2010 ano Joaquim Nabuco



Baixar 7,51 Kb.
Encontro19.08.2017
Tamanho7,51 Kb.

Ano Nacional Joaquim Nabuco, 2010
Edivaldo M. Boaventura
O ano de 2010 foi destinado ao grande Joaquim Nabuco (1849-1910). .Perto de encerrá-lo, os acadêmicos Arnaldo Niskier e Marcos Vilaça, presidente da Academia Brasileira de Letras, coordenaram, no Recife, o seminário “Joaquim Nabuco e a modernidade.” O pensamento e a ação social de Nabuco são absolutamente atuais e inspiradores para um país tão desigual e tão carente de justiça social.

Com Nabuco, Rui Barbosa, Rio Branco e Machado de Assis, Luiz Viana Filho construiu , qual moderno Pultraco brasileiro, um belo cenário do crepúsculo do Império à madrugada da República. Quase todos, como ele, homens de letras, quase todos homens da política são personalidades marcantes e decisivas na vida brasileira.

Lendo a vida de Nabuco por Viana Filho, somos capazes de sentir a respiração, o hálito e a voz do abolicionista. Vejamos a passagem da perda do irmão Sizenando, quando recebe carta de sua mãe, Ana, para quem o golpe fora muito rude: “Sim, a dor ia esculpir um novo Nabuco. E no estado em que se lhe encontrava a alma, lacerada por grandes tormentos, ter-se-ia talhado um desesperado, se a religião não fizesse emergir um místico.Na realidade, que será ele, depois que completar a volta ao seio da Igreja, se não um místico admirável.” Depois da conversão, Nabuco mudara muito. O mundano, , o elegante “Quincas, o belo”, o idealista das grandes campanhas,ficou para o passado.

Exercendo primeiramente cargo diplomático em Washington, depois do falecimento do pai, o senador Nabuco de Araújo, Joaquim Nabuco elege-se deputado pela primeira vez por Pernambuco. O desejo da mãe era que entrasse para política, sucedendo ao pai, senador pela Bahia. Como o pai se sentara na cadeira do seu avô, senador pelo Espírito Santo, de igual modo, como o tio bisavô, José Joaquim Nabuco de Araújo, representara a província do Pará, eis o caminho a seguir.

Nabuco prefere o parlamentarismo monárquico britânico ao parlamentarismo republicano francês. A sua campanha gira em torno do abolicionismo. Uma frase sua define-lhe o norte a seguir: “ A grande questão para democracia brasileira não é a monarquia é a escravidão”.

Na Câmara dos Deputados, revela-se primoroso orador e ocupa tribuna, pleiteia, então, a eleição direta e a liberdade religiosa, isto é, elegibilidade dos não-católicos e liberdade para os escravos.Torna-se o convincente líder abolicionista. A sua ação emancipacionista é intensa e destacada. Todavia a sociedade escravocrata reage e Nabuco não consegue se reeleger. Viaja para Londres e começa a redigir O abolicionista.

Além do abolicionismo, um outro projeto político muito caro a Nabuco foi a monarquia federativa. No final do Império, abolição da escravidão e federalismo, redução do excessivo centralismo, constituíram-se nas duas principais frentes políticas

Era inconcebível para muitos a compatibilização da monarquia com a federação. Considere-se que o Império brasileiro fora essencialmente um Estado unitário e altamente centralizador. Certamente que o centralismo que não possibilitava autonomia às províncias concorreu para a derrubada da monarquia.

Pois bem , o inovador projeto de Nabuco propunha a “ Monarquia federativa contra o centralismo burocrático pela reforma agrária e democratização social mesmo com a queda da monarquia.” Uma federação monárquica para o Brasil conforme o espírito de 1831, da época do senador Nabuco de Araújo, quando o Partido Liberal mandou ao Senado um projeto que expressava a qualidade do liberalismo forte, másculo e patriótico da geração que fizera a abdicação.

Concebe a federação como uma revolução contra a tradição monárquica e latina. Porém, a sua proposta de federação implicava em reforma da Constituição Imperial de 1824 e era assinada por grande parte do Partido Liberal. Entretanto, Nabuco não consegue reeleição. Viaja a Roma para solicitar o apoio do papa Leão XIII à causa da libertação da escravatura.



Ao Nabuco político, abolicionista, federalista junta-se o escritor notável de Minha formação e o autor do monumental obra Um estadista do Império.



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal