15/09, quinta-feira 20h00 – Exposição “Teatro em Cena – Retratos de um Festival”



Baixar 66,56 Kb.
Encontro29.05.2017
Tamanho66,56 Kb.

Programação - Festival de Teatro Ibero-americano de São Paulo
ABERTURA
15/09, quinta-feira
20h00 – Exposição “Teatro em Cena – Retratos de um Festival”

Com curadoria do jornalista e fotógrafo Eugênio Goulart, a exposição apresenta 21 painéis fotográficos com registros das sete edições do Festival, ocorridas entre 2008 e 2014. Luís Avelima, Diretor de Atividades Culturais do Memorial, foi responsável pela supervisão do trabalho de pesquisa e seleção do material. A exposição estará disponível durante todo o Festival, das 9h às 18h (ou até o início dos espetáculos). Depois, as obras serão doadas ao acervo da Fundação Memorial da América Latina.


20h30 – Cerimônia de abertura

Mestre de cerimônia: Leopoldo Pacheco


21h00Sou Toda Coração – Um Pocket (Brasil)

Sinopse Débora Duboc faz um pocket show intimista interpretando canções do espetáculo musical Sou Toda Coração, acompanhada por arranjos originais do pianista Jonatan Harold. A montagem, que tem texto e direção de Elias Andreato, fala de amor - da procura à descoberta, passando pelo ciúme, dúvida, desejo, dor, vingança, simpatia e esperança. Unindo fala e canto, traz fragmentos de autores como Fernando Pessoa, Willian Shakespeare, Walter Franco e Clarice Lispector, mas também frases de caminhão de origens desconhecidas.
Ficha técnica Elenco: Débora Duboc. Texto e direção: Elias Andreato. Interpretação: Débora Duboc. Direção musical e piano: Jonatan Harold. Direção de produção: Toni Venturi e Débora Duboc. Cenografia: Laura Andreato. Assistência/direção: André Acioli. Luz: Elias Andreato e André Acioli. Visagismo: Fabiana Akamine. Produção executiva: Palipalan Arte e Cultura. Duração: 30 min. Gênero: Musical. Classificação: 14 anos
Teaser: https://youtu.be/BM3VrMzXSI4
TEATRO
16/09, sexta-feira
20h30Metamorfosis (Espanha)

Sinopse Inspirada no livro A Metamorfose de Franz Kafka, a montagem do grupo Xerpo Cultural discorre sobre a realidade da carne a partir dos tempos modernos da informática e do domínio da realidade virtual. A peça situa um Gregor Samsa futuro que trabalha como programador e, em seu tempo livre, desenvolve um emulador do pensamento humano. Um dia, decide testá-lo em si mesmo. Assim começa a história em que ele, "monstruoso inseto" da Metamorfose original, se vê transformado em um inseto social, incompreendido, inadaptado.
Ficha técnica Elenco: Álex Sobrino. Dramaturgia: Álex Sobrino. Assistência de direção: Irene Moreira. Assistência de Interpretação: Mariana Carballal. Figurino: Diego Vazio. Assistência técnica: Francisco Javier Ribadas Pena, Juanma LoDo, Xosel Díez e Viscepátix. Duração: 60 min. Gênero: Drama. Classificação: 14 anos
Teaser: https://www.youtube.com/watch?v=KFD19FAQ_to
18/09, domingo
20h00El Bufon (Argentina)

Sinopse A atriz Julieta Daga interpreta uma “princesa cartonera” que habita uma espécie de castelo “de lixo”, usando figurino feito com material reciclado. Em um redemoinho de situações dramáticas que mostram um tempo de incerteza, ninguém escapa de suas palavras ácidas, entre a ingenuidade e a perversidade. O espetáculo usa recursos históricos em busca do riso e da reflexão sobre o papel do teatro na construção de um poder que esconde sua origem em cada um de nós.
Ficha técnica – Elenco: Julieta Daga. Dramaturgia e direção: Luciano Delprato. Design de som: Gerardo Schiavón. Cenografia: Luciano Delprato e Juliana Manarino Tachella. Assistência dramatúrgica: Marcos Cáceres. Produção: María Paula Del Prato. Duração: 75 min. Gênero: Tragicomédia. Classificação: 14 anos
Teaser: https://vimeo.com/166902042
20/09, terça-feira
20h30Uma Ilíada (Brasil)

Sinopse Bruce Gomlevsky faz uma releitura dos antigos artistas andarilhos da Grécia Antiga que cantavam ao povo e às cortes os poemas “homéricos” acompanhados por um instrumentista. Com lirismo e humor, apresenta a história da Guerra de Tróia ao mundo contemporâneo, tratando de temas ainda atuais como a escolha entre valores materiais e morais, a ira, a sede de guerra e suas consequências. Abrindo mão de quaisquer artifícios, a montagem vale-se basicamente do trabalho do ator e a comunicação direta com seu interlocutor. A peça venceu o Prêmio Cesgranrio de Melhor Ator e foi indicada para o Prêmio APTR na mesma categoria. Bruce tem 22 de carreira em cinema e teatro.
Ficha técnica – Direção e interpretação: Bruce Gomlevsky. Texto: Lisa Peterson e Denis O’Hare. Tradução: Geraldo Carneiro. Contrabaixista: Alana Alberg. Duração: 80 min. Gênero: Drama épico. Classificação: 14 anos
Teaser: https://www.youtube.com/watch?v=PVDZcRw6nCI
21/09, quarta-feira
20h30La Mujer del Don (Paraguai)

Sinopse A atriz Carmen Briano, vestida de verde esmeralda, interpreta uma mulher com o dom da clarividência, descrito por ela como "uma bênção e uma maldição". Nesta reflexão que faz sobre a vida, recapitula suas memórias de infância, adolescência, família, amor, viagem e êxito, mergulhando na vulnerabilidade, no medo, na entrega e no aprendizado frente à sensação da solidão. Algumas cadeiras, velas e um anel de sal formam o cenário minimalista desta produção, que tem também um coro com atores do grupo Viento Sur, coordenado por Jorge Báez.
Ficha técnica – Elenco: Carmen Briano. Texto, direção e produção: Guillermo Hermida. Assistência/direção: Luis Troche. Efeitos sonoros: Alejo Jiménez. Produção: Pili Ortiz. Duração: 60 min. Gênero: Drama. Classificação: 14 anos
22/09, quinta-feira
20h30Hamelin (Brasil)

Sinopse Sucesso de público no Teatro Nósmesmos, a peça Hamelin explora contradições sociais ao abordar a pedofilia e propor ao público a reflexão sobre as relações humanas, aproximando semelhanças e diminuindo preconceitos. O espetáculo conta a história do juiz Monteiro (Juliano Mazurchi) que está determinado a provar que um importante membro da sociedade, Rivas (Alessandro Pi), abusou sexualmente de uma criança, Zé Maria (Chicó Ferreira). Com atmosfera de suspense e dramaturgia não convencional, Hamelin revela a impossibilidade de se chegar a uma única conclusão quando as palavras são tudo o que se tem para apurar a verdade. A encenação é minimalista e usa com parcimônia uma cenografia enxuta e precisa com poucos objetos cênicos. Destaque para a existência do personagem Comentador, uma espécie de contador de história que serve de ponte entre o realismo das atuações com o lúdico daquele que se comunica diretamente com a plateia.
Ficha técnica Com Teatro Nósmesmos. Elenco: Juliano Mazurchi, Alessandro Pi, Chicó Ferreira, Christian Hilário, Alessandro Franco e Regina Rebello. Texto: Juan Mayorga. Direção: Ricardo Vandré. 80 min. Gênero: Drama. Classificação: 14 anos
Teaser https://www.youtube.com/watch?v=sGeyIcJD5J8
23/09, sexta-feira
20h30A Última Dança (Brasil)

Sinopse A encenação se constrói a partir de escritos de Simone Weil (1909-1943), que narram não apenas sua vida na fábrica, como também sua resistência às guerras e à força: a fome, as labaredas, o barulho, os acidentes, as doenças, as ordens, o medo, o esgotamento, o envelhecimento, a infelicidade. Formada em filosofia, filha de judeus, Simone foi a primeira mulher catedrática da França; lutou na Guerra Civil Espanhola e na Resistência Francesa, em Londres. No palco, apenas a presença da atriz em um cenário formado por máquinas de linha de produção. A trilha sonora é composta por ruídos das correias, barulhos de macetadas e outras manifestações sonoras típicas das fábricas. A luz é responsável pela atmosfera dura e fria e pela mudança de temperatura ambiente a que os operários eram/são submetidos (“o frio vivido pelos operários era capaz de paralisar os movimentos, enquanto que o calor era opressivo”, S.W.).
Ficha técnica Elenco: Natalia Gonsales, César Baptista, Fernanda Bueno e Janaína Suaudeau. Concepção e figurino: Natalia Gonsales. Provocação: César Baptista e Janaína Suaudeau. Dramaturgia: César Baptista. Direção de movimento/coreografia: Fernanda Bueno. Trilha sonora: Daniel Maia. Iluminação: Igor Sane. Cenário: Flávio Tolezani. Duração: 60 min. Gênero: Drama. Classificação: 14 anos
Vídeo https://vimeo.com/178611261
24/09, sábado
20h30Aqui Estamos com Milhares de Cães Vindos do Mar (Brasil)

Baseada na coletânea de peças curtas Cuidado com as Velhinhas Carentes e Solitárias, do romeno Matéi Visniec, a montagem – que recebeu os prêmios APCA 2015 de melhor espetáculo e Aplauso Brasil de melhor diretor – fala de solidão e silêncio entre uns e outros. O texto trata as relações humanas atuais como um extenso deserto, seja em aspectos da vida privada, seja em aspectos políticos. Composta por 15 peças curtas divididas em três eixos (fronteiras, agorafobia e deserto), a coletânea é uma obra de caráter aberto: as peças começam e são interrompidas, entram e saem de cena num ir e vir de personagens solitários. Ter vivido sob um regime autoritário influenciou definitivamente a obra de Visniec, sendo constante o tema da inadequação do ser humano ante a máquina estatal. Tons de cinza, branco e preto cobrem palco, cenário, atores e figurinos.


Ficha técnica - Com Os Barulhentos. Elenco: Cadu Cardoso, Clara Rocha, Domitila Gonzalez, Elias Pintael, Gustavo Pompiani, Lia Maria, Lucas Horita, Lucas Paranhos, Marina Campanatti e Murilo Zibetti. Dramaturgia: Matéi Visniec. Direção: Rodrigo Spina. Figurino: Camila Fogaça. Cenário: Moshe Motta. Luz: Lui Seixas. Assistente/direção e stand-in: Thalita Trevisani. Duração: 100 min. Gênero: Tragicomédia. Classificação: 14 anos
Teaser: https://www.youtube.com/watch?v=ZUReyqOUaes
25/09, sábado
20h00No Limite da Dor (Portugal)

Sinopse Quatro histórias se entrelaçam numa peça que traz testemunhos reais de torturas vividas por ex-presos políticos nas mãos da PIDE (Polícia Internacional e de Defesa do Estado), durante a ditadura portuguesa, na primeira metade do século XX. No Limiar da Dor faz uma profunda reflexão sobre a resistência, o medo, a humilhação, a dor e a dignidade do ser humano, cuja dimensão, provavelmente, as novas gerações têm dificuldade em compreender. Lendias d’Encantar foi fundada em Beja, em 1998, e desde então tem trabalhado na criação e produção teatrais, na formação, dinamização e programação cultural da região.
Ficha técnica - Com Lendias d’Encantar. Texto: baseado em livro de Ana Aranha e Carlos Ademar. Encenação e cenário: Júlio César Ramirez. Elenco: Ana Ademar e Antonio Revez. Figurino: Ana Rodrigues. Luz: Ivan Castro. Trilha: João Nunes. Duração: 60 min. Gênero: Drama. Classificação: 14 anos
Vídeohttps://www.youtube.com/watch?v=M721O1KCOf8
CINETEATRO
17/09, sábado
16h30Testemunha de Acusação (Witness for the Prosecution)

Ficha técnica De Billy Wilder. EUA. 1957. 116’. Com Marlene Dietrich, Charles Laughton, Tyrone Power.
Sinopse Baseado em conto da escritora britânica Agatha Christie. Quando Leonard Vole (T. Power) é preso sob acusação de ter assassinado uma mulher viúva e rica, um veterano e sagaz advogado, Sir Wilfrid Robarts (C. Laughton), aceita fazer sua defesa. O único álibi do acusado é o testemunho da esposa, Christine Vole (M. Dietrich), uma mulher fria e calculista. E a defesa fica praticamente impossível quando Vole concorda em ser testemunha não de defesa, mas de acusação.
19h00Quem Tem Medo de Virginia Woolf? (Who’s Afraid of Virginia Woolf?)

Ficha técnica De Mike Nichols. EUA. 1966. 131’. Com Richard Burton, Elizabeth Taylor, George Segal, Sandy Dennis.
Sinopse Inspirado em peça de Edward Albee. George (Richard Burton), professor universitário, e sua esposa Martha (Elizabeth Taylor), filha do reitor, recebem no final da noite a visita de um casal: o jovem professor Nick (George Segal) e sua mulher Honey (Sandy Dennis). À medida que a noite vai avançando, as confissões entre eles quatro vão se tornando cada vez mais ácidas, e a verdade se torna algo profundamente deprimente.
18/09, domingo
16h30A Morte do Caixeiro Viajante (Death of a Salesman)

Ficha técnica De Volker Schlondorff. EUA. 1985. 136’. Com Dustin Hoffman, Kate Reid, John Malkovich.
Sinopse Inspirado em texto de Arthur Miller que estreou na Broadway em 1949. Drama sobre a perseguição ao “sonho americano”  e a ética do sucesso. O caixeiro viajante Willy Loman (Dustin Hoffman) sempre acreditou que seu trabalho o deixaria rico e assim poderia dar todo o luxo e conforto para a família. Isso nunca aconteceu; ele vê o sonho desmoronar quando perde o emprego. A mulher e os filhos são os únicos que podem ajudá-lo a sair da profunda crise e o processo de autodestruição que se impôs. Mas Willy tem ainda fantasmas de seu passado que lhe perseguem. Hoffman ganhou o Globo de Ouro pelo papel.
19/09, segunda-feira
17h3012 Homens e Uma Sentença (12 Angry Men)

Ficha técnica De Sidney Lumet. EUA. 1957. 96’. Com Henry Fonda, Lee J. Cobb, Ed Begley, Martin Balsam, Jack Klugman, E.G. Marshall.
Sinopse Baseado em obra de Reginald Rose. Um jovem porto-riquenho é acusado do brutal crime de ter matado o próprio pai. Quando ele vai a julgamento, os 12 jurados se reúnem para decidir a sentença, considerando que o réu deve ser considerado inocente até que seja provado o contrário. Confinados para a decisão, 11 dos jurados têm certeza de que o rapaz é culpado, e votam pela sua condenação, mas um deles acha que devem investigar melhor para que a sentença seja justa. Ele terá que enfrentar várias interpretações diferentes dos fatos, além da impaciência e má vontade dos outros jurados, que querem terminar logo e irem para suas casas.

MESA REDONDA
19/09, segunda-feira
19h30O Que o Teatro Tem Proposto de Novo

Mediação: Edgar Olimpio de Souza e Vinicio Angelici

Convidados: André Garolli (ator e diretor brasileiro), Aimar Labaki (dramaturgo, diretor e ensaísta brasileiro), Carmen Briano (atriz argentina) e José Leitão (diretor teatral português).

Duração: 90 min. Classificação: 14 anos.


A roda de conversa pretende que os participantes exponham o perfil dos festivais e seus respectivos países e em suas regiões. Em pauta estarão propostas, estéticas e temáticas do teatro nos países em questão para, junto com a plateia, debater sobre o que vem refletindo o teatro contemporâneo.



©livred.info 2017
enviar mensagem

    Página principal