o time principal conquistou novamente o Campeonato Brasileiro, sob a direção técnica de Vanderlei Luxemburgo e com Robinho, Elano, Ricardinho e Léo em campo.




AS CORES DO CLUBE


Certamente, a grande maioria dos torcedores santistas não imagina que, nos seus primeiros meses, o clube era tricolor, tendo como cores oficiais o branco, o azul e o dourado.

Na prática, porém, os dirigentes do Santos encontravam enormes dificuldades para confeccionar camisas e calções nessas cores. Esse problema, aliado ao gosto discutível da combinação, fez com que esse assunto sempre fosse questionado.



Quase um ano depois, no dia 13 de março de 1913, na terceira reunião da diretoria, o sócio Paulo Pelúccio sugeriu que o clube passasse a adotar como cores oficiais o branco e o preto. Em defesa de sua idéia, disse que "o branco representa a paz, e o preto, a nobreza". E conseguiu aprovação geral dos presentes. Na oportunidade, o presidente do Santos, Raimundo Marques, apresentou os modelos da bandeira do clube, que passaria a ser "branca, diagonalmente atravessada por um faixa preta com as iniciais do Club em letras brancas".
TÍTULOS

1913Campeão Santista (invicto) / 1915 - Bicampeão Santista (invicto) / 1928 - Campeão Torneio Início (Apea) / 1935 - Campeão Paulista (LPF) / 1937 - Campeão do Torneio (LPF) / 1949 - Campeão da Taça Cidade de São Paulo / 1951 - Torneio Quadrangular de Belo Horizonte (Campeão Invicto) /1952 - Campeão do Torneio (FPF) /1952 - Campeão da Taça Santos/ 1955 - Campeão Paulista (2º) / 1956 - Campeão da Taça Gazeta Esportiva (24 jogos invicto) /1956 - Torneio Internacional da FPF/ 1956 - Campeão do Torneio de Classificação (17 jogos invicto)/1956 - Bicampeão Paulista (3º)/1958 - Campeão Paulista (4º) / 1959 - Troféu Dr. Mário Echandi/ 1959 - Torneio Pentagonal do México/1959 - Torneio Roberto Gomes Pedrosa (Rio/S. Paulo)/1959 - Troféu Tereza Herrera (Espanha) / 1959 - Torneio de Valencia (Espanha)/ 1960 - Troféu de Gialorosso (Itália) /1960 - IV Torneio de Paris /1960 - Campeão Paulista (5º)/1961 - Torneio da Costa Rica 1961 - Torneio Pentagonal de Guadalajara (México) /1961 - Bicampeão do Torneio Paris/ 1961 - Torneio Itália/61/1961 - Bicampeão Paulista (6º)/ 1961 - Campeão Brasileiro (1º) Taça Brasil/1962 - Bicampeão Brasileiro - Taça Brasil / 1962 - Campeão Sul-Americano Interclubes/1962 - Tricampeão Paulista (7º)/ 1962 - Campeão Mundial Interclubes/1963 - Tricampeão Brasileiro - Taça Brasil/ 1963 - Torneio Roberto Gomes Pedrosa (Rio/S. Paulo)/ 1963 - Bicampeão Sul-Americano Interclubes/ 1963 - Bicampeão Mundial Interclubes/1964 - Bicampeão do Torneio Roberto Gomes Pedrosa(Rio/S. Paulo)/1964 - Campeão Paulista (8º)/ 1964 - Tetracampeão Brasileiro - Taça Brasil/1965 - Torneio Hexagonal do Chile/ 1965 - Torneio de Caracas (Venezuela)/1965 - Torneio Quadrangular de Buenos Aires (Argentina)/1965 - Bicampeão Paulista (9º) / 1965 - Pentacampeão Brasileiro - Taça Brasil /1966 - Torneio Roberto Gomes Pedrosa (Rio/S.Paulo)/1966 - Torneio de Nova York/1967 - Campeão Paulista (10º)/ 1968 - Torneio Quadrangular Roma/Florença /1968 - Torneio Amazônia/ 1968 - Torneio Octogonal Chile (Nicolau Moran) /1968 - Bicampeão Paulista (11º)/ 1968 - Torneio Pentagonal de Buenos Aires/1968 - Hexacampeão brasileiro - Torneio Roberto Gomes Pedrosa (1º Taça de Prata)/1968 - Recopa - Sul-Americano Interclubes/ 1968 - Recopa - Mundial Interclubes/1969 - Tricampeão Paulista (12º) / 1969 Torneio de Cuiabá /1970 - Torneio Hexagonal do Chile /1970 - Taça Cidade de São Paulo/ 1971 - Torneio de kingston - Jamaica – Triangular/1972 - Fita Azul do Futebol Brasileiro (17 partidas invicto)/1973 - Campeão Paulista (13º)/1975 - Torneio Governador do Estado - Taça Laudo Natel /1975 - Torneio Governador da Bahia (Roberto Santos) /1977 - Torneio Hexagonal do Chile 1977 - Torneio Triangular do México (Leon)/1978 - Campeão Paulista (14º)/1983 - Torneio Vencedores da América (Uruguai)/1983 - Torneio Cidade de Barcelona (Espanha)/1984 - Torneio Início/ 1984 - Campeão Paulista (15º) /1985 - Torneio Copa Kirim (Japão) /1987 - Torneio Cidade de Marseille - 1º edição (França)/1990 - Super Copa Americana (China)/1994 - Copa Denner/1996 Torneio de Verão (Santos)/1997 - Torneio Rio/S. Paulo/1998 Copa Conmebol /2002- Heptacampeão brasileiro-Campeonato Brasileiro (1º)/2004- Copa Federação Paulista de Futebol/2004- Octacampeão brasileiro- Campeonato Brasileiro (2º)/2006 - Campeão Paulista (16º)

ARTILHEIROS / GOLS
Pelé - 1091/ Pepe – 405/ Coutinho – 370/ Toninho Guerreiro – 283/ Feitiço – 216/ Dorval – 198/ Edu – 183/ Araken Patusca – 177/ Pagão – 159/ Tite – 151/ Camarão - 150/ Antoninho – 145/ Odair – 134/ Raul Cabral Guedes – 120/ Vasconcelos – 111/ Álvaro – 106/ Del Vechio – 105/ João Paulo – 104/ Serginho Chulapa – 104/ Ary Patuska – 103/ Juary – 101/ Gradim – 97/ Rui – 97/ Douglas – 79/ Robinho – 78/ Siriri  - 75/ Giovanni - 75/ Guga - 74

ÍDOLOS
Araken Patusca, Carlos Alberto, Clodoaldo, Coutinho, Dorval, Edu, Feitiço,Gilmar, Giovanni, Lima, Mauro, Pagão, Pelé, Pepe, Pita, Rodolfo Rodriguez, Serginho Chulapa, Toninho Guerreiro, Tite e Zito.

.

PRESIDENTES


Sizino Patusca – 1912/1913; Raymundo Marques – 1913/1914; Agnelo Cícero de Oliveira – 1914/1917; Flamínio Levy – 1917/1918; Wallace Simonsen – 1918/1919
Flamínio Levy – 1919/1920; Agnelo Cícero de Oliveira – 1920/1921; Flamínio Levy – 1921/1922; Armando Lichti – 1922/1923; Flamínio Levy – 1923; Manoel Oliveira Alfaya – 1923/1925; Antônio Guilherme Gonçalves – 1925/1931; Joaquim Pedro dos Santos – 1931/1932; Agnelo Cícero de Oliveira – 1932/1933; Carlos de Barros – 1933/1937; Frederico Jorge Sobrinho – 1937; José Martins – 1937/1940; Benedito Wenceslau Carneiro – 1940; Jaime Matias Ricão – 1940 ;Romeu de Andrade Lourenço – 1940/1942; Aristóteles Ferreira – 1942/1944; Antônio Ezequiel Feliciano da Silva – 1944/1945; Athiê Jorge Coury – 1945/1971; Vasco José Fae – 1971/1975; Modesto Roma – 1975/1978; Rubens Quintas Ovalle – 1978/1982; Ernesto Vieira da Silva – 1982/1983; Milton Teixeira – 1983/1987;Manuel dos Santos Sá – 1987/1988; Miguel Assad Macool Filho – 1988/1989; Antônio Aguiar Filho – 1989/1991; Marcelo Pirilo Teixeira – 1991/1993; Miguel Kodja Neto – 1994
Samir Jorge Abdul-Hak – 1994/1999; Marcelo Teixeira - 2000

Santos FC e Seleção Brasileira - uma relação vitoriosa em Copas

O Santos Futebol Clube sempre foi ao longo dos tempos uma equipe que cedeu vários atletas para a Seleção Brasileira. Só de campeões mundiais, o Peixe cedeu 11 atletas. Na história das Copas, o Alvinegro Praiano teve 15 de seus jogadores convocados para defender as cores do Brasil pelo Mundo, sendo o atacante Araken Patusca, o primeiro santista a disputar um Mundial, em 1930, no Uruguai.

Na época havia uma briga entre a Associação Paulista de Esportes Atléticos (Apea) e a Confederação Brasileira de Desportos (CBD), pois nenhum paulista estava na comissão técnica. Por este motivo, a Apea alegou não haver tempo hábil para que chefes de família deixassem tudo organizado e partissem para ficar tanto tempo afastados de casa. Isto fez com que o Brasil embarcasse apenas com jogadores que atuavam no Rio de Janeiro, com exceção de Araken, único paulista, que estava brigado com o a direção do time santista.

Mas as participações dos jogadores do Santos FC sempre se notabilizaram pelo número de atletas que foram campeões do Mundo. Em 1958, na Suécia, o Alvinegro Praiano cedeu o ponta-esquerda Pepe, além do volante Zito e do Rei do Futebol, Pelé. Estes dois atletas foram importantíssimos na arrancada brasileira rumo ao primeiro título de campeão mundial. Pois Pelé e Zito só estrearam na vitória brasileira sobre a União Soviética, por 2 a 0, na última partida da primeira fase.

A consagração de Pelé começaria ali mesmo em gramados suecos, com o Atleta do Século sendo o artilheiro do Brasil, com seis gols, sendo que dois deles foram marcados na final contra os donos da casa.

Em 1962, no Chile, o time da Vila Belmiro cedeu sete jogadores para que a seleção disputasse essa Copa do Mundo. Gilmar (goleiro), Mauro (zagueiro), Zito (volante), Mengálvio (meia), Coutinho (atacante), Pelé (atacante) e Pepe (atacante), foram os santistas que brilharam na conquista do bicampeonato. Pelé jogou apenas duas partidas, marcando um gol sobre o México, por 2 a 0, na estréia brasileira. Mas o Rei não pode continuar ajudando a Seleção, pois uma lesão muscular o impediu de atuar no restante da Copa.

Porém a Seleção continuou vencendo sem Pelé. Na final, Zito teve uma participação decisiva na vitória sobre a Tchecoslováquia por 3 a 1, já que o capitão santista fez o segundo gol brasileiro na final. O Peixe também teve uma grande participação com o zagueiro Mauro, que além de ter feito uma bela participação no Mundial disputado em terras chilenas, foi o capitão do time e teve a honra de erguer a Taça Jules Rimet, com o Brasil sendo coroado bicampeão do Mundo.

Após a Copa de 1966 na Inglaterra, em que o Brasil foi muito mal, a seleção recorreu mais uma vez a força dos jogadores do Santos FC para trazer o troféu de campeão, no mundial seguinte. Em 1970, Carlos Alberto Torres (lateral-direito), Joel Camargo (zagueiro), Clodoaldo (volante), Pelé (atacante) e Edu (atacante), ajudaram o Brasil a ganhar a terceira estrela.

Considerada por muitos como a melhor seleção que o Mundo viu jogar, o time liderado por Carlos Alberto Torres, que era o capitão desta seleção e Pelé, no auge de sua maturidade futebolística foram os responsáveis por comandar a equipe que encantou o Mundo e trouxe a Taça Jules Rimet de forma definitiva para o Brasil, com a conquista inédita na época de tricampeão mundial.

Os últimos jogadores santistas que foram para uma Copa do Mundo com a Seleção Brasileira foram o zagueiro Marinho Peres e o atacante Edu, ambos defenderam o Brasil na Copa do Mundo de 1974, na Alemanha.

Mesmo nas Copas de 1994 (Estados Unidos) e 2002 (Coréia do Sul e Japão), o Santos FC se fez presente na Seleção Brasileira que conquistou os dois títulos. Em 94, o zagueiro Ricardo Rocha e o volante Dunga, já tinham atuado com o manto alvinegro. O Dunga atuou no Peixe em 1986, enquanto que Ricardo Rocha por pouco não foi convocado pelo time da Vila Belmiro, onde atuou até o fim de 93, quando terminou o contrato dele com o clube e o zagueiro resolveu ir para o Vasco da Gama (RJ).

Em 2002, os santistas cederam para o time pentacampeão mundial o preparador de goleiros, Carlos Pracidelli, e o fisioterapeuta, Luis Rosan, que foi muito importante para a recuperação do atacante Ronaldo, que foi o artilheiro desta última Copa do Mundo.



Outras Seleções


O primeiro jogador estrangeiro do Santos FC a participar de uma Copa do Mundo foi o goleiro Rodolfo Rodriguez. O arqueiro foi convocado para defender a Seleção Uruguaia, que disputou o Mundial de 86, no México. O arqueiro santista ficou durante toda a participação uruguaia no banco de reservas, sem ter a chance de jogar uma partida, pois se contundiu em um dos treinamentos durante a Copa. Os uruguaios foram eliminados pela Argentina, nas oitavas-de-final, pelo placar de 1 a 0.

Em 2006, o Peixe será representado pelo zagueiro Júlio Manzur (foto), da Seleção Paraguaia. O jogador santista vai disputar a sua primeira Copa do Mundo, já tendo ajudado a seleção de seu país a conquistar a medalha de prata, nos Jogos Olímpicos de 2004, em Atenas, na Grécia. O zagueiro também foi muito importante na campanha que levou o Alvinegro Praiano ao título de campeão paulista deste ano, defendendo as cores do Santos FC.

Diante de todas essas conquistas e considerando a interligação do Terminal Rodoviário da Estação de Metrô Jabaquara com a Baixada Santista, nada mais justo do que homenagearmos o Santos Futebol Clube com a aprovação desta propositura.



Sala das Sessões, em 8/8/2006




a) Ricardo Castilho - PV


SPL - Código de Originalidade: 668501 080806 1725





©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal