1611 Barbosa Al i. outra cousa. Aliud



Baixar 3,9 Mb.
Página1/56
Encontro27.05.2017
Tamanho3,9 Mb.
  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   56



A L

1563 Cardoso

Al. Aliud.

1569 Cardoso

Al. Aliud.

1588 Ricci

Al ...

1611 Barbosa



Al. i. outra cousa. Aliud.

1647 Pereira

Al. Aliud. Aliam rem.

1712 Bluteau

Al. Termo antigo, & ainda hoje usado dos Escrivaens depois do depoimento das testemunhas, porque costumão acrecentar, & Al não disse. Parece palavra trocada do latino Aliud, que quer dizer outra cousa.

Não quero, que cuide Al

Amigo do meu sinal.

Francisco de Sà, Eclog. 1. num. 36; & na mesma Eclog. num. 70.

São mimos, que não he Al.

Não podia Al ser.

Histor. de S. Domingos, livro 6. fol. 328. col. 4.

1727 Suppl

Al. Vid. Tom. 1. do Vocabulario. Adagios Portuguezes do Al. Como vires a Primavera, assim pelo Al espera. Como vires o faval, assim espera pelo Al. Debaixo do Sayal, ha Al. As mãos no pandeiro, e em Al o pensamento. O official tem officio, e Al. O Amor de Deos vence, todo o Al perece.

1734 Feyjo

Al naõ disse, quer dizer: Naõ disse mais, ou naõ disse outra cousa. Al he parte da Palavra Latina Aliud.

1767 Monte Carmelo

Al. Antigo, como v. g. Al nam disse. Emenda: outra coisa: Outra coisa nam disse.

1771 Fonseca

Al, outra cousa. Aliud. Não se póde fazer al. Aliud fieri non potest. Aliter res haberi non potest. Cic.

1781 Diccex

Al naõ disse. Naõ disse outra cousa.

1789 Sousa

Al ... Artigo, que os Arabes ajuntaõ ao nome. Veja-se a nota que está no principio desta obra

Al ... Particula que se acha quasi em todas as Escripturas antigas, e ainda hoje se usa pelos Tabaliões, quando no fim do depoimento das testemunhas acabaõ dizendo, al naõ disse.

Muitos julgaõ que he o artigo Arabico, naõ sendo mais que huma abreviatura da palavra Latina aliud; e quer dizer; e naõ disse mais cousa alguma.

1789 Moraes

Al, s. m. antiq. outra coisa, coisa diversa Eufr. 2.2. o al he martelar em ferro frio V. de Suso, c.22.

Al, prep. a combinada com o artigo el antiquado, tirando-se o e por eufonia: v. g. al'arma, al'erta, al'arma, al'arma". Eneida 7.149. Como ás armas, appellido com que se da rebate do inimigo.

1793 Ac

Al, pron. indecl. ant. Outra cousa. Do Lat. Aliud. Resend. Misc. 163 v Governo e bom regimento Lhe falece, e não al. (Falla de Lisboa) Mor. Palm. 1.15 Vendo que não podia fazer al, senão seguir sua ordenança. D. F. Man. Apol. 412 Nunca em al me empeceis, que em me terdes por verdadeiro.



Adag. As mãos no pandeiro, e em al o pensamento. Blut. Vocab. Suppl.

Como vires a primavera, assim pelo al espera. Delic. Adag. 6.

Como vires o faval, assim espera pelo al. Delic. Adag. 6.

Debaixo do saial ha al. Blut. Vocab. Suppl.

Nós em al, e a velha no portal. Hern. Nun. Refran. 81.

O amor de Deos vence, todo o al perece. Blut. Vocab. Suppl.

O official tem officio e al. Blut. Vocab. Suppl.

Al. artigo, que anteposto aos nomes tanto valia antigamente como ao. Fr. Gasp. da Cruz, Tr. 11.5 Rendião só os direitos do sal em Cantão al Rei trezentos picos de prata. (Assim tambem em outros lugares.)

1798 Viterbo

Al. Frequentissimo nas escrituras antigas, e ainda continuado nas modernas, he huma abbreviatura de Aliud. Al não disse: nada mais disse. Ainda se usa em muitos Adagios v. g. Como vires a Primavera, assim pelo al espera. O official tem officio, e al, &c. Tambem usárão de al, em lugar de em, v. g. al fim: por: em fim, ou finalmente.

1806 NovDicc

Al, s. m. Outra cousa. Deriva-se do Latim aliud.

1813 Moraes

Al, prep. a combinada com o artigo el antiquado, tirando-se o e por eufonia: v. g. al'arma, al'erta, al'arma, al'arma". Eneida 7.149. Como ás armas, appellido com que se da rebate do inimigo; al fim, ao fim ou ao cabo; al Rei, ao Rei.

Ál, s. m. antiq. Outra coisa, coisa diversa Eufr. 2.2. o al he martelar em ferro frio V. de Suso, c.22. "não entendem em al." Tenreiro, c.8.

1818 Diccger

Al, pron. ind. (ant.) outra coiza: (ant.) artigo, que anteposto aos nomes valia ao.

1831 Moraes

Al, prep. a combinada com o artigo el antiquado, tirando-se o e por eufonia: v. g. al'arma, al'erta, al'arma, al'arma". Eneida 7.149. Como ás armas, appellido com que se da rebate do inimigo; id. 10.53. § Al fim, ao fim ou ao cabo; al Rei, ao Rei.

Ál, s. m. antiq. Outra coisa, coisa diversa Eufr. 2.2. o al he martelar em ferro frio V. de Suso, c.22. "não entendem em al." Tenreiro, c.8.

1836 Const

Al, s. m. (de aliud Lat., outra cousa), outra cousa mais: e al não disse (exp. for.), e mais não disse. "O al (o mais) he martellar em ferro frio." Sousa, Vida de Suso. "Não entendem em al" (outra cousa). Tenreiro, c. 8.

Al, contracção de a prep. e el art. M. Cast., v. g. al’arma, ás armas; alèrta; al fim, por fim; al rei, ant. Ao rei. V. Ala.

Al, desinencia substantiva collectiva ...

Al, desinencia adjectiva, ...

Al, artigo arabico usado para ambos os generos e numeros, prefixo de muitos vocabulos e formando corpo com elles, de maneira que se lhes antepõe o artigo portuguez; v. g. o Alcorão, o al’caide, os alcaides, a almofada, as almofadas. Todavia em algumas vozes arabico-portuguezas al prefixo não he artigo; v. g. em alquimia; al significa levantar, de allá, e camá occultar, encobrir, isto he, sciencia que procura descobrir o que he occulto.

1845 DiccUniv

Al, art. que os Arabes ajuntão ao nome. - part. que se acha em antigos documentos, e escrituras, e ainda hoje usada no fim do depoimento das testemunhas, quando se diz "e al não disse" e não disse mais cousa alguma; abreviatura da palavra latina aliud, e não o art. arab. - prep. a, combinada com o art. el antiquado, tirando-se o e por euphonia; v. g. al'arma por ás armas; al rei, por a o rei.

1858 Moraes

Al, prep. A combinada com o artigo el antiquado, tirando-se o e por eufonia: v. g. al'arma, al'erta; al'arma, al'arma". Eneida 7.149. como ás armas, appellido com que se dá rebate do inimigo §. Al fim, ao fim como ao cabo; al rei, ao rei.

Ál, s. m. antiq. Outra cousa, cousa diversa Eufr. 2.2. „o al he martelar em ferro frio“ V. de Suso, c.22. "não entendem em al." Tenreiro, c.8. Delic. Adag. P. 6. Sá Mir. Son. 4. „al vae de praticar d’ella, a sentí-la“ Arr. 10. 80.
A L Á

1767 MonteCarmelo

Alá. Antig. Emenda: Lá.

1789 Moraes

Alá. a prep. a com a palavra lá. Chron. do Condest. Ediç. de 1623, c.57 f.52, col.1 e cap.58.

1793 Ac


Alá. fórm. adv. antiq. Para aquelle lugar. Vit. Christ. 1, 21 ,69 v E fez caminho per que possamos alá ir. Descobr. da Frolid. 49 v Não havia quem os achasse (os Indios) nem cavallos, que alá entrar pudessem. Coelh. Rebell. Mus. 6. Prim. Venha huma lasca. Seg. Alá vai.

1798 Viterbo

Alá. Nesse lugar, lá. Doc. das Bentas do Porto de 1359.

1806 NovDicc

*Alá, por lá.

1813 Moraes

Ala (os aa mudos) A preposição a com o artigo a, e por eufonia o l entromettido; ou seja resto do Castelhano a com o artigo la: v. g. a la grande, a la moda, a la par; por á grande, á moda; a par, igualmente.

Alá. A prep. a com a palavra lá. Chron. do Condest. Ediç. de 1623, c.57 f.52, col.1 e cap.58. "dizem que allá he feita a venda." Ord. Af. L. 2. f.363.

1818 Diccger

Alá. V. Allá.

1831 Moraes

Ala (os aa mudos) A preposição a com o artigo a, e por eufonia o l entromettido; ou seja resto do Castelhano a com o artigo la: v. g. a la grande, a la moda, a la par; por á grande, á moda; a par, igualmente.

Alá. A prep. a com a palavra lá. Chron. do Condest. Ediç. de 1623, c.57 f.52, col.1 e cap.58. "dizem que allá he feita a venda." Ord. Af. L. 2. f.363. opp. A acá.

1836 Const

Alá, adv. ant. (a prep. e lá, alli), lá, acolá.

Allá. V. Alá.

1845 DiccUniv

A lá, (loc. adv.) acolá, para aquelle logar.

Allá, V. Alá.

1858 Moraes

Ála ; A prep. a com o artigo a, e por eufonia o l entromettido; ou seja resto do Castelhano a com o artigo la: v. g. a la grande, a la moda, a la par; por á grande, á moda; a par, igualmente.

Álá. A prep. a com a palavra lá. Chr. do Condest. ediç. de 1623, c.57 e 58. "dizem que allá he feita a venda." Ord. Af. L. 2. f.363. „que allá é feita a entrega“ opp. A acá.

Álla. V. Ala, e Allá V. Alá.
A L A

1570 Laguna

Ala cast. ala cat. ala it. enola, pella lat. helenium ar. iasm, rasenbar fr. aulnec tud. alant

1617 Minshev

Ala H = P L cervisia sine lupulo I = P G ale A ale

1647 Pereira

+Ala erva. Helanium, ii.

+Ala do exercito. Cornu, nu. Ala, ae.

1712 Bluteau

Ala. Segundo Laguna sobre Dioscorides, liv. 1. cap. 27. pag. 33. Ala, & rayz da Ala, he o nome, que os Portuguezes daõ à erva, que os Boticarios, chamaõ Enula campanae. Vid. no seu lugar. Enula campana.

Ala. Insignia de ordem militar. A ordem da Ala, ou Aza de São Miguel. He huma ordem militar instituida por El-Rey D. Affonso Henriques, anno de 1167. em agradecimento da gloriosa victoria, que alcançara de Albarache, General dos Mouros, por intercessaõ do Arcanjo São Miguel, a quem se encomendara devotamente a noite antecedente à batalha. Deu a esta ordem doze constituiçoens, fundou-a debaxo da reformaçaõ de Cister, & visitaçaõ do Abbade de Alcobaça. Trazião os Cavalleiros desta ordem sobre o peito huma aza de cor encarnada, esmaltada com persil de ouro. Durou esta ordem, quanto viveo El Rey seu instituidor; com sua morte se extinguio. No cap. 18. & 19. do livro 5. da Chronica de Cister amplamente trata desta ordem o P. Fr. Bernardo de Britto. Ordo equitum alae Sancti Michaelis.

Ala. (Termo militar.) Troço no lado direito, ou esquerdo do exercito. Luis Mendes de Vasconcellos, na sua arte militar. part. 1. pag. 109. explicando esta palavra diz, As alas chamaõse assim, porque ficaõ parecendo azas da batalha, & assim em nossa lingoagem azas se deviaõ chamar, pois em todas as naçoens, donde tomamos a arte militar, isso quer dizer ala, mas como jà está este nome como proprio desta arte, delle se usarâ.

Ala, ae. Fem. Cic. Cesar. Ala direita. Dextra Ala. Ala esquerda. Sinistra ala. Cornu. Neut. mais propriamente he corno do exercito. Vid. Corno.

Por a cavalaria nas alas. Equites pro cornibus locare. Quint. Curt.

Companhias de cavallaria postas nas alas. Alarii milites. Cic. ou alariae cohortes. Cesar. 102. de bello civili. Milites alares, ium. Tit. Liv.

A ala direita, em que eu andava, rechaçou logo o terço de Antonio. Dexterius cornu, in quo eram, impetu primo legionem Antonii fugavit. Cic.

Ala dos namorados. Vid. Namorados.

1734 Feyjo

Ala. na milîcia he o mesmo que fileira.

1771 Fonseca

Ala do exercito. Ala, ae, f. Cic. - ou troço de cavalleria no lado do exercito. Ala equitum. Tac. pór a cavalleria nas alas. Equites pro cornibus locare. Quinct. Da ala, ou cuberto com a ala do exercito. Alaris, e. Liv. Alarius, a, um. Caes.

1781 Diccex

Ála. Fileira.

1789 Moraes

Ala, s. f. V. enula campana. §. Troço do lado do exercito, a qual sendo completa parece que constava de trezentos homens. Chron. J. 1. c.57. §. a ála dos namorados. V. Namorados. §. Pôr em alas, em fileiras parallelas. F. Mendes, c.68. e c.169. as embarcações forão postas em alas de duas fileiras. Vida de Lima, c.14. §. Renque. Leão, Orig. f.83. §. Ala por asa. Arraes, 8.22. á sombra das alas de vossa misericordia. § Ala; labareda: v. g. arder o fogo em ala: tomar ala. Arraes, 3.37. e 7.14. 10.79. o amor de Christo ardia em ala.

1793 Ac


Ala. s. f. O mesmo que Enula campana. Bent. Per. Thes.

Ala. s. f. ant. O mesmo que Aza. F. G. da Silv. Vid. 1,60 Estavão todas quedas, e abaixavão suas alas. Barr. Clarim. 3,111 E porque seria mui prolixa cousa contar as feridas, que lhe Clarimundo deo, e o arroido, que ella (serpente) com os dentes e alas fazia, a leixemos.

Met. Arr. Dial. 8,22 A sombra das alas de vossa misericordia esperarei, té que passe por mim a iniquidade. Maus. Vid. 5,46 Por aqui vão ao carcer de tormentos As alas apagar ao duro fisco.

A soltas alas. fórm. adv. met. antiq. Com toda a liberdade, ou com o maior excesso. Gil Vic. Obr. 1,54 v. Não sei como agora calas, Renegando a soltas alas De Deos e da Ladainha.

Ala. Fileira dividida de outra, deixando claro no meio. Das pessoas, como nas procissões, enterros, &c. Const. de Brag. 21,2,2 E não consintão que algum clerigo se mude de huma ala pera outra. Estaç. Antig. 55,9 Na procissão, que faz o Cabido de Braga, levava a ala direita, e o de Guimarães a esquerda. Galv. d'Andr. Art. 1,61. Entrará na praça (o Cavalleiro) com os lacaios divididos em duas alas.

De quaesquer cousas. Mend. Pint. Peregr. 68 Estavão furtas por ordem vinte e seis náos grandes, e oitenta juncos, e outra somma de vancões e barcaças amarradas humas ante as outras, que em duas alas fazião huma rua muito comprida. Brit. Mon. 2,7, c.9. Se ajuntárão alguns touros, e feitos em ala acommettêrão o esquadrão dos Mouros tão impetuosamente, que &c. Sever. Notic. 3,16,11 Lhe sahirão seis galeotas de Mouros, que apartadas em duas alas o envestirão.

Tomar ala. Fras. met. Levantarse, sublimarse como voando. Arr. Dial. 7,14 C'os impedimentos, que o mundo lhe atravessava, tomava ala, e se inflammava mais o fogo celestial.

Em ala. fórm. adv. Com força e actividade. Arr. Dial. 2,7 De animo excellente e generoso he parecer e ser Philosopho, quando fervem em ala as perturbações. - 10,79 O amor de Christo ardia em ala no peito da Virgem.

Ala. Milic. A parte da tropa, que cobre o centro do exercito por qualquer dos dous costados. Cam. Lus. 4,24 Que a ala direita tem dos Lusitanos. Corr. Comm. 4,24 Ala he propriamente a aza do passaro, a cuja semelhança se chama ala no exercito a gente de cavallo, que vai pela mão direita e esquerda para emparo da gente de pé, que vai no meio coberta e guardada, como hum passaro cobre e ampara com suas azas o corpo. Mend. de Vasc. Art. 109 As alas chamão assi, porque ficão parecendo azas da batalha, e assi em nossa lingoa azas se devião chamar, pois em todas as nações, donde tomamos a ordem militar, isso quer dizer ala, mas como está este nome como proprio desta arte, delle se usará.

Cavallaria da Ala ou Ordem militar da Ala. O mesmo que Cavallaria ou Ordem da Aza. Vej. Aza. Brit. Elog. 2 Junto a Santarem rompeo (elRei D. Affonso Henriques) a Albaraque, Rei de Sevilha em batalha campal, com favor de S. Miguel, e do seu Anjo da guarda, em cuja lembrança instituio a Cavallaria de Ala. Fr. Leão, Bened. 1,1,5. c. 8 A Ordem militar da Ala ou de S. Miguel instituio o nosso primeiro Rei D. Affonso Henriques. Cardos. Agiol. 3,118 Instituio (D. Affonso Henriques) no Real mosteiro de Alcobaça a Cavallaria da Ala.

1798 Viterbo

Ala. Cavalleiros da Ala. Ordem Militar instituida por El-Rei D. Affonso Henriques no de 1147.

1806 NovDicc

Ala, s. f. O lado do exercito. Fileira. Labareda. Aza.

1813 Moraes

Ála, s. f. V. Enula campana. §. Troço do lado do exercito, a qual sendo completa parece que constava de trezentos homens. "a vanguarda, reguarda, e alas." Ord. Af. 1. f. 288. Chron. J. 1. c.57. §. a ála dos namorados. V. Namorados. §. Pôr em alas em fileiras parallelas. F. Mendes, c.68. e c.169. as embarcações forão postas em alas de duas fileiras. Vida de Lima, c.14. §. Renque. Leão, Orig. f.83. "as galés erão 15 e vinhão todas em huma ala." Chron. J. 3. P. 4. c.107. §. Ala por asa. Arraes, 8.22. á sombra das alas de vossa misericordia. § Ala; labareda: v. g. arder o fogo em ala: tomar ala. Arraes, 3.37. e 7.14. 10.79. o amor de Christo ardia em ala.

1818 Diccger

Ala, s. f. planta. V. Enula: (ant.) aza: fileira dividida de outra deixando claro no meio; das pessoas nas procissões cet. - de outras coizas. Met. protecção. - (Mil.) a porção de tropa, que cobre o centro do exercito por qualquer dos seus costados. - (H. E.) ordem militar instituida por El-Rei D. Affonso Henriques em 1147. - (Bot.) parte das flores papilionaceas. - (Fort.) flanco de um bastião. - (Arch.) parte de um edificio que se constrõe á direita e á esquerda para acompanhar o corpo principal.

1831 Moraes

Ala, s. f. V. Enula campana. §. Troço de Cavallaria do lado do exercito, que sendo completa parece constava de trezentos homens. "a vanguarda, reguarda, e alas." Ord. Af. 1. f. 288. Chron. J. 1. c.57. §. A ála dos namorados. V. Namorados. §. Pòr em alas, em fileiras parallelas. F. Mendes, c.68. „ embarcações em duas alas, que fazião rua“ e c.169. Vida de Lima, c.14. §. Renque, fileira, fieira. Leão, Orig. f.83. "as galés erão 15 e vinhão todas em huma ala." Chron. J. 3. P. 4. c.107. das alas formão-se as fileiras do batalhão §. Ala por asa. Arraes, 8.22. á sombra das alas de vossa misericordia. § Ala; labareda: v. g. arder o fogo em ala: tomar ala. Arraes, 3.37. e 7.14. 10.79. o amor de Christo ardia em ala.

1833 Fonseca

Ala, enfiada, fieira, fila, fileira, renque - labareda, aza.

1836 Const

Ala, s. f. (Lat. ala, aza de passaro, fig. corpo lateral de exercito; vela de navio. Ala e ales, ave, vem do Egyp. hal, voar, halet ou halat, passaro), fileira, fieira, renque; aza de passaro; labareda (porque sobe ligeira em ponta ou pyramide); troço de cavallaria dos lados do exercito. Alas, corpos lateraes da linha do exercito. "As embarcações, ou as tropas forão postas em alas (linhas rectas), de duas fileiras." "A sombra das alas (azas) da vossa misericordia." Arraes 8,22. "Arder o fogo em ala (labareda): tomar o fogo ala (id.)." Arraes, 3, 37, e 7, 14.

Ala, ant. V. Enula campana.

Alla. V. Ala.

1845 DiccUniv

Ala, s. f. (ant.) o mesmo que aza; (t. de artes e officios), o que imita a aza; (bot.) enula campana. § lat. flomos, i. V. Enula Campana. - outra especie, ou herva similhante ao verbasco. § lat. inula, ae. V. Verbasco. - fileira dividida de outra deixando um claro no meio. Diz-se das pessoas ou cousas. - (mil.) flanco, lado direito ou esquerdo de um exercito disposto em ordem de batalha; (arch.) parte de um edificio que se levanta á direita e á esquerda para acompanhar o corpo principal; (fort.) flanco de um bastião; labareda, v. g. arder o fogo em -; (phr. fig.) tomar alas, levantar-se, sublimar-se como voando; (loc. adv.) em alas, com força e actividade. §. lat. ala.

Alla, V. Ala.

1858 Moraes

Ála, (do Lat. ala, aza) s. f. V. Enula campana. §. Troço do lado do exercito, a qual sendo completo parece que constava de 300 homens. "a vanguarda, reguarda, e alas." Ord. Af. 1. f. 288. Chr. J. 1. c.57. „em bando sobre as alas recrecia“ Lobo, f. 511. E é mui commum nos exercitos, sendo numerosos, dividirem-se em 3 corpos, e denominarem estes, ala direita, ala esquerda, e centro. §. A ala dos namorados. V. Namorados. §. Pôr em alas; em fileiras parallelas. M. P. c.68. „ embarcações em alas de duas fileiras.“ Vida de Lima, c.14. §. Renque. Leão, Orig. f.83. "as galés erão 15 e vinhão todas em huma ala." Andr. Chr. 4. c.107. das alas formam-se as fileiras do batalhão §. Ala, por aza. Arr. 8.22. „á sombra das alas de vossa misericordia. § Alas, pl. T. de bot. Especie de membranas mais, ou menos grossas que envolvem, e se elevam acima da semente de certas plantas t. As duas pétalas que estão entre as chamadas estendarte, e carena, e que com estas duas ultimas formam a flor das plantas leguminosas. Tambem se dá este nome aos ramos das arvores e outras plantas, que arrebatam pelos lados d’ellas. it. Os appendices delgados, e membranosos que se observam em algumas vegetáes, etc.

§ Ála, ou Hála, (melh. ort.) ., s. f. (de Halar) Labareda: v. g. arder o fogo em ala: „tomar ala.“ Arr. 3.37. e 2. 10. „o amor de Christo ardia em ala no peito da virgem“.


A L Á

1727 BluteauSuppl

Allah. Na lingua Turquesca. He o nome de Deos repetido. Usaõ os Turcos desta palavra, quando pedem que Deos os favoreça a si em particular, ou a outros em commum; e he o alarido bellico, com que costumaõ entrar na batalha. Tambem nas suas oraçoens repetem tres, ou quatro vezes, e às vezes oito, o seu Allah. Ricaut, na sua Historia do Imperio Ottomano.

1793 Ac


Alá. s. m. Voz tomada do Arabigo Allah, que significa Deos. Sous. Hist. 1,4,5 He Alá o nome, por que os Mouros conhecem a Deos.

1806 NovDicc

Allah, s. m. Nome que os Mahometanos daõ a Deos.

1818 Diccger

Allah, s. m. nome de Deos entre os Mahometanos.

1836 Const

Allah, s. m. Deos, em Arabico.

1845 DiccUniv

Allah, s. m. nome de Deus entre todos os povos que professão o mahometismo. Allah é cont. de Allilah, que, bem como o Elvah dos hebreos, significa o ente adoravel por excellencia.

1858 Moraes

Allah, s. m. Nome que os Mohametanos dão a Deus.
A L A B A C A

1818 Diccger Suppl. 1821

Alabaça. S. f. (Bot.) planta medicinal de folhas muito grandes.
A L A B A D O

1845 DiccUniv

Alabado, p. p. de alabar, e adj. gabado, louvado.
A L A B A N C I O S A M E N T E

1818 Diccger Suppl. 1821

Alabanziosamente, adv. (p.zu.) com jactancia.

1845 DiccUniv

Alabanciosamente, adv. com jactancia.
A L A B A N C I O S Í S S I M O

1818 Diccger

Suppl. 1821. Alabanciozissimo sup. (p. uz.) de alabanciozo.

1845 DiccUniv

Alabanciosissimo, sup. de alabancioso.
A L A B A N C I O S O

1813 Moraes

Alabanciòso, adj. Jactancioso. Palm. P. 2.

1818 Diccger

Alabanciozo, a, adj. (ant.) jactanciozo.

1831 Moraes

Alabanciòso, adj. Jactancioso. Palm. P. 2.

1836 Const

Alabancioso. V. Jactancioso.

1845 DiccUniv

Alabancioso, a, adj., (ant.) jactancioso.

1858 Moraes

Alabanciòso, ósa, adj. Jactancioso. Palm. P. 2.

A L A B A N D A

1712 Bluteau

Alabanda. Antiga Cidade da Caria, na Asia, junto do rio Meandro. Allabanda, orum. Neut. Plur. Strabo. lib. 13. & Livius 33. juxta Gruteri distributionem. Alabanda, ubi hostes erant, ducere caepit. Plin. no liv. 5. cap. 29. diz no nominativo singular. Alabanda, ae. Fem. Natural de Alabanda. Alabandeus, ei. ou Alabandensis. Cic. Alabandenus, a, um. Tit. Liv. Cousa de Alabanda. Alabandicus, a, um. Plin. Hist. lib. 21. cap.4.

1845 DiccUniv

Alabanda, s. f. (geog.) antiga cidade da Caria, na Asia, perto de Meandro.
A L A B A N D I N A

1818 Diccger

Alabandina, s. f. (Min.) especie de quartzo, rubi negro.

1845 DiccUniv

Alabandina, s. f. (min.) especie de quartzo, rubi-negro. V. Albandina.

1858 Moraes

Alabandina, ou Albandina, s. f. Pedra clara, e quasi gemmada na còr.
A L A B Ã O (v. alavão)

1789 Sousa

Alabaõ .... Allabbán. (Termo de pastores, muito usado no Alem-Tejo) Significa ovelhas, que daõ muito leite, e assim dizem, gado alabaõ. Deriva-se da voz ... Labán, o leite.

1836 Const

Alabão, s. m. ou adj. (t. do Alemtejo deriv. do Arab. allabbâm, de lában o leite), gado alabão, ovelhas que dão leite.

1845 DiccUniv

Alabão, adj. que dá muito leite, v. g. gado. - termo muito usado no Alemtejo pelos pastores. § arab. allabbâm; da voz lában, o leite.

1858 Moraes

Alabão, adj. (do Arab. Labán, o leite) No Alemtejo, e na serra da Estrella diz-se, gado - ; o de criação, e de leite; opposto ao alfeiro.
A L A B A R

1712 Bluteau

Alabar. Louvar. Gabar. Vid. nos seus lugares. Se se ficassem Alabando de taõ afrontosa reposta. Monarch. Lusit. Tom. 1. fol.314. col.2.

1771 Fonseca

Alabar-se. v. Jactar-se, louvar-se.

1789 Moraes

Alabar, v. at. gabar. M. Lus. T. 1. §. - se: jactar-se. Aulegraf. f. 32.

1793 Ac


Alabar. v. a. pouc. us. e sempre com pron. pess. Jactarse, vangloriarse, gabarse. Ferr. de Vasc. Ulyssip. 5,3 E promettevos que não se vão alabando de nós a poder, que eu possa. - Aulegr. 1,9 E elles não se vão alabando. Brit. Mon. 1,3 c.29 Pois lhe era cousa dura deixar os cercados com tanta gloria, como terião, se se ficassem alabando de tão affrontosa resposta, como lhe mandárão.

1806 NovDicc

*Alabar, por Louvar.

*Alabar-se, por Jactar-se.

1813 Moraes

Alabár, v. at. Gabar. M. Lus. T. 1. §. - se: jactar-se. Aulegraf. f. 32.

1818 Diccger

Alabar, v. a. (p. uz.) regularmente -se, vangloriar-se.

1831 Moraes

Alabár, v. at. Gabar. M. Lus. T. 1. §. - se: jactar-se. Aulegraf. f. 32.

1836 Const

Alabar. V. Gabar.

Alabar-se. V. Jactar-se.

1845 DiccUniv

Alabar, v. a. (chul. e p. us.) gabar, louvar, elogiar. - se, v. r. gabar-se, jactar-se, vangloriar-se.

1858 Moraes

Alabár, v.a. ant. Gabar. M. Lus. T. 1. 3.c. 29. §. - se: Jactar-se. Aulegraf. f. 32. Ulis. 5. 3.



  1   2   3   4   5   6   7   8   9   ...   56


©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal