A arte cura



Baixar 0,74 Mb.
Página2/6
Encontro14.09.2018
Tamanho0,74 Mb.
1   2   3   4   5   6

Este "fenômeno" pode ocorrer em uma encarnação e se perpetuar por tantas outras, sendo agravado pela fomação de vários grupos distintos. Com isso, perde-se gradativamente, a capacidade de vivenciar as conexões entre as diversas vidas que temos, E o espírito portador desta anomalia, passa a ver estas existências como se fossem distintas uma da outra e vividas por espíritos diferentes. Sabe da existência de todos, mas não consegue vê-los como partes de um único ser e, portanto, os avalia como "vizinhos" (têrmo usado por um nível de consciência de portador de SD durante sintonia mediúnica para desdobramento múltiplo), com tom de pele, vestimentas e comportamentos diferentes uns dos outros.

Como todos fomos criados "à imagem e semelhança de Deus", somos criaturas em busca da harmonia total. Ao fugir desse destino traçado, geramos carmas, os quais precisam ser resgatados e transmutados.

Aqueles espíritos que por diversas encarnações formatizaram os "grupos fechados de níveis", necessitarão de um período para reorganizar suas emoções e, desta forma, tornarem a ter seus corpos alinhados e saudáveis.

No momento da fecundação, este espírito atrairá para sua formação o cromossomo excedente, gerador da SD. Isso porque seu corpo astral já estava lesado e portanto, daria origem a um corpo físico comprometido em vários aspectos.

Além disso, verifica-se o hemisfério cerebral esquerdo escurecido e com mecanismo de curto-circuitos no cérebro etérico dos portadores da SD. Segundo outros peaquisadores, nos casos de SD, existem também distúrbios nas regiões etéricas das glândulas pituitárias, tireóide e timo.

A região cerebral mais comprometida é o cerebelo e, em seguida, o mesencéfalo (onde estão os centros que controlam os reflexos visuais e auditivos) e a ponte (por onde passam fibras que se originam no cérebro e se dirigem ao cerebelo e vice-versa). Percebe-se, pela vidência, no campo cerebral de um portador da SD, no espaço correspondente à ponte, a existência de finos "fios de energia" que parecem mal conectados, refletindo em comprometimento mental no campo físico, uma vez que o correto seria a junção destes fios num "cabo"energético único.

Já como uma das técnicas terapêuticas utilizadas no tratamento da SD, vemos a junção dos já mencionados fios de energia, através da somatória das seguintes energias:

- fluxo energético vindo da flor de lótus armazenada em pirâmide azul (essa flor e a energia da pirâmide produzem o efeito do cabo ou ponte);

- a energia dos florais responsáveis pela auto-aceitação;

- a energia do sol;

- estoplasma do médium encarnado auxiliar e a energia do próprio paciente.

O Mental Superior do Portador da Síndrome de Down

Temos percebido que a configuração do Mental Superior de um portador da SD é bastante característica: as pétalas ligadas ao Corpo Astral e Duplo Etérico, encontram-se encolhidas e afastadas das demais. Isso explica o comprometimento mental, uma vez que não existe a conexão entre os corpos mentais e os corpos de base.

Além disso, as pétalas correspondentes às três almas, são estreitas e separadas umas da outras e, quanto maior a distância entre elas, tanto maior será o grau de manifestação da Síndrome e de comprometimento do portador.

Analisamos a seguir, um caso de SD manifesto em uma menina de quatro anos de idade que nos foi trazida para iniciar tratamento apométrico com desdobramento e dissociação dos níveis de consciência.





 


O primeiro atendimento de T. A. R., sexo feminino, 4 anos, foi realizado em 21/12/1996, onde seu Mental Superior encontrava-se como mostra a Figura 1-A.

As pétalas correspondentes às lembranças de passado encontram-se bem separadas, provocando uma grande dissociação dos níveis de consciência. Além, é claro, da separação entre as cinco pétalas superiores e as quatro inferiores. Esse espaço vazio, conforme visto, é gerador da difícil assimilação e do baixo desenvolvimento mental.

Com a utilização do desdobramento múltiplo, dissociação dos níveis, cromoterapia mental e conscientização, dentro das técnicas apométricas, chegou-se ao final do atendimento à figura 1-B, que demonstra uma sensível diferença na configuração do Mental Superior. Houve a dissolução da obsessão, caracterizada pela energia vermelha e densa da vingança, que aparecia na ponta da pétala correspondente ao Mental Superior e também da auto-obsessão, visualizada pelo sentido contrário, do centro para fora, como um revide aos obsessores. Percebe-se a proteção da cor azul e o agrupamento das pétalas correspondentes às lembranças de passado, fazendo a primeira conexão entre as encarnações passadas e os niveis de consciência, dissolvendo os "grupos".

A figura 1-C mostra o Mental da paciente no segundo atendimento, efetuado em 28/01/1997. As pétalas que mostram as lembranças de passado já estão mais próximas e, na parte superior, vemos a presença da cor verde, harmonizando o fluxo dessas lembranças. Permanece a proteção azul. A diferença é que, agora, a camada protetora está imantada ao Corpo Mental Superior, tornando-se parte dele.

Vemos a presença da cor violeta agindo nas pétalas correspondentes ao Atma e na pétala do Mental Superior. Ainda existem demonstrações de obsessão externa em Mental Superior e Inferior (raios vermelhos nas pontas das pétalas correspondentes) e a separação entre as pétalas superiores e inferiores.

Na figura 1-D vemos o Mental ao final do 2º atendimento. Nele podemos perceber uma harmonia parcial, embora mostrando aspectos bem mais positivos que na figura 1-A . Nesta comparação, podemos observar as pétalas inferiores e superiores bem mais próximas e a cor azul, antes visualizada como camada protetora, agora já faz parte da coloração do Mental Superior.

Em 18/03/1997, quase dois meses após o 2º atendimento, nossa paciente retornou. Segundo a mãe, durante este período, a menina havia estado um pouco rebelde. Ao abrirmos seu campo de freqüência, pudemos perceber que seu Mental Superior indicava presença de lembrança desarmônica em encarnação vivida entre 300 e 700 anos atrás, havendo também auto-obsessão no Mental Superior e no Corpo Astral. (figura 1-E).

Na figura 1-F, se reproduz o Mental Superior ao final do 3º atendimento. Harmonia em maior escala visualizada em todos os níveis conscienciais, pela presença de cores mais vibrantes e saudáveis.

Já com cinco anos, T. A. R. continua mostrando progressos, seu retorno para tratamento ocorreu em 13/05/1997.

Antes de iniciar o 4º atendimento, percebemos o Mental Superior em harmonia, necessitando a paciente de auxílio para realinhamento de seus subníveis de Mental Superior e Corpo Astral, principalmente. (figura 1-G).

Finalizando este atendimento, percebe-se o Mental envolto na cor violeta, para que haja a completa transmutação energética. (figura 1-H).

Até o presente momento, sabemos que a paciente está se comunicando melhor e os progressos são evidentes em suas manifestações físicas, mais confiantes e equilibradas.

Terapêutica Indicada para Casos de Síndrome de Down

1º - Desdobramento Múltiplo e Dissociação dos Níveis de Consciência para doutrinação dos mesmos, a fim de que haja a retomada plena da encarnação.

2º - Cromoterapia Mental e Micro-Organizadores Florais, reforçados pela ação da Apometria e sua técnicas de regressão ao passado, destre outras.

3º - Fluxo energético da Flor de Lótus armazenada em pirâmide azul mais MO-Florais, para aceitação mais energia do sol mais ectoplasma, dinamizados por pulsos energéticos que concretizarão a forma-pensamento do "cabo-energético", conhecido a nível da estrutura derebral como PONTE OU PONTE DE VARÓLIO.

4º - Tratamento de normalidade, evitando o vocabulário deficiente que acaba por menosprezar o potencial do portador da Síndrome de Down.

5º - E a receita da Magia do Aprender, que contém: conhecimento sobre com quem estamos trabalhando, carinho, calma e interêsse, alegria e empenho de ambas as partes, segurança e confiança.

AUTISMO

AUTISMO é um distúrbio mental raro e grave que afeta crianças. Entre os sintomas que ocasiona, destaca-se um olhar estranho e distante. O verdadeiro autismo que é chamado de autismo infantil prematuro, ocorre aproximadamente em um caso a cada 30 mil crianças, mas o têrmo autismo também é usado para designar outras formas graves de doença mental que se assemelham ao autismo verdadeiro. Cerca de 75% de todas as crianças autistas, são do sexo masculino.



SINTOMAS:

A maioria das crianças que tem autismo verdadeiro apresenta os seguintes sintomas:

- Ausência de Reação - A maior parte dos bebês autistas não se debate e continua a não reagir enquanto cresce.

- Desligamento - Uma criança autista parece não compreender que é uma pessoa, parece viver em um mundo de sonho, apresentando-se introvertida e alheia ao mundo exterior.

- Insistência na Repetição - Uma criança com autismo é extraordinariamente intolerante em relação a mudanças em seu meio físico. A criança pode ter um ataque sério se os seus livros, móveis, brinquedos ou outros objetos, não estiverem em seu lugar "certo".

- Graciosidade - As crianças autistas movem-se com graç, elegância e muitas são especialistas em subir em lugares, A criança autista usa seus dedos e suas mãos com habilidade, mas muitas recusam-se a usar suas mãos. Quando isto acontece, pegam um adulto pelo pulso e usam a mão dele.

- Talento Musical - Muitas crianças autistas adoram música e insistem em ouvir o mesmo disco inúmeras vêzes.

- Fascinação Mecânica - Uma criança aautista pode ficar profundamente fascinada por um certo tipo de objeto e tê-lo consigo o tempo todo. Muitos jovens autistas ficam obcecados por um aparelho, como um liquidificador ou um aspirador de pó.

- Fala - Muitas crianças autistas são mudas, nunca falam ou pronunciam apenas algumas palavras durante toda sua vida. Outras falam, mas só são capazes de repetir o que ouvem. Suas vozes soam mecanicamente. As crianças autistas não usam as palavras "eu" e "sim"; podem exprimir a idéia de "sim", repetindo a pergunta que lhe fizeram. Podem repetir interminavelmente poemas ou conversas que tenham ouvido. As crinças autistas que podem falar são capazes de começar a se comuinicar através das palavras mais compreensivelmente com a idade de oito ou nove anos.

CAUSA:


Leo Kanner, um psiquiatra norte-americano que identificou o autismo pela primeira vez, em 1943, acreditava que se tratava de um distúrbio interno inato da química do organismo. A maioria dos estudiosos está de acordo com esta teoria. Na Inglaterra e nos Estados Unidos, pesquisadores descobriram uma quantidade anormal de certas substâncias no sangue e na urina das crianças autistas, no entanto, alguns especialistas acreditam que o autismo é provocado pelas atitudes e práticas da mãe, na educação da criança, teoria esta que não explicaria, de modo algum, a causa do autismo verdadeiro.

Aspectos Cármicos, Espirituais e Reencarnatórios

Do ponto de vista espiritual, existem alguns fatôres determinantes do Autismo e que o diferem da Síndrome de Down.

No autismo, os Níveis de Consciência estão isolados. Não existem grupos de nÍveis, como vimos na SD, entretanto, existe um vazamento de informações provenientes de várias vidas que ocasiona essa desarmonia, uma vez que o autista se fixa em seu mundo, não desejando dele sair.

Muitos encarnados, considerados normais, tem níveis de consciência autistas e por suas atitutdes de reclusão, podem construir uma futura encarnação, com manifestação do autismo verdadeiro.

A maioria dos autistas, são espíritos que no passado, responsabilizaram-se pelo domínio de um grupo, tomando decisões, sem compartilha-las com os demais, além disso, os autistas negam e rejeitam o corpo físico, lesando mais o seu Modêlo Organizador Biológico (Corpo Astral).

Por existir essa dissociação dos nívies de consciência, a interligação entre os Corpos Etérico, Astral e Mental é deficiente, refletindo-se na dificuldade de sincronizar a idéia com a expressão verbal.

Normalmente, o Corpo Astral é menor que os demais, configuração que representa a inibição das emoções. O autismo parece ser, então, um estado de mau funcionamento dos impulsos nervosos entre a massa cinzenta do cérebro e os demais centros.

Mental Superior de um Autista

O Mental Superior de um autista mostra-se, assim como os demais corpos, com poucas cores, pálidas e opacas, existe um "espaço vazio" entre as pétalas. Na pétala correspondente ao Corpo Budhi, as pétalas menores encontram-se interligadas, este fato promove um repasse indevido de lembranças que ocasiona boa parte das dificuldades ou sintomas característicos do autismo.



Na maioria dos casos de autismo, a pétala do Corpo Budhi encontra-se hiper desenvolvida, tomando parte da pétala nuclear, ainda nesta pétala, percebe-se uma irradiação verde-azulada, significando a possibilidade de cura a ser despertada pela vontade do paciente que impera sobre tudo, inclusive a terapêutica utilizada.

Terapêutica Indicada par Tratamento de Autistas

1º - Desdobramento Múltiplo e Dissociação dos Níveis, para conscientização da necessidade da encarnação.

2º - Cromoterapia Mental e Micro-Organizadores Florais, como visto no tratamento para portadores da Síndrome de Down.

3º - Tratamento em psicologia e terapias avançadas para acessar adualidade - homem-espírito.

Diferença Básica entre Autismo e Síndrome de Down e Probabilidade de Cura

A diferança básica entre os portadores de Autismo e Síndrome de Down, é que os portadores de SD manifestam em nível físico e demais níveis conscienciais, o desejo de manter contato com o mundo exterior, enquanto que os autistas inibem essa comunicação, sendo assim, as probabilidades de recuperação dos portadores da SD, são muito maiores, facultando-lhes o convívio harmonioso com a sociedade, demonstrando seu potencial criativo e intelectual.

Os nívies de consciência e subníveis de um autista, demonstram maior grau de dificuldade na doutrinação, pois que existe grande apego a conceitos e fatos passados, excluindo-se da atual encarnação, isso não significa que deixe de existir a possibilidade de diminuir o grau de manifestação do autismo, um trabalho regado a Persistência e Amor, pode conseguir resultados surpreendentes.

Explicações de Antonio Carlos sobre o Autismo

Extraído de: Deficiente Mental - Por que fui um?

Psicografia de Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho - Petit Editora

Temos visto autistas reagirem de muitas maneiras. Muitos pensam, alguns até vêem lances de sua vida passada. Outros querem responder, mas não conseguem. É uma doençacerebral. Porém, mente sã, espírito são, corpo sadio, mente com toda a capacidade possível.

Normalmente, mas sem ser regra geral, o autista foi tremendamente egoísta a ponto de enxergar só a si mesmo.

O egoísmo é uma doença, terrível doença, que primeiro prejudica espirituaalmente e depois se manifesta fisicamente.

Nem todos se sentem como Daniela. Daniela foi egoísta e avarenta em sua encarnação anterior, veio, nesta, autista. Porém ela ainda tem que reparar seus erros, e a oportunidade está aí, poderá reencarnar e dessa vez realizar seus planos de lutar contra o egoísmo. Só poderá dizer que não é mais egoísta quando provar a si mesma. Mas depois de muitas lições esperamos que saia vitoriosa.

Tudo deve ser feito para a recuperação de um autista. Amor é fundamental, carinho exercícios, medicamentos, fisioterapias, etc. A reação pode ser lenta, mas todos reagem, uns maais, outros menos. É importante a recuperação.

Conhecemos muitos autístas que têm levado uma vida com limitações, mas com muitas capacidades.

Também sentimos a preocupação, às vezes até aflições, de muitos pais em relação aos filhos deficientes, de como deixá-los após suas desencarnações.

Lembro que todos nós somos filhos de Deus, e ninguém é órfão de Seu amor. Passamos por dificuldades que são aprendizado, mas não devemos nunca nos sentir abandonados.

Não devem se preocupar, portanto, o tempo passa acertando o que nos parece incerto. Tudo é passageiro.

No relato, o pai de Daniela não aceitou a desencarnação e, preocupado com a filha, voltou ao lar terreno sem preparo e só agravou a situação. Ele, sem querer, piorou o estado dela, perturbou o lar e a esposa. A mãe de Daniela sentiu terrivelmente o fluído perturbador do esposo.

Por mais que a situação no antigo lar nos pareça difícil, não devemos nos desesperar a ponto de voltar ao ex-lar sem ordem. O papai de Daniela foi carinhoso, fez o que lhe competia quando estava encarnado e quando pela desencarnação se viu impossibilitado de continuar fazendo, deveria ter se conformado.

Todos que têm uma responsabilidade deveriam agir assim, fazer tudo o que lhes compete quando podem e não se preocupar quando tiverem que deixar algo por fazer: Para tudo há solução. Problema aceito é quase resolvido.

Vocês, pais de filhos deficientes, não devem se preocupar em excesso. Façam o que lhes compete com amor, tentem resolver tudo do melhor modo possível com planos de como deverão ficar os rebentos doentes.

Lembro-os que a desencarnação é para todos e que se encontrarão novamente no plano espiritual. A vida continua!

Quando...

Psicografia de Rosana Aparecida de Oliveira em 11/07/98

Quando brilhar o sol, agradeça a sua luz.

Quando a noite escurecer, agradeça a Jesus.

Quando a tristeza vier, deixe a lágrima cair.

Quando te tomar o Amor, deixe ele sair.

Quando o ódio persistir, envolva-o na Paz.

Quando a alegria o envolver, absorva o que ela traz,

Quando as trevas trouxerem temor, eleve seu pensamento a Deus.

Quando pedimos com fé, proteje Ele, os filhos Seus!

Josias Belfort - viveu no ano de 1745 na Inglaterra, portador de deficiência física e mental, como ser, teve dificuldades de aceitação por ele próprio e pela sociedade que tratava e trata os seres que passam por esta situação, não como espíritos em evolução, são tratados com indiferança e piedade, quando muitos necessitam de Amor e Compreensão.

E S P E C I A L !

Seu olhar meigo e sorriso sincero,

suas mãos despretenciosas com gestos travessos e

seu beijo delicado, mostram a grandeza que tem.

Muito antes de nascer, comprometeu-se consigo mesmo,

gerando as "diferenças".

Com coragem, assumiu uma das mais duras provas cármicas:

provar que pode, vencendo a sí mesmo,

conquistar as pessoas, sendo, simplesmente,

ESPECIAL.

E, mostrando a cada dia, o real significado

do AMOR UNIVERSAL, quando ama sem DISTINÇÃO

de credo, raça, cor ou intelecto, ratifica a máxima:

"Faze aos outros, o que queres que te façam",

sendo FILHO DE DEUS e IRMÃO, no mais puro e

singelo sentido dessas designações.

Pela sua força, empenho e pela sua maneira simples de AMAR,

eu lhe reverencio, dizendo, somente:

Obrigada! Obrigada por tudo que você me ensinou.

Fabiana Donadel



1   2   3   4   5   6


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal